História Amizade Inesperada-Scorbura - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Alvo Potter, Argo Filch, Arthur Weasley, Draco Malfoy, Fílio Flitwick, Gina Weasley, Harry Potter, Hermione Granger, Horácio Slughorn, Hugo Weasley, Lílian L. Potter, Lucius Malfoy, Minerva Mcgonagall, Molly Weasley, Narcissa Black Malfoy, Neville Longbottom, Poppy Pomfrey (Madame Pomfrey), Ronald Weasley, Rose Weasley, Rúbeo Hagrid, Scorpius Malfoy, Tiago Potter
Visualizações 3
Palavras 1.884
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Escolar, Fantasia, Magia, Mistério, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá a todos! Espero que gostem do novo capítulo. Muita coisa acontecerá...

Capítulo 6 - A Razão


-Então agora que já somos amigos já podes contar quem te enviou essas cartas e o porquê?-perguntou Scorpius ainda cheio de curiosidade.
 -Sim...
 -Então...
  Zara respirou fundo e fixou o chão. Depois começou:
 -A primeira carta foi enviada pela minha mãe a dizer que... que o meu... meu pai morreu...-Zara começara a chorar-A carta que recebi à pouco foi também da minha mãe mas era a dizer a causa da morte do meu pai...
  Albus e Scorpius estavam pasmados. Nunca esperaram que aquela fosse a razão para ela estar a chorar. Ambos pensaram em coisas mais leves. Scorpius abraçara Zara com força enquanto olhava para o amigo.
 -Os meus sentimentos...-disse Scorpius ainda em estado choque e relembrando o momento em que a sua mãe também morrera.
 -Sim os meus também...
 -Zara eu queria-te ajudar mas não sei como...
 -Não é preciso fazeres nada... basta estares aqui mais o Al.-disse abraçando Scorpius com mais força.
  Albus sorriu e aproximou-se dos amigos.
 -Zara sei que vai parecer estranho e que talvez não queiras responder mas... como é que o teu pai morreu?-perguntou Albus.
  Scorpius sentiu uma onda de fúria vinda da amiga.
 -Morreu graças a um Auror... ele estava a fugir deles visto que estes o queriam apanhar sem ele ter feito nada.
 -Mas queriam apanhá-lo porquê? O que é que aconteceu?
 -O pai da Munique, a Slytherin morena de olhos pretos do quarto ano, e o meu pai eram muito amigos. O pai dela acidentalmente matou um Auror a pensar que era um ex-Devorador da Morte... mas como ele fugiu só viram o meu pai com a varinha na mão e pensaram que fora ele por mais vezes que ele disse-se que não. Na altura fugiu mas no outro dia eles voltaram a persegui-lo e acabaram por o matar sem ter feito nada.
 -Que horror!-disse Scorpius-Os aurores estão cada vez piores! Estão mais loucos que o Moody Olho-Louco!
 -Mas quem foi que o matou?-perguntou Albus.
 -O Ministéro também ainda não sabe ao certo. Os aurores que lá estavam não querem contar por medo do que a minha família possa fazer.-esta afastou-se de Scorpius e olhou para Albus-Mas aviso-te de uma coisa Al, o teu pai e o teu tio Ron estavam lá e muitos suspeitam que foi um deles.
  Albus parecera ter visto o diabo. Ficou quase tão branco quanto Scorpius, quando ouvira as palavras de Zara.
 -Zara peço imensa desculpa!
 -Tu não tens de pedir desculpa por nada. A culpa não foi tua. Se for de alguém é da tua família.
 -Sim eu sei mas...
  Zara agarrara as mãos de Albus, que estava muito nervoso, e apertou-as com força.
 -Al tem calma. Nada disto é culpa tua. Eu não vou ficar zangada contigo caso isto tenha sido culpa de algum dos teus familiares.
 -Sim mas eu não acredito que os aurores foram capazes de fazer isso sem terem a certeza!-acabou por explodir Albus.
 -Al respira!-disse Scorpius.
 -Sim desculpem.-disse levando as mãos à cara.
  Zara e Scorpius olharam um para o outro enquanto Albus estava a ter um ataque de fúria silenciosa. Zara acabou por colocar a mão nas costas do amigo e dizer:
 -Tem calma Al, não vale a pena estares a irritar-te com uma coisa que não podias impedir.
 -Eu sei, eu sei.-disse Albus levantando-se do sofá e ficando de frente para os amigos-Mas é horrível o que os aurores fizeram! Eles não tinham provas de nada!
  Zara também se levantou e ficou de frente para Albus.
 -Al agora já não há nada a fazer. Não te preocupes com nada deste assunto.
  Scorpius levantou-se e ficou ao lado de Zara.
 -Anda lá Al, tens mais com que te preocupar. Deixa esses assuntos para os adultos resolverem. Temos mais com que nos preocupar.
  Albus olhou para os dois amigos que tinham um sorriso na cara.
 -E quem sou eu para vos contrariar?-perguntou sorrindo de seguida.
 -Pois realmente não sei.-disse Scorpius.
 -Bem não quero estragar o momento mas querem fazer o quê agora à tarde? Não me apetece ficar aqui a pensar nos acontecimentos recentes...
 -Não sei.-respondeu Scorpius.
 -E que tal irmos para o jardim?
 -Sim pode ser.-disseram Scorpius e Zara.
  Estes saíram do Salão Comunal e foram para o jardim. Mas durante o caminho foram interrompidos. Rose metera-se à frente do trio.Esta olhava-os com um estranho sorriso na cara porém recebeu um olhar de ódio dos três.

 -Vejo que voltaram a ser amigos!
 -Não, achas? Nós só estamos juntos porque a professora Minerva nos mandou!-disse Zara revirando os olhos.
 -Não sabia que agora tinhas virado engraçadinha Zara!
 -Agora já sabes! Espero que gostes.
  O sorriso que antes estava no rosto de Rose desaparecera por completo. Esta estava agora com uma expressão de ira.
 -Não faças esse teu jogo de Slytherin comigo, Zara... estou a avisar-te.
  Zara chegara-se para a frente.
 -Eu não preciso dos teus avisos para nada Weasley!
 -Eu se fosse a ti ouvia-me...
 -Porquê?! O que vai acontecer se eu não te ouvir?!
  A expressão de Rose foi piorando a cada palavra que Zara dizia.
 -Tu és muito idiota não és!?
  Ao ouvir aquelas palavras Scorpius avançou rapidamente para Rose mas foi travado por Zara que lhe meteu o braço à frente da barriga.
 -Não te atrevas a voltar a chamar a Zara de idiota.-avisou Scorpius apontando o dedo indicador na direção de Rose.
 -Tem calma Scorp.-sussorou-lhe Zara recebendo um abano de cabeça afirmativo.
  Zara voltou a encarar Rose com um sorriso manhoso e continuou:
 -Assim estás a comparar-me contigo certo?
  Zara acabara de chegar ao limite de Rose. Esta fizera um gesto estranho com a mão que Zara reconheceu. Esta fazia-o muitos vezes por mais que Zara não soubesse o porquê de ela o fazer.
 -Eu avisei-te Smith!
  De repente, ouviu-se a voz de Albus que desde que começaram a falar com Rose ainda não tinha aberto a boca. Este foi para o pé da prima e disse:
 -Eu não vos permito que falem assim com a minha prima!
  Zara e Scorpius ficaram espantados com a atitude de Albus.
 -Albus estás a sentir-te bem?! Lembras-te do que disses-te à pouco?!
 -Lembro e daí!? As opiniões mudam!
 -Pois normalmente demoram mais tempo a mudar!
 -Calma Scorp! O Albus não está em si!-avisou Zara.
 -Como assim não está em si!?
 -Eu li isto num livro à um tempo... mas não me lembro o que era...
 -Zara tens a certeza que não sonhas-te com isso ou assim?
 -Sim tenho a certeza... Ah já sei! Hipnose!
 -Hipnose? Tens a certeza que não é um Imperius?
 -Não se fosse Imperius ela não o poderia controlar assim.
 -Afinal és mesmo a mais inteligente do grupo!-disse Rose.
 -Então foi por isso que ele teve aquela atitude na sexta passada!-disse Zara.
 -Mais dez pontos para os Slytherin graças a Zara Smith!-disse Rose ironicamente.
 -E não há nada a fazer? Tipo contra-hipnose ou assim?-perguntou Scorpius ignorando por completo Rose.
 -Sim mas é um bocado complicado...
 -Então?
 -Tens que o trazer à realidade...
 -E qual é a complicação disso?
 -Ele só volta caso a pessoa que esteja a tentar trazê-lo seja muito importante para ele. Também tem que existir uma forte ligação. Só a partir daí é que a hipnose é cancelada e a pessoa que lhe lançou a hipnose nunca mais poderá fazer isso com ninguém. Caso contrário ele nunca mais volta...
 -Como assim nunca mais volta?
 -Caso isto dê muito errado ele pode morrer...
 -Ah já entendi a tua preocupação... mas não temos outra opção senão tentar...
 -Sim exato...
 -Vocês nunca iram conseguir!-disse Rose com um grande sorriso na cara.
 -Boa sorte Zara.-desejou Scorpius.
 -Obrigada Scorp.
  Zara respirou fundo e aproximou-se de Albus que começou a reclamar com esta por ter falado daquela maneira com a prima. Quando Zara ia começar a falar com Albus, Rose apressou-se em dizer perto do ouvido do primo:
 -Ela falou muito mal de mim Al... ela tentou matar-me...-disse com voz falsa, triste.
  Zara viu Albus a ficar muito vermelho e a aproximar-se de si. Este puxou Zara enrolando o braço esquerdo à volta do seu pescoço e depois pegou a varinha que estava no seu bolso.
 -Tu não mereces estar viva Zara!-disse apontando a varinha à cabeça da amiga.
 -Porquê?!
 -Tu és a pior pessoa do mundo! Tu tens de morrer!
 -Então mata-me! Faz isso se és capaz! Faz!-lágrimas começaram a correr pelo rosto de Zara.
  Rose e Scorpius ficaram espantados com a atitude da rapariga. Nesse momento Albus soltara Zara e esta ficou à sua frente. Rose voltara a falar:

 -Albus não te esqueças do que ela me fez...
  Zara olhara para trás e lançara um olhar de ódio a Rose. Depois voltou o rosto e olhou Albus nos olhos. Este também a fixou nos olhos.
 -Al lembras-te de mim certo?
 -Sim...-disse com dificuldade.
 -Ainda bem. À quanto tempo nos conhecemos?
 -À... cinco anos...
 -Exato. O que é que eu sou para ti?
 -A... minha... melhor amiga...-este tinha muitas dificuldades a falar como se alguém o quisesse calar.
 -Exato. Eu adoro-te Al e quero que tu voltes.
  Zara aproximou-se do amigo. Esta colocou a sua mão no rosto do rapaz e acariciou-lhe a bochecha. Depois sorriu.
  Ela sabia perfeitamente que as coisas que deixavam Albus louco era o seu olhar, o seu cheiro, o seu tocar e o seu sorriso. Agora tudo junto só poderia deixá-lo completamente louco.
  Do meio do nada viram Rose a voar contra uma parede e Albus a abraçar Zara. Esta abraçou o amigo enquanto ria do que acabara de acontecer a Rose.
 -Obrigado Zara! És a melhor!
 -De nada Al.
  Mas uma voz interrompeu aquele momento.
 -Mas será que tu estragas sempre tudo!?
  Zara voltou-se e viu Rose a cambalear até eles. Albus colocou o braço por cima de Zara. Esta encostou-se ao amigo.
 -Sim.-disse Zara sem rodeios.
 -Odeio-vos a todos!
 -Será que odeias mesmo?-perguntou Scorpius arqueando a sobrancelha.
 -O que queres dizer com isso?
 -Sabes todas as raparigas que eu conheço, com excesão da Zara, faz esse espetáculo todo para chamar a atenção de quem gosta...
  Rose corou muito. Isso chegou como resposta para Scorpius.
 -Parece que acertei não é mesmo?
 -Sim acertas-te!-gritou Rose.
 -E de quem é?
 -Eu gosto de ti desde o segundo ano! Quase toda a escola sabe menos vocês e os vossos amigos!
  Scorpius desarqueou a sobrancelha. No rosto dele apareceu um sorriso manhoso. Este continuou:
 -Então porque fazes o Albus passar por isto?
 -Porque eu também sinto algo por ele! E sei bem que chego mais rapidamente a ele do que a ti!
  Scorpius ia sentindo-se mais poderoso a cada frase de Rose.
 -Sabes uma coisa Rose?-disse Scorpius aproximando-se dela.
 -O quê?-perguntou Rose com as pupilas a dilatarem.
 -Eu simplesmente odeio-te.
  Os olhos de Rose encheram-se de lágrimas. Esta saiu a correr pelo corredor fora. Zara e Albus começaram a rir fazendo Scorpius ir ter com eles e começar também a rir.
 -És mesmo mauzinho Scorp! Acabas-te de arruínar os sonhos da garota!-disse Zara quase a chorar de tanto rir.
 -Que pena não é!?-disse Scorpius a rir.
 -Realmente Scorp foste bem maldoso!-disse Albus com expressão séria mas que não durou muito tempo pois o riso era mais forte.
  Estes continuaram a rir.
 -Talvez seja melhor irmos andando para o jardim.-disse Zara.
 -Sim é melhor.-responderam os dois rapazes.
  Estes foram até ao jardim sempre a falar sobre o que acontecera naquele corredor.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...