História Amor a... Segunda vista! (Akai Ito) - Capítulo 22


Escrita por: ~

Postado
Categorias Os Heróis do Olimpo, Percy Jackson & os Olimpianos
Personagens Annabeth Chase, Calipso, Frank Zhang, Hazel Levesque, Jason Grace, Leo Valdez, Luke Castellan, Nico di Angelo, Percy Jackson, Piper Mclean, Rachel Elizabeth Dare, Reyna Avila Ramírez-Arellano
Tags Colegial, Percy Jackson, Romance
Exibições 404
Palavras 2.296
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Crossover, Escolar, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 22 - CAP 22 - Conselho amoroso vindo do Jason? Quem diria!


No dia seguinte na escola, minha primeira aula foi de inglês, eu não tinha dormido muito bem, pela primeira vez na vida eu estava vivendo um drama romântico na minha vida. Eu nunca imaginei que não conseguiria estudar ou dormir, por conta de uma pessoa, isso estava me frustrando e, me deixando com muita raiva.

Para minha surpresa Jason era o único do meu grupo que estava na matéria. Ótimo, como se o fato do desentendimento com o Percy não fosse o bastante.  Escolhi uma cadeira e, sentei-me. A professora pediu para respondermos um questionário em dupla e, advinha quem veio para meu lado?

- Não se importa, se importa? – Ele perguntou sem jeito

- Eu teria motivos pra me importar? – Perguntei sem olhar para ele.

- Ah... Acho que vou escolher outra pessoa – Ele se virou

- Desculpa... – Suspirei antes que ele se afastasse – Não é por você, eu só estou estressada.

- Quatro dias de namoro e, já está assim? – Jason tentou brincar, eu o encarei furiosa – Ok... Eu vou apenas sentar e, ficar calado.

- Obrigada! – Eu disse.

Jason ajeitou as coisas ao meu lado, mas ele não ficou calado.

- Aconteceu alguma coisa? Porque tipo... Percy também não está de bom humor desde ontem – Jason comentou.

- Jason... Eu preciso de privacidade na minha relação – Eu resmunguei

- Ok! – Ele deu de ombros – Mas é que... – Ele continuou – A atmosfera fica ruim, sabe?

- Ok Jason, você venceu – Eu revirei os olhos – Percy está escondendo alguma coisa de mim, alguma coisa que tem a ver com a Caly e, isso me incomoda muito.

- Ah... É isso – Jason pensou – Como você sabe disso?

- Eu ouvi vocês conversando e... – Eu balancei a cabeça – Não é de sua conta.

- Ok! – Ele olhou para frente e, pareceu finalmente calado.

Agora ele resolve ficar calado?

- Você não vai me falar nada sobre isso, não é? – Perguntei impaciente.

- Não... E acho que você deveria falar com ele, porque você tem um grau muito alto de não entender as coisas e, se continuar interpretando as coisas da sua maneira, a relação não vai fluir – Foi a única coisa que Jason disse. Muita coisa na verdade.

- Não acredito que estou aqui, ouvindo sermão de você, sobre o nível da minha lerdeza – Eu suspirei impaciente.

- Não é só por você Annabeth, é pelo Percy também... Ele não é muito de se abrir, mas não é como se eu gostasse de vê-lo impaciente. – Jason deu de ombros. – Veja bem... – Ele continuou – Vocês estão juntos a quatro dias, não acha exagerado criar uma situação chata por causa de uma garota que o Percy nem da bola?

Jason me encarou com uma expressão confusa.

- A pessoa calma, paciente e, compreensível é a Piper, não eu – Eu revirei os olhos.

- Você está sendo infantil!

- Se estou sendo infantil, o problema é meu – Eu disse irritada

- Eu até entendo seu nível excessivo de agressividade verbal, mas o Percy não merece isso, ele fez muito por você, mas do que qualquer outra pessoa faria... Ele esperou por você, ele não desistiu de você, ele suportou cada fora que você deu nele, você mais do que ninguém deve saber como é gostar de alguém, que gosta do seu melhor amigo – Jason disse impaciente.

Eu corei.

- Não vamos começar a discutir nosso passado agora, vamos? – Eu o repreendi

- Não...- Ele disse rispidamente – A referencia era só pra você entender o que ele passou desde o primeiro ano.

Eu arregalei os olhos surpresa, eu passei por esse sentimento ruim por apenas um mês, Percy estava passando por quase três anos e, eu sabia exatamente como era. Jason tinha razão, Percy sempre esteve sofrendo por minha causa, mas ele nunca demonstrava, ele nunca compartilhou a sua dor com ninguém, ao invés disso, criou estratégias para reverter a situação e, agora que conseguiu, eu estava estragando tudo...

- Você pode ter razão, mas esconder coisas da namorada não é legal – Eu suspirei irritada

- Você não tem certeza de que ele irá esconder, ele só não sabe o que fazer quanto a situação... Como disse, você tem um grau muito alto de não entender as coisas da maneira certa, não acha que está na hora de analisar as outras alternativas ao invés de se prender em uma idéia sua? – Jason me encarou – Então vai um conselho, quando você achar que entendeu alguma coisa, pense de novo... – Ele encerrou a conversa.

Eu não respondi a pergunta que ele tinha feito, porque no fundo eu sabia que ele tinha razão, mas não era como se meu orgulho deixasse as coisas de lado e, abrisse os dentes para o Percy. Mesmo sabendo que eu estava sendo infantil e, injusta, eu não conseguia deixar de estar com raiva.

A aula seguinte era de química, automaticamente ela teria que ser em dupla, já que as mesas são sempre para duas pessoas. Eu tinha essa aula junto com a Piper e,a Hazel então provavelmente alguém ficaria de fora da dupla... Meu coração disparou quando entrei na sala e, o Percy estava sentado sozinho, ele tinha essa aula? Pensando bem, não tínhamos comparado nossas grades. Piper e, Hazel estavam sentadas juntas e, acenaram alegremente para mim.

Eu fui até o Percy e, me ajeitei ao lado dele, eu não podia simplesmente escolher outra dupla até o fim do ano, só porque eu estava chateada. Percy estava serio, mal olhou para mim, isso era ruim, me fez ficar mal. A aula começou e, eu estava impaciente com nossa distancia, mesmo estando próximos, eu queria que ele sorrisse pra mim, ou ao menos me ajudasse a fazer a mistura química que a professora passou, mas eu não tive nenhum dos dois... Era como se eu fosse invisível, como se fossemos desconhecidos, eu não estava acostumada com um gelo do Percy, ele fazia isso muito bem e, isso me deixava muito mal. Meu corpo todo estava gritando pra ele, minhas pernas tremiam, como ele conseguia ser tão frio? Isso era cruel demais.

A aula terminou e, não havíamos trocado nenhuma palavra. Porque isso doía tanto? Não lembro de ter sentido nada parecido quando eu gostava do Jason, não tinha nem comparação, tudo era diferente com o Percy, tudo era mais intenso e, mais profundo... Era desesperador.

- Eu não consigo continuar com isso – Ele sussurrou. Aproveitando que não havia mais ninguém na sala, mas ele ainda não olhava pra mim. – Posso continuar assim pelo tempo que eu quiser, mas dói mais em mim do que em você.

- Você não tem como saber disso – Eu sussurrei de volta. – Não consigo descrever a sensação ruim que senti durante a aula.

Eu já estava decidida a iniciar a conversa, mas ele se mostrou ser mais uma vez cavalheiro. Suas palavras foram como uma dose de água em minha garganta seca, ouvi-las sendo direcionada a mim era reconfortante demais.

- Eu suportei muita coisa pra conseguir sua atenção, sua atitude ontem... – Ele suspirou – Eu não sou a prova de magoas, pode não parecer, mas eu também consigo ficar chateado as vezes

- Sinto muito por ontem. Estou chateada... – Admiti

- Pelo o que? Preciso que seja mais clara que isso, Annabeth – Ele disse irritado.

- Olha só quem fala em clareza, você passou os últimos meses, não sendo claro para mim – Eu resmunguei. – Você precisa entender algumas coisas sozinho também.

- Como é? – Ele riu em ironia – Olha... Existe uma grande diferença entre eu deixar as coisas obvias e, você não entender, do que você agir estranho do nada e, exigir que eu entenda.

Ele tinha um ponto. Ele estava certo. Eu estava errada. Que ódio.

- Ok... Vou te falar uma palavra, se você não entender, eu juro... Eu Juro Percy, que dou um soco na sua cara aqui mesmo – Eu o fitei.

Percy pareceu querer rir, mas segurou o riso.

- Ok... Eu aceito o desafio – Ele ainda continuava tentando não rir.

- Caly! – Eu disse.

Percy arregalou os olhos e, pensou por dois segundos. Ele não ia adivinhar, não tinha como, ele não tinha como entender aquilo, era quase impossível ele saber que...

- Você ouviu sobre a mensagem dela... – Ele suspirou

- O que? – Perguntei pasma e, desacreditada de que ele realmente havia entendido.

- É isso? – Ele insistiu. – Você ouviu? – Ele me lançou um olhar confuso.

- É... – Eu queria ter soado mais brava, porem eu estava surpresa.

- Como? – Ele perguntou

- Eu tenho um potencial muito grande em estar nos lugares errados e, nas horas erradas – Eu dei de ombros.

Percy tirou o celular do bolso e, colocou sobre a mesa, desbloqueado e, na conversa com a Caly.

- Não sabia como contar a você, mas eu ia... – Ele resolveu deixar aquilo claro - Provavelmente você vai ler coisas que não vai gostar – Ele admitiu

- Eu aguento! – Eu disse

- Então vá em frente – Ele apontou para o celular.

Eu hesitei, mas eu estava me mordendo por dentro, porem eu não podia fazer aquilo, não desse jeito, não desconfiando dele. Eu suspirei e, engoli o orgulho.

- Podemos conversar sobre isso depois, não quero olhar seu celular, isso parece errado, não quero desconfiar de você... Eu só queria que você me contasse – Eu fitei a mesa.

Percy não disse nada, ele apenas apoiou seu cotovelo sobre a mesa, segurando sua cabeça e, analisou minha expressão.

- Percy, temos treino no ginásio agora – Alguém disse na porta da sala, eu não me virei para ver quem era.

- Eu estarei lá daqui a pouco – Percy respondeu

- Mas precisamos...

- Eu já disse que irei daqui a pouco... – Ele interrompeu o garoto com uma expressão mais seria.

Não houve mais nenhuma interação com os dois. Eu suspirei, continuei olhando a mesa tentando controlar meus sentimentos. Medo, raiva, ciúmes, orgulho, vergonha... Percy continuou na mesma posição, com o mesmo olhar sobre mim, eu entendi o que ele queria e, essa maneira dele agir me dava confiança...

- Essa é a primeira vez que eu vivo algo assim – Eu comecei a falar – É a primeira vez que sou namorada de alguém e, o fato de você ser tão popular com as garotas me incomoda, o fato de saber que a Caly ainda te procura me incomoda, mas eu não sei como reagir, eu não entendo metade dos sentimentos que rodeiam e, eu me sinto perdida...

Eu bati minha testa na mesa para esconder minha cara, Percy começou a alisar meu cabelo com um calmo e, suave cafuné.

- Eu preciso que você tenha paciência, que me entenda quando eu fizer algo errado, ou quando eu for infantil – Eu continuava dizendo – Eu sei que não sou uma garota esperta, eu já entendi isso... Eu só quero que não minta e, não esconda as coisas de mim, mesmo que eu não goste.

Eu suspirei.

- Acabou? – Percy perguntou.

- Acho que sim... – Sussurrei de volta

- Se sente melhor? – Ele perguntou

- Um pouco... Prefiro quando estamos em frente a praia – Eu virei meu rosto para encara-lo. Percy mantinha um sorriso reconfortante.

Esse era o jeito que Percy havia criado para me fazer sentir melhor. Quando eu estava estressada, ele simplesmente ficava ao meu lado em silencio, com toda paciência do mundo e, esperava eu jogar todos os meus problemas para fora e, só então ele me dava palavras de conforto. Isso funcionava, desde a primeira vez que ele fez isso, funcionava e, eu me sentia muito melhor... Fazer isso me dava confiança sobre mim mesma, falar o que eu penso, parar de sentir medo das minhas próprias palavras, isso era literalmente o que eu vinha aprendendo desde que Percy esteve ao meu lado.

- Eu sinto muito – Ele sussurrou – Você não está errada, eu estou... Me desculpe por ter cogitado a ideia de esconder isso de você... – Percy suspirou nervoso – Eu só não queria que isso nos atrapalhasse, eu desejei tanto nossa chance juntos, que tive medo de algo assim acabar com isso... Eu também não sou nenhum gênio de relacionamentos, Annie. Você é a primeira garota que eu tenho como uma namorada.

Meu coração acelerou ao ouvir aquelas palavras.

- Eu tinha apenas quinze anos quando comecei a gostar de você, o que acha que eu fazia aos quinze anos de idade? – Ele riu e, aproximou seu rosto do meu. Deitando sua cabeça sobre a mesa –Você pode ver a mensagem quando quiser, não é você quem está exigindo, eu estou oferecendo isso... Você entendeu?

Eu sorri. “Você entendeu?” Uma pergunta bem apropriada para alguém que nunca entende nada. Percy sempre tinha palavras doces pra mim, eu era a pessoa mais idiota por não retribuir isso.

Passei a mão sobre seus cabelos, atrás da orelha e, sorri pra ele.

- Conhecer você pode ter sido obra do destino, ser sua amiga foi uma escolha minha, mas... Me apaixonar por você, foi muito além do meu controle... Eu me sinto perdida porque estou apaixonada por você, eu me sinto insegura porque desconheço esse sentimento, não é nada comparado ao que já senti por alguém – Eu sussurrei.

Percy sorriu provavelmente gostando de ouvir aquilo

- Não tem problema se perder de paixão, eu vivo isso todos os dias... – Ele sussurrou de volta.

Dessa vez, fui eu quem o beijei. Não como das outras vezes, afinal estávamos na escola e, se nos pegássemos, eu estaria com sérios problemas.

Percy teve que ir para sua próxima aula e, eu teria que ir para a minha próxima aula, que por sinal, já havia começado a uns cinco minutos. Eu fiquei com o celular do Percy, ele me deu liberdade de ler a mensagem da Caly, na verdade ele disse que eu precisava ler. Porem, eu queria fazer isso quando ninguém estivesse olhando.


Notas Finais


Proximo capitulo será abordado um pouco da relação de Percy e Caly, através de mensagens que a Annie vai ler.

- PROXIMO CAPITULO: Ciumes de conversas antigas? Quem nunca...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...