História Amor à perdição. - Capítulo 7


Escrita por: ~

Exibições 62
Palavras 1.234
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Suspense
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


É importante.

Capítulo 7 - Autora on.


Fanfic / Fanfiction Amor à perdição. - Capítulo 7 - Autora on.

O último capítulo eu havia dito que iria explicar do porque que eu pensei em parar de escrever essa história... Então vamos lá.
O primeiro capítulo foi a apresentação dos personagens principais. Características, personalidade e etc... Bom, vou direto ao ponto, senão não vou conseguir falar o que eu realmente quero.
Assim como Ellie, eu também fui estuprada.
Eu tinha apenas 7 anos de idade.
Ele era amigo do meu tio, e morava na minha casa, junto à mim, meus pais, mehs irmãos e meu tio.
Naquela época eu gostava de um menino da minha sala, e eu sempre falava dele pra esse amigo do meu tio. Eu considerava ele como um outro irmão, já que eu só tinha 7 anos de idade, e não entendia a maldade no olhar das pessoas.
Uma vez ele me deu um cd da nx zero (na época eles lançaram um cd com as músicas que mais tocavam na malhação) eu queria muito esse cd. E no dia seguinte, dei esse cd para aquele menino da minha sala, não contei nada para o amigo do meu tio porque pensei que ele ficaria triste e até bravo comigo.
Do 1 ano e meio que ele morou com nós, eu lembro desses dois momentos. De quando ele me deu o cd e de quando ele me estuprou. Bom, na verdade mesmo eu não lembro realmente... porque foi um trauma pra mim. Depois daquele acontecimento hora ou outra eu via alguns flashes do que aconteceu, nos meus sonhos e até quando eu estava acordada.
Vou evitar entrar em detalhes, mas no dia seguinte (eu lembro pouco disso também) eu acordei chorando, fui direto para a cozinha, onde minha mãe e meu irmão mais velho estavam.
Reclamei de dor ''na barriga'' (era mais ou menos um pouco acima da vagina, onde eu estava dizendo) minha mãe perguntou o que tinha acontecido, e eu só falei que não sabia.
Aí é como se fosse um corte na minha lembrança.
Corta pra onde ele chega na minha casa, todo mundo está na sala, e ele vai direto para o quarto. Meu pai o segue e pede pra ele arrumar as malas e ir embora.
Além dessa ''iniciativa'' meus pais não me levaram ao psicólogo e não me ajudaram de alguma maneira.
Até hoje eles fingem que nada aconteceu.
Eles são meus pais, eu os amo. Mas eu fico naquela... ''por que?''.
A diretora, a orientadora da minha escola sabem (e desconfio que alguns dos meus professores também) e meus pais negam.
Como eu soube que elas sabem? A orientadora percebeu o quão diferente, receosa e frustada que eu sou. Me chamou para conversar na sala dela, enrolou e enrolou... Depois de alguns longos minutos de conversa esfarrapada, me perguntou, olhando nos meus olhos: ''você já foi violentada, não é?''.
Eu engoli aquilo em seco. Me senti vermelha de vergonha, senti que todos os meus órgãos iriam sair pela minha boca.
Tentei falar algo, mas só consegui afirmar com a cabeça.
Ela fez que sim com a cabeça também e falou que já sabia. Eu perguntei o porque, e ela me respondeu que pelo meu comportamento agressivo, impulsivo, pela minha falta de confiança no meu olhar para todas as pessoas (principalmente meninos) ela percebeu. E também porque perguntou à diretora, e ela confirmou.
A diretora sempre sabe de tudo. E também porque minha mãe conversava bastante com ela, então...
E teve outra situação que me deixou mais frustada ainda comigo mesma e principalmente com meus pais.
Eu estava navegando pelo facebook alguns meses atrás e vi uma notificação de solicitação de amizade.
Fui ver quem era, a foto era de algum personagem de desenho, havia alguns (muitos) amigos em comum, resolvi aceitar.
Depois de alguns segundos o cara me chama no chat.
Conversamos sobre coisas aleatórias. Descubro que ele tem 25 anos, e mora na mesma cidade que eu.
Passou um longo tempo (uns 2 meses e meio, mais ou menos) e eu decidi finalmente stalkear ele.
Ele era uma pessoa bem bacana, nunca me desrespeitou nem nada do gênero. Era mais velho, me ajudava em várias situações da famosa adolescência.
Estava navegando pela timeline dele, quando dei de cara com a minha tia nos amigos dele. Minha tia mulher daquele meu tio que morava comigo.
Fiquei paralisada por alguns minutos. Chegou mensagem dele.
Estávamos falando sobre algo de música, ou sei lá o que.
Cortei totalmente o assunto e perguntei se ele conhecia ____ (nome da minha tia) ele disse que sim. Que era amigo do marido dela, e que já havia saído pra vários ''roles'' com eles.
E em seguida ele perguntou o porquê. Eu apenas respondi que era sobrinha dele.
Demorou cerca de segundos pra responder.
''Então você é a sobrinha do ____ que foi estuprada pelo ____?''
Fechei o notebook e fiquei encarando à minha frente.
Tentando assimilar aquilo tudo. Ele sabia. E agora eu também tinha certeza que sim, eu fui realmente estuprada.
Subi a tela do computador novamente e respondi que sim. Ele visualizou na hora, e respondeu na hora também.
''Nunca soube a história verdadeira, me conta''.
E aqueles flashes vieram a tona.
Eu tentava organiza-los pra tentar tirar algo daquilo, mas nada fazia sentido.
E eu só respondi que também não sabia da verdade.
Ele pareceu ficar pasmo. Como se achasse aquilo um absurdo. Perguntou se meus pais não tomaram nenhuma iniciativa, de ir na polícia, de ir ao psicólogo... E como eu já disse, eles não fizeram nada disso. E foi exatamente o que eu disse à ele.
Eu perguntei do que ele sabia, e ele foi bem sincero comigo.
"Tava um monte de amigos em um bar lá, o __ (nome do amigo do meu tio) tava todo nervoso e suando, perguntaram o que tinha acontecido com ele, ele ficou falando muitas coisas, não deu pra entender nada. Aí o (nome do meu tio) chegou falando pra uns amigos dele que ele tinha estuprado você. E do nada ele falou que foi você que queria. Mas no dia depois me contaram que ele falou que te obrigou, que te forçou. E um amigo meu disse que ouviu a ___ (nome de uma amiga dele) falar que te deu alguma coisa pra dormir e fez tudo. E que não tinha ninguém em casa.''
Minha cabeça deu um nó. E só de lembrar disso é ter que digitar aqui, me dá vontade de vomitar.
Eu me sinto culpada. E acho que seria menos frustante se meus pais tivessem me ajudado com aquilo tudo... Porque hoje em dia eu sinto que tudo que aconteceu, me deixou um buraco enorme em mim. Como se, por mais que aconteçam coisas incríveis comigo, que eu conheça as melhores pessoas do mundo, aquilo vai sempre estar junto à mim, aquela maldita culpa.
A frustração. O nojo que eu sinto de mim mesma. O medo de todos os homens. O medo que aconteça de novo.
Eu me sinto suja, e estar escrevendo sobre uma personagem com ''o mesmo'' acontecimento, me faz me sentir mais suja ainda. Parece que eu estou obrigando alguém a passar por aquilo, vocês entendem?me desculpem... queria falar mais, porque há muita coisa entalada aqui dentro... Mas relembrar aquilo tudo me fez ter uma dor de cabeça danada e me sentir vazia demais.
Eu espero que entendam se eu parar de postar mais capítulos dessa história, ou se eu exclui-la.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...