História Amnésia - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Caitlin Beadles, Chaz Somers, Christian Beadles, Hailey Rhode Baldwin, Justin Bieber, Khalil Sharieff, Lil Za, Pattie Mallette, Ryan Butler, Selena Gomez
Personagens Caitlin Beadles, Chaz Somers, Christian Beadles, Hailey Baldwin, Jeremy Bieber, Justin Bieber, Khalil Sharief, Lil Za, Pattie Mallette, Personagens Originais, Ryan Butler
Tags Caitlin Beadles, Chaz Somers, Christian Beadles, Criminal, Drogas, Hailey Baldwin, Justin Bieber, Romance, Ryan Butler, Violenci
Exibições 67
Palavras 1.727
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Policial, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá, espero que gostem da minha nova fanfic. Eu estou escrevendo com todo carinho do mundo! Ah, e espero que vocês colaborem comigo, comentem, interajam comigo, deem opiniões, pois isso é muito bom para quem está dando o duro para escrever algo realmente bom para os leitores!

Enfim, boa leitura! Espero vocês nas notas finais!

Capítulo 1 - Accident and amnesia


Fanfic / Fanfiction Amnésia - Capítulo 1 - Accident and amnesia

              POV  JUSTIN BIEBER 

Eu já não conseguia pensar em mais nada, meu corpo está em pura adrenalina e eu preciso acabar com a vida de alguém. Uma coisa que não aceito é traição, e eu vou matar o filho da puta que roubou todo o meu carregamento de cocaína. Nem que eu tenha que revirar Atlanta, e qualquer outro lugar... Eu vou achar  o traíra filho da puta que fez isso. 

Agora, nesse exato momento o vidro do meu carro está todo embaçado por causa da chuva, mas eu não me importo. Só quero chegar em casa rápido e pensar em um plano. 

Com muita dificuldade consigo ver um carro na minha frente. Eu vou ultrapassar essa porra! 

Pisei no acelerador, e sinto meu carro praticamente voar. Logo sinto o impacto do meu carro batendo no da frente, fazendo minha cabeça bater no volante com força.  

— Puta que pariu! - gritei passando a mão na testa e sentindo o sangue pelos dedos.  

Olhei para a pista e vi o rastro do carro em que eu bati, mas o carro não estava ali. Olhei para todos os lados e a pista estava vazia. Peguei meu celular e disquei o numero do Ryan. 

— Atende, atende porra – resmunguei estacionando meu carro na beira da pista e assim pude ver que  o carro havia caído do barranco e capotado. 

— Fala bro. Estamos fazendo o possível para achar o traíra. - disse o Ryan do outro lado da linha com a maior voz de sono. 

 

— Filho da puta, você tava dormindo? Vem você e o Chaz para a pista principal. Acabei de bater o carro. - eu disse nervoso 

— Não pode nem mais dormir. Até parece que não aconteceu isso antes, porque não ligou pro Christian? - reclamou 

— Porque aquele cuzão deve ta comendo alguma puta por aí. Anda logo porra, é grave caralho, o carro capotou. - eu disse bufando 

— Pena que você não morreu... Já vou. - disse  

— Filho da puta! - eu disse desligando o celular. 

Entrei de novo no carro pois se eu descesse o barranco e achasse alguém vivo dentro do carro eu acabaria matando essa pessoa. 

    [...] 

— Ué Ryan, você disse que o carro do Drew tinha capotado! - disse o Chaz comendo rosquinhas (como sempre) 

— Pois é Chaz, o Justin mentiu pra gente. - disse Ryan bufando com a cara de sono. 

— Vocês dois vão pro saco se ficarem enchendo meu saco. Não foi o meu carro que capotou, foi aquele – eu disse apontando pra baixo do barranco. 

— Parabéns Drew – disse Ryan irônico  

— Se você não quiser ter o mesmo destino que aquele carro então cala a boca – eu disse e Chaz riu com a boca toda lambuzada de chocolate. 

Descemos o barranco com cuidado por causa da lama que havia se formado por causa da chuva.  O carro estava com a parte da frente completamente destruído e saindo fumaça. Eu forcei para porta do motorista abrir e ali sentado na frente havia um homem. 

Ryan e Chaz tentavam abrir as portas de trás. 

— Ryan, me ajuda aqui. - eu disse nervoso. 

Ele veio e me ajudou a tirar o velho do banco e colocar deitado no chão. O velho estava com um enorme corte na cabeça e sangue saía de seu nariz. 

— Puta merda, o velho morreu! - eu disse  

— Calma Drew, ta frio por isso ele ta gelado... - disse Ryan — Vou medir a pulsação dele.  

— Gente, vocês não sabe o que... - disse o Chaz mas o interrompi  

— Agora não, estamos ocupados para suas idiotices. - eu disse e Ryan riu. 

— É Justin, já pode ligar para a funerária. Você matou o velhote – disse o Ryan  

— PUTA MERDA! - eu disse nervoso. 

— Mas ninguém viu? Não tinha ninguém na pista? - perguntou 

— Não, é madrugada e tava chovendo muito. Se alguém passou por aqui não viu por causa da chuva. - eu disse tentando me acalmar. 

— Vamos Chaz, a gente liga pra ambulância ou bombeiro sei lá. Tá frio pra porra, quero voltar pra cama. - disse Ryan. 

— Mas e essa moça? Vamos deixar ela aqui? - perguntou Chaz e arregalamos os olhos. 

Eu e Ryan corremos para o outro lado do carro no banco traseiro e vimos uma garota deitada no chão. 

— Chaz, porque você não falou antes? - perguntou Ryan 

— Eu tentei, mas o senhor estressadinho me interrompeu. - ele disse se referindo a mim. 

— É porque você fala demais e só fala idiotice, não dá pra levar a sério - eu disse indo até a garota para ver se ela ainda respirava 

— E aí Drew? - perguntou Ryan 

— Ela ta respirando, só ta machucada mesmo. Vamos levá-la. - eu disse pegando a garota no colo. 

— Tá louco?! - disse Ryan 

— O que?! Tá pensando em chamar ambulância? Até chegarem a garota morre de frio. Aliás, eu não quero polícia me interrogando não. Então vamos, lá em casa eu chamo o Dr. Phillip... - eu disse subindo o barranco. 

Olhei para a frente da minha ferrari e bufei, tudo amassado. Prejuízo em cima de prejuízo... Pelo menos consigo dirigir até a mansão. Abri a porta do passageiro e coloquei com cuidado a garota sentada. Tirei meu moletom e coloquei em cima dela, entrei no carro, liguei o aquecedor e segui até a mansão, e Ryan com o Chaz seguiram atrás.  

 

  [...] 

Saí do carro com a garota nos braços e entrei na mansão, ouvi o Ryan estacionando atrás. 

— Amélia! - gritei a cozinheira. 

— Boa noite senhor Bieber. O que deseja? - veio mélia correndo 

— Liga pro Dr. Phillip, diz para ele vir correndo pra cá. - eu disse e ela assentiu indo fazer o que eu mandei.

Subi as escadas, entrei no quarto de hóspedes e coloquei a garota na cama. Não pude deixar de reparar em como ela é parecida como uma boneca de porcelana. Branquinha, pequena, loira e com pequenas curvas. Ela vestia um moletom preto, calça jeans justa e nos pés havia um all star surrado vermelho. 

— Tão gostosinha, mas já me deu dor de cabeça... - eu disse tirando sua roupa e a deixando apenas de roupa íntima 

Coloquei sobre ela um cobertor quente, e peguei meu celular discando o número da Caitlin, que é a irmã do Christian. 

— Olha, seja lá o que for que o Christian fez eu não me importo, ok? - Caitlin disse atendendo fazendo voz de tédio. 

— Nem sei onde seu irmão tá, chatinha. Preciso de um favor seu... - eu disse e pude ouvir ela rir do outro lado da linha 

— Vai custar caro, você já viu o horário? - ela perguntou ironicamente 

— Caitlin, você acha que eu não sei que você acabou de trepar? - eu perguntei rindo e ouvi ela bufando do outro lado da linha 

— Você é um cretino mesmo! Fala logo o que você quer antes que eu desliga – ela disse tentando disfarçar 

— Quero que me traga algumas peças de roupas suas. - pedi 

— Eu sabia que dentro desse tigrão que você é existia uma felina – ela disse rindo 

— Vai logo Caitlin... - eu disse 

— Olha, eu não posso sair agora. Vou mandar o Brad levar uma mala de roupas. Depois eu quero saber o que você ta aprontando. - ela disse 

— Quem é Brad? - perguntei — Ok, depois eu te ligo para explicar.  

— É um otário aí. Preciso desligar, tchau cretino! - disse ela 

— Tchau cretina. - eu disse e desliguei o celular 

— Justin? - ouvi Chaz me chamar 

— Tô aqui no quarto de hóspedes - eu falei alto para que ele ouvisse 

Chaz entrou no quarto com uma grande mochila azul nas mãos. 

— O que isso? - perguntei.  

— Achamos no carro capotado enquanto você colocava ela no carro. Tem os documentos dela e do pai dela, tem documentação da casa deles, tem o diário dela e etc – ele disse 

— Coloca no escritório. Você e o Ryan pode vasculhar os papéis. O que vocês acharem de importante me falem. Sabe o nome da garota? - perguntei 

Megan Carter, e ela tem 17 anos. - Chaz disse e eu assenti. 

— Vamos descer e esperar o Dr. Chegar. - eu disse e descemos 

Depois de um tempo um tal de Brad trouxe a mala de roupas que eu havia pedido

— Amélia! - gritei. 

— Deseja algo, Senhor Bieber? - perguntou 

— Leva essa mala pro quarto de hóspedes, e coloca uma roupa confortável na garota que tá lá jogada – eu disse e ela assentiu levando a mala. 

 

   [...] 

— E então Dr., o que a Megan tem? - perguntei 

— Bom, ela está bem. Os batimentos cardíacos, pulsação e etc, ta tudo ok? Mas ela ta bem fraca. Pude perceber que ela não tem uma alimentação correta. Então, vou deixar uma receita de vitaminas que você pode comprar para a Megan, e eu vou colocar ela no soro para hidratá-la. - ele disse pegando o soro e a agulha e fazendo o que havia dito. 

Deixei o Ryan no comando de tudo sobre a garota, e fui para o escritório para pensar no meu plano para achar o traíra que fodeu com o meu carregamento. Mas a realidade é que eu só conseguia pensar na merda que vai dar quando a tal da Megan acordar. Imagina ela ao saber que o pai dela morreu... Onde será que está sua mãe? Será que tem mais alguém da família a procurando? Eu tô fodido da cabeça, e eu tô num ponto de estourar a cabeça de um. 

— JUSTIN???? - entrou o Chaz no escritório 

—  O que foi porra? Não sabe bater na porta? - resmunguei 

— A Megan acordou! - disse alegre e revirei os olhos. 

Saí do escritório e me segurei pra não dar um tiro na cabeça do Chaz que tava alegre por causa da tal Megan.  Entrei no quarto, e vi a Megan com o soro na veia e com a cara amassada de mau humorada. 

— Olha só quem acordou! A Cinderela. - eu disse ironicamente e a garota arregalou os olhos quando me viu. 

— Drew, deixa de ser burro! Não é a Cinderela, é a Bela Adormecida – Chaz disse revirando os olhos. 

— Ninguém te perguntou – eu disse revirando os olhos 

Quem é você? Onde eu tô? Quem sou eu? Porque eu não consigo me lembrar de nada? - ela disse com a voz baixa e em seguida caiu no choro. 

— O QUE?! - Eu e Ryan gritamos ao mesmo tempo. 


Notas Finais


Espero que tenham gostado. Deixem comentários, opiniões do que acharam, pode ser elogio, críticas, e etc. Pois não quero apenas números de visualizações, pois pra mim isso é o de menos, eu quero mesmo é leitores felizes pelo o que faço, pois eu estou fazendo o melhor para vocês! <3 AAAAAAAAAAHHHH, e prometo não abandonar essa fanfic como acabei fazendo com as outras! (ALIAS, TENHO JUSTIFICATIVAS POR TER ABANDONADO AS OUTRAS E ESSA SEMANA MESMO EU VOLTO A ESCREVER ELAS ÊEEEE)

Bom, quem quiser pode me adicionar ou me seguir no twitter: @weekndope. Beijos, se cuidem, e até o próximo capítulo! <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...