História Amo Te Odiar - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Durarara!!
Tags Drama, Durarara, Namie X Izaya, Romance
Exibições 46
Palavras 4.364
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Escolar, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Olá pessoinhas do meu kokoro! Aqui está mais um cap!!!
Sim eu sei que demorei bastante para postar esse cap, é que eu realmente estava ocupada com a minha fanfic, "A escola dos mortos-vivos"! é só isso bjsss! e..
BOA LEITURA!

Capítulo 8 - Quarto novo.


Fanfic / Fanfiction Amo Te Odiar - Capítulo 8 - Quarto novo.

      

 

                       Namie/ On

 

Eu estava chorando fazia horas, e o pior, é que ainda estava de noite. Por que aquele pesadelo? Não entendo! Por quê? Levantei-me do chão, com as costas doloridas, pois a porta era dura, e o chão a mesma coisa só que frio.

Eu não queria sair do banheiro, eu estou com medo dele? Não! Eu não posso ter medo dele, até por que se eu mostrar a minha fraqueza ele vai sentir pena de mim, e até fazer as suas piadinhas. Não quero que ele pense que sou uma fraca incompetente. Suspirei fundo e fui até a pia, levai a minha cara tentando tirar o gosto das minhas lágrimas que secaram no meu rosto. Depois enxuguei o meu rosto com a toalha, e me virei para a porta. Abri-a bem devagar, olhei em volta no quarto e não tinha ninguém, lá. Fiquei aliviada, só que a porta foi aberta, me assustando, revelando um Izaya, com um olhar um pouco preocupado?

Izaya: Está bem? – Perguntou quebrando silêncio.

Ignorei-o e me deitei na minha cama, me cobri com o cobertor e me encolhi. Fechei os meus olhos, e logo percebi que eu estava nervosa, com muito medo, eu realmente fiquei com muita raiva desses sentimentos. “Só por causa daquele pesadelo?!” Pensei, com vontade de socar a minha própria cara.

Senti a cama atrás de mim afundar, abri os meus olhos na hora com muito medo estampado em meu rosto. Apertei com força o cobertor em minhas mãos, quando senti a mão quente do moreno alisando o meu rosto, logo depois pegando uma mecha do meu cabelo e alisando.

Izaya: O que aconteceu, Namie-Chan? – Perguntou com um tom preocupante em sua voz. Empurrei a sua mão para longe de mim, e eu disse de costas para ele deitada.

Namie: Falei para não me toca! – Eu disse com muita raiva dele, só que com muito medo bem no fundo do meu coração.

Eu senti ele se deitando do meu lado e me abraçando, fiquei alguns segundos paralisada sem fazer nada, até que a consciência veio.

Namie: Me solta agora! – Eu disse pronta para dar um chute nele.

Só que ele colocou uma das sua mãos encima dos meus olhos, não sei como ele faz aquilo, é como se ele tivesse magia nas mãos, pois meu corpo estava tão pesado, eu estava tão cansada.

Izaya: Shhh. Eu sei que você está assustada, não vou lhe fazer nenhum mal. – Sussurrou em minha orelha, logo depois a beijando.

Na hora senti meu coração doer, meus olhos se enchendo de lágrimas. Suspirei bem fundo, e deixei as lágrimas escorrerem livremente pelo meu rosto, eu já estava cansada disso, pouco me importava pelo que ele pensa, se sou fraca ou não. Senti a respiração dele se aproximar na minha nuca, logo depois ele começou a espalhar beijos quentes no meu pescoço, me causando arrepios. Não demorou muito até eu cair no sono.

 

E... Por algum motivo... Sinto-me um pouco segura...

 

     ~ Quebra de tempo ~

De manhã...

 

Abri os meus olhos lentamente, a luz do quarto estava me incomodando, então esfreguei os meus olhos tentando acostumar com a claridade. Vir-me-ei para outro lado da cama fechando os meus olhos. Eu estava com sono e com preguiça de acordar, me acomodei muito bem,e senti algo bem confortável e estranho do meu lado que estava me abraçando. Eu fiquei bem feliz, mas ao mesmo tempo achando bizarro. Estiquei o braço para frente tentando identificar melhor aquela “coisa”. E então percebi que era algo quente e macio...

Abri os meus olhos e percebi que eu estava deitada no peito de uma pessoa, e logo as lembranças vieram daquela noite. Sentei-me na cama rapidamente com os olhos arregalados e olhei para a pessoa que estava do meu lado, era ele. Logo ele se esticou os braços na minha cama e abraçou a minha cintura.

Namie: Sai de cima da minha cama! – Gritei tentando empurrar ele no chão.  Só que ele era bem mais forte do que eu e segurou a minha cintura mais firme.

Izaya: Hum... Namie-Chan... – Resmungou respirando perto da minha cintura. Fiquei um pouco arrepiada.

Olhei para o relógio e eu quase estava atrasada, logo o meu celular começou a tocar, eu atendi era a Mika.

Mika: Namie-Chan! A onde você está?! – Perguntou brava, e parecia impaciente. Engoli em seco.

Namie: Eu acho que dormi de mais. – Eu disse com medo de que ela suspeitasse de algo, e falasse para o meu irmão.

Mika: Namie-Chan, você está mentindo! – Disse. Congelei na hora. – Você e o Izaya não chegaram! E o pior, o seu irmão está muito preocupado! – Disse com a voz um pouco triste e preocupada. – Ele quer falar com você... – Disse. E logo depois ouvi a voz do meu irmão.

Seiji: A onde você está Namie?! – Perguntou bravo, e muito preocupado, ele parecia muito desesperado.

Namie: Eu estou no hotel por quê? – Perguntei. Ouvi-o ele suspirando, parecia aliviado.

Seiji: Ahh, ainda bem... Se arrume e venha para 9° andar, estamos esperando você para tomar café da manhã. – Informou. Eu suspirei logo depois tirando a franja do meu olho.

Namie: Ok, até.  - Eu disse já desligando. Olhou para o lado e o moreno ainda estava abraçando a minha cintura.

Ele abriu os seus olhos, e logo depois os nossos olhares se encontraram. Meu coração começou a bater mais rápido, e começou á doer, eu estava com medo? Não pode ser! Do Izaya?! Só por causa DAQUELE pesadelo?! Fala sério!

Izaya: Você está melhor? – Perguntou se sentando do meu lado. Virei a cara para ele, e o ignorei.

Levantei-me da cama e fui para o banheiro, peguei a toalha e escolhi uma roupa para eu vestir. Não demorou muito para que eu já estivesse pronta, quando sai do banheiro o Izaya me abordo.

Namie: Sai da minha frente! – Eu disse com um olhar raivoso direcionado para ele. O moreno estava sério, e não era de brincadeira, eu nunca vi essa expressão no rosto dele.

Izaya: Você ainda não me respondeu. – Disse colocando uma das suas mãos na porta que eu fechei atrás de mim, se apoiando.

Namie: Não é dá sua conta! – Eu disse já brava com ele. Ele se aproximou mais de mim, com aquela expressão séria, que me causou calafrios.

Izaya: Você ainda não me respondeu. – Disse com a voz bem calma se aproximando mais ainda. Fiquei paralisada, as minhas pernas bambas não estavam ajudando muito.

Namie: Izaya eu não tenho tempo agora, tenho que ir. – Eu disse mudando de assunto, mas era verdade eu estava muito encrencada!

Ele me encarou por alguns segundos e saiu da minha frente, me deixando passar. Não agradeci e nem nada do tipo, pois eu estava mesmo com muita raiva dele.

Entrei no elevador correndo e por sorte não tinha ninguém. Depois de alguns minutos a porta do elevador abre, e então olhei em volta e todos estavam lá, o bom, era que ainda estavam comendo. Suspirei aliviada, e caminhei até a mesa onde estava o meu irmão e a Mika, que não me viram ainda.  Sentei do lado da Mika, e ela me olhou na hora surpresa e depois me abraçou.

Mika: Namie-Chan! Você nos deixou preocupados! – Gritou brava comigo com os olhos marejados. Suspirei com uma gota na cabeça. Olhei para o Seiji e ele parecia bem irritado.

Seiji: Namie, eu não agüento mais, te ver com aquele idiota, temos que trocar de quarto, eu fico com o Izaya e você com o Shizuo, ele tem mais juízo que o Izaya. - Disse Fiquei paralisada na hora, fiquei igual uma rocha.

Namie: O-o que? Pode repetir? – Falei tentando entender mais o que eu ouvi, para ter certeza de que era verdade o que eu ouvi, e se eu não estava alucinando.

Seiji: Eu quero ficar no quarto junto com o Izaya, e você fica com o Shizuo, já que eu confio nele, por ele ter juízo. – Disse mais uma vez, como se aquilo fosse óbvio.

Fiquei feliz, mas um pouco triste, tentei ignorar os sentimentos de tristeza, e eu disse sem nenhuma expressão no rosto.

Namie: Tudo bem, eu já não estava agüentando ficar no mesmo teto que o Izaya. – Eu disse tentando expressar a minha felicidade, só que quando eu sorri, deixou o meu irmão e a Mika assustados.

Seiji : O-Ok, não precisa mais sorrir... – Disse um pouco roxo. Suspirei fundo, e voltei ao normal, com a minha expressão de sempre.

Peguei um prato e coloquei pão com manteiga, e peguei um copo de leite. Comecei a comer, admito que a comida desse lugar é  muito boa.  Como eu estava com fome eu comi pra caramba, então eu terminei rápido de comer. Então eu escutei o inspetor.

???: Pessoal nós vamos agora ir para o Zoológico! – Disse, e todos ficaram animados. Eu realmente odeio o Zoológico, principalmente por que os mosquitos amam chupar o meu sangue.

Confesso que fiquei com uma leve vontade de espancar o inspetor, antes era a praia e agora um zoológico? Sério?! Só falta levar nós na floresta para acampar!

???: Peço para que vocês se arrumem para ir, não se esqueçam de levar as suas coisas! – Disse. E então começou a animação de todos, eu entrei no elevador o mai rápido possível, e cliquei umas 100 vezes no botão do terceiro andar.

E por fim, eu consegui chegar ao meu quarto... Abri bem devagar a porta e olhei ao redor da casa, e eu consegui esbarrar em uma pessoa. E como eu sei que naquele quarto só ficava eu e o Izaya então eu já tive uma idéia de que eu esbarrei nele. Olhei para cima para identificar a pessoa que eu esbarrei sem querer, e bom, era ele mesmo.

Ele olhou para mim com os olhos arregalados, e eu também. Só que depois eu voltei ao normal fiquei séria, eu não queria conversar com ele. Então eu me desviei dele e entrei no quarto totalmente. Antes que eu pudesse pegar as minhas coisas na mala, ele puxou a minha mão, me fazendo ir para trás e bater a minha cabeça no peito dele. Antes que eu pudesse sair daquela situação, ele me abraçou bem forte, eu quase não estava conseguindo respirar.

Namie: I-Izaya me solta! – Eu disse me sufocando. Ele soltou um pouco, mais ainda estava me abraçando. Ficamos ali alguns segundos.

Izaya: Diga-me, o que você sonhou? – Perguntou com uma voz bem séria, que me fez ficar um pouco assustada.

Namie: Não é da sua conta! – Eu disse tentando me soltar daquele abraço, só que ele me jogou na cama, prendeu as minhas duas mãos, e colocou as suas duas pernas no meio das minhas, igual da outra vez, só que agora ele não estava brincando.

Fiquei com os olhos arregalados, eu estava com medo, muito assustada. Fiquei me debatendo ali tentando me soltar, só que não adiantava. Meu coração que parecia que ia explodir, eu estava me segurando para não chorar na frente dele de novo.

Namie: Me solta! Me solta! ME SOLTA! – Eu disse começando a ficar alterada.

Ele não estava olhando para mim, o seu cabelo estava tampando os seus olhos, me impossibilitando de ver a sua expressão. Ele se aproximou mais ainda, e me surpreendeu com um beijo, que por algum motivo me fez ficar mais calma. Ele soltou as minhas duas mãos, e então eu apertei a camiseta que ele estava usando. Fechei os meus olhos, bem forte e deixei as lágrimas escorrerem. Comecei a soluçar no meio do beijo, eu estava com muito medo dele. Tentei ser forte, só que eu realmente não consigo tudo que eu fiz era ser uma idiota. Ele se separou de mim parando o beijo.     

Izaya: Pode me falar agora? – Disse depois de alguns segundos me encarando.

Fiquei quieta, eu não quero contar para ele, virei a minha cara para o outro lado, não olhando para ele.

Namie: Eu... Não quero contar... – Eu disse séria. Ele colocou puxou o meu queixo me fazendo olhar em seus olhos.

Izaya: Então, você me odeia? – Perguntou com os seus olhos penetrantes, que estavam vermelhos.

Namie: Odeio tanto, que se eu pudesse já teria te matado. – Eu disse com um olhar mortal direcionado á ele.

Ele sorriu para mim e riu bem baixinho, e então saiu de cima de mim, e me deixou ir. Suspirei fundo e fui ao banheiro fazer as minhas higienes, logo depois abri a minha mala, e peguei uma bolsa média colocando coisas apropriadas que eu vou precisar. Peguei um boné e comecei a encará-lo, e então decidi colocá-lo dentro da bolsa, pois se tiver muito sol, eu coloco.

E então sai do quarto com o Izaya atrás de mim, e entramos no elevador com muitas pessoas dentro dele, e bom, eu fiquei meio que apertada lá dentro. O piro era que quem estava do meu lado era Izaya, ou seja, nós dois estávamos nos apertando. Depois de alguns minutos o elevador então para no 1° andar, e finalmente aquele sufoco já se foi.  Corri até a Mika e o Seiji, a Mika estava usando um short rosa, um tênis vermelho e uma blusa regata branca. Eu estava vestindo um short jeans preto, com um all star vermelho e uma blusa regata azul escuro. Meu irmão estava usando uma bermuda marrom, e uma blusa branca.

Mika: Você está linda Namie-Chan! – Disse pegando as minhas duas mãos. Olhei para mim mesma, e percebi que a minha blusa regata tinha um decote, não era tão grande, mas dava pra ver, fiquei roxa na hora.

????: Vamos pessoal, já está na hora! Peço para que me acompanhem atrás de mim! – Avisou e todos assentiram animados, principalmente a Mika, que era a pessoa que estava mais animada, do que todos juntos.

Mika: YEEEYY! Namie-Chan! Você não está animada, para ver os animais? – Disse toda animada.

Namie: Claro, para ver os animais te atacarem. – Eu disse com uma áurea maligna em volta de mim.

Mika: Q-Que maldade! – Disse com os olhos marejados.

Seiji: Fique tranquila, ela só está brincando com você. – Disse passando a mão na cabeça dela.

Ficamos alguns segundos sem falar nada apenas andando. Até eu perguntar para  Seiji.

Namie: Seiji, quando vamos mudar de quarto? – Perguntei um pouco curiosa. Ele olhou para mim e colocou as suas duas mãos no bolso da sua bermuda.

Seiji: Eu não sei, ainda estou convencendo uma secretária. Ela disse que vai ver. – Disse olhando para mim sério.

Namie: Hum, entendi... – Eu disse logo depois suspirando.

Não demorou muito para chegarmos no Zoológico, que era muito grande. E tinha muitas chances de eu me perder nele.

???: Pessoal! Nós vamos dividir em grupos, e cada grupo vai fazer uma trilha diferente. – Informou.

Já agarrei no braço da Mika, com medo de ficar no mesmo grupo com o Izaya e seus amigos, que parecem mais marginais. Uma mulher que era ajudante do Inspetor cochichou algo no ouvido dele, e entregou um papel para o mesmo, que leu.

????: Nós já temos os grupos escritos aqui, e os grupos vão ter umas 10 pessoas no máximo. – Avisou, já citando os grupos e as pessoas neles.

E já percebi que não ia dar certo. Mika e Seiji estavam em outro grupo, e eu no pior grupo possível existente em todos os séculos possíveis. Foi no grupo com algumas garotas metidas, o Izaya e os amigos dele... Olhei para o Seiji e para a Mika com uma cara de, “SOCORRO ME TIRA DA QUI!”. Seiji me olhou com uma cara que falava “Me desculpa não posso fazer nada”, e a Mika “Sinto muito!”

???: Ah! Olha Izaya! A Namie está no nosso grupo! – Disse um garoto loiro com olhos castanhos claros.

“Cala essa boca! Para de piorar a situação!” Pensei com vontade de bater nele. E logo as garotas que são as “fãs” do Izaya me encaram com um olhar mortal e desprezo. “Droga Izaya! Olha a onde você me meteu!” Pensei nervosa com gotas na cabeça.

Namie: (Suspiro) Ahh. – Suspirei e olhei para o chão.

Começou a caminhar e vimos muitos animais, ursos, pandas, pingüins, leão. E depois de tanto caminhar eu já estava ficando cansada e com sede. E logo percebi que eu tinha esquecido a minha garrafa de água encima da minha cama. Olhei para frente e vi o Izaya na minha frente, ele virou a sua cabeça para trás e piscou para mim. E percebi que ele estava bebendo água... COM A MINHA GARRAFA?! Mandei um olhar mortal para ele. Antes que eu falasse as garotas já o rodearam.

Namie: Seu desgraçado. – Sussurrei para mim mesma, com o punho em chamas.

Izaya: Ué? Namie-Chan, você não trouxe uma garrafa de água? – Pergunto indo do meu lado.

Namie: Claro que eu trouxe, mas está na sua mão! – Eu disse com uma veia saltando na minha testa. Ele me olhou com um sorrisinho sínico nos lábios.

Izaya: Achado não é roubado! – Disse sorrindo. Antes que eu descesse um tapa nele. Shizuo apareceu.

Shizuo: Pode ficar com a minha, não se preocupe está gelada, e eu nem abri. – Disse me dando a sua garrafa.

Namie: Ahh, não precisava! – Eu disse meio sem graça. Mas para não ser chata eu aceitei.

Abri a garrafa de água, e depois despejei água na minha boca, lógico que eu não coloquei a boca nela, e apenas despejei bem longe, pois eu não queria ser egoísta, alias a garrafa era dele.

Namie: Obrigada. – Eu disse olhando para o chão, com vergonha e com um pouco de medo de olhar para ele.

Seiji: Não foi nada. – Disse coçando a sua nuca, e logo depois pegando a garrafa.

Caminhamos um pouco mais, posso dizer que é MUITO CHATO O ZOOLÓGICO! Realmente eu estava quase gritando de tédio. E ficou pior ainda quando uma das garotas psicopatas pelo Izaya veio conversar comigo.

???: Namie, você realmente odeia o Izaya? – Perguntou. Não demorou muito para todos me encararem, principalmente aquela criatura.

Namie: Preciso responder? – Perguntei sem paciência, com o saco cheio.

???: Claro que sim! Você está dormindo no mesmo quarto que ele! – Disse brava. Eu pude ver que ela queria me matar. Fiquei com gotas na cabeça.

Namie: E isso é da sua conta? – Perguntei deixando ela com cara de taxo para trás.

Logo eu escutei um dos garotos falarem “Turn Down for What!” Eu não sei se ria daquela situação ou ficava irritada. Percebi que o sol estava muito forte, e então eu peguei a minha bolsa que estava nas minhas gostas, ainda andando, eu peguei o boné dentro dela, e a fechei, logo depois colocando o boné na minha cabeça.

Namie: (Suspiro) ahh, melhoro. – Eu disse para mim mesma, logo depois limpando uma gota de suor que estava escorrendo na minha testa.

“Droga! Eu deveria ter pedido para a Mika amarrar meu cabelo, está muito quente!” Pensei me abanando. Peguei a minha bolsa de novo e comecei a mexer nela, tentando achar alguma coisa útil para prender o meu cabelo. Achei uma carta abri ela e li.

“Eu sei que você deve estar com muito calor, então fica com esse presentinho!”

“PS: Mika.”

Na carta estava grudado um frufru preto. Um sorriso gigante se formou nos meus lábios, peguei o frufru, fechei a minha bolsa e coloquei nas minhas costas. Então eu amarrei o meu cabelo. Não sei por que, mas todos estavam olhando para mim, menos Shizuo que estava mais olhando para frente. Olhei para mim mesma e eu percebi o porquê daqueles olhares, principalmente maliciosos. Minha blusa estava descendo na frente, deixando o decote maior ainda! Fiquei tão envergonhada que meu rosto começou a arder e ficar vermelho. Subi a minha blusa tampando mais os meus seios, tentando melhorar a situação de constrangimento minha.

Acabou os olhares de cima de mim, mas começou os cochichos sobre mim. “Droga Namie! Quando você vai parar de ser idiota?!” Pensei olhando para frente, não olhando para ninguém. Caminhamos mais ainda, eu já estava ficando exausta de tanto andar para ver animais, pois nós estávamos andando á horas!

???: Parece que só falta á gente ver os crocodilos. – Disse um dos garotos, me deixando mais aliviada.

???: ahh, até que em fim! Izaya-Kun você vai fazer o que, quando for para o hotel? – Perguntou uma das fãs que tinha uma voz muito irritante que dá dor de cabeça em qualquer um.

Izaya: He? Hum, acho que vou ficar no quarto, com a Namie-Chan! – Disse.

“Desgraçado! Você quer piorar a minha situação?!” Pensei com uma áurea maligna em volta de mim. O meu celular derrepente começou á tocar, peguei a minha bolsa e tirei o meu celular, logo depois vi que era o Seiji, atendi.

Namie: Alô? – Perguntei.

Seiji: Namie! Você está bem? – Perguntou, ele parecia muito preocupado.

Namie: Sim. – Eu disse sem saber o que falar.

Seiji: Boas notícias, parece que eu consegui falar com a secretária, e ela disse que pode mudar você de quarto comigo. – Disse finalmente. Um sorriso enorme ficou nos meus olhos.

Namie: S-Sério? Posso me mudar hoje? – Perguntei animada.

Seiji: Sim, é só você arrumar as suas coisas. É o 2° andar quarto 15. – Disse. Quase gritei de alegria, mas tentei não demonstrar se não eu iria assustar as pessoas lá.

Namie: Muito obrigada, beijos tchau! – Eu disse logo depois desligando não deixando o meu irmão falar nada.

Coloquei o meu celular na minha bolsa com um sorriso estampado no rosto. Mas depois o meu sorriso se desfez, quando na minha cabeça veio, eu e o Shizuo morando no mesmo teto, no mesmo quarto. Comecei a ficar vermelha de vergonha. Olhei para ele sem o mesmo perceber, “Ele parece tão assustador” Pensei, parando de olhar para ele, e olhando para frente. Não demorou muito para chegarmos até onde os crocodilos estão. Realmente aqueles bichos me dão medo, não só por causa da aparência deles, mas também por eles serem perigosos. Então eu fiquei bem longe deles, enquanto os outros se aproximaram para ver aqueles animais.

Izaya: Namie-Chan, você não quer ver os crocodilos? Olha como eles são fofos! – Disse. Fiquei roxa na hora.

Namie: Cala a boca. – Eu disse olhando para o lado, tentando ignorar ele.

Só que não deu muito certo. O moreno se aproximou de mim pegou a minha mão, e me puxou para perto dos crocodilos. Meu corpo começou a tremer e as minhas mãos a suarem.

Namie: Izaya me solta! – Eu disse com raiva nos olhos.

Izaya: Por quê? Não me diga que tem medo dessas criaturas! – Disse sinicamente para mim.

???: Esse ela tiver? Qual é o problema? – Perguntou uma voz atrás de mim.

Vir-me para ver quem era o dono da voz... “SEIJI! Eu te amo!” Pensei quando vi Seiji, com uma expressão muito séria olhando para o Izaya. Soltei a minha mão do Izaya e corri do lado do meu irmão, que pegou a minha mão, me deixando mais aliviada, pois eu pensei que o Izaya iria me jogar naquele recinto cheio de crocodilos!

Izaya: Nada, por quê? Eu só estava brincando, e eu queria saber se ela tinha ou não. – Disse com um olhar desafiador para o Seiji.

Seiji: E por que você quer saber? – Perguntou deixando todos sem palavras, principalmente o Izaya. – Não tem problema, hoje Namie não vai mais dormir no mesmo teto que você. – Disse deixando Izaya com os olhos arregalados. – Eu que vou dormir no mesmo teto que você. – Disse finalizando tudo, e me tirando daquele lugar.

Ele me levou até onde todos estavam indo, pois a gente já tinha visto todos os animais que estavam naquele zoológico.

???: Pessoal, já que nós terminos de ver os animais, vamos agora para o hotel, para deixar vocês descansarem um pouco, e se quiserem pode ir para a praia se refrescarem um pouco. E só mais uma coisa, á noite vai ter uma balada no 10° andar, com bebida, DJ e comida, se quiserem ir lá está liberado! – Avisou. E não preciso dizer que todos ficaram animados não é?

Suspirei bem fundo, e andamos até o hotel. Mika tagarelava do quanto foi emocionante e divertido de ver os animais daquele zoológico.

Namie: Seiji, eu só vou terminar de tomar banho, e vou arrumar as minhas coisas para mudar de quarto, e te aviso quando eu terminar. – Avisei. Seiji assentiu e disse.

Seiji: A Mika vai junto com você, para te ajudar arrumar as suas coisas. – Disse. E Mika assentiu fazendo um joinha para mim, com estrelinhas nos olhos.

Namie: Ok, vamos. – Eu disse para Mika, que me seguiu até o elevador.

Entramos no elevador e esperamos parar no 3° andar, e não demorou muito. Fomos até o meu quarto e não tinha ninguém, peguei uma roupa para eu usar, uma toalha e entrei no banheiro. Tomei um banho, um pouco demorado, pois eu estava lavando o meu cabelo também.

Depois de alguns minutos Mika estava me ajudando a secar o meu cabelo, com o secador que ela trouxe, quando eu estava tomando banho. E quando ela terminou, a mesma me ajudou a arrumar a minha mala colocando as minhas coisas. Logo depois liguei para o Seiji, avisando que nós já tínhamos terminado de arrumar as minhas coisas na mala. Não demorou muito para que ele parecesse na frente da porta do quarto batendo. Ele entrou.

Seiji: Já trouxe as minhas malas, e o Shizuo não está no quarto, mas eu já avisei á ele, ele disse que não se importava. – Informou. Assenti em reposta.

Mika: S-Seiji  você acha melhor deixar ela c-com o Sh-Shizuo? – Perguntou com uma expressão assustada.

Seiji: Eu já falei que ele não é tão assustador assim, e ele não vai fazer nada de mal com a Namie. – Disse colocando as suas coisas no lugar.

Namie: Bom, eu já vou indo, tchau. – Eu disse já abrindo a porta do quarto quase indo embora.

Mika: Namie-Chan, eu te ligo depois! – Disse acenando para mim como um tchau.

Namie: ah, Seiji toma. – Eu disse jogando a chave do quarto para ele. Ele pegou e jogou a chave do quarto dele para mim.

Caminhei até o elevador e apertei no 2° andar. Esperei alguns minutos, e sai do elevador. Andei até o quarto 15. Olhei para ele e suspirei bem fundo.

   “Olá quarto novo!”

 

Continuara   

      


Notas Finais


Até o próximo cap!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...