História Amor... a primeira vista? - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Exibições 14
Palavras 1.509
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 10 ANOS
Gêneros: Colegial, Famí­lia, Romance e Novela

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Oie, eu sei que eu demorei, pq eu não tava preparada emocionalmente pra terminar, então espero que gostem ♡♡

Capítulo 13 - Capítulo final


Alguns meses depois...

Depois de uns dois meses, tenho várias notícias, umas boas e outra ruim

As boas é que todas as minhas amigas estão namorando, a Mariana está com meu irmão, Gabriela está com o Bernardo ainda e a Larrisa e o Daniel pararam de brigas idiotas e estão juntos, e eu..Bom, eu tô solteira, bem que quase beijei o Luiz um mês atrás, mas infelizmente minha "irmã querida" atrapalhou

Já a má notícia, é que faz um dia e meio que estou internada no hospital, com uma doença grave ainda não identificada, ou eles sabem e não querem me contar, sempre me olham com pena, da nojo as vezes

Meu irmão é o que mais me visita junto com a Mariana as vezes, a Larissa veio ontem, e a Gabi veio hoje de manhã com o Bernardo

Eu estou no maior tédio, com o braço quase tudo perfurado por causa dos exames e do soro, daqui a pouco vem uma enfermeira aqui ver se eu tô melhor

- Com licença - a enfermeira entrou - Vim trocar seu remédio - ela disse com um tom de doçura - E também quero avisar que tem umas amigas suas, amigos também e duas meninas lá, uma se diz ser sua irmã e a outra acho que é melhor amiga dela

- Hm - falei pensando que essas gurias provavelmente seriam a Andressa e a Jennifer

Voltando a falar do que aconteceu nesses dois meses

Jennifer e Fernando estão namorado ( se merecem), Andressa já fez praticamente de TUDO pra que o Luiz não ficasse comigo, inclusive me fez passar vergonha naquela festa a fantasia que teve e foi nesse dia que o Daniel pediu Lari em namoro, com uma serenata, tão fofos...

Meus sintomas começaram a aparecer essa semana, me deu desmaio, tontura, dores fortes e mais alguns lá

Depois que a enfermeira saiu, fiquei com muito sono, pois o remédio é muito forte, fui fechando os olhos até que dormi

Felipe On

Cheguei no hospital e lá estavam quase todos, Larissa, Gabriela, Mariana (linda como sempre), Daniel, Bernardo, Jennifer, Andressa e Luiz

Fui em direção a Mari e dei um beijo nela, perguntei da Anne e uma enfermeira chega

- Acabei de dar um remédio pra ela, ela me parece estar bem, na medida do possível, mas os batimentos cardíacos estão fracos, talvez ela não resista até o fim de semana - ela falou com um tom de preocupação, as meninas se abraçaram e choraram baixo, olhei para o lado e o Luiz estava sozinho em um canto, resolvi ir falar com ele

- Você gosta dela, não é? - falei me sentando ao seu lado

- O que?

- A Anne, você gosta dela não é?

- Muito

- Porque já não falou isso pra ela?

- Eu.. Não sei, insegurança talvez, me sentia tão bobo perto dela, ela é tão linda... - ele falou pensando nela, tão bobo, dei risada, mesmo não sendo um bom momento

- Tá bom, tenta fazer isso então, vou ir lá ver ela, tá?

- Tá

Sai de lá, pedi para uma enfermeira para entrar lá no quarto e ela autorizou

Entrei lá e ela estava dormindo, feito um anjo, sentei na cadeira ao lado da maca, e chorei, pensando na possibilidade de ela não sobreviver

- Aí Maninha, porque você faz isso comigo? Me fazendo chorar - falei sorrindo e chorando - Me desculpa, por tudo que fiz que não foi bom pra você e me desculpa por tudo que não pude fazer, sério mesmo, você não sabe como eu eu grato por ser seu irmão, você sabe dar conselhos como ninguém sabia?

- Você sabe que ela pode ouvir não é? - um médico entrou no quarto me dando um susto, balancei a cabeça negando - Peço que se retire, seu tempo acabou

Eu sai e fui pra sala de espera e já tinha saído alguns

Felipe Off

Anne On

Acordei como se tivesse tido um pesadelo, mas não lembro de ter tido nenhum, só de eu estar falando com o meu irmão

Senti uma falta de ar e tentei ficar respirando pela boca, ofegante

O médico que estava ali chamou mais uma enfermeira e colocaram um aparelho em mim, que eu não sei o que é

Senti como se fosse morrer, literalmente não estava bem

- E-eu quero falar com... - falei quase sussurrando e com dificuldade

- Poupe sua voz senhorita - a enfermeira gentil falou

- L-luiz, c- chamem ele 

     A enfermeira saiu preocupada, e eu esperei ali, respirando com muita dificuldade

Anne Off

Luiz on

Estava sentando todo preocupado com a Anne, quando uma enfermeira chega toda preocupada procurando alguém

- Quem de vocês é o Luiz? - ela perguntou

- Sou eu

- Venha comigo, rápido! A senhorita Anne pede pra falar com você

Entrei no quarto e vi Anne com a respiração ofegante, muito mais que o normal, seu peito subia e descia lentamente

- Aconselho que ela não fale muito - o médico falou já saindo

Sentei na cadeira ao lado dela e fiquei admirando, então segurei a mão dela e ela abriu os olhos, que até aquela momento estavam fechados, ela virou a cabeça pra mim e deu um sorriso meigo

- O que queria me falar? - perguntei beijando sua mão

- Faz muito tempo que quero lhe falar isso - ela falou com dificuldade

- Poupe sua voz, vá direto ao ponto - falei

- É que Luiz... eu sou completamente apaixonada por você - ela falou com brilho nos olhos e eu sorri - Te amo

Fiquei surpreso com isso, comecei a sorrir feito bobo olhei pra ela, coloquei a mão na cabeça e continuei feliz, mas um pouco triste por saber que ela poderia não sobreviver

- Eu também, Te amo! - falei e ela tentou sorrir mais

Me inclinei e deu um beijo na testa dela, ela fechou os olhos e sorriu

Então tudo começou a apitar e eu olhei para o oximetro (maquina que controla os batimentos cardíacos) e a linha estava reta, o coração dela parou

- Anne? Anne!! Acorde! Por favor não vá!!! Fique aqui! - falei chorando e logo os médicos e enfermeiras chegaram e me expulsaram dali, algumas enfermeiras que estavam ali me ofereceram um calmante, mas eu recusei

Chaminhei um pouco mais e encontrei o Felipe, que olhou pra mim

- Sinto muito! - falei e ele começou a chorar também, se Abraçamos e depois chega a mãe dela e Felipe conta o que houve e ela se desespera e sai dali

(...)

Três dias depois

- E hoje no funeral de nossa querida Anne, vamos chamar algumas amigas e amigos para falarem um pouco sobre ela, quem vai primeiro? - o padre falava e Larissa se levantou e foi lá na frente, com lágrimas nos olhos

- Bom, a Anne é minha amiga desde que eu entrei na adolescência, ela nunca foi igual a outras garotas, nunca quis se encaixar em algum padrão, sempre quis ser única, amava isso nela, ela sempre foi mais madura pra idade dela, sempre me deu os melhores conselhos, a gente fez grandes merdas juntas, mas valeram a pena, valeram a pena todas as risadas,conversas, brincadeiras, paixões e madrugadas que ficamos acordadas e eu aposto que lá no céu onde ela deve estar, deve estar impressionando todos os anjos - Larissa falou me fazendo chorar e depois foi a Gabi e a Mari, e o Felipe

- Anne, melhor irmã que alguém desejaria ter, espero que ela me perdoe por tudo que já fiz de mal a ela e de tudo que não pude fazer, ela sempre foi uma menina maravilhosa, me surpreendia ela nunca chegar em casa e dizer que ela estava namorando - ele deu uma risada fraca e voltou a ficar sério - Ela não sabe o quanto eu amo ela e o quanto ainda a amo, minha irmazinha, vou sentir saudades - ele terminou, e veio até a minha direção e disse para eu ir, e eu fui

- Não sei com que palavras posso falar dela, já falaram quase tudo, mas vou tentar, conheci ela há alguns meses atrás, ela estava na educação física dela e eu no meu treino, e eu olhei para ela, e me apaixonei, e depois que conheci ela melhor ainda, me apaixonei ainda mais, ela era um tipo de amiga responsável chata, e era teimosa, se algo entrasse na cabeça dela, ninguém conseguia tirar, mas eu amava ela, ela era linda, incrível, muito inteligente e alegre, todos os problemas que ela teve, ela não mereceu, porque ela era muito boa, mas ela encarou todos sem muito medo, admiro ela, muito, e nunca vou esquecer, eu queria muito dizer que pude chama-la de namorada, só que eu não posso dizer, talvez eu tenha sido fraco demais ou talvez não era pra ser, porque talvez, eu não fosse bom o suficiente para uma garota tão perfeita quanto ela - terminei de falar já com muitas lágrimas nos olhos 




Notas Finais


Podem desabafar, e espero que tenham gostado dessa fic, não ficou a coisa mais perfeita do mundo, mass prometo que a próxima (que vai ser postada até 2020) vai ficar quase perfeita, muito obrigada por gastarem o tempo de vcs lendo, e ainda gostarem, amo vcs ♡♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...