História Amnésia - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Capitão América, Os Vingadores (The Avengers), Viúva-Negra (Black Widow)
Personagens James Buchanan "Bucky" Barnes, Natasha Romanoff
Tags Buckynat, Viuva Negra, Winterwidow
Exibições 63
Palavras 1.943
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi de novo, esse capítulo é muito amor, sim chega de dor para esses dois. ;)

Capítulo 2 - Coisas Simples


Assim que Bucky entra no apartamento que compartilhava com Natasha, ele vai direto para o banheiro, tomar um banho frio. Enquanto a água escorria pelo seu corpo, tudo o que ele pensava era em uma maneira de fazer a ruiva se lembrar dele, ele não iria desistir dela.

Ao sair do banheiro, enquanto se secava com a toalha, sentiu o celular vibrando em cima da cama, ao ler a mensagem ficou apreensivo, Maria estava avisando que iria dar um jeito de levar Natasha para o apartamento deles, convencendo ela de que seria melhor que se acostumasse com os lugares que faziam parte da vida dela antes dela ser sequestrada, ela tinha concordado, afinal queria passar um tempo sozinha.

Antes que ela chegasse em casa ele escreveu uma carta e separou todas as fotos que eles tinham juntos e colocou-as na cama, isso era uma tentativa simples e romântica, isso para outras pessoas poderiam não funcionar com Natasha Romanoff, a viúva negra, a mortal, mas quando ela estava com ele, ela era apenas a Natalia. A sua Natalia.

Ele também tinha preparado um jantar, após ter arrumado a mesa, ele escutou passos se aproximarem da porta da sala, resolveu esconder-se no banheiro.

- Natasha, eu sei que você vai ficar bem, tenta dormir, o Barton disse que iria visita-la amanhã ou depois todos estão preocupados com você. – Maria fala enquanto Natasha para em frente a porta do apartamento.

- Pode deixar, eu vou ficar bem, eu ainda estou com uma dorzinha de cabeça mas vai melhorar, eu já estou tomando a medicação que os médicos me passaram. – Natasha responde dando um sorriso sem graça.

Hill balança a cabeça positivamente e a puxa para um abraço, Natasha não sabia porque, mas ela precisava muito daquilo.

Depois que Maria a deixa sozinha, Natasha abre a porta do apartamento e abre um sorriso ao sentir um cheiro delicioso de lasanha, dado que estava morrendo de fome.

‘Que bela surpresa que a Maria fez para mim hein?’ – a ruiva pensava enquanto ia direto ao quarto. Ao chegar lá começou a se despir, mas ao observar o que tinha em cima da cama franziu o cenho ao ver uma carta e algumas fotos. Uma delas ela estava com um homem sorrindo, o abraçando com as suas bochechas coladas, a outra eles estavam com os narizes colados ela sentada em seu colo. Com isso sentou-se na cama e começou a ler a carta que estava na mesma.

“ Natalia, toda vez que eu estou com você, que eu te sinto, eu percebo que estou no caminho da própria felicidade. Quando nos conhecemos eu não tinha um nome, não tinha uma vida  ,mas eu soube o que era isso quando te conheci. De todas as coisas que eu vivi e que me aconteceram, você foi a melhor de todas, durante toda a minha vida eu tenho apenas sobrevivido e você me fez viver novamente, você sabe o que é se sentir humano, quando se é criado para ser uma arma, para descartar todas as suas emoções, para sentir como um mármore sente e ser sempre enfatizada de que o “amor é apenas para crianças”.

Eu vivo o amor com você desde aquele dia a 60 anos atrás quando eu treinei-a  na Sala vermelha, quando eu sorria para você a cada evolução conquistada, a Natalia Romanova queria ser e foi a melhor de todas, isso não era uma escolha, não naquele lugar, não naquele momento. Eu me senti aflito quando me disse que aceitaria fugir comigo, porque eu sabia que era algo impossível, autocídio , mas naquele momento você tinha escolha e você decidiu vir . Como para cada escolha existe uma consequência, te arrancaram de mim, e quando eu te encontrei novamente, tiraram você de mim de novo, e arrancaram todas as memórias que você tinha de mim, mas eu sei que você sabe quem eu sou, porque além da mente eu estou no seu coração, assim como você sempre esteve no meu.

Com todo o meu amor, James.”

A cabeça de Natasha começou a doer de tanto que as lagrimas abafadas caíram de seu rosto, ela queria gritar, porque não conseguia se lembrar completamente daquele homem, ela sabia que o conhecia e de uma forma íntima, mas ela não sabia o que fazer, desamparada ela apenas se sentou no tapete do quarto em frente a cama, dobrando as pernas e abraçando as pernas e chorando baixinho com a cabeça apoiada nos joelhos.

James tinha se segurado para não sair do banheiro quando viu Natalia começar a chorar, mas quando a observou chorar desoladamente, saiu imediatamente do banheiro e foi até ela se agachando com precaução para que ela não se assustasse.

- Natalia....- James disse baixinho, sem tocá-la. Ele estava apreensivo sem saber qual seria a reação dela ao vê-lo ali.

- O que.. o que você está fazendo aqui ? Você é o James, não é ? – Natalia responde olhando nos olhos dele, os olhos dela avermelhados.

- Natalia, eu quero te ajudar, me deixa eu te ajudar, por favor... – James respondeu com a voz embargada tremendo de apreensão.

A ruiva desvia o olhar dos dele, com os olhos cheios de lágrimas e pergunta:

- Por que, por que eu não consigo me lembrar de você? A minha cabeça está explodindo! Por favor pegue meu remédio dentro da minha bolsa ela está na cômoda. Ai!!. - Natalia falava enquanto apertava as mãos sobre a cabeça.

- Por favor, deite na cama, eu vou te dar o remédio, mas se acalme, eu não devia ter feito isso hoje droga! Você acabou de sair de uma cama de hospital, merda! – James disse enquanto se levantava e ia em direção a cômoda pegar os comprimidos. – Quais são os remédios? Aqui tem vários!

- A cartela de comprimidos vermelhos. - Natasha responde , enquanto se deita na cama.

James pega um copo de água correndo na cozinha e volta com o comprimido na mão e o entrega para Natasha. Ela toma o remédio e suspira fundo tentando se acalmar.

- Você está melhor? A cabeça ainda está doendo? – James pergunta com o semblante preocupado enquanto senta do lado de Natasha na cama.

- Calma James, eu vou ficar bem, eu não precisava ser recebida dessa forma, como eu diria ‘cheia de emoções’. – Ela responde curvando o lábio em um sorriso.

 James sabia que não era o momento mas tinha que perguntar.

- Você gostou da carta? Se lembra de alguma coisa dela? – Ele pergunta com os olhos no dela.

Ela não sabia porque mas ela amava aqueles olhos, se perdia neles.

- Algumas coisas passaram pela minha mente como um flash, algumas coisas estão despedaçadas, mas acredito que com o tempo eu lembre de você, me desculpa mas agora eu não lembro de quase nada.

- Tudo bem Natasha, fica bem, eu vou deixar você dormir... – Ele fala enquanto se levanta da cama rapidamente, tentando não demonstrar o quanto estava decepcionado e triste por ter ouvido aquilo, mas ele sabia que não seria fácil que ela se lembrasse dele, o estrago que tinham feito na mente dela tinha sido grande demais. – Ah eu ia me esquecendo, você quer que traga a lasanha aqui ? Você sempre gostava quando eu fazia para você...

Natasha olhava pra ele como se dissesse ‘ele me conhece tão bem’ ‘tenho certeza que ele me ama, mas não me lembro dele’. Ela achou tão fofo da parte dele, tentar fazê-la se lembrar dele nas pequenas coisas da rotina, coisas leves, o que era totalmente diferente do mundo em que ela vivia lá fora aonde ela era a mortal, imbatível, ali naquele momento ela se sentia segura queria ser protegida por ele, era uma necessidade nítida.

- Sim eu quero.. e se não for pedir muito pode trazer uma limonada também? – Ela responde com uma cara de menininha indefesa.

- Já estava pronta antes de você pedir.. – James diz, enquanto pisca pra ela e se vira para sair do quarto.

Natasha fica desnorteada, com aquilo ‘como uma pessoa pode me conhecer tão bem?’. Ela fica alguns segundos deitada na cama, até que resolve trocar de roupa, depois de tudo o que tinha acontecido ela nem tinha percebido que estava sem camisa, o mais interessante é que ela não se importava. Vestiu um pijama curto preto que estava no guarda-roupa, que era uma blusa preta e um short branco com bolinhas pretas. Voltou para cama e abriu um mini sorriso, ao avistar James entrar no quarto com uma bandeja com a lasanha e a limonada que ela queria.

- Bom apetite, fiz com carinho espero que tenha ficado bom. – James diz após colocara bandeja do lado de Natasha.

- Com a fome que eu estou, comeria até um boi. – Ela diz para quebrar um pouco a tensão do quarto ela sabe que James não está a vontade e ela não tinha a intenção de deixa-lo assim.

James fica em silêncio por alguns segundos como se medisse as palavras para falar com ela, não queria que se alterasse de novo, talvez amanhã seria um bom dia para isso, afinal não iria fazer nada o dia todo.

- Boa noite...eu... vou dormir na sala, só vou escovar os dentes....- Ele diz coçando a cabeça e indo em direção ao banheiro, mas Natasha o interrompe, enquanto largava os talheres.

- James , esse quarto também é seu, não quero que se sinta expulso do próprio quarto, só porque eu não me lembro de nada sobre você. – Natalia fala com firmeza na voz.

James curva os lábios em um sorriso e abaixa a cabeça para que a ruiva não perceba mas é inevitável.

- Qual a graça ? – Ela pergunta com as sobrancelhas levantadas.

- Nada. É que quando você me fazia me lembrar de você era sempre nessas mesmas circunstâncias, mas realmente você nunca dormiu na sala, você sempre perguntava qual era o lado que eu costumava dormir, porque não queria me incomodar. – James fala aumentando ainda mais o sorriso, chegando a dar uma leve gargalhada.

Natasha mordeu o lábio inferior para não demonstrar o quanto estava encantada com aquele sorriso, o quanto ele ficava ainda mais atraente quando sorria, ela voltou a atenção para a comida para não olhar pra ele.

- Pode dormir aqui, do seu lado é claro, isso eu me lembro ainda.

E foi isso que ele fez. James queria muito tocá-la, beija-la e matar toda a saudade que teve quando ela foi arrancada dele, ele não conseguia dormir quando ela foi sequestrada. Pensando se ela estava bem. Se ficaria bem. Ele queria aconchegar ela em seu peito e sussurrar palavras de amor, queria fazer amor com ela, como sentia falta disso, mas se deu por satisfeito só de olhá-la terminar de comer. Como era linda, meu Deus. Ela era o milagre dele.

Natasha corou ao perceber o olhar intenso com que James a olhava mesmo assim continuou comendo. Quando finalmente terminou , deixando o prato limpo e entregando a bandeja para James, que a olhou espantada por ela ter comido um prato enorme de lasanha. Fazendo a mesma revirar os olhos e curvar os lábios em um sorriso e balançando a cabeça.

- Boa noite James..- Natasha diz enquanto solta um bocejo e se aceita na cama , cobrindo-a com o cobertor.

- Boa noite, моя звезда. – Ele responde e sai para a cozinha

Quando volta ela já está dormindo.

Ao olhá-la ele tem certeza que ela é o seu milagre. Ele deita feliz do seu lado da cama.

 


Notas Finais


tradução - моя звезда (minha estrela).
Comentem gente, críticas sugestões tamo ai pra isso :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...