História Akai Ito 1 - AMOR A SEGUNDA VISTA - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias Os Heróis do Olimpo, Percy Jackson & os Olimpianos
Personagens Annabeth Chase, Calipso, Frank Zhang, Hazel Levesque, Jason Grace, Leo Valdez, Luke Castellan, Nico di Angelo, Percy Jackson, Piper Mclean, Rachel Elizabeth Dare, Reyna Avila Ramírez-Arellano
Tags Colegial, Percy Jackson, Romance
Exibições 536
Palavras 2.897
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Crossover, Escolar, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 16 - CAP 16 - Tem batata frita? Eu vou!


Alguns dias se passaram desde então, quase dois meses desde a noite do baile, as pessoas deixaram de me olhar torto, a mesa do meu almoço no refeitório, não era apenas Piper, Hazel e, eu. Agora tinha o Frank, o Percy, o Leo, as vezes o Jason e, as vezes o Charles. Jason e Piper tinham finalmente oficializado algo, eu ainda possuía um sentimento confuso sobre aquilo, eu fingia que estar superando, mas vê-los juntos me magoava. Hazel e, Frank ainda estavam no mesmo embolo de sempre, porem muito mais próximos que antes. Percy não falava mais com a Caly e, isso fez o clima entre nós duas piorar, apesar de que ela não se atrevia a fazer nada contra mim. Reyna costumava ficar sempre em distancia, nunca mais ela se meteu entre a Piper e, o Jason e, eu fiquei feliz por aquilo. Eu ainda estava no mesmo barco solitário e, frustrante da minha vida.

Estávamos no ginásio em uma prova de educação física, minha modalidade nessa matéria era luta e, eu havia feito o exame pratico e passado, mas eu estava junto com a Hazel e a Piper vendo a prova pratica dos garotos em suas provas de modalidades, eu havia pesquisado sobre o esporte depois que Percy me deu uma aula desnecessária sobre ele, eu odiava não saber algo que ele sabia. Le parkour, sempre achei um esporte de doido, mas é até legal, comecei a fazer uns treinos na semana passada, Piper e, Hazel eram mais resistentes do que eu imaginava.

- Preciso aprender aquela passada – Hazel disse enquanto analisava Frank em seus obstáculos

- Vamos treinar hoje – Piper disse

- Nós vamos? – Perguntei confusa

- Marcamos isso no grupo, lembra? – Piper me fitou

- Ah, estou sem credito... Não vi – Eu resmunguei

- Você não disse que agora recebe mesada e, que dava para manter o celular com credito? – Hazel reclamou.

- Eu disse isso? – Tentei me lembrar – É... Eu disse.

- Você é impossível Annie – Piper revirou os olhos

- Acalmem-se – Eu disse tentando encontrar uma saída para os sermões – Vocês viveram sem minha presença virtual por mais de dois anos, não podem esperar por dois dias?

- Tudo bem, mas isso não quer dizer que irá furar conosco não é? – Piper perguntou

- Não temos prova essa semana e, amanha não tem aula, é feriado – Hazel lembrou

- Eu vou... – Eu revirei os olhos.

Eu estava segurando as coisas do Percy, ele havia pedido. Depois que o Jason e, a Piper assumiram o namoro, ele tem estado mais entusiasmado e, muito mais risonho que antes. Será que ele teve algum progresso com a garota que ele gosta? Se ele teve, era pra eu estar feliz não era? Fui eu quem o aconselhei, não foi? Então porque eu não me sinto bem com essa idéia?

Piper e, Hazel saíram para ir de encontro aos garotos quando eles terminaram as provas. Percy passou direto por elas e, sentou-se ao meu lado na arquibancada do ginásio. Ele me pediu as coisas dele e, agradeceu por eu ter segurado.

- Ei Percy – Eu fitei o chão puxando coragem para falar sobre aquele assunto – Você teve progresso com sua garota?

- Minha garota? – Ele me olhou confuso e, depois sorriu provavelmente se lembrando – Minha garota... – Ele repetiu – Gostei disso... – Ele riu

- Então... – Eu arqueei as sobrancelhas esperando uma resposta

- Não necessariamente um progresso, mas... Acho que mais cedo ou mais tarde ela vai entender – Ele deu de ombros

- E se não entender? – Perguntei

- Eu decidi que, se ela não entender terei que começar a agir da minha forma – Ele suspirou.

- Como seria? – Perguntei curiosa

- Vou me declarar abertamente e, se ela me rejeitar, irei apagá-la da minha vida, como se ela nunca tivesse existido para mim. Não posso simplesmente parar minha vida por alguém que não me quer, não é? – Ele me encarou.

- Sim, é exatamente o que estou fazendo – Eu dei de ombros.

– Eu espero que ela “seja mais esperta”, eu sempre falo isso pra ela. – Percy pensou sobre aquilo, bebendo um gole de água da sua garrafa.

- Não sei como você consegue passar por isso tão bem – Eu suspirei – Tão calmo e, confiante... Como se ela fosse te notar a qualquer minuto.

Fingi não estar incomodada, eu na verdade estava com raiva por Percy ter alguém assim. Mas ele apenas sorriu.

- Eu não sou tão confiante quanto pareço, eu na verdade sou muito impaciente, principalmente quando eu digo algo tão obvio e, ela não entende – Percy revirou os olhos – Mas já estou no meio do caminho, não posso voltar atrás. Ela é meu objetivo, ela é quem eu quero e, eu não vou desistir fácil, a não ser que ela me diga “não”... Ai, eu sumo da vida dela.

Seu olhar foi tão profundo que eu senti um frio na barriga, senti um pouco de medo por aquelas palavras “sumir da vida de alguém”, “sumir da vida dela”, como se de alguma forma elas estivessem sido ditas para mim, mas é claro, nunca seriam para mim. Eu desviei o olhar, minhas pernas tremeram e, meu coração acelerou. Porque?

- Se a lerdeza dela te incomoda, porque você não desiste? – Eu disse emburrada. O que eu estava fazendo? Tentando convencer o Percy de desistir da garota que ele gosta? Isso era ridículo.

Percy riu.

- Você me pedindo pra fazer isso, soa um pouco engraçado – Ele deu mais um gole de agua – Mas... A lerdeza dela não me incomoda, na verdade eu acho engraçado, tem sido uma boa oportunidade de me aproximar e, conhece-la melhor, de fazer com que ela me conheça... Acho que... Se eu fosse direto, já que ela ainda gosta de outro cara, as coisas poderiam não seguir o rumo certo.

- Você está sendo estrategista? – Eu o olhei de canto

- Acho que sim... – Ele deu de ombros – Porque você parece não estar feliz?

- Com a Piper e, Jason juntos, a Hazel e, o Frank se dando bem e, com você dizendo que dará um passo a frente, eu fico meio perdida, é como se eu estivesse sozinha, como se cada um de vocês estivessem dando as mãos para seus amores e, eu ainda permaneço aqui... Tendo que ser espectadora da felicidade dos outros. – Eu suspirei.

- Eu sei que você ainda sente algo por ele – Percy sussurrou – Eu sei que você ainda sofre, é por isso que eu ainda preciso esperar um pouco.

- Esperar um pouco? – Perguntei – Você ainda não se declarou para sua garota, porque ainda se sente no dever de me ajudar a superar o Jason?

Percy abriu um pouco a boca, com um olhar espantado, depois riu como se eu tivesse dito uma piada.

- É, mais ou menos por esse caminho – Percy sorriu.

Seu meio sorriso era fascinante. Eu o encarei por alguns segundos, como ele poderia ser tão bom assim? Deixar de seguir em frente para ajudar uma amiga sem graça como eu? Eu não conseguia entender os bilhões de sentimentos que me invadiam ao saber disso, ao saber que ele estava ali por mim, ao saber que ele não sairia do meu lado até que eu dissesse “estou bem”.

Involuntariamente eu sorri. Percy estreitou as sobrancelhas como se estivesse tentando decifrar o que se passava em minha mente.

- Isso não vale... Falando assim, não vale – Eu recitei suas frases favoritas e, acabou causando no Percy uma reação de espanto ainda maior.

- Eu acho que estou em um progresso – Ele sussurrou ainda espantado, porem com um sorriso malicioso no rosto. Ele se levantou e, me puxou junto. – Vamos lá, sabidinha... Vamos pular alguns muros.

Ele segurou minha mão até a saída do ginásio, meu coração bateu mais forte, mas eu precisava evitar esse sentimento bom entre nós, mesmo que eu pudesse um dia dizer que estou bem, mesmo que eu diga que eu não gosto mais do Jason, eu não posso simplesmente começar a gostar de uma pessoa que já gosta de outra, seria como um raio cair no mesmo lugar duas vezes. Percy era meu amigo, meu melhor amigo, era a única coisa que seria... Eu tinha que me lembrar disso.

***

Depois da escola, Piper e, eu fomos para casa da Hazel, eu não havia trazido roupas extras então tive que pegar emprestados algumas dela. Depois que descansamos e, nos arrumamos estávamos prontas para esperar os garotos, íamos passar a tarde no parque, treinando o Ler parkour.

Eu pegar água na cozinha e, me deparei com o Nico de toalha. Meu Deus, o irmão mais novo da Hazel é muito gostoso.

- Ops! – Eu disse

- Oi! – Nico disse em seu casual mau humor. – Não se preocupe com a toalha, eu não vou atacar você... Ele não funciona com mulheres, sabe?

- Ai meu Deus! Isso é muito constrangedor – Eu ri. Nico deu um ar de riso, que o fez ser mais bonito ainda. – Mas eu tenho que admitir, Will é um cara de sorte.

Nico riu.

- Você fica engraça quando está vermelha – Ele tomou um gole de água e, me entregou a jarra.

- Então... – Eu puxei assunto – Como isso tem sido pra você? Para seu pai?

- Ah... Normal – Ele deu de ombros – Meu pai tem um humor pesado, mas desde que eu não exagere no tom rosa, se me faz feliz, ele não liga.

- Você gosta de rosa? – Perguntei confusa

- Não, foi só uma expressão... Você não é muito esperta – Nico riu

- Eu tenho o score mais alto de toda a escola – Eu resmunguei

- E quem disse que inteligência é sinônimo de esperteza? – Aquela pergunta me pegou de surpresa.

- Ah...Não sei – Respondi.

- Você não parece muito animada para uma tarde de diversão – Ele me fitou

- É complicado, eu tento não demonstrar, mas... Não gosto de estar no mesmo lugar que o Jason – Eu dei de ombros

- Ah, eu entendo... Já passei por algo semelhante, gostar de alguém que nunca vai ter você como opção – Nico suspirou.

- Achei que Will fosse seu primeiro caso – Eu disse confusa

- E é, mas ele não foi minha primeira paixão – Nico corou – O Percy foi...

Meu queixo caiu, eu não sabia se eu ria ou se eu me sentia incomodada.

- Não me olhe desse jeito – Nico reclamou e, corou mais ainda.

- Me desculpa, isso foi inesperado demais – Eu tentei segurar um sorriso – Mas ele...

- Sabe... Eu mesmo disse – Nico deu de ombros

- Mas você superou? – Perguntei curiosa

- É claro que superei, eu tenho o Will, o melhor namorado que alguém pode ter e, eu não sou apenas apaixonado por ele, eu o amo. – Nico disse com confiança.

- Amor... O Jason disse isso também, pela Piper – Eu disse em frustração. – Eu não sei se amo o Jason...

- Você não o ama – Nico me interrompeu

- Como sabe? – Eu o fitei

- Quando você ama alguém, você luta para tê-la e, tem medo de perdê-la... Você não lutou pelo Jason e, não teve medo de perdê-lo para Piper, você o entregou. – Nico suspirou – O que você está sentindo, vai passar...

- Isso foi tocante – Eu admiti – Talvez se não fosse a Piper a pessoa que ele ama, eu teria lutado.

- Tem certeza? – Nico me olhou desafiadoramente e, andou em direção para seu quarto.

Uma pergunta retórica... Refletir sobre aquilo me faria ter pesadelos, talvez essa fosse a intenção do Nico, me fazer ter pesadelos. Pensando sobre aquilo, acabei ficando mais confusa, o que exatamente eu sinto, nesse exato momento?

- Vamos! – Piper me puxou pelo braço enquanto saia correndo do quarto – Os meninos chegaram.

- Vamos Annie! – Hazel gritou.

Eu tinha ficado inerte, perdida em pensamentos, tentando digerir aquela pequena conversa. Eu olhei para trás, a porta do quarto de Nico estava aberta e, eu podia ver apenas sua cabeça enquanto ele lia algum livro, deitado na cama. Seu olhar se prendeu ao meu e, ele deu um sorriso, eu retribui o sorriso e, sai.

- Onde está o Percy? – Hazel perguntou

- Ele vai de moto – Jason respondeu – Deve estar logo atrás de nós.

Mesmo sem me virar para olhar, eu reconheci o ronco da moto e, logo sorri. Percy parou logo atrás do carro e, segurava um capacete extra. Eu dei alguns passos para trás me distanciando do carro.

- Annabeth? – Piper perguntou – Entra!

- Bem... Eu...

- Ela vai comigo! – Percy gritou.

Todos olharam estranhamente, mas não falaram nada e, nem protestaram, eu corri até o Percy, peguei o capacete e, montei em sua moto. Eu adorava a sensação que aquilo me causava, o vento, a paz, tudo fazia com que eu me sentisse livre. A questão era... O que me causava essa sensação? O momento, ou o Percy? Pensar assim me deixava confusa.

Quando começamos os treinos eu ainda me sentia isolada em pensamentos, era como se um peso estivesse se formando em minha cabeça e, eu não sabia como tirá-lo. Eu pulei de um obstáculo para o outro e, acabei escorregando, Percy me pegou antes que eu caísse no chão.

- Quase... – Ele disse com um ar de riso

- Me salvou... – Eu disse sem graça – De novo.

- Superman, lembra? – Ele sorriu e, seu sorriso se desfez – O que foi? Você está área desde que chegou aqui.

- Não é nada – Eu desviei o olhar. Eu não sentia vontade de me desprender dos braços dele, mas eu precisava.

- É porque o Jason está aqui? – Ele perguntou

- Não, quer dizer... Isso não me incomoda tanto, não mais... – Eu admiti.

- O que te incomoda Annabeth? – Percy perguntou um pouco impaciente.

- Eu não sei... Digo, eu não explicar, não agora... Eu estou tão confusa que não sei nem quem eu sou – Eu dei de ombros.

Percy suspirou.

- Já está anoitecendo – Ele olhou para o céu – Quer ir para casa?

- Eu quero ir para qualquer lugar, menos para casa – Eu suspirei. Me trancar no quarto só ia me fazer pensar, mais e, mais.

Percy me analisou, pensou um pouco e, suspirou.

- Galera! – Ele gritou para nossos amigos – Annabeth se machucou, tenho que levá-la para casa.

- O que... – Eu tentei dizer, mas ele me deu uma encarada.

- Ai meu Deus – Piper veio correndo – Você caiu?

Ela olhou diretamente para mim e, eu não sabia o que dizer.

- Não, na verdade eu consegui segura-la no impacto. – Percy respondeu por mim

- Na hora que ela pulou? – Frank perguntou. Ele e, Hazel tinham vindo ao nosso encontro junto com o Jason.

- Ela não parece machucada – Jason comentou sem entender

- Ela está – Percy insistiu e, disfarçadamente me cutucou.

- Oh... Sim, meu tornozelo – Eu segurei o joelho – Ai!!

- Tem um posto aqui perto – Jason pareceu preocupado

- Eu cuido dela, Jason – Percy o encarou um pouco intimidado.

- Amiga, está doendo muito? – Hazel perguntou preocupada.

Não entendia qual a intenção do Percy quanto aquilo, mas algo dentro de mim dizia para entrar no jogo.

- Não muito! – Eu não precisava exagerar tanto, fui razoável.

- Tem certeza que não quer que o Jason te leve no posto? – Piper perguntou inocentemente.

Que tipo de namorada, oferece o namorado para uma garota que gosta dele? O tipo de namorada que confia na amiga e, no namorado, essa era a Piper, essa era minha amiga.

- Piper... – Percy a encarou da mesma forma que encarou o Jason – Eu já disse, eu cuido dela.

- Gente, deixa o Percy cuidar da menina – Frank disse sem paciência.

- Vamos! – Percy segurou meu braço como se eu precisasse de apoio. – Tenta não mancar muito.

Ele comentou para me dar a dica de que eu precisaria mancar. Quando eu me despedi com um sorriso e, me virei para sair, juro que ouvi algumas risadas e, cochichos do tipo “Ela não está machucada” “Não mesmo” “Vamos fingir que acreditamos” “Deixa eles”

- Eles estão falando...

- Eles não estão falando nada, Annabeth – Percy me interrompeu – Isso é tudo da sua cabeça, ouvindo coisas.

Eu olhei para trás sem entender, eles ainda estavam nos olhando. Eu jurava que tinha ouvido eles falarem aquelas coisas, mas eu podia estar enganada. Quando saímos da visão deles e, já estávamos ao lado da moto, eu cruzei os braços.

- O que está planejando? – Perguntei desconfiada

- Foi você quem disse que queria ir para qualquer lugar, menos para casa – Ele deu de ombros e, me entregou o capacete.

- Nós podíamos ter ficado mais tempo aqui – Eu resmunguei

- Para que? Você cair e, se machucar de verdade? – Ele perguntou chateado – Eu estava de olho em você a tarde toda e, quase vi o pressagio da sua morte umas três vezes.

- Isso não aconteceu – Eu fiz uma careta

- Quer que eu narre as cenas? – Ele levantou a mão em menção a contar nos dedos.

- Onde vai me levar? – Eu mudei de assunto

- Minha casa – Ele montou na moto

- O que? Isso é...

- Tem batatas fritas lá – Ele disse antes de colocar o capacete

- Ok! Me convenceu – Eu coloquei o capacete e, montei na moto.

Eu tinha que descobrir como o Percy me conhecia tão bem. Batata frita é a minha comida não saudável favorita, eu não conseguia resistir a elas, era como um vicio que precisava de tratamentos


Notas Finais


hmmmm... Acho que a Annie ja está caidinha pelo Percy. O que vocês acham?

- PROXIMO CAPITULO: Um batom vermelho, faz toda a diferença... Na alma


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...