História Amor Adolescente - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Alvo Dumbledore, Argo Filch, Blásio Zabini, Draco Malfoy, Harry Potter, Hermione Granger, Minerva Mcgonagall, Pomona Sprout, Poppy Pomfrey (Madame Pomfrey), Remo Lupin, Ronald Weasley, Severo Snape, Sirius Black, Theodore Nott, Tom Riddle Jr.
Tags Escolar, Harry Potter, Harrymort, Hogwarts, Lemon, Tom Riddle, Tomarry, Tomarryfan
Exibições 39
Palavras 992
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Fantasia, Festa, Hentai, Lemon, Luta, Orange, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Slash, Terror e Horror, Universo Alternativo, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oiii!

Eu quero ir me evangelizar, Amano, você prevê o futuro! Gente, como essa mulher pediu uma coisa que ia acontecer na história?

Parabéns mesmo assim, eu estou com medo de você.

Boa leitura!

Capítulo 3 - Segundo


— Me fale mais sobre você – disse Tom gentilmente. 

— A-Ah.. Bom.. Eu sou um ano mais novo que você e..

— Como você soube da minha idade? – cortou, curioso. Vendo o desconforto do menor, chutou – Hermione já te falou de mim?

— Sim, sim – suspirou aliviado – ela me disse que você era bem sério, e que você era muito bonito..

O maior sorriu, orgulhoso. 

— Irei agradecê-la depois.. 

— Oi Tom! – gritou Draco alegremente, recebendo um aceno do outro – Você está lindo!

— Obrigado – concluiu um pouco frio. Harry fumegava tentando se controlar para não enfiar uma faca no.. No loiro. 

— Você está conversando com esse grifinório patético? A classe dele não chega aos seus pés – provocou indiferente, passeando as mãos nos ombros de Tom. 

— Malfoy – disse irônico – acho que o único patético é você, achando que está cativando a atenção de alguém – os olhos verdes brilharam perigosamente, em combate com os cor de tempestade repletos de terror – Eu sairia da minha frente se fosse você, para não gerar problemas sérios. 

Draco deu um passo para trás assustado. 

— Harry? – Tom fitou-o surpreso, os olhos verdes brilhantes estavam opacos – Não geremos confusão, por favor..

O mais velho colocou uma mão no ombro do menor, que suspirou envergonhado.

— M-Me desculpe, eu não.. Q-Queria.. Você deve estar me vendo como um psicopata agora.. – lágrimas de vergonha se formavam nos olhos verdes agora brilhantes, fazendo Tom sorrir divertido. 

— Tenho certeza de que sou mais psicopata que você. – murmurou próximo ao seu ouvido, limpando as lágrimas recém-formadas nas íris verdejantes. 

Um suspiro escapou dos lábios de Harry ao ser tocado por mãos tão macias, graças à Merlin estavam num canto que a música alta cobria a confusão. 

— Eu sou o adolescente mais azarado e sortudo ao mesmo tempo – concluiu mais calmo. 

— Azarado? Você gera muita confusão, isso eu sei. Mas sortudo.. Seria por que estou aqui do seu lado? – disse temeroso, dando um chute alto pela sua arrogância sonserina. 

— Sim – a resposta foi de imediato e havia escapado do turbilhão de pensamentos impulsivos de Harry – Quero dizer..

As orbes vermelhas o observavam atentas, como uma cobra dando o seu bote, e era assim que o mais novo o via. Seu animal preferido era serpentes. 

— Harry! – Luna disse alegre se aproximando – Olá, eu atrapalho alguma coisa?

— Não – disse Tom sorrindo – Seu nome é Luna não é?

— Sim, muito prazer! Como posso lhe chamar?

— Tom – disse com simplicidade. No canto, Harry agradecia de ser salvo de situação tão constrangedora. Percebeu que Malfoy estava longe, os observando com certo receio. 

— Luna! Posso te ajudar em algo? – disse alegre e nervoso. Não queria sair do lado de seu amado, porém estava numa situação deveras vergonhosa. 

— Sim.. Theo está te chamando – disse ela, com as bochechas coradas pela corrida de encontrá-lo. Ou seria pela fala? Por Theo? – Acho que tem algo haver com o dormitório da Sonserina. 

— Merda – disse baixo – Eu estou indo.. Tchau, Riddle..

— Me chame de Tom, Harry – disse sorrindo. O mais novo queria dizer que iria chamá-lo de deus grego, porém se aquietou num sorriso meigo. Seguiu caminho ao dormitório das serpentes, e se lembrou. 

Os gêmeos não eram de enrolação. E como Harry tinha demorado, provavelmente já haviam colocado os explosivos..

— Harry James Evans Potter! – berraram Theo e Blaise. 

— Sem o Evans. Vamos lá, de novo..

— Harry James Potter! – disseram estranhamente. 

— Isso! OKAY, vou começar dizendo a verdade: dessa vez não fui eu! Te juro! – disse em sinal de rendição, rendendo a si próprio. 

— Provas? – disseram, mostrando a comunal toda escura de pólvora. 

— Ele estava no baile comigo – disse Hermione. 

— Eu não estava com você, eu estava com.. Ele. – murmurou constrangido. 

Blaise e Theodore olharam desconfiados, porém engoliram a desculpa.

— Me ofereço para ajudar a limpar, se quiserem – disse. 

Os sonserinos concordaram, e se puseram a limpar. Eram três horas da tarde, e depois de árduo esforço, limparam tudo. 

— Você é rápido, Harry – elogiou Blaise – Te quero como empregada quando eu me casar. 

— Primeiro que eu não aceitaria! Segundo, você é feio, ninguém vai casar com você. 

O negro fingiu um olhar magoado, porém começaram a rir. Saíram para curtir o baile, suados de tanto esforço, parando na cantina.

— Queremos uma latinha de coca – gritaram em uníssono sobre a música alta. Deram a quantia em dólares para o homem que cuidava do caixa e saíram. Acabaram em se separar, cada um seguindo o próprio rumo. 

Harry acabou por encontrar sua amiga Hermione conversando com uma outra garota, de cabelos longos e negros, enrolado apenas nas pontas. 

— Harry, quero te apresentar uma pessoa – disse a garota lhe puxando – Essa é Nagini, uma aluna nova. 

A garota lhe fitava atentamente, com grandes olhos amarelados e com a pupila em formato de uma fenda preta, era pálida e com a boca bem vermelha. Quando ela sorriu o garoto notou os caninos de um tamanho anormal, desceu os olhos para o corpo e ela era muito bonita, com vestes negras. 

— Prazer, Harry Potter. Sou Nagini. Apenas Nagini. 

— Prazer – disse firme e curioso – Nagini era o nome de uma imperatriz da Idade Média que os plebeus acreditavam se transformar em uma serpente. Correto?

— Exato – disse misteriosa. – Pode me mostrar onde está Riddle?

Com as suas próprias suspeitas, Harry guiou a garota para o meio do baile, procurando o adolescente. 

— Depois que a rainha morreu, correram boatos de que outras pessoas conseguiam se transformar em tais animais também, e todos tinham o nome "Nagini" – continuou Harry. 

Nagini observou-o sorrindo maléfica, e respondeu suave:

— Você é esperto. Olá Tom! – saudou-o.

— Nagini – sorriu misteriosamente. 

— Você a conhece..? – perguntou o mais novo. 

— Sim – concluiu sorrindo ao ver que o garoto havia vindo também. 

— Não precisa ficar com ciúmes – murmurou Nagini, para apenas Harry escutar. – A imperatriz também lia mentes e sentia o sentimento das pessoas, e eu pensei que somente eu estudava isso, Potter. 

O menor saiu bufando, porém sorrindo, era uma garota persistente e provavelmente iria cair na Sonserina. 

— Certeza – murmurou consigo, indo pegar outro refrigerante que o tiraria de pensamentos complicados. 


Notas Finais


Amano eu irei lhe denunciar. Brincaderinha.

Espero que tenham gostado,
Le'R


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...