História Amigos Para Sempre - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amizade, Amor, Drama, Palavrão, Revelaçao, Romance, Segredo
Exibições 43
Palavras 5.795
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Esporte, Famí­lia, Festa, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência, Visual Novel, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Hey pessoas ^^
Sorry pela demora, mas eu tive uma series de imprevistos e não consegui postar nada.

Enfim, esse é o primeiro cap que eu posto que tem uma imagem kkk Na foto tem os dois vestidos que a Anna vai usar na festa dela. Enfim, queria dizer que escrevi esse cap escutando Adelle someone like you, uma musica triste.
Lembram do primeiro cap da historia? Pronto, vocês ir "entender" o porque da Anna está chorando e tudo mais... Já vou avisando que nesse cap tem tiro porada e bomba rsrsrs
Bom, vou logo avisando tbm, mal revisei, então terá mais erro que o normal u.u
Enfim, boa leitura :)


~~ Sants

Capítulo 13 - Capítulo Treze


Fanfic / Fanfiction Amigos Para Sempre - Capítulo 13 - Capítulo Treze

Leiam as notas inicias e finais é IMPORTANTE!!

---x---

Aquela era de longe a situação mais "estranhas" da minha vida. As coisas ficaram MUITO peculiares quando o loiro resolveu sinicamente senta-se ao meu lado e do Ben e olhar meus vestidos de festa. A sua cara era de grande indiferença, oque era aterrosante, pois eu sabia que por dentro ele queria me esganar.

Então, finalmente eu entendo o medo do moreno. O Breno estava aqui e provavelmente coisas boas não viriam da sua visita, principalmente agora que ele me viu no colo do seu namorado.

- Então, Breno, não são lindos? - falou inocente a minha tia Amara - Minha nora não tem um bom gosto?

- Sim, divino! - esclamou docimente - Devem ficar lindos nela. - acressentou.

Falso! Essa era a palavra que o definia, já que nem de longe ele era tão gentil comigo. O que estava me assustando, afinal, ele nunca consegui ser tão controlado quando estava com ciumes do namorado.

- Obrigado, muito gentil da sua parte Breno. - fui falsa também, mas cautelosa.

Eu ainda estava imovel no colo do moreno, testando a pasciencia do mesmo, que parecia cada vez se esvair por cada sorrisinho forçado que dava para mim ou Amara.

- Que isso querida, todos sabemos do seu bom gosto. - elogiu a mãe do Ben.

- Bom, se não se incomodam, vou para casa - iniciei -, tenho tanta coisa pra fazer.

Sim, essa era uma grande desculpa esfarrapada, mas fazer o que? Eu que não vou ficar aqui e ser ingulida viva pelo Breno. E se olharmo por outro lado, seria bom deixar o Ben por um tempo sozinho com o Breno, para que eles conversem e quem sabem terminem. Sejamos francos, ele não amava o loiro, e sim me amava! Fato! Então, por isso seria bom ir embora.

- Oh querida! Não pode ficar? - indagou apreensiva a mais velha.

Neguei com a cabeça.

- Sinto muito, mas tenho mesmo que ir. - falei.

- Ora, é mesmo uma pena que você tenha que ir... - Breno falou com um sorrisinho ridiculo nos lábios de falso desapontamento, porque essa bicha devia é está feliz. Ele estava alegre com a minha partida, estava claro no seu rosto fingido e totalmente carregado de sinismo.

- Sim, realmente uma pena. - sorri para o outro, fingido gentileza.

- Querido, leve a Anna a porta e depois volte para continuarmos a conversar com o seu amigo. - Amara disse educada.

- Sim, mamãe. - sua frase foi curta, educada, simplis e estranhamente calma. Oque é derradeiramente estranho, já que o moreno não é muito de chamar a propria mãe de " mamãe" e principalmente ser calma e tão educado.

Essa criatura deve esta doente.

Me levantei do seu colo para que ele pudesse fazer o mesmo. Fomos ambos em um silêncio chato até a porta. Assim que chegamos, Ele a abriu pra mim e sorriu desconcertado e coçou a nuca.

- Desculpa por isso Anna...

- ...  O que ele veio fazer aqui? - perguntei.

- Me ver... - disse e deixou no ar a sua frase um tanto vázia e que não continha nenhum tipo de explicação - oque eu queria.

- Não sabia que estavam ficando tão intimos ao ponto dele lhe fazer visitas enquanto seus pais estão em casa. - indaguei com a sombracelha arqueada.

- E não estamos, não chegamos a tal ponto... Ainda. Ele veio porque realmente faz tempo que eu não o vejo. - admitiu.

- Hum... Vou indo agora. - falei meio triste.

Mas o que eu esperava? Ele namora aquele loiro e eu sou ainda apenas a sua amiga que fica ao seu lado em qualquer momento ou situação. Mas por outro lado, nos ultimos tempos fui sua amante e ele não me pareceu preocupado com o fato de ter um namorado, pelo contrario, pareciamos namorar verdadeiramente... Eramos um casal.

- Okay... Mas quando você vem aqui de novo? - perguntou com aquela carinha pidona dele que eu odeio porque não resisto a ela.

- Amanhã depois da escola está bom para você?

- Perfeito! Vou adorar tê-la aqui comigo as vesperas do mosso aniversario.

Sorri e fui calmamente até ele e beijei sua bochecha com covinhas.

- Tchau. - disse e me fui.

(...)

Aquele dia realmente foi bastante turbulento na minha vida, mas eu não me importei muito com o loiro, afinal, eu tinha grande convicções que mais cedo mais tarde esses dois iram acabar com esse romance entre eles. E bom, com que o Ben vai ficar? Sim, comigo!

Nas vesperas do grande dia, como de custume, Benjamin veio buscar-me para mais um dia de jornada na escola. Entretanto, tinha algo errado com o Ben. Ele esta meio... Frígido. Não falou muito durante nosso trageto até a escola, trancando-se por dentro. Certamente havia algo de muito errado acontecendo com ele. E o pior, quando eu lhe perguntava se tinha algo de errado acontecendo, ele respondia com as mesmas palavras discursadas e ensaiadas: " Só estou com a cabeça cheia " Coisa que eu sabia ser mentir, eu o conhecia o bastante para saber disso

Na escola a cena se repitiu. Ele treinou a manhã toda e atarde também. Mal me dando tempo de lhe dizer um " Oi? Como está?" Mas eu estava esperançosa, afinal, eu ainda iria para a sua casa - como o combinado. Até já tinha avisado as meus pais.

Quando as aulas acabaram eu fui pra frente da escola e me sentei em um banco na frente da escola pra esperar meu amigo, pois sabia o quanto ele demorava nos seus treinos.

As pessoas saiam do portão da escola todas muita animadas, a grande maioria com a festa no dia seguinte, por isso me cumprimentavam muito animadas, outro poucos se importavam - ou fingiam que não -. Outra viravam a cara, como no caso de Linda Carson.

Garota fútil, me xingou achando que roubei Ben dela, coitada! Ele é gay, além disso, fiz um favor a ela, pois considerando como o Ben era galinha, duvido que iria querer algo sério com ela, além de usa-la, é claro.

De repente um certo garoto de cabelos castanho muito gentil sentou-se ao meu lado e sorriu para mim.

- Hey Anna - disse animado com um sorriso encantador no rosto -, feliz vesperas de aniversario!

- Obrigado Mattie. - beijei sua bochecha e ele corou.

- Que tal eu te dá aquela carona que você vem recusamos a tempos?

- Que carona? - indaguei.

- Oras, aquela que quando passei com o meu carro e te ofereci uma carona você disse estava esperando o Ben e disse que ficava pra proxima, ai eu disse que ia cobrar.

- Hum... Ah! - disse me lembrando - Mas eu já não paguei com o dia no parque? Quando você me levou pra casa.

- Não, aquilo não foi uma carona, foi dever! - falou solene - Imagina se eu ia deixa-la voltar pra casa sozinha?

Ri do quão sério ele estava ao falar tais palavras. Parecia acreditar naquilo que dizia.

- Tudo bem, tudo bem - me rendi -, olha, hoje também não dá... Mas vamos deixar pra um outro ...

- ... Dia. - completou - Okay, agora são duas caronas em debitos.

- Sem, problemas, pago assim que puder.

- Tenha certeza que vou cobrar. - ri, sabendo que ele ia mesmo.

Ele se levantou e eu me levantei junto só para lhe dá um abraço de despedida. Ultimamente estou criando um grande carinho pelo Matt, ele é tão amigo, cuidadoso, atencioso e engraçado. Talvez se eu não estivesse tão apaixonada pelo Ben eu juro que quem ocuparia o lugar do mesmo seria Mattie. Quando nos afastamos, pude ver ao longe Ben caminhamos até seu carro enquanto olhava fixamenta para nós dois.

- Tenho que ir Mattie, te vejo depois. - beijei sua bochecha e fui até o Ben.

- Tchau, Anna. - respondeu com a voz meio baixa.

Ben me esperava encostado no seu carro e de braços cruzados enquanto mantinha um semblante sério e inredutivel. Aparentava está incomodado com algo.

- Oi Ben. - fui até ele e tentei beijar sua bochecha, no entanto, supreendentimente ele desviou do meu carinho - Tudo bem?

- Sim, porque não estaria bem? - respondeu seco.

- Calma, só perguntei pra saber se estava tudo bem. - revirei os olhos.

- Sim, está tudo bem, mas oque eu não entendo é o fato de você ser amiguinha daquele projeto de homem. - resmungou entre dentes.

- Está falando do Mattie? - franzi a testa.

- E de quem mais eu estaria falando? - Ben usou do sarcasmo, o que foi a gota d'água para mim, afinal, ele que falasse direito comigo e parasse de querer atacar o Mattie que é uma otima pessoa.

Franzi a testa, umideci os lábios e posicionei estrategicamente as mãos na cintura e o encarei com irritação.

- Olha aqui Benjamin, eu não te digo quem namorar então não venha querer dizer quem eu devo escolher como meu amigo!! - minha voz soou extremamente ultrajada e fatal.

Ele calou-se sem argumento para debatermos, o que consagrou a minha vitoria naquela discursão.

- Que seja! - disse rendido.

- Okay, agora vamos. - dei a volta no seu carro e entrei.

Ele fez o mesmo.

- Anna... - chamou-me.

- Oi?

- Desculpa, mas hoje eu vou ter que te levar pra casa. - falou e eu o olhei.

- Por que?

- Sabe, infelizmente eu não poderei ficar com você hoje a noite, Breno me ligou e disse...

O interrompi.

- Mas Ben, a gente sempre fica junto nas vesperas do nosso aniversario.. E além disso, a gente combinou de ficar junto antes! - acusei com razão.

- Eu sei... - suspirou pesado e fundo - Mas tem uma coisa que eu preciso fazer hoje e não posso adiar.

- E o que seria essa coisa?

- Te conto amanhã na festa. - disse.

Não pude deixar de sorri, afinal, se ele fosse fazer o que eu achava que ele ia fazer, só em pensar nisso eu sentia meu coração falhar. Então, só por hoje eu vou te perdoar sem brigar.

- Tudo bem! Vou querer saber viu. - brinquei e ele riu fraco.

Ele me deixou em casa e se foi após me dá um beijo na bochecha, como sempre faziamos antes dessa historia de namoro. Entrei em casa sorridente e ia correr pro meu quarto, mas meu pai não deixou.

- Oi princesa? - disse sentado no sofar ao lado do meu tio.

- Oi Papai. - fui até ele e lhe dei um beijo na sua testa e depois fui até meu tio - Oi tio.

- Oi pequena. - disse meu tio.

- Como foi o dia? - pergunta meu pai.

- Bem papai, mas estou cansada, vou pro quarto... Tchau.

Corri para meu quarto e me joguei na cama com um sorriso radiante no rosto. Amanhã seria um grande dia.

(...)

Finalmente era um de maio... Dia do meu aniversario, dia que eu completava meus 18 aninhos de vida.

O dia começou otimo! Fui acordada com os meus pais batendo na minha porta muito alegres. Quando abri, lá estavam eles com uma bandeja das mais variadas comidas que eu gostava para mim, e só hoje eu me permite sair da minha dieta.

Após comer como rainha, fui tomar banho e vestir um shorte curto rosa e uma blusa de alça rendada branca e desci as escadas correndo para cumprimentar o resto da minha família. Meus primos sorriam e me abraçaram e me derem os dois presentes, aqual eu disse não prescisar - mesmo adorando receve-los -, mas acabei aceitando. Contudo, disse a eles que só abria meus presentes um dia seguinte do mru aniversario, afinal sempre abria meus presentes com o Ben.

Após levar meus presentes para o quarto, peguei meu telefone e liguei para pessoa que também estava fazendo aniversario. Advinhem quem é?

- Alô? Ben? - ele bocejou algunas vezes e me respondeu com a voz de sono.

- Anna? Oque foi? - perguntou como se não soubesse que dia era, ou ele não sabia mesmo.

-  Bom dia, você acordou agora?

- Sim, treinei até tarde ontem depois sair com Breno, você sabe que quarta quem vem tem jogo né? O treinador que esforço da minha parte, já que sou o capitão do time. - sua voz estava cansada e sonolenta.

- Desculpa te acordar.

- Tudo bem, Anna. - bocejou novamente - E então, ligou por quê?

- Liguei pra manter a tradição de sempre ser a primeira a te dizer isso: Feliz aniversario amigo.

Ele ficou calado por uns momentos e eu me calei também, achando que ele tinha dormindo, por causa do  tempo que ele demorou para responder. Entretanto, sua respiração pesada de repente lhe entregou. O que só complicou as coisas, porque isso martelou na minha cabeça, será que eu tinha dito algo errado? Por que ele demorava para me responder?

- Ben... ?

- Oi? - respondeu com a sua respiração ainda pesada.

- Tudo bem?

- Sim... Só tô cansado.

- Hum... Então vou te deixar descansar...

- Anna... - me interrompeu, parecia querer dizer algo.

- Sim?

- Hum... É... Feliz aniversario também...

Por que será que eu acho que isso não era o que ele queria dizer?

- Obrigado, Ben.

- Por nada... - e ficamos em silêncio de novo.

- Hum... Até mais tarde Ben.

- Até Anna...

Desligamos.

Meu coração estava a mil, será que Ben ia dizer o que eu acho que ele ia dizer? Será que finalmente ele ia deixar aquele loiro sem graça pra finalmete ficar comigo? - tantos questionamentos, mas eu sabia que de hoje essas minhas duvidas não passavam.

O dia ia se passando rapidíssimo, e a hora da minha festa cada vez se aproximava mais. Fui até o salão onde seria realizado a comemoração, que ficava perto do teatro e adentrei o lugar para  ver como tinha o ficado. Simplismente o lugar havia ficado perfeito, apesar de tudo ter ficado com tema rosa, mas tudo tinha ficado incrivel.

Toda aquela decoração tinha custado caro, mas tinha valido a pena. Nas laterais do lugar tinha mesas com sofas brancos super confortaveis, cadeiras artesanais de madeiras, e jarros lindos com flores nas mesas com toalhas em rendas. Tinha tecido rosa caindo das paredes e algunas mesas perto. Um lustre lindo que assumia a cor rosa, mas que no decorrer da noite assumiria a cor azul pra balada, e a cor rosa deixava o ambiente com tons rosas. Mas na frente tinha um palco pra banda que tocaria temas de filmes famosos ou canções de gente famosa, tudo bem agradavel. Perto dalí tinha os equipamentos do Dj com varias tvs  telas plana - ideia dos meus pais, acho que tem alguma coisa ver com a minha supresa de aniversario - para que quando ele tocasse filmasse as pessoas dancando do meio da pista que tinha um globo de luz desligado e preparado para quando fosse a hora.

Para deixar a festa ainda mais convidativa, tinha duas maquinas de fotos estantanias situadas as duas logo na entrada, fotos essas que também passariam na tv perto do Dj. Tinha fontes de chocolates branco e preto com moragons em volta, mesas com bebidas e garcons para todos os lados.

A festa seria perfeita.

Assim que sai de lá fui para um salão tomar um banho de beleza.

Primeiro eu fiz as unhas, manicure e pedicure. Nas mãos eu fiz francesinha branca e nos pés inglesa branca. Depois fui fiz tratamento facial com mascara de abacate e pepino. No cabelo eu só reforcei os cachos. Fiz idratação profunda, depois abaixei os volumes e deixei um pouco lisos na raiz e cacheado ao estilo babiliss nas pontas. Nessa brincadeira, durei o dia todo.

Fui pra casa renovada e linda. Já eram 17:38 da tarde e a minha festa começaria as 19:30.

Minha casa estava uma bagunça, minha mãe e meu pai falavam com a empresa de bufê e outras pessoas que eu não fazia ideia, meus primos arrumavam cabelos, roupas e acessorios. Meu tio era o unico que estava sentado assistindo tv.

Subi para o quarto e mandei uma mensagem Para o Ben.

" Acabei de voltar do salão... Estou me sentindo renovada, sabe? Quero fazer isso mais vezes kkk"

Mandei outra:

" Sabe, é nosso aniversario e nem nos vimos ainda... Tô ansiosa por hoje a noite, pois vai ser nossa festa e eu vou te ver... "

Ele me respondeu depois de um tempo.

" Verdade... Queria você aqui "

Respondi:

" Também queria está ai..."

Não obtive resposta.

As meninas chegaram logo depois com suas roupas da festa, todas muito animadas.

Abgail fez no cabelo um lindo penteado amarado de lado e vestiu um vestido lindo azul com decote de coração que ia até a metade das suas pernas. Fez uma maquiagem leve com um batom nude lindo e finalizou com um salto preto de quase 15 cm. Carie deixou os cabelos soltos e totalmentes lisos, vestiu um vestido rosa com rendas lindas também rosas, fez uma maquiagen simplis nos olhos e usou um gloss rosa cintilante na boca, para terminar seu look colocou um salto de cor nude muito chique.

Eu vesti meu vestido de cor vinho com detalhes de flores lindas que era longo na parte de trás e curto na frente, coloquei todo meu cabelo pro lado e do outro lado coloquei um lindo enfeite de flor feito de pedrinhas. Para a minha maquiagem eu usei nos olhos um deliniardor fino com um traço gatinho e usei um rimel que me deixou com os cilios longos e cheios. Na boca ousei com um baton vermelho sangue - minha cor favorita de baton - e um blush super simplis meio rosa. Coloquei um colar que tinha uma unica predinha com um coração branco, umas pulseiras lindas e para terminar a arrumação, calcei o meu salto 15 preto com pedrinhas na frente que cimbinavam perfeitamento com o vestido que eu usava. Resultado: eu estava linda.

Desci as escadas com a a meninas e dei de cara com toda a família Fontes nos esperando. Todos me olhavam emprecionados, eu devia estar mais imprecionante do que achava.

- Nossa! - exclamou meu primo de boca aberta.

Ele usava uma camisa social com um blaze azul muito elegante. Minha prima estava com un vestido branco todo brinhoso. Minha mãe estava mais discreta com um vestido preto e um colar de pedras valiosas. Meu pai e tio com um terno preto bem chique.

- Minha princesa está maravilhosa! - disse meu pai e eu ri.

- Obrigado papai.

Fui até ele e lhe dei um beijo.

- O Ben vai morrer quando te ver dessa forma. - afirmou minha prima me olhando com atenção.

- Ele vai querer fazer qualquer outra coisa, menos morrer quando ver ela assim! - disse meu primo rindo.

- Pare Miguel! - pediu meu pai - Falando no Ben, ele vem te buscar filha?

- Não, a gente vai se encontrar na festa.

- Isso é estranho, já que ele sempre fez questão de vir te buscar. - comentou a minha mãe.

- Vamos esquecer isso e ir para a festa? - eu disse e todos concordamos. Não queria entrar nesse assunto, já que ele também me chateava.

Fomos eu, Abgail, Carie e meu pai no mesmo carro. Meu tio, minha mãe e meus primos foram no outro.

Ao chegar lá fui logo organizando os ultimos detalhes e logo as pessoas começaram a chegar. Primeiro o pessoa da escola que eu mal lembrava o nome, depois alguns vizinhos e pessoas que trabalhava com meu pai e do Ben. A banda tocava This is how we do da Katy Parry e algumas pessoas já dancavam, bebiam e comiam. Todos gostando muito da festa.

Jimie, meu rival festivo tinha chegado e estava com uma cara de cu, pois sabia que eu o tinha superado. Ri pra o garoto e erguia a cabeça em vitoria.

Mattie chegou todo arrumado com um topete e um terno azul escuro e uma gravata toda desarumada de proposito logo depois. Ele estava lindo. Ele veio me cumprimentar logo em seguida.

- Oi, Anna. - me abraçou com carinho.

Sempre um amor.

- Oi, Mattie. - abracei de volta.

- Você esta maravilhosa. - observou quando nos separamos.

- Obrigado, você também está otimo. - pisquei pra ele - E então, tá gostando da festa?

- Acabei de chegar, mas sei que ela está otima e eu vou adorar. - sorriu - Mas uma pergunta: por que rosa? Não achei que o Ben gostasse dessa cor.

Gargalhei lembrando da minha travessura. Quero nem ver a cara do Ben quando ele ver o tanto de coisa rosa tem aqui.

- Você nem imagina o quanto ele gosta. - pisquei pra ele.

Agora que eu estou com esse salto, eu percebo o quanto o Matt é baixo, pois eu estou quase do seu tamanho.

Ao longe Ben, sua familia e... Breno vinha vindo em minha direcão. No entanto sua familia desviou para meus pais, mas ele continuou vindo na minha direção.

- Oi Anna. - disse a bicha loira bem falsa - Feliz aniversario.

- Obrigado. - abracei ele, mas logo me afastei.

Ben estava simplismente lindo com um terno bem custurado preto, um topete alto perfeito. Ele estava cheiroso, eu podia sentir seu perfume amadeirado, porém suave de onde eu estava. Realmente o terno lhe caia muito bem, pois ele deixa muito inresistivel a mais do que ele já era.

Ele me olhou dos pés a cabeça e sorriu para mim, parecia ... Eu não sei. Ele estava meio misterioso, eu não estava conseguindo intepreta-lo com exatidão.

- Você está linda Anna... - falou, mas as suas palavras me sooaram meio vazias.

Sorri levimente e agradeci com um balbuciamento de boca.

- Anna... - Mattie me chamou.

- Sim?

- Eu vou falar com uns amigos se não se importa.

- Eu não me importo Mattie, mas volte. - exije em um ato brincalhão, depois sorri pra ele.

- Okay, mas guarde uma dança pra mim. - sorriu de lado dr volta, muito charmoso.

- Está guardada. - abracei ele e beijei sua bochecha e me virei para o Ben e ele tinha uma cara meio fechada.

- Seu namorado Anna? - pela primeira vez eu vi um sorriso pra mim vindo do Breno.

- Não, só é um grande amigo! - revelei.

- Hum... Ele parece de otimo!

- Mas ele não é! Nem sei por que ele está aqui. - disse com birra o meu amigo.

- Para com isso Ben, Mattie é uma otima pessoa! Agora vamos para de falar disso porque não quero brigar. - falei.

Do nada meus pais e do Ben chamaram a atenção de todos inclusive a nossa para eles. Eles estavam nos chamando  para podermos finalmente ter as honras de gritar que a festa finalmente estava começando. Se bem que ele já estava bem animada.

- Venham aqui aniversariantes, queremos vê-los! - dizia eu pai com minha mãe ao seu lado.

Eu e o Ben fomos até eles e falei:

- Obrigado papai e mamãe. - abracei eles - Bom, Estou muito feliz em recebe-los. - iniciei.

- Espero que estejam curtindo - falou Ben.

- Vocês estão curtindo? - gritei a mesma coisa que o Ben disse para poder animar a festa. Em resposta, as pessoas gritavam, algumas com bebidaa nas mão - Se a sua resposta for não, só tenho a dizer uma coisa: tem bebida por ali, comida por aquele lado e musica alta pra podermos dancar! - informei e todos gritaram novamente.

- E nem liguem para o tanto de rosa que tem!

Riram.

- Agora, divirtan-se na melhor festa do ano e comam muito. - olhei pra o Jimie e sorri cantando vitoria.

- E Bebam muito também!! -acresentou Ben.

- E não se esqueçam de tirarem suas fotos de lembrança, sua foto poder aparecer na tv.

gritaram animados.

- Vamos dançar!!!

A banda parou de tocar dando lugar para o Dj que exibia fotos que as pessoas tiraram nas cabinem de foto.

Eu e Ben fomos trocar de roupas para uma mais confortavel. Eu pra um vestido branco de renda branco tomara que caia com um salto preto e Ben pra uma calça jeans preta rasgada nos joelhos e camisa preto com uma jaqueta de couro. Voltamos pra festa e passamos a dancar.

Dancavamos feitos dois loucos, até que eu sai puxando ele pela festa.

Eu estava puxando ele para uma cabine de fotografia para tiramos algumas fotos. Fizemos varias caretas, caras e bocas, sorriamos para camera querendo registra aquele momento das formas mais engraças e divertivas possiveis. Estava divertido essa brincadeira, e do nada deu uma vontade de olhar para ele, então eu o fiz. Contudo, parecia que ele tinha tido a mesma ideia pois olhou ao mesmo tempo que eu:

- Anna...

- Ben...

Dissemos ao mesmo tempo e depois sorrimos.

- Só queria dizer o quanto você está linda. - ele disse.

Nossos rostos estavam incrivelmente proximos, nossas bocas quase se batiam, sua respiração meio pesada me atigiam certeiro no rosto, nossos narizes se roçavam, o que me alegrava, pois eu adorava quando ele ficavam assim.

- Obrigado.

Nesse beijo eu procurei tomar a iniciativa, afinal eu queria mostra para ele o quanyo eu gosto dele, além de está morrendo de vontade de beija-lo. Quando nos separamos eu olhei para ele, bem nos seus profundos olhos verdes e decidir que aquela era a hora perfeita para lhe dizer o quanto eu o amava e o queria pra mim.

- Ben... - olhei nos seus olhos - Eu te amo.

Ele me olhou estranho tentando enteder as minhas palavras, recuou um pouco pra longe de mim quando sua mente foi montando o quebra cabeças e compreendendo que que aquelas palavras queriam transmitir.

- Anna... - ele ia falar, eu sei que ia, mas se calou - O que esta dizendo?

- Benjamin... - suspirei - Eu sei que isso é meio repentino, mas não fique supreso, mas eu te amo muito, nem sei quando isso começou ou quando percebi essa paixão, mas ela existe dentro de mim e não pode ser ignorada. Eu não consigo mais, simplismente eu necessito ficar ao seu lado, eu não me vejo mais sem você. Nossa, é estranho pra mim dizer isso, mas é verdade! - descarreguei tudo de uma vez, sem me importar se era muita coisa pra ele entender, eu só precisava dizer. Esperei uma resposta mas ela não veio, então continuei a expor meus sentimentos - Ben... Eu sinto muito se é muita coisa, mas eu prescisava falar, senão eu iria sufocar. Eu sei que também gosta de mim, o que aconteceu nas ultimas semanas são a prova disso, não pode ser banal, deviam ter tido sentimento. Sei que sentiu algo diferente  quando me beijou pela primeira vez e tudo se intensificou quando fizemos amor, passamos dias como um casal... Isso não acontece quando não se ama!

Ele me olhava calado, mas tinha uma expressão diferente estampada nela, uma que eu não conhecia ou sabia o que ela queria dizer, e pela primeira vez eu não entendia o que aquilo signifivava. Ele abaixou o olhar e tentou sair da cabine, mas eu o segurei pelo pulso e mantive a mão o segurando firme.

- Ben... - ele voltou e me olhou nos olhos - Não se fazem essas coisas se não se ama, não é?

Minha voz saiu caltelosa, meio tremula com o tremendo receio que ali existia por causa da sua resposta. Mas toda a minha preocupação tinha fundamento, sua cara não era boa, era triste.

- Não é, Ben? - insisti. Minha voz saiu tremula por causa do choro que já caia sorrateiramente por minhas bochechas.

- Anna... Eu sinto muito.

Até então a minha mão que estava nele firmimente, ao ouvir sua resposta logo foi afastada e eu já comecei a prender o choro.

- B-ben...

- Anna... Eu queria que isso fosse verdade, mas não é.

- Mas Ben, não se beija alguém que não se ama como você me beijou.

- Eu sei... Mas Anna, entenda, eu estava confuso, sempre estive. Sou gay e tudo que estava acontecendo comigo foi como um descobrimento, e infelismente eu percebi isso ontem. - suspirou - Por um tempo eu pensei te amar e deixar o Breno, mas passar aquele dia com ele me abriu os olhos, foi tudo um grande erro, não deviamos ter enventado esse namoro falso, pois ambos ficamos bagunçados.

- Está dizendo que me amar foi um erro? Por favor, Ben não diga isso. - algumas lágrimas solitarias sairam pelos meus olhos - E eu não estou bagunçada e sei que posso te ajudar a se achar como eu. Eu sei que você me disse gay, mas você também o deixou por mim, também disse me amar... Indiretamente. Era tudo mentira?

- Eu te amo Anna, mas não da forma que espera... E sei o que disse, me desculpe por isso, mas eu queria estã com você pra sempre, mas como amigo.

- Não me pessa isso, você sabe que eu não posso ser sua amiga... Não mais.

- Me desculpe por confudi-la, mas também não posso não ser seu amigo.

Era oficial, finalmente eu estava sendo apunhalada no peito por aquelas palavras que estava rasgado ao meio meu coração. Minhas lágrimas já caiam abundantimente e eu não controlava mais nada, eu só sentia doer.

- Mais Ben... Eu te amo! - esse foi o meu ultimo argumento, foi como o ultimo tiro.

- Mas eu não te amo, sinto muito.. - disse e se foi, me deixando a chorar muito.

Enquanto chorava uma pessoa entrou na cabine comigo, eu me permite machucar pensando que era Beb arrependido e tinha voltado, mas não era, era Breno que me olhava raivoso e debochado.

- Muito bem feito! - disse.

- O que?

- Achou o que? Que ele ia dormi com você ia te amar e fica com você? Depois disso iam se casar ter uma duzia de filhos, 6 meninas com nome de flores e 6 de cavaleiros e que iriam viver no vale do amor no pais dos felizes para semore?  - sua fala saiu extrenamente debochada.

- Breno, eu...

- Ele nunca vai te amar!

Aquelas palavras me passaram como flechas, o que me fez chorar ainda mais, pois eu agora era conhecedora daquela verdade. Como alguém pode ainda zombar dos sentimentos dos outros?

Tomei coragem e ergue a cabeça e falei com determinação, não iria deixar ele me homilhar.

- Ele nunca vai me amar, mas foi em mim que ele pensou quando foi te comer! - devolvi meio raivosa, mas chorando  ainda - E quando ele dormiu comigo, duvido que pensou em você!

Ele fez uma cara raivosa, crispou os lábios e falou com rancor:

- Ele pode ter dormido com você por unas noites, mas é comigo que ele vai passar todas as outras! - rebateu - E além disso, ele não pensou em você quando me comeu ontem! - sorriu vitorioso.

Cheque-mate.

Desatei a chorar novamente, sem mais coragem para falar nada, apenas chorar. Breno ergueo o queixo com a vitoria e se preparou para se retirar, mas voltou.

- E a proposito... - ele veio até mim e me deu um tapa na bochecha esquerda, um tapa ardido e sem medição de força - Isso é por dormi com o meu namorado sua Vadia!

Bom, perdi... Eu o perdi.

Fiquei chorando ainda por um tempo dentro da cabine digerindo tudo que tinha acontecido. Como pude ter sido tão boba? Como pude fazer todas as vontades dele, como pude achar que ele me amaria no fim? Como fui tola...

Um filme passava diante dos meus olhos, um filme que eu não tomava gosto para assistir, era como um terror proibido pelos seus pais. Varias cenas se repitiam do tempo que eramos apenas Anna e Ben, um tempo que não tinha muitas complicações. Maldita foi a hora que eu descobri a verdade na festa do Jimie, que eu aceitei ajuda-lo nessas confusões, que segui ele para onde fosse sempre sendo sua segunda opção, maldita sorte quando deixei que ele agisse como meu namorado me beijando sempre que queria ou me levando pra cama sem medir esforços. Como pude ser burra assim? Como pude me deixar levar? Tudo isso era culpa minha, eu sabia que ele não me amaria, mas mesmo assim eu me permite enganar.

Limpei os olhos depois de um tempo e tentei parecer normal, não queria que me vissem assim. Me arrumei e sair de dentro dela sem que ninguém me visse, mas quando sai, lá estava todos ao meu redor a olhar pra mim.

Meus pais e me encaravam com... pena? Os pais do Ben supresos e chocados, Abgail e Carie pareciam desnorteadas ou envergonhadas, não sei bem. Meus primos não estavan presentem por algum motivo desconhecido, mas meu tio tinha os braços cruzados, estava sério, sem muita expressão. Mattie me olhava com dó, o que me machucava, já que eu odiava ser olhada assim. alguns outros colegas repetiam o ato.

Olhei ao redor por um tempo tentando entender o que se passava, o por quê de todos aqueles olhares para mim? Então olhei para perto do Dj onde ficava as tvs e vi algunas imagens sendo transmitidas de dentro da cabine de fotos. Fiquei em choque, aquela cabine tinha uma camera dentro que filmou e transmitido tudo para todos da festa e eu nem sabia. O que aquilo fazia ali?

Voltei a chorar.

Então, meus amigos, aqui estamos nós de novo, foi aqui que me feri tanto, foi o senhor Banjamin que rasgou meu coração, agora entendemos o por quê que foi minha culpa; foi tudo por eu ser uma burra e acreditar que ele me amava, quando não.

Não aguentando aqueles olhares, sai correndo por entre os corpos até a saida sobre muitos olhares que misturavam pena, constrangimento, supresa, divertimento e curiosidade. Só parei de correr quando sai do local e fiquei na frente do local na espera de um táxi. Chorei ali mesmo esperando quando alguém veio até mim.

- Anna... - era o Mattie, ele estava com uma cara de pena pra cima de mim - Eu... Sint...

O interrompi.

- Que tal aquela carona agora?

" Sometimes is lasts in love,
But sometimes it hurts instead... "

( Às vezes, o amor dura
Mas, às vezes em vez disso ele machuca... )


Notas Finais


Gente, esse é o maior da historia uhuu espero não ter ficado tão ruim.
Esse tbm é o antipenultimo capitulo, logo só faltam 2 caps para o fim TuT
Aproveitem enquanto podem e Muito obrigado aos novos favs s2

Sobre o cap, não matem o Ben, ele só esta confuso
Sobre Breno, matem ele sim! Ele é um puto u.u

Bjisss doces e de pizzas e até mais


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...