História Amizade Colorida - Capítulo 26


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Itachi Uchiha, Kakashi Hatake, Karin, Kiba Inuzuka, Konan, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Rock Lee, Sai, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara, Suigetsu Hozuki, Temari, TenTen Mitsashi
Tags Amigos, Amizade Colorida, Amor, Drama, Hentai, Naruto, Romance, Sakura, Sasuke, Sasusaku
Visualizações 1.411
Palavras 7.224
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Festa, Harem, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


OLAAARRR!
Eu sei que não postei ontem, e nem respondi os comentários! PERDÃO!!! Hihihi
Assim que esse for postado, eu respondo! Agora é sério!!
Ontem eu fui rebolar minha raba, afinal, não é só o Naruto que pode nénom? hahahaaha
Espero que gostem desse capítulo ;))
Confesso que esse foi um dos capítulos mais trabalhosos que já escrevi! hahahah
Não revisei, então perdão qualquer erro!
Boa leitura!

Capítulo 26 - Capítulo XXVI


Capítulo XXVI

 

 

 

 

 

                                       Ato 1

 

 

 

    Sakura

 

    - Lar doce lar! – Naruto falou largando as malas perto da porta, em seguida se jogando no sofá.

    - Suas malas já podem ficar por aqui mesmo. – Sasuke apontou com a cabeça para as bagagens de Naruto. – Você vai embora amanhã bem cedo.

    O sorriso no rosto do loiro se desfez em um instante.

    - Deixa ele, Sasuke. – Falei rindo, enquanto trancava a porta.

    - É, Teme. Me deixa. – Naruto deu língua para o moreno.

    - Hn. – Sasuke sumiu pelo corredor, carregando sua mala preta.

    - O capeta deu as caras novamente. – Naruto falou rindo, se sentando corretamente no sofá.

    - Sabe o que eu acho? – Sasuke voltou para a sala, vestido somente com uma cueca samba canção preta, com uns desenhinhos brancos.

    Aquele homem era perfeito.

    Às vezes eu acho que, realmente, ele é a reencarnação do capiroto. Porque não tem como uma pessoa ser tão bonita assim. E o que é mais estranho, e o que reforça mais ainda essa minha teoria, é que ele não faz absolutamente nenhum exercício físico! O corpo desse homem é todo definido SEM NENHUM exercício físico. Isso vai contra as leis da natureza.

    Eu preciso ralar na academia só para conseguir manter meu bumbum durinho, e ele não faz porra nenhuma e já é gostoso assim.

    No mínimo ele fez algum pacto com o tinhoso, ou se não, ele faz academia às escondidas.

    Um ou outro.

    Sem falar no contraste que seus fios negros, bagunçados de uma forma sexy, fazem com sua pele clara. Sasuke anda deixando o cabelo crescer, o que tem o deixado mais bonito ainda. Mas voltando ao assunto “pele perfeita”, ele é de um branco, que até a cor das veias, que já aparecem naturalmente no braço em alto relevo, apareça.

    - Não é, Sakura? – A voz do ser das trevas me acordou do meu transe.

    - Hum? – Falei em meio a piscadas, ainda tentando me situar ali.

    Sasuke riu de canto.

    Provavelmente ele percebeu meus olhares indiscretos.

    - Eu disse que seria melhor o Dobe ter já ficado na casa da Hinata, quando a deixamos lá.

    Apenas ri, negando com a cabeça.

    - Viu, Teme? – Naruto olhou para Sasuke. – Você vai ter que me aturar por mais um dia! – Colocou as duas mãos atrás da cabeça, se encostando no sofá.

    - Tanto faz. – Sasuke deu de ombros. – Eu vou dormir o dia inteiro hoje mesmo. Nem vou me lembrar de que você tá aqui.

    Naruto fez uma careta.

    - Falando em dormir, Sakura-chan. – Naruto voltou a me olhar. – O que você vai fazer para a gente comer? Eu acho que antes do meu cochilinho, eu vou querer filar um rango.

    Sasuke concordou com a cabeça, se apoiando na parede.

    - O que eu vou fazer? – Apontei para mim, indignada com o que havia acabado de ouvir.

    Os dois balançaram a cabeça, confirmando.

    Como esses idiotas eram folgados.

    Eu cheguei cansada, assim como eles, e eu tenho que ir fazer alguma coisa?

    Não mesmo!

    - Humm... – Passei a mão no queixo, fingindo que pensava em alguma coisa.

    A cara de expectativa dos dois estava me deixando com mais vontade ainda de ser filha da puta.

    - O que eu vou fazer, hum? – Olhei para os dois, com um sorriso travesso no rosto.

    - É, Sakura. – Sasuke bufou. – Para de enrolar.

    - Eu vou fazer sim. – Falei. – Eu vou é pegar o telefone e ligar para o chinês.

    Dei a volta no sofá onde Naruto estava, e peguei o aparelho telefônico.

    - Vai te catar, Sakura. – Sasuke saiu da sala. – Eu vou dormir. – Ainda pude ouvir sua voz, por trás da porta do quarto.

    - Ihh! – Naruto começou a rir. – Parece que alguém irritou o senhor satã.

    Ri também.

    - Pra você tá de boa comer chinês né? – Ri.

    - Uhum. – Naruto concordou com a cabeça. – Tem tempo que eu tô doido para comer um chinês.

    - Você não disse isso, Naruto. – Ri, passando uma mão no rosto.

    - Hum? – O loiro levantou uma sobrancelha. – Não entendi. Por quê?

    - Nada não, Naruto.

    Disquei o número do delivery.

 

 

 

[...]

 

 

 

    Meu celular estava vibrando?

    Sabe quando você dorme tão profundamente que qualquer barulhinho de fora se mistura com seu sonho e você não consegue identificar se isso faz parte do sonho ou não?

    Era isso que estava acontecendo aqui, amigos.

    No meu sonho, o celular vibrando substituía o barulho de uma batedeira, enquanto eu fazia um bolo de laranja para o Sasuke. Sonho estranho da porra.

    Abri os olhos, avaliando meu quarto.

    Tudo estava escuro.

    Será que dormi demais?

    Eu dormi tão bem que me perdi no tempo. Não faço ideia de que horas são.

    Puxei o celular, que já havia parado de tocar, da cabeceira da cama para conferir a hora.

    15:27

    Não era tão tarde.

    Tudo estava escuro porque eu tinha fechado a cortina. Agora sim fazia sentido.

    Crises de burrice são normais às vezes, ainda mais vindas de mim. Hihi.

    Desbloqueei o aparelho, procurando pelas chamadas perdidas.

    Quem foi o ser humano que me acordou de uma forma tão cruel?

 

    2 chamadas perdidas de Ino Porca

 

    Tinha que ser essa vaca loira.

    Retornei a ligação, ainda com os olhos sensíveis pelo brilho excessivo da tela.

    - Tava fazendo o quê, Testudinha?

    - Dormindo. – Respondi com uma voz arrastada.

    - Ué. – Ouvi risadas no outro lado da linha. – Você não é de dormir até tarde assim, ainda mais na casa dos outros.

    - Eu já cheguei em casa. – Bocejei. – O Sasuke deu uma crise hoje de manhã lá no sítio e cismou que tínhamos que sair de lá aquela hora.

    - Que merda.

    - Pois é. – Me espreguicei. – Não dormi quase nada essa noite.

    - Testuda, Testuda... Já te falei que a nossa pele precisa de mais de nove horas de sono para ficar bonita.

    - Na teoria isso é fácil, quero ver na prática. – Ri, me sentando na cama.

    - Me diz o que pode ser mais importante do que dormir cedo?

    Óbvio que eu não vou falar que virei a madrugada transando com o Sasuke não é mesmo?

    - A gente prolongou a festa... Itachi arranjou umas bebidas, alguns jogos. Foi bem legal!

    - Que sem graça.

    - Cala a boca, Ino! – Ri. – Mas vem cá, por que você me ligou?

    - Era pra falar que a fantasia ficou ma-ra com o glitter!

    - Oxe! Quando que você me viu fantasiada?

    - Não entrou nas redes sociais hoje não é?

    - Não! – Ri. – Eu falei que só cheguei e caí na cama, Ino.

    - A Konan postou uma foto da sua turminha do barulho. Depois olha lá.

    - Vou olhar. – Ri. – Obrigada.

    - Disponha. – Ino fez uma pequena pausa. – Mas não foi exatamente por isso que liguei não. Eu ia perguntar se você viu quem tinha curtido a foto, mas já que você nem o facebook abriu, não faz sentido eu estragar o susto.

    - Quem curtiu? – Franzi a sobrancelha, rindo.

    - Aquele seu professor velhote. O nome dele é Kakashi né?

    - O Kakashi curtiu? – Levantei de supetão.

    - Uhum, menina!

    - Ele nem é amigo da Konan! Como ele viu essa foto?

    - Ela te marcou. Seus amigos conseguem ver as fotos que você foi marcada...

    - Caralho. – Olhei para o canto do quarto. – Eu nem lembrava que era amiga dele lá.

    - Pois você é! – Ino fez um som esquisito com a boca. – E tem mais... Ele não curtiu normal, ele usou o AMEI!

    - Jesus! – Meus olhos se arregalaram. – Eu tenho que ver isso é agora. Depois eu te ligo, Ino.

    - Tá bom! Vai lá, Testudinha! Beijo.

    - Beijo!

 

    Desliguei o celular, indo direto na rede social onde a foto estava.

    Ignorei todas as outras notificações ali presentes. Meu foco era as curtidas.

    E ali estava. Como Ino disse.

    Kakashi só não deve ter comentado porque não é tão cara de pau assim.

    Bloqueei o celular, o jogando na cama bagunçada.

    Pensando bem, até que não é tão estranho. Ele é um amigo como todos os outros, que viu a foto e gostou. Até demais.

    Me levantei, abrindo as cortinas e a janela para arejar o quarto, seguindo caminho para a sala.

    A princípio, eu era a única ali.

    Passei por de trás do sofá, indo até a geladeira para pegar uma garrafa de água.

    Quando me virei para a sala, pude ver um pé apoiado do braço do sofá.

    - Naruto? – Me aproximei, para ter certeza.

    - Hum? – O loiro falou com uma voz fraca. – Ah, oi, Sakura.

    - Cadê o “chan”? – Perguntei rindo.

    O loiro, que estava deitado no sofá, riu fraco.

    - Posso saber por que você tá assim? – Falei o empurrando para o lado, me deitando junto ao seu corpo.

    - Você vai cair, Sakura-chan.

    - Vou nada. – Falei abraçando o loiro. – É só a gente se espremer.

    - Tem razão. – Tirou um dos braços que estava servindo de encosto para ele, me abraçando. – Se organizar direitinho todo mundo transa nénon? – Riu fraco.

    Uma das coisas mais bonitas que eu vejo em Naruto é que mesmo quando triste, ele consegue alegrar quem está ao seu redor.

    - Justo! – Ri. – Mas agora me diz o motivo dessa carinha triste.

    Passei meu dedo pelo seu rosto, parando em seus lábios.

    Agora eu brincava com aquele biquinho que ele tinha, balançando meu dedo para cima e para baixo.

    Naruto sorriu, mordendo meu dedo fraquinho.

    - Não é nada demais não. – Falou tirando meu dedo de sua boca.

    - ECA! – Puxei meu dedo. – Agora eu tô suja de baba de Naruto. – Limpei na camiseta do loiro.

    Ele não falou nada, então resolvi continuar.

    - Se você tá triste, é porque tem alguma coisa sim te incomodando. – O encarei. – Me conta, vai! – Enfiei o dedo em sua bochecha.

    - Que droga, Sakura-chan. – O loiro riu. – Eu só não queria ir embora daqui. – Fez uma pequena pausa. – Eu gosto de morar com vocês dois, é divertido.

    - Também gosto de morar com você. – Sorri. – E tenho certeza que o Sasuke também gosta.

    - Eu sei que ele gosta. – Naruto riu. – Ele não vive sem a gente!

    - Exatamente! – Ri também.

    Naruto já tinha uma expressão mais feliz no rosto.

    - Sabe de uma coisa? – Levantei meu tronco, me apoiando na barriga do loiro.

    - Diga. – Naruto fez uma careta. – Eu vou vomitar em você, Sakura-chan.

    - Vai nada! – Joguei o resto do meu corpo sobre o loiro, ficando totalmente por cima dele. – Vamos dar uma festa de despedida para você!

    - Vamos? – O loiro levantou uma sobrancelha.

    - Vamos! – Sorri.

    - Hoje?

    - Uhum. – Confirmei com a cabeça.

    - O Teme não vai gostar nem um pouco disso. – Riu.

    - Foda-se o Sasuke! O apartamento é meu também!

    - É assim que se fala, Sakura-chan! Mas me diz uma coisa...

    - Hum?

    - Aqui tem bebida e comida suficiente?

    - Acho que não... – Falei pensando. – Mas a gente pode ir aqui no mercado da quadra, é mais rápido.

    - Tá! E que horas vai ser?

    - Umas dez tá bom?

    - Pra mim tá sussa!

    - Então avisa aí no grupo. – Me levantei de cima do loiro, pegando dinheiro no potinho de sapinho.

    - Eu não. – Naruto se sentou. – O Teme tá no grupo, se ele ver que eu dei a ideia, eu tô fodidinho.

    - Tem razão. – Ri. – Manda do meu então.

    - Cadê?

    - Pera que eu vou pegar lá no quarto.

    Aproveitei que fui pegar o celular e calcei um All Star branco.

    - Toma. – Joguei o celular na barriga de Naruto. – Você sabe a senha.

    Abaixei para amarrar o cadarço.

    - WINX? – Naruto perguntou rindo.

    - É! – Falei envergonhada. – Para de zombar! Essa senha é perfeita. Ninguém vai achar que uma mulher de vinte e um anos tem uma senha assim! – Ri. – Pelo menos é melhor que a sua.

    - Não põe minha senha no meio disso não! – Naruto falou olhando para a tela do celular. – Em qual grupo eu chamo?

    - Chama no “e o cu”, porque eu acho que no “amigos verdadeiros” vocês expulsaram o Sai.

    - Tá. – Naruto confirmou com a cabeça. – Vai ser no do cu.

   Esses nomes provam o quanto meus amigos são criativos.

    No primeiro, nosso querido e ilustre colega Neji deu o nome de “e o cu”, só para aparecer nos nossos celulares a notificação “Neji deu o nome e o cu ao grupo”.

    No segundo, é meio autoexplicativo. Tudo começou quando Naruto reclamou que Sai não conseguia rir de forma natural, e que isso fazia parecer que ele estava enganando a gente.

    Não lembro exatamente sobre o que era, acho que tinha algo a ver com alguns ingressos do show do Wesley Safadão que Sai tinha ganhado e deu para outros amigos do teatro e, como Ino estudava com ele, ela foi a única de nós que ganhou o ingresso.

    Naruto e Shikamaru estavam doidos por esses ingressos, então os dois ameaçaram expulsar Sai do grupo. E foi o que eles fizeram, e junto dele, Ino também. Depois, trocaram o nome para o que está agora.

    Ino foi chata o suficiente para me incomodar durante uma tarde inteira, até que eu a colocasse lá de novo, isso explica o porquê dela ainda estar lá.

    - Já convidei! – Naruto me entregou meu celular.

    - Bora no mercado? – Falei guardando o celular no bolso.

    - Só bora! – Naruto levantou se espreguiçando.

    Peguei a chave da porta, destrancando a mesma.

    - Ah, Sakura-chan, esqueci de te avisar!

    - Uhm?

    - O seu professor estranho falou com você aí enquanto eu convidava a galera.

    - Sério? – Franzi a sobrancelha.

    - Uhum.

 

 

 

 

                                           Ato II

 

 

 

 

    Sasuke

 

    E mais uma vez fui acordado pelo porteiro cantando.

    A lei de silêncio absoluto do prédio deveria funcionar, nos domingos, durante o dia todo e não somente de três às oito da manhã.

    Eu não dormi quase nada na noite passada, e agora nem cochilar em paz eu posso.

    Levantei procurando meu celular no bolso do meu jeans preto, minha pressa foi tanta para dormir agora à tarde, que acabei deixando o celular ali mesmo.

    Ainda estava cedo.

    16:38

    Uma coisa ali chamou minha atenção.

 

    188 mensagens no grupo @e o cu

 

    Isso era estranho.

    Antes de dormir eu havia tirado todas as notificações.

    Em menos de três horas eles conseguiram falar isso tudo. Alguma coisa incomum aconteceu.

 

    Sakura 15:40 – GALERA FESTA AQUI NA CASA DO TEME HOJE 22HS!

 

    Então esse foi o estopim de tantas mensagens.

    Naruto convidando todo mundo aqui para casa.

    Esse bastardo vai se ver comigo.

    Mas antes de dar um susto nele, porque não ler mais um pouco? Não vou ler cento e oitenta e oito mensagens, claro, mas só mais alguma para me situar.

 

    Lee 15:40 – Pq vc tá falando que nem o Naruto-kun, Sakura-sama?

    Neji 15:40 – Será que é pq foi o Naruto que falou? Estúpido

    Lee 15:40 – N precisa ofender também né

    Lee 15:41 – Grosso

    Ino 15:41 – OBAAAAAA EU TOPOOOO

    Sai 15:42 – Vc topa tudo né safada?

    Ino 15:42 – Topo mesmo

    Ino 15:42 – Tô nem aí! A vida é curta bebê

    Shikamaru 15:42 – Que saco

   Sikamaru 15:43 – Pq tem que ser tão tarde?

   Temari 15:43 – Para de reclamar, Shika

   Temari 15:43 – Vc não acabou de me falar que queria sair hoje? Achou uma festa

   Shikamaru 15:43 – Mas é muito tarde

   Kiba 15:44 – Me tira uma dúvida

    Kiba 15:44 – Pelo que eu entendi, vcs dois estão juntos

    Kiba 15:44 – Pq vcs tão discutindo aqui?

    Neji 15:44 – Era digital é foda...

    Chouji 15:45 – É pra levar nossa comida?

 

    Não acredito que a Sakura concordou com isso.

    Achei que o combinado era contar sobre nós para o Dobe hoje.

    - EU VOU REBOLAR BEM NA SUA CARA! – Essa era nitidamente a voz do bastardo.

    Então a música não estava vindo do porteiro, e sim daqui de casa mesmo.

    - BEM NA SUA CARA! – O idiota cantava junto com a música.

    Abri minha porta, indo em direção à sala.

    O que eu encontrei ali foi uma das cenas mais aleatórias que já vi na minha vida.

    Mas nada que me surpreendesse tanto, já que Naruto estava envolvido.

    Sakura estava mexendo em alguma coisa no colo, enquanto assistia algum programa de caminhões na televisão. O fato é que não dava para ouvir porra nenhuma, já que a música que o Dobe ouvia era mais alta do que tudo. Menos é claro, que os gritos do próprio.

    Mas não acaba por aí.

    Naruto estava agachado, enquanto rodava a cabeça sem parar.

    - ME ENCARA, SE PREPARA!

    - Mas que porra vocês estão fazendo? – Falei, um pouco mais alto que o normal, me aproximando do sofá.

    - QUE EU VOU JOGAR BEM NA SUA CARA! – Naruto finalizou a “performance” assim que a música acabou, colocando as duas mãos sobre a cabeça, imitando uma dançarina do ventre.

    - Ah! – Sakura se virou para mim. – Oi, Sasuke! – Sorriu, ajoelhada no sofá. – Eu tô fazendo minha famosa torta de Oreo!

    A rosada levantou uma travessa de vidro, com uma massa marrom, quase preta.

    - E eu tava batendo cabelo! – Naruto falou ofegante.

    Olhei para os dois, em seguida para a televisão.

    - Sakura. – Voltei a olhar para minha “amiga”.

    - Hum?

    - A gente pode conversar alí na cozinha? – Apontei para o cômodo.

    - Pode... – Sakura riu, franzindo a sobrancelha.

    - Ihh! – Naruto fez um voz fininha. – Rodou! – Puxou o “r”.

    Sakura levantou do sofá, deixando o recipiente de vidro na mesinha de centro.

    - Não é pra comer, Naruto. – Sakura apontou para a mesa. – Se você encostar um dedo nessa massa de biscoito, minha mão vai rodar gostoso na sua cara.

    - Que isso, Sakura-chan! – O loiro riu.

    - Tô falando sério, Naruto. – Olhou com ódio para Naruto. – E eu vou saber se você mexeu aí ou não.

    O Dobe levantou as mãos se rendendo.

    Até se afastou um pouco de onde a torta inacabada estava.

    Ri, pelo fato de Sakura dar tanto medo no primo.

    - Vamos? – Sakura me olhou meiga.

    Que mudança de humor.

    - Vamos.

    Segui aqueles quadris hipnotizantes até a cozinha.

    - E então? – A mulher se virou para mim, apoiando-se na mesa.

    - Que história é essa de festa?

    - Ah! – Ela sorriu, mordendo os lábios avermelhados. – Era só isso?

    Seus olhos verdes me avaliavam de uma forma curiosa.

    Ela queria outra coisa?

    Eu tinha entendido direito?

    - Você queria mais alguma coisa, Haruno? – Me aproximei de seu corpo.

    - Aquieta o cu, Sasuke. – A mulher se afastou de mim.

    Filha de uma puta.

    Faz charminho para depois tirar o corpo fora.

    - Porra.

    - Eu achei o Naruto tristinho hoje, então dei a ideia de festa para ver se ele anima.

    - Triste? – Falei levantando as sobrancelhas. – O cara tava invocando uma entidade ali na sala! – Apontei para a porta. – Não vi nenhum sinal de tristeza.

    - Ele ficou feliz porque eu dei a ideia, Sasuke!

    - E por que ele estava tão triste? – Dei ênfase no “tão”.

    - Ele não quer ir embora daqui, coitado. – Sakura entortou a boca. – Vai sentir saudade.

    - Ah, mas que frescura. Ele mora aqui pertinho.

    - Sossega esse coração gelado, Sasuke. Não estamos no Frozen, querido. – Sakura falou rindo da própria piada.

    - Era para ter graça?

    - Era, poxa! – Ela continuou rindo. – Aprendi essa com o Sai.

    - Percebe-se.

    - Mas falando sério, Sasuke. – Sakura diminuiu o sorriso no rosto. – O clima aqui com ele é tão bom... E não adianta você falar que não acha, porque eu te conheço!

    -Então quando a gente vai falar para ele?

    - Amanhã a gente fala. – Sorriu.

    -Tá. – Estalei a língua.

    - Obrigada, Sasuke.

    A mulher de cabelos rosa ficou na ponta dos pés, aplicando um beijo casto na minha bochecha.

    Fechei os olhos, sentindo seu perfume doce invadir minhas narinas, enquanto seus lábios macios passavam pelo meu rosto.

    Quando abri meus olhos novamente, Sakura já havia me dado as costas, rumando para a sala enquanto dançava alguma música que Naruto tinha colocado.

    - AS NOITES NAS BALADAS! – Sakura mexia os quadris como ninguém.

    Sua bunda rebolava naquele jeans apertado, que definia sua cintura de uma forma que me deixava louco. Suas mãos, jogadas ao ar, ora ou outra bagunçavam seus fios rosa de uma forma sexy.

    - Ei. – Chamei sua atenção.

    A mulher virou de frente para mim, já na porta da cozinha, com seus cabelos despenteados e olhos esmeraldinos curiosos.

    - O beijo só vai ser aqui mesmo? – Passei a mão na bochecha que foi beijada instante atrás.

    - Amanhã vamos ter todo o tempo do mundo para que eu te agradeça, se é que você me entende.

    A rosada deu uma piscadela, me deixando sozinho ali na cozinha.

    Posso afirmar com certeza agora:

    Sou o homem mais sortudo dessa casa.

 

 

 

    [...]

 

 

 

 

    - SAAI! – Sakura falou abrindo a porta.

    - Demorou hein, branca de neve! – Neji gritou com um copo de cerveja na mão.

    - A falsiane chegou, pessoal! – Shikamaru voltou da cozinha com um pacote de doritos na mão.

    - Xinga mesmo, vai! – Sai entrou no apartamento, seguindo Sakura. – Quanto mais vocês xingam, mais eu sei que me amam!

    - Você não precisa do amor deles, Sai. – Ino falou já alterada. – O meu é maior do que o amor de todos junto.

    - Não duvido nada. – Sakura riu, sugestiva.

    Já vi que essa história vai cair na roda hoje.

    - Cala a boca, Testudinha! – Ino deu língua para a rosada.

    Sakura retribuiu o gesto, sentando-se no braço do sofá.

    - Agora que todo mundo tá aqui, você podia trazer sua torta especial né, Sakura? – Chouji falou com um sorriso assustador no rosto.

    - Gordo é foda né? – Kiba falou rindo.

    - Você me chamou de quê? – Chouji virou a cabeça em noventa graus, com os olhos arregalados.

    Esse pessoal é bem estranho.

    - Boa ideia, Chouji! – Sakura se levantou, me entregando uma garrafa de 51 ice, com um líquido verde.

    Olhei para ela, sem entender.

    - Segura pra mim, por favor. – Sorriu meiga. – Eu preciso das minhas mãos livres para pegar a torta. – Balançou as mãos no ar.

    - Tá. – Avaliei o rótulo da bebida.

    Kiwi?

    Isso deve ser horrível.

    Cheirei o conteúdo.

    Não custava nada dar um gole. Se fosse ruim, eu cuspia no Dobe.

    Virei o líquido gelado na minha boca.

    Aquilo era delicioso!

    - Galera! – Sai atraiu nossa atenção para perto da varanda. – Eu demorei, mas foi por um bom motivo, na verdade, ÓTIMO!

    - Pegou algum boy magia? – Tenten falou empolgada.

    - Não é pra tanto. – O branquelo fez um biquinho. – Mas o que eu comprei vai servir para atrair váaaarios bofes escândalo!

    - E o que você comprou? – Ino falou curiosa.

    - Isso! – Levantou um vidrinho marrom.

    Parecia um perfuminho.

    - Um perfume? – Naruto falou, fazendo careta.

    - Não é um simples perfume, meu amor. – Sai tirou a tampa do frasco. – É um perfume que atrai os homens.

    - Não acredito nessa bobeira. – Neji estalou a língua.

    - Já foi comprovado, queridinho. – Sai balançou o frasco. – Se quiser, a gente pode testar hoje! – Sai piscou para Naruto.

    - Jesus! – Lee riu.

    - Vai com calma, Sai! – Naruto riu. – Você nem bebeu ainda!

    - Podemos tentar em mim, o que vocês acham? – Temari falou, deitada no colo do namorado, que estava sentado no chão. – O Shikamaru anda tão “nhem” esses dias...

    - Ihhh! – Ino falou. – Cuidado, Shikamaru, a Temari não tá satisfeita na cama! Vai ser chifrado!

    - É bom que ele vai fazer jus ao nome*. – Temari riu.

    - Agora ela apelou! – Sai falou. – Não vai falar nada não, Shikamaru?

    - Não preciso. – Falou preguiçoso. – Eu sei que ela me ama.

    - Amo muito! – Temari apertou o corpo do namorado. – Mas eu vou passar o perfume, só pra gente ver se presta. Tá bom, amor?

    - Tá. – Falou convencido. – Joga aí, Sai.

    Sai fez o que Shikamaru pediu.

    - Por que você tá passando perfume? – Sakura chegou com a torta em mãos.

    - Porque o Shikamaru não trepa direito. – Falei rindo, devolvendo a bebida verde para ela.

    - Hum? – A rosada levantou uma sobrancelha, sentando-se do meu lado novamente.

    - Esse perfume atrai os homens. – Hinata falou rindo. – A gente vai fazer o teste na Temari.

    - Que coisa idiota! – Sakura riu.

    - Eu sei! – Neji falou.

    - Agora que ela já ficou cheirosa, por que a gente não come essa belezinha hum? – Chouji falou pegando um garfo.

    - Você não sabe o quanto eu esperei para comer essa torta, cara! – Naruto falou.

    - Agora você pode comer, Naruto. – Sakura falou séria. – Na hora que eu estava fazendo não! – Riu.

    - Desculpa, Sakura-chan. É que eu amo torta.

    - Nós sabemos disso. – Falei com monotonia na voz.

    - E como sabemos! – Sakura riu.

    Ri, me lembrando de uma das melhores cenas que aconteceram aqui em casa durante a estadia do Dobe.

    - Nem vem! – Naruto falou de boca cheia. – Se vocês dois contarem essa história eu não falo mais com vocês.

    - Agora que eu vou contar mesmo. – Tomei a bebida verde das mãos de Sakura, dando um gole.

    Aquilo era muito bom.

    Sakura me olhou, franzindo a sobrancelha.

    Apenas sorri, a devolvendo a garrafa.

    - Eu conto! – A rosada falou. – Eu gosto muito dessa história, Sasuke! Por favor!

    - Tanto faz quem for contar! – Ino falou. – Só quero saber logo! Fiquei curiosa! – Riu.

    - É! – Lee falou. – Para de enrolar.

    - Calma, gente! – Sakura riu. – Foi assim: Tudo começou quando Naruto viu em um comercial, o anúncio de uma barrinha de cereal que era sabor torta de limão... morango... Não sei! Era de torta de alguma coisa!

    - Não acredito que vocês vão me expor assim! – Naruto a interrompeu. – E ainda nem sabe contar a história direito. – Cruzou os braços. – Era sabor morango!

    - Tá! Morango! – Sakura falou. – Aí ele me fez ir com ele no mercadinho que tem aqui na quadra atrás dessa merda. Mas não tinha aqui, então tivemos que ir na quadra lá de baixo, num sol quente da porra para comprar isso. Mas pelo menos tinha! O negócio é que era a última caixa e na data de validade estava avisando que venceria no outro dia, aí eu tentei convencer ele de que não daria para comer trinta barrinhas em menos de um dia, e que elas já poderiam estar estragadas, coisas assim...

    - Eu achei que você tava me zoando. – Naruto falou cabisbaixo.

    - Mas como ele é teimoso, nós levamos essas malditas barrinhas para casa. Ele fez uma festa. Parecia que nunca tinha visto comida na vida. Até o Sasuke ficou curioso para ver o que tinha de tão especial nisso!

    Neguei com a cabeça.

    Sakura riu.

    - Então, o Naruto para fazer inveja para a gente, porque ele disse que não ia dar nenhuma das trinta para nós, porque a gente não levou o sonho dele te ter a barrinha a sério, abriu uma barrinha, e enfiou tudo de uma vez na boca. Até aí ok! A segunda, ele já deu uma mordida... – Sakura começou a rir.

    - Não para! – Eu quero rir também! – Temari falou.

    - Ele deu uma mordida e fez careta. – Sakura falou em meio aos risos. – Aí ele falou “tem alguma coisa estranha nessa aqui” – Sakura falou engrossando a voz. – Então, lá fui eu, experimentar para ver se tinha algo estranho. Eu também não percebi nada, então nos restou o Sasuke, já que é sommelier de vinhos, deveria saber de alguma coisa sobre sabores em geral.

    - Não é assim que um sommelier funciona, Sakura. – Falei rindo.

    - Foda-se. – Ela falou. – Nós chamamos o Sasuke. Mas como ele é chato, se recusou a comer a barrinha, ele apenas avaliou com os olhos. – Sakura voltou  a rir novamente.

    - Para de rir, porra! – Neji falou rindo também.

    - Eu achei uns pedacinhos estranhos na barrinha, que só depois fui perceber que eram do próprio morango... – Continuei contando, enquanto Sakura ria. – Mas eu não falei para o Dobe o que era de verdade. Eu queria me vingar. Esse dia ele tinha me feito passar muita raiva por conta dessas barrinhas estúpidas, então eu disse que era larva.

    - Aí o Naruto gritou: “LARVA?” – Sakura imitou a voz do primo. – E o Sasuke falou com uma cara muito séria: “É. Larva de rato”. – A mulher não parava de rir. – Eu juro que se eu não tivesse tão ligada que era brincadeira, eu teria acreditado só pela cara que ele fez.

    - Depois disso, ele cuspiu o que tava na boca dele na mesa. – Continuei falando.

    - Aí ele nos presenteou com a melhor frase da vida: “Eu não sabia que rato era larva, achei que dava em ovo!” – Sakura ria tanto, que já saiam algumas lágrimas de seus olhos.

    - CARALHO, NARUTO! – Neji também ria.

    - LARVA DE RATO! – Temari se encontrava na mesma situação de Sakura.

    Na verdade, todos ali estavam rindo muito. Menos é claro, o alvo das risadas.

    - EI! – Naruto falou, quase cedendo aos risos. – Eu tava nervoso na hora! Eu sei que rato é um mamífero!

    - E dá em ovo né? – Kiba falou rindo, com as mãos segurando a barriga.

    - Vai se foder todo mundo! – Naruto riu. – EU TAV PUTÃO, SÉRIO!

    - Naruto tava pistola! – Shikamaru riu.

    - Vocês querem rir é? – Naruto apontou para a namorada. – Vou contar uma coisa jamais vista por vocês.

    Todos seguraram os risos, dando atenção total ao que o loiro falava.

    - A HINA-CHAN FICOU BÊBADA ONTEM!

    - Ela o quê? – Ino falou boquiaberta.

    - Naruto! – Hinata deu um tapa no ombro do namorado. – É mentira!

    - Isso aí eu já garanto a vocês. – Sakura falou. – Outra cena que tive o prazer de presenciar.

    - Isso é sério? – Tenten falou.

    - Uhum! – Sakura balançou a cabeça concordando. – Seríssimo!

    - Jesus apaga a luz! – Sai colocou a mão na boca. – Ela ficou bêbada real oficial?

    - Real oficial! – Naruto falou rindo. – Pena que eu não pude ver tudo, eu peguei no sono.

    - Ah, mas eu vi! – Sakura riu. – E vocês não vão acreditar em quem que acalmou ela e colocou para dormir.

    - Quem? – Lee falou rindo.

    - Ninguém mais ninguém menos que o nosso querido Uchiha. – Sakura apontou para mim.

    - O nosso querido amigo sem coração? O rapaz hostil e maldoso? A gente tá falando do mesmo Uchiha? – Ino falou com uma voz carregada de sarcasmo.

    - Tsc.

    - Ele mesmo! – Sakura riu.

    Ela tinha confirmado o que a gralha falou mesmo?

    - Não creio! – Temari riu.

    - Ele acalmou ela como se já fosse experiente no assunto, e depois ainda colocou a bixinha pra dormir.

    - Eu não lembro disso! – Hinata riu envergonhada.

    Seu rosto estava mais vermelho que um tomate.

    - Se não lembra é porque não fez nénon, Hina? – Ino falou rindo.

    Agora era minha vez de me divertir.

    - Mas sabe de uma coisa? – Falei sorrindo, olhando para a loira chata. – A Hinata foi uma lady enquanto bêbada, mas agora me recordei de outra situação nada confortável que aconteceu com um de nós aqui.

    - Que situação? – Sakura me olhou confusa.

    - Aquela que aconteceu na festa que teve na beira do lago... – Meu olhar continuava direcionado para Ino. – Sua amiga deve saber mais detalhes, afinal, foi ela que confessou aquilo.

    - PUTA QUE PARIU! – A loira rangia os dentes de raiva. – Eu não acredito que você falou isso, Sasuke! Agora você passou dos limites.

    Continuei sorrindo para a loira.

    - Eu não falei nada. – Me fingi de sonso. – Só estava tentando me recordar da história, assim como fiz na que acabamos de falar.

    - VOCÊ É UM ESCROTO FILHO DA PUTA!

    - Eita porra! – Kiba falou. – Que história é essa, gente?

    - Pois é, eu tava lá nessa festa com vocês. – Sai falou. – Não lembro de nenhum babado fortíssimo assim não.

    - Como não? – Naruto falou rindo. – O babado era sobre você!

    Ah, como eu amo o Naruto! Às vezes a lerdeza dele cai tão bem...

    - NARUTO! – Ino falou entredentes.

    - Caralho! – O loiro colocou a mão sobre a boca. – Foi mal, Ino! Escapuliu!

    - Mas gente! – Sai falou, de olhos arregalados. – O que eu tenho a ver com isso?

    - Nada não! – Sakura os interrompeu. – Depois vocês dois conversam a sós. – Sakura fez algum sinal para os dois amigos.

    - Tá bom né... – Sai riu, descontraído.

    - Climão pesou hein... – Temari falou, se levantando do colo de Shikamaru.

    - Não, amor! – O moreno puxou a namorada de volta. – Não levanta. É sério.

    - E por que não? – Temari riu. – Eu ia ao banheiro, bebi muita cerveja!

    - Espera só um pouquinho...

    - Posso saber o motivo? – A mulher falou curiosa.

    - Eu tô meio pasmo com esse perfuminho... – Falou sem graça. – Deixa meu sangue voltar... Para os lugares certos...

    - Caralho! – Neji falou rindo.

    - Você tá de pau duro? – Lee falou rindo.

    - Eu avisei que isso funcionava, people! – Sai bateu palminhas.

    - Meu deus, mas isso é muito poderoso! – Naruto falou de boca aberta.

    - Se vocês quiserem, meninas, eu mando o site depois lá no nosso grupo!

    - Ah, mas eu vou querer! – Tenten falou.

    - Que isso “então então”*? – Neji falou olhando para a namorada.

    - Parece que não é só o Shikamaru que não apresenta serviço na cama, não é mesmo? – Sai falou. – Agora, meninas, as que sobraram, vamos deixar baixo. Ninguém precisa saber dos seus machos ok?

    Todos rimos.

    - Gente! – Ino atraiu a atenção de todos ali presentes.

    - O que foi, H2O2*? – Shikamaru falou.

    - Vai se foder, corno! – Ino deu dedo para o Nara. – Já que todo mundo tá jogando o nome do amigo na roda, tirando você, Sasuke, que não é meu amigo...

    - É recíproco. – Sorrii falso.

    Ino também sorriu.

    - ...Eu gostaria de contar que sonhei que a Sakura e o Sasuke se pegavam!

    Eu e Sakura nos entreolhamos.

    - E daí? – Temari falou seco.

    - E daí que vocês sabem que quando eu sonho, meus sonhos se tornam realidade! – A loira amarrou o cabelo em um rabo de cavalo.

    - É mesmo é? – Shikamaru deu corda para Ino.

    – É! Foi que nem aquele dia que eu sonhei que estava chovendo e quando acordei, ESTAVA CHOVENDO!

    Essa mulher tem algum problema, não é possível.

    - Nossa! – Shikamaru falou com uma falsa empolgação. – Foi que nem um dia desses, que eu estava dormindo e acordei depois porque eu estava dormindo.

    Essa tinha sido boa.

    - Não zomba do meu dom, Shikamaru!

    - Jamais zombei! Apenas contei uma situação semelhante.

    - Vai se foder!

    - Mesmo que tivesse a oportunidade disso dar certo, jamais que a Sakura-chan pegaria o Sasuke! – Naruto falou rindo.

    Meu olhar foi diretamente direcionado para Sakura, que mantinha um sorriso estranho no rosto.

    - Não entendi. – Falei.

    Eu realmente não tinha entendido o motivo disso.

    - Ué, simples. – Naruto falou descontraído. – Você é um maior galinha, filho da puta escroto, só come aquelas mulheres do Vegas*, além de ser frio, arrogante, narcisista, hostil, grosso... – Ele contava todos os “adjetivos” nos dedos. Contei junto de meu “melhor amigo”, a lista passou de vinte. – Até parece que a Sakura tendo chances, namoraria um cara como você!

    Todos ali concordaram e riram.

    Olhei para Sakura, que parecia pior do que eu.

    A rosada olhava para um canto da sala, petrificada.

    Seus olhos já não brilhavam como sempre brilharam.

    Acho que, de certa forma Naruto estava certo.

    Por que ela iria querer um homem como eu?

    - Com licença. – Sakura se levantou do sofá, indo para a varanda.

    - Parece que alguém falou demais... – Ino falou rindo.

    - Falou mesmo, Ino. – Sakura fechou a porta da varanda.

    - Climão hein... – Shikamaru falou coçando a cabeça.

    - Eu vou lá. – Naruto falou se levantando. – Acho que eu exagerei. Desculpa, Sasuke.

    - Já tô acostumado. – Ri fraco. – Mas acho melhor você não ir lá não.

    - Sasuke tem razão, amor. – Hinata puxou o loiro de volta para o sofá. – Acho que o Sasuke deveria ir.

    - Caralho, fi! – Kiba falou. – Você é quietinha mas é ardilosa! A menina tá querendo resolver o problema mandando o causador problema prá lá! Sem ofensas, Sasuke.

    - Eu acho que a Hina tá certa. – Naruto falou. – Vai lá, Sasuke.

    - Sério? – Falei surpreso.

    - Uhum. – O loiro balançou a cabeça. – Eu não sei porque isso ofendeu ela, mas você deve saber. Você é mais próximo dela do que eu...

    - Tudo bem. – Falei me levantando.

    - Sasuke? – Kiba chamou minha atenção.

    - Hm?

    - Já que a gente tocou no assunto Vegas... Será que depois você não pode liberar aquele PDF que você e o Shikamaru têm?

    - Que PDF é esse? – Sai falou.

    - Ah! – Shikamaru falou. – Esse assunto está no grupo dos amigos de verdade, o qual você não está.

    Sai deu dedo para Shikamaru.

    - E eu posso saber o que tem de especial nesse PDF? – Temari falou desconfiada.

    - Nada demais, amor. – Shikamaru riu sem graça.

    - Só algumas moças mostrando seu currículo, sé é que você me entende... – Kiba falou rindo.

    - Deixa eles, Teme. – Naruto sussurrou para mim. – Vai lá na varanda. – Apontou com a cabeça para a porta de vidro.

 

 

    [...]

 

 

    - Oi. – Falei fechando a porta de vidro.

    - Oi. – Sakura sorriu fraco.

    - Essa porta é boa! – Ri, dando duas batidinhas na porta transparente. – Lá dentro tá uma gritaria, mas não dá para ouvir nada daqui.

    - Sério? – Sakura virou para a porta de vidro, observando o furdúncio.

    - Uhum. – Balancei a cabeça, olhando também.

    Naruto não tirava os olhos de nós dois.

    Eu deveria tomar cuidado com meus gestos a partir de agora.

    - Você ainda tá brilhando. – Me referi aos brilhos de sua fantasia de fada.

    - Você também. – Ela riu, me lembrando da nosso noite de ontem.

    Voltamos a ficar em silêncio.

    - E então... – Falei tentando atrair a atenção da rosada. – Posso saber por que ficou desse jeito?

    Nos viramos de costas para a bagunça.

    Sakura observava o céu, e eu, observava os poucos carros que passavam ali em frente.

    - Na verdade eu também não sei. – Riu fraco. – Acho que tomei suas dores, ninguém ali sabe quem é o Sasuke de verdade, ou de como você pode ser sensível quando quer, de como você é especial com esse seu jeitinho.

    Sua voz estava trêmula.

    - Eu? Especial? O Dobe me descreveu perfeitamente ali, se duvidar até melhor do que eu me descreveria. – Ri.

    - Sim, Sasuke! – Sakura me olhou com seus olhos marejados. – Você pode até aparentar ser aquilo tudo que o Naruto falou ali, mas eu sei que aqui no fundo. – A mulher de fios rosa encostou o dedo indicador no meu peitoral. – Aqui no fundo você é diferente!

    - ...

    - Eu sei que é... Até porque, você já me comprovou isso. – Seus olhos esmeraldinos fixaram-se nos meus, como uma flecha afiada.

    - Sakura.

    Minha respiração estava descompassada, minhas mãos suavam frio.

    Busquei de qualquer forma, uma maneira de fugir disso.

    Sempre fugi disso, mas Sakura tem alguma coisa que me fez repensar meus atos.

    Parece que com ela, todas as regras se tornam estúpidas e eu sou tentado a não seguí-las.

    Logo eu, metódico. Já tinha um plano perfeito traçado na minha cabeça.

    Isso era para ser somente diversão.

    Carnal e somente isso.

    Acho que aprendi a lição da pior maneira possível.

    Pior não,melhor.

    Amizade colorida nunca vai dar certo. Nem que no início, as duas partes queiram somente desfrutar do prazer que o outro corpo vai proporcionar, porque um dia isso vai mudar.

    Sempre acaba com algum lado machucado, ou até ambos.

    Mas o que aconteceu na nossa vez foi raridade.

    Um ponto fora da curva, posso afirmar.

    - Sakura, eu sei que não sou bom com palavras...

    - Hm? – Seus olhos curiosos me fitavam.

    - Seus olhos...

    A rosada sorriu.

    - Seu sorriso. – Sorri também. – E o jeito que me faz rir...

    Um vento bateu ali na varanda, me trazendo memórias boas.

    - Seu cheiro... Seu cabelo... Suas mãozinhas... – Olhei para suas mãos, que estavam juntas, numa tentativa falha de se esquentar. – O jeito que nossas mãos se encaixam, que você me abraça. E a forma como esse abraço me faz querer te segurar para sempre.

    Ela apenas sorria.

    - Eu sei que posso estar parecendo um idiota falando essas coisas, mas eu não aguento mais guardar isso só para mim. E a melhor pessoa que encontrei para compartilhar isso foi você.

    - Eu quero muito te abraçar agora, Sasuke. Você não tem noção. – A rosada olhou para Naruto, que ainda nos observava.

    - Você que não tem noção, Sakura. – Também olhei para o loiro.

    - Hm? De quê? – Deu uma risada gostosa.

    Nossos olhos se encontraram novamente.

    Ônix e esmeralda.

    “E finalmente, o falcão pousa nos galhos de cerejeira”

    - Do quanto eu te amo.

 

 

 

                                                                 ***

 

My lover's got humour
            She's the giggle at a funeral
            Knows everybody's disapproval
            I should've worshipped her sooner
            If the heavens ever did speak
            She is the last true mouthpiece
            Every Sunday's getting more bleak
            A fresh poison each week

We were born sick
            You heard them say it
            My church offers no absolutions
            She tells me: Worship in the bedroom
            The only heaven I'll be sent to
            Is when I'm alone with you
            I was born sick, but I love it
            Command me to be well
            Amen, amen, amen

Take me to church
            I'll worship like a dog at the shrine of your lies
            I'll tell you my sins so you can sharpen your knife
            Offer me that deathless death
            Good God, let me give you my life

Take me to church
            I'll worship like a dog at the shrine of your lies
            I'll tell you my sins so you can sharpen your knife
            Offer me that deathless death
            Good God, let me give you my life

If I'm a pagan of the good times
            My lover's the sunlight
            To keep the goddess on my side
            She demands a sacrifice
            To drain the whole sea, get something shiny
            Something meaty for the main course
            That's a fine looking high horse
            What you got in the stable?
            We've got a lot of starving faithful
            That looks tasty
            That looks plenty
            This is hungry work

Take me to church
            I'll worship like a dog at the shrine of your lies
            I'll tell you my sins so you can sharpen your knife
            Offer me that deathless death
            Good God, let me give you my life

Take me to church
            I'll worship like a dog at the shrine of your lies
            I'll tell you my sins so you can sharpen your knife
            Offer me that deathless death
            Good God, let me give you my life

No masters or kings when the ritual begins
            There is no sweeter innocence than our gentle sin
            In the madness and soil of that sad earthly scene
            Only then I am human, only then I am clean
            Amen, amen, amen

Take me to church
            I'll worship like a dog at the shrine of your lies
            I'll tell you my sins so you can sharpen your knife
            Offer me that deathless death
            Good God, let me give you my life

Take me to church
            I'll worship like a dog at the shrine of your lies
            I'll tell you my sins so you can sharpen your knife
            Offer me that deathless death
            Good God, let me give you my life

 

 

 

                                                   ***

 

 

 

 

 

 

 

 

   

   

    

 

 

  

   

   

    


Notas Finais


* Shikamaru - Eu fiz um trocadilho com o significado do nome dele, tem algo a ver com cervos, e cervos tem chifres... CORNO HAHAHAAH
*Então então - Traduz isso no inglês: "then then" heueheueheueheue
* H2O2 - é a nossa querida água oxigenada
* Vegas - é um "puteiro" luxuoso daqui de Brasília. hahahaahah
* A música no final se chama "Take me to church" do Hozier.

Espero que tenham gostado! ;)
E por hoje é só!
Até o próximo!

Deixo aqui minha one-fic, que vocês podem ler enquanto esperam o próximo (#daquelas) hahahaah: https://spiritfanfics.com/historia/deu-branco-9863257

E meu insta (vamos ser mais que amigas, vamos ser friends): https://www.instagram.com/kscarpa_/


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...