História Amor à distância - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Hora de Aventura
Personagens Cake, Finn, Fionna, Jake, Marceline, Marshall Lee, Princesa Jujuba, Principe Chiclete, Príncipe de Fogo, Rainha Gelada
Tags Gumball, Gumlee, Marsh And Bubba, Marshall, Prince Gumball
Exibições 42
Palavras 1.541
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Adultério, Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Heeeey! 😀
Essas aulas não acabam nunca, gente? 💔

Enfim, mais um capítulo. 🎉🎉
Boa leitura! 😘

Capítulo 9 - O verdadeiro Flame.


Fanfic / Fanfiction Amor à distância - Capítulo 9 - O verdadeiro Flame.

Saí em disparada atrás do meu notebook. Sentei na cama, o liguei e entrei no Skype. Rapidamente aceitando a chamada de Cris.

Apareceu uma cena um tanto estranha em minha tela. Havia um rapaz ruivo de costas agarrando uma moça loira.

Não entendi muito bem o que era aquilo.

-"Cris...?" - esperei uma explicação.

-"Ô casal, dá um alô aqui?" - escutei a voz de um homem.

-"Bubba, esse que está falando é o Micael, um amigo meu." - Cris explicou a voz desconhecida.

-"Amor, aquele cara está gravando?" - a loira disse se separando do ruivo e olhando para a câmera. 

Eu reconheci o seu rosto, mas não lembrava de onde.

-"Ô PALHAÇO, VOCÊ ESTÁ GRAVANDO A GENTE?" - o ruivo virou para a câmera.

-"Tô, e aproveita pra mandar um beijo pro seu namorado antes que eu encerre essa transmissão ao vivo." - Micael gargalhava.

Pude ouvir um som de soco e a transmissão foi encerrada.

Sim, o ruivo era Flame. O meu Flame. O meu ex namorado.

-"Bubba? Ainda está aí? Acho que Flame socou o Mika." - Cris explicava a transmissão encerrada de Micael.

-"Sim, percebi. Obrigado pelo aviso, mano. Preciso descansar." - disse monótono.

-"Está bem. Qualquer coisa eu estou aqui. Se quiser que eu dê um jeito em Flame é só..." - eu o interrompi.

-"Não precisa, Cris. Obrigado, de verdade." - essas foram minhas últimas palavras antes de desligar o notebook.

Deitei na cama olhando para o teto.

Ainda estava sem acreditar no que acabara de acontecer. Flame havia me traído? Era isso? Depois de quase 3 anos de namoro era isso que eu merecia ver? 

Não sabia ao certo o que estava sentindo. Aquela não era a primeira vez, eu tinha certeza disso. Todas aquelas pistas na escola... Será que era a vida já me preparando para o pior? Senti ânsia de vômito ao lembrar o beijo que havia dado em Flame hoje cedo.

Aquilo não iria ficar assim. De jeito algum. Eu iria tirar essa história a limpo. E seria agora.

Meu celular vibrou. Olhei o visor. Era Flame me ligando. Deixei tocar até cair na caixa postal.

Levantei, me arrumei como nunca antes. Estava me sentindo realmente bonito, não para jogar na cara de Flame. Mas para mostrar a mim mesmo que eu podia ser melhor ainda do que eu já sou. E que eu poderia passar por cima da qualquer situação ruim. Por mais difícil que seja. Estava me sentindo confiante e determinado. Aquilo era ótimo.

- Pai, poderia rastrear o celular de Flame? - fui até o seu quarto, ele estava deitado assistindo à uma reprise de jogo. Sentou rapidamente ao me ver e assobiou sorrindo.

- Uaau! Aonde esse príncipe irresistível está indo? 

- Ver Flame. 

- Ele não te disse o local? Por que quer que eu o rastreie? - ele me olhou curioso.

- Flame me traiu. - minha voz deu uma pequena vacilada.

- O QUÊ? EU VOU POCAR A CARA DESSE VAGABUNDO! - meu pai se levantou nervoso e trocou suas roupas rapidamente.

- Apenas me leve até ele. Deixa que eu resolva o que eu comecei. 

- Não foi você quem o traiu, Gumball! - ele continuava com um tom alterado.

- Mais foi eu quem o aceitei como namorado.

Ele se aproximou de mim e colocou as duas mãos em meu rosto.

- Bubba, eu não criei filho para ser humilhado, traído e rejeitado não. Se esse moleque acha que pode destruir o coração do meu filho e escapar feliz, ele está muito, mais muito enganado. Eu vou dizer uma coisa a você, eu NUNCA mais o quero perto de você, nem ligando para você e muito menos conversando com você. E se ele encostar um dedo em você, Gumball, eu juro que vou fazer a vida dele virar um inferno! 

Após escutar essas palavras meus olhos ficaram marejados. Esse era realmente o fim de meu relacionamento com Flame. Ah, se meu pai soubesse que essa não era a primeira vez...

            ~~~~~~~~~~~~~

Flame estava em uma casa a qual eu não tinha o conhecimento do proprietário.

Desci do carro e fui até sua porta. Meu pai havia ficado no carro por insistência minha.

Toquei a campainha e a porta logo foi aberta por Flame. Ele me olhou um tanto impressionado. Eu estava usando uma blusa manga longa verde escuro com um cachecol xadrez cinza com preto por cima da blusa; uma calça preta bem apertada; um tênis vans verde escuro; um óculos sem grau, com armação preta; e meus cabelos num estilo "bagunçado/arrumado". Meu perfume exalava.

- Bubba, pf, eu posso expli... - o interrompi.

- Gumball.

- O quê? 

- Para você é Gumball. - ele suspirou.

- Está bem, Gumball. Eu posso explicar. Aquilo foi tudo um mal entendido. Eu não queria fazer aquilo, eu... - o interrompi novamente.

- Quem é ela? - fui direto e seco.

- Fionna. Uma garçonete de um bar. 

- Ah... Sim, Fionna. Me lembro dela. E também me lembro que...  - fingi estar pensativo com o meu dedo indicador no queixo -  Ela era do Canadá. Que estranho, não? Devo estar confundindo... - minha voz era puro cinismo.

- Não, não está. É ela mesmo. Bubba... Gumball, me desculpe. Por favor!? 

- 60 dias. 

- 60 dias? 

- 60 dias foram necessários para você me trair. 

- Gumball, íamos quase todos os dias àquele bar! 

- Essa é a sua desculpa para me trair em apenas 2 meses? 

- Olha, eu não sei o que dizer. Não consigo mais inventar qualquer coisa para você. Eu realmente te traí, simplesmente aconteceu. Me desculpa. - ele se aproximou de mim, eu andei para trás - Gumball, ninguém consegue ser melhor que você. Jamais encontrarei alguém melhor que você. Estamos juntos a 3 anos. Não quero terminar essa linda história assim. Por favor, me dê mais uma chance? Só mais uma? - ele dizia quase implorando.

Eu sorri ironicamente. Não conseguia entender como uma pessoa pode ser tão cara de pau a esse ponto. 

- Eu juro que jamais te entenderei, Flame... Chance? É isso que você quer? A única chance que eu vou te dar é a de sair correndo agora da minha frente. - eu ergui um punho fechado em direção ao seu rosto. Ele segurou o meu pulso e juntou nossos lábios em um beijo sem sentimento algum.

Cris apareceu instantaneamente correndo em direção a Flame, o empurrou com tanta força que fez suas costas estralarem contra a porta.

- VOCÊ ESTÁ ACHANDO QUE O MEU IRMÃO É O QUE, FILHO DA PUTA? PARQUE DE DIVERSÕES? QUE VOCÊ PODE BRINCAR E FAZER O QUE QUER? POIS SAIBA QUE O IRMÃO DELE É UM CASTELO DO TERROR! 

Cris deu um soco bem forte em seu queixo, fazendo-o cair no chão. Flame tentava se defender mas Cris o deixava imóvel e continuava o martelando com seus punhos.

- CRIS! Já está de bom tamanho. Para com isso! - meu pai o puxou pelo braço.

- Flame, estou desapontado com você. Não o quero ver nem a meio metro de distância perto do meu filho, e caso ao contrário, dê adeus a sua vida inútil. - meu pai nos direcionou ao carro e saiu dali com o carro. 

Deixando na rua um Flame, sangrando, dolorido e totalmente sozinho.

       ~~~~~~~~~~~~~~~~

Chegamos em casa. Meu pai marchava e xingava Flame até pelos cotovelos.

Cris dizia que não foi com a cara de Flame desde a primeira vez que o viu.

Eu ficava no meu canto, pensativo. Tentando entender o que havia acontecido agora a pouco. Fionna estava em Madrid, ajudando Flame a me trair. Que loucura, não? Por que logo comigo? Por que logo eu? Essas perguntas com certeza não seriam respondidas.

- Bubba!!! - meu pai chamava minha atenção.

- Sim? 

- Arruma suas coisas. Não vamos mais ficar nessa casa. Quanto mais longe desse moleque idiota, melhor! - ele dizia já com uma caixa em mãos.

- E para onde vamos? - o encarei incrédulo.

- Canadá! Cris já tem um futuro promissor lá. 

- Está falando sério? Eu acabei de sair de lá! - Cris o encarava com a mesma expressão que a minha.

- Pai! Fionna era de lá, sabia? 

- Que se foda! Eu disse que vamos para o Canadá. Não perguntei quem estava lá. Apenas me obedeçam! - ele saiu furioso arrumando suas coisas.

Não tínhamos muito o que fazer. Apenas obedecemos.

             ~~~~~~~~~~~~

Nos mudamos para o Canadá, levamos uns 6 meses para se adaptar e conseguimos, Cris voltou a trabalhar no bar e em seu laboratório, Fionna havia se mudado para Madrid após descobrir que estávamos lá. 

Entrei para uma escola super indicada por Cris. Estava morrendo de saudades de Dakota, meu único amigo. Confesso que mandava mensagem para ele todos os dias. Ele implorava para eu não trocá-lo. Haha! Aquilo jamais iria acontecer. Eu o amava.

Nessa nova escola, conheci algumas pessoas interessantes e algumas, digamos, nem tanto. Conheci um garoto chamado Jake que vivia grudado com um menino chamado Finn. Achei os dois um tanto interessantes e engraçados. Acabei me aproximando deles.

Nos tornamos bons colegas, o ano já estava acabando. 3° ano aí vamos nós! Mas antes, Finn e Jake me convidaram para uma festa. Não festa da escola. O convite me chamou a atenção. E o tema da festa também. Seria festa fantasia. E a atração principal era um rapaz. 

Marshall Lee? Nunca havia escutado falar. Mais eles me afirmaram que o cara canta bem. Aceitei. Afinal, era só uma festa.



Notas Finais


Espero que tenham gostado do capítulo. 😊
Tenham uma ótima semana! 😘💞


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...