História Amizade colorida. Karol Sevilla ruggarol larol - Capítulo 46


Escrita por: ~

Postado
Categorias Karol Sevilla
Visualizações 13
Palavras 782
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 46 - O que somos agora? Continuação.


- É que te acho um encanto. 
- Claro. Você que já jogou meia cidade de mulheres na cama sem nem ao menos conhece-las, deve ser mesmo um perito...
- -Shiiiii. 
Comecei a rir e me escondi a cabeça em baixo do travesseiro. 
Ele me imitou a nossos olhares se cruzaram. Isso me fez rir.
- Pode dizer de uma vez o que pensa porque já estou me arrependendo. 
- Eu quero que se repita. Muitas e muitas vezes. 
Isso me fez relaxar. 
- É isso nos converterá em que? Follamigos?
- Não gosto desse termo. Continuamos melhores amigos onde o sexo e um de nossos passatempos.
- Ok. Liberdade?
- Cada um fica com quem quiser. 
Sorri satisfeita e prosegui.
- Perfeito. Mas continuamos a contar nossos rolos. Bem na verdade você porque eu, sabe como sou. Um desatre.
- Não me pareceu isso quando falava com Ruggero.
Seu tom de voz era uma mescla de ciúmes de despeito. E isso eu gostava.
- Bom. Me perdoa se já tenho um candidato pra levar pra cama. 
- É que a ideia de você passar por aquilo de novo me dá medo. Não quero que fique com quem vai te lastimar. 
Acho que quero discutir essa questão da Liberdade.
' - Vai. Me surpreenda .
- Se quiser ficar com alguém, terá que ter minha aprovação..
- Pois eu exijo o mesmo.
-Não! 
- Sim.
- Não é a mesma coisa. Eu saio e se acho alguém interessante, eu fico. Você não é assim, Você está praticamente intacta.
- E? 
- Não vou permitir que qualquer idiota te use e nem que você se apaixone.
- Isso quem vai decidir é você?
- Essa é o trato.
- Pois saiba que eu já estou grande e sei me cuidar. Não permitirei que ninguém me use, e nem vou me apaixonar. Você sabe que não quero. E outra. Está com medo de pedir minha aprovação pra ficar com alguma sirigaita? Saiba que sou bem permissiva . Só vou te proteger daquelas que só quer aparecer a suas custas. 
- É como vai fazer isso. Quando naoneativer comigo quer que eu faça um vídeo com ela dizendo porque quer se deitar comigo, te mandar a esperar sua aprovação? 
- Vamos fazer assim. Quando sairmos juntos eu dou aprovação. Quando tiver sozinho você faz o que quiser. Feito. 
- Isso é surreal.
- Foi você quem propôs.
Ele voltou a olhar meu corpo de cima a baixo.
- Feito. Mas e o Ruggero?
- O que tem ele?
- Acho melhor você se afastar. Porque, ele não é pra você.
- Acha que nao sou capaz de ficar com ele?
- Não é isso, e que ele é todo romântico, gosta de conquistar, de namorar.... E você vai acabar....
- Acha que vou me apaixonar?
- Não. Acho que vai magoa-lo quando disser que não quer compromisso. 
- Tem razão.  Pesar de eu não acreditar muito nisso, Lionel estava certo, eu nao podia ficar com os dois amigos.

Ele se colocou em cima de mim e começou a mordiscar meu pescoço.
- O que ta fazendo?. Rí com as cócegas que fazia seus dentes na minha pele. 
- Aproveitando mais privilégios. Levantou e me olhou mordendo o lábio.
- Você e tão, tão. ..
- Cala boca e me beija.
Depois de meia hora de joguinhos, Lio se levantou a tirou do armário um vestido e roupa interior jogando pra mim na cama.
- Onde pegou isso?
Você deixou la na piscina aquele dia. 
- Vamos tomar café? Olhou no relógio.
- Não.  Respondi manhosa. Estou com dor em todo corpo. 
- Tá lado de cavalinho. 
Me vesti e montei mas suas costas. Me deixou em cima da mesa da cozinha e perguntou.
- O que quer comer?
- Que tal sorvete? Um filme...
- São 12:30?
- E? 
- É você nao pode comer besteiras. Tem que se alimentar. 
- Estou comendo diretinho a 10 duas. Sí hoje vai.
- Da bom. So hoje.
O congelador de Lionparecia mais um supermercado personalizado. Havia de tudo la dentro.  Peguei dois potes aleatórios e sentamos no sofá. Uma manda única nos cobria. Enviei a colher no sorvete e coloquei na boca. Soltei um leve gemido.
- Oh. Que delícia. Quando tempo. Enti saudades de você sorvete. Abração o pode.
- Hum.  Desde não provei ainda. 
Mateu a colher no meu sorvete e levou a boca. Fiz o mesmo. Mas no sorvete dele.
- Por São tao bons os sorvetes? Disse delicada.
- Quer mais do meu?
- Quero. 
Pegou sua colher e apontou pra mim. Mas ao invés de levar na minha boca, sujou meu nariz.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...