História Amnésia - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Alexy, Castiel, Lysandre, Personagens Originais, Rosalya
Tags Castiel, Lysandre
Visualizações 7
Palavras 1.537
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Espero que gostem ^^

Obs: estou escrevendo e postando pelo celular, estou sem computador, desculpe por qualquer coisa!

Capítulo 1 - Acidente


Fanfic / Fanfiction Amnésia - Capítulo 1 - Acidente

A cabeça latejava e um zumbido persistente gritava nos tímpanos. Levou a mão ate a cabeça, ainda de olhos fechados, massageou as têmporas. Suavemente os dedos deslizaram ate a testa, afastando alguns fios de cabelo. Percebeu que o lado esquerdo de sua cabeça haviam curativos.

Os dedos deslizaram para bochecha, onde haviam pequenos arranhões cobertos pela cicatrização natural. Os olhos passavam toneladas, a tentativa de abri-los lhe custava um esforço que não pensava ser possível por um mísero movimento.

Sabia que nesse momento fazia uma careta desagradável, conseguiu abrir um dos olhos enquanto esfregava o outro. Escuro, foi tudo que conseguiu observar pela luz azulada que rondava o cômodo, não reconhecia aquele lugar. Mesmo dolorida, virou a cabeça devagar para ambos os lados, primeiro para a esquerda, onde havia uma janela de vidro fechada enfeitada por uma cortina da mesma cor do quarto, branca. E logo em seguida, com muito custo, virou para a direita, onde havia um móvel sustentando um jarro de flores e caixas enfeitadas como presentes, pequenas maquinas que bipavam e uma porta. Fiapos de luz transbordavam para o interior do quarto escuro vindos daquela misteriosa área externa.

Vozes podiam ser ouvidas do outro lado. Tentava inutilmente se lembrar do que havia feito chegar ali, a cabeça latejava mais uma vez. Sentou-se com muita dificuldade na cama, sentia que todo o seu corpo tinha sido esmagado. O coração começava a pular com um leve desespero por não saber o que estava acontecendo, e o por que de estar tão dolorida.

Tentou sentar-se a beira da cama, mas a dor não permitiu. Afastou as cobertas que lhe cobriam a parte de baixo do corpo, revelando que vestia apenas uma camisa e short branco frouxos e largos, o short ia ate os joelhos, deixando a mostra diversos curativos que se estendiam ate os pés

Os dedos magrelos passeavam pela extensão de seu membro ferido causando um descornforto no peito e uma confusão mental. Um ruido mecânico a tirou de seus devaneios, fazendo com que sua atenção fosse direcionada para aquele ponto.

Lentamente, a porta ia se abrindo, dando passagem para a luz que incomodava sua retina, tampou parte da visão com a mão contraindo os olhos. Piscou algumas vezes ate perceber que alguém estava parado ali, a observando.

- Emma? – Um timbre familiar a chamava timidamente. – Você acortou! – Preocupado e surpreso. Ele ligou a luz do quarto, demorando alguns segundos para se acostumar com a iluminação. Então pôde reconhecer o ser que adentrava o comodo mas não fechava a porta atrás de si. Estava surpresa por aquele ser o primeiro rosto a encontrar naquela situação tão esquisita. – Como se sente? – Ele tentou forçar um sorriso enquanto se aproximava lentamente.

- Castiel? – Perguntou surpresa, mas o nervos não lhe permitiam esperar por qualquer resposta. – O que esta acontecendo? P-por que estou toda machucada? – disse em tom choroso, fazendo com o que o sorriso morresse e ele parasse no meio do trajeto a olhando confuso. Ela o encarava aguardando uma resposta plausivel.

- Bom, você se machucou no acidente e... – interrompeu.

- Acidente..? Que acidente? – Começou a lagrimar impaciente. Ele exitava em responde-la. – Por favor, diz alguma coisa. – pediu tentando se acalmar.

Ele nao respondeu. Nesse momento sua atenção foi direcionada a outra pessoa que entrava o local, um garoto com um porte similar ao do ruivo, ligeiramente mais alto, com cabelos brancos. Ele primeiro encarou Castiel para logo começar a fitar a menina. Ele sorriu terno e deixou o ar deixasse os pulmões, como um alívio.

- Você finalmente acordou. – Sorriu enquanto Castiel parecia ficar tenso e a garota confusa. Buscava na memoria, algo que pudesse revelar algo daquela pessoa de agora. – Os medicos dizem que você esta se recuperando rápido. – passou a mão nos cabelos. Ela encarou castiel e logo em seguida, aquela outra pessoa. Ela sorriu nervoso e começou a brincar com os dedos, as coisas começavam a fazer cada vez menos sentido. O outro garoto percebeu o clima estranho.

- Então. – Ela disse sorrindo. – Não vai me apresentar seu amigo? – o mais gentil que conseguiu. Os garotos se entre olharam assustados, enquanto o desconhecido parecia ainda mais nervoso do que o ruivo, a encarando assustado. – por favor, alguem pode me dizendo o que está acontecendo. – choramingou interrompendo silencio ensurdecedor que mantinham.

- Erh... Meu nome é Lysandre. – Ele disse nervoso. – N-nós estudamos juntos. – Ela tentava recordar do rosto dele, mas não conseguia. Ele respirou fundo evitando contato visual com ela.

- Não se lembra dele? – castiel questionou. Ela balançou a cabeça negativamente. – bom, você sofreu um acidente... foi... atropelada. – ele passou a mão nos cabelos vermelhos procurando a melhor forma de entrar naquele assunto, olhou-a apreensivo. – Qual a última coisa que lembra?

- Eu... – ela colocou as mãos na cabeça numa tentativa de forçar a memoria. – Eu conheci uma pessoa nova ontem – ela sorriu serena – uma garota de cabelo branco. – os dois se entre olharam novamente, ambos tensos e tentando o maximo não aparentar. – Eu a ajudei.. Não lembro - Cutucou a propria testa - O nome... era... Rosa, não, Rosalia, acho que esse é o nome dela.

- Não lembra do Alexy ou do Armin? – Lysandre questionou.

- Hãm.. não.

- Nathaniel, Kentin, Iris, Pryia...? – disse o ruivo.

- Kentin ? – surpresa. – ele esta aqui?!

- Castiel, precisamos avisar o medico. – disse baixinho, mas ela conseguiu ouvir. Ela se desesperou pela reação dos dois.

- Por favor, me digam o que está acontecendo! – implorou.

- Parece que você perdeu parte das memorias. – Castiel informou, enquanto Lysandre colocava a mao a frente dos labios e abaixava a cabeça, parecia não se sentir bem.

- como assim?

- Você e a Rosalia se tornaram amigas a meses. – ela se assustou.

- meses...? – susurrou.

- Lysandre, eu vou chamar o medico, não deixe-a sozinha. – ele confidenciou a ele enquanto saia do quarto. O garoto se aproximou lentamente da morena totalmente atordoada, se sentando em uma cadeira proxima a cama. Ele tentava se recompor.

- Por favor, fique calma. – tentou reconforta-la com um sorriso meigo. – Você levou uma pancada e tanto na cabeça. – ela retribuiu o sorriso pela forma engraçada com que ele havia dito. – mas tenho certeza que é passageiro.

- quando foi o acidente ?

- Ontem. – pausou. – viemos visita-la e sua mãe teve que sair, ela pediu que aguardássemos um pouco enquanto não voltava, não queria deixa-la sozinha. – ele sorriu novamente. – ficamos sabendo que você so deveria acordar no final da semana. Você é muito forte, Emma. – riu.

- Eu realmente sinto muito.- deu um sorriso tristonho. – Você parece uma pessoa bem legal, eu queria muito poder lembrar de você. – ela brincava com as dedos.

- Tudo bem, não se preocupe com isso. – ela sorriu para ele, encontrando seus olhos. Ela alargou o sorriso surpresa.

- seus olhos! – ele não entendia. – são como os meus... são lindos! – ela se apoiou na calma de uma maneira que chegasse mais perto dele. - Nunca tinha visto alguem que tambem fosse assim... - Lysandre não evitou fazer o mesmo, entregando-se a um sorriso terno. As bochechas do garoto tomaram um leve tom rubro enquanto Emma admirava sua heterocromia.

- os seus também são lindos. – se aproximou mais.

A porta fez um ruído que chamou a atenção de ambos. Castiel vinha logo atrás do medico que carregava um prontuário. Emma se afastou imediatamente, tentando disfarçar o rubor das bochechas pálidas ao perceber a pouca distancia que havia entre os dois. Lysandre mantinha a expressão tranquila, ate um tanto satisfeita, já o ruivo era o completo contrario, estava desconfiado, os olhos passeavam entre os dois.

- por favor, precisamos fazer alguns exames. Vocês podem ficar na sala de espera. – o senhor com cabelos que variavam entre loiro e grisalho, vestido com um jaleco branco, pediu.

Nada responderam, apenas acataram o pedido e seguiram para a sala. No andar de baixo.

Os dois seguiram pelo corredor ate chegar próximo ao elevador. O ruivo observava atento o a feição do amigo de longa data. Ele estava bem diferente de minutos atrás, se transformado de um semblante magoado á um sorriso banhado em felicidade. Curioso, não se conteve.

- Conversou com ela? – apertou o botão para chamar o elevador, e peça mecânica brilhou em tom azulado. Tentou parecer o mais despreocupado possivel.

- Sim. – ele soltou ar que guardava os pulmões, eles não se encaravam. Mas castiel fitava-o pelo canto dos olhos. – Acho que ela vai ficar bem.

- Ela se lembrou de você? – O sorriso tranquilo deu lugar a um outro que carregava certa magoa e esperança.

- Não.

- Não foi o que pareceu. – o ruivo riu debochado.

- Ela... – exitou - Acho que a deixei confortavel.

- Ela vai ficar bem, Lysandre. – ele sorriu. O silencio custou alguns segundos vagarosos ate que o elevador se abrisse. A viagem foi rapida, logo estavam no andar de baixo. Sairam e nao tardou ate que ambos começassem a andar novamente, lado a lado.

- Naquele momento... – Disse em tom baixo. Ambos pararam no corredor deserto e se entre olharam. – Pensei que talvez, se ela nunca lembrasse o que aconteceu antes, talvez, só talvez, pudéssemos voltar a ser amigos exatamente da mesma forma que éramos antes. – sorriu com lagrimas nos olhos deixando o outro surpreso.

- Lysandre...


Notas Finais


Eai docinhos, gostaram? Logo logo tem mais!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...