História Amor, Amizade, Poder e responsabilidade - Capítulo 30


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amizade, Amor, Kelvin, Original, Super Poderes, Yaoi
Exibições 14
Palavras 1.186
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Fantasia, Lemon, Romance e Novela, Super Power, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Não tenho oque falar *-* ;-;

Kkkkkk

Só leiam as notas finais pfv.

Boa leitura.

Capítulo 30 - Familia do Sparkow


~Pov's Kelvin~


 O baile continua, já são 03:45hrs eu e o Bry estamos no jardim, algumas pessoas vieram pra ca, pois está tudo muito iluminado e bonito. Estamos sentados no gramado.


Lembra de quando eu falei que até ir ao banheiro com o Bry agora eu iria...? Então... ele esta aqui querendo ir.


- Amor?- chama ele- Eu vou ao Banheiro, tá. Me espera aqui.


- Eu vou com você.-falo.


- É oque? Vocé estava falando serio?


- Claro. Você é tudo pra mim. Quero cuidar de você e te proteger.


- Ta... se vai, vamos logo... que eu estou apertado.


Levantamos e fomos ao banheiro. Eu dei a mão ao Bry e seguimos até lá. Chegando ao banheiro o Bryan entra no Box e eu estava entrando com ele quando ele me barra.


- Ah. Aqui não precisa, né...- fala com a mão em meu peito, como um gesto de me barrar.


- He he he. Podem ter muitos perigos em um Box de banheiro.- falo com um sorriso bobo na cara.


- Espera ia, vai seu idiota.


Ele entra depois de 5 segundos eu falo.


- Quer que eu ajude?


- Para kel...


- Vai... Deixa que eu seguro seu pa...


- Safado, sai daqui.


- He he he.


- Da proxima você não vem nem a pau.- fala em um tom de brincadeira.


- Ah é?


- É


- Me aguarde Bryan Alexander.


- Para. Você sabe que eu não gosto quando me chamam pelos 2 nomes.


- He he he.


Ele dá uma pequena descarga, e sai do banheiro. Eu puxo ele lhe roubo um beijo. Ele resiste e separa o beijo carinhosamente.


- Deixa eu lavar as mãos primeiro.-fala.


- Estraga prazeres.


Ele lava as mãos e me puxa para sairmos do banheiro. Voltamos ao jardim e ficamos deitados no gramado olhando as estrelas. As estrelas estavam verdadeiramente lindas. Ficamos lá, a sós durante alguns minutos. Mas logo a galera aparece.


- Não vão entrar mais não, é?- perfunta o Tú.


- Vamos. Daquia pouco.


- Estão fazendo oque?- pergunta o Matheus.


- Só converssando, e olhando as estrelas.-noto que o Sparkow é o unico ausente.- Luiz cadê o Sparkow?


- Foi falar com irmão ou algo do tipo.


- Mas a familia dele não viria apenas amanhã?


- Sim. Mas o irmão dele tambem é daqui.


- Ah ta.



Sentamos e ficamos relembrando os velhos tempos. Logo o Sparkow aparece e se une a nós.


- Será que teremos uma vida normal de novo?- Fala o Bry


- Não sei... mas se houver, ou se não houver, vamos continuar amigos e namorados até o fim.- falo e todos concordam com a cabeça.


O Baile foi bem de boas, e o resto da nadrugada foi só resenha. Fomos dormir às 04:00hrs.


(...)


Acordo ao som da campainha do apartamento. 


A pessoa parecia que ja estava tocando à um tempinho, pois o som tocava bem repetitivamente rapido.


- Aff. Quem deve ser?- fala o Bry acordando.


- Não sei. Vamos ver...


Levanto e vou até a porta. O Bryan vem junto comigo. Abro a porta e vejo uma senhora de aproximadamente 45 anos, um senhor nas mesmas condições e uma moça de aproximadamente 20 anos.


- Desculpe. Aqui é o apartamento do Sparkow?- fala a senhora.


- É aqui sim. Você deve ser a mãe dele.- falo.


- Exato.-fala.


- Bom... podem entrar. Eu sou Kelvin.- entro vou a cozinha pego um copo de leite e comerço a beber.


- E eu sou Bryan.


- Eu sou Sabrina. Mãe do Sparkow.


- Eu sou Fabio. Pai do Sparkow.


- E você é...- pergunto, pois a moça estava demorando para dizer. 


- Eu sou Bruna, a namorada do S...


- Pppfffff-cuspo todo o leite para o lado. Puts Grila.


- Do Skwong.- completa a moça.


- Ai que alivio.- falo sem querer.


Toc Toc Toc


- Sparkow, sua familia chegou.- fala o Bry batendo à porta.


Ouço uma movimentação brusca no quarto (autor: não é oque vocês estão penssando... pervertidos) era com se ele tivesse se assustado e levantou da cama correndo.


Em menos de um minuto o Sparkow abriu a porta. Ele saiu do quarto animado e braçou os pais. O luiz saiu logo atráz dele com uma cara de sono.


- Sparkow não quero levantar agora. Estou com sono.- reclama o Luiz.


Que estranho. O luiz e o Sparkow estão se chamando pelos nomes...? Estes dias eles ficaram muito grudentos e ficam o tempo todo se chamando de amor. Isso é fofo. Eu não estou reclamando disto, apenas lembrando.


~Pov's Luiz~


- Sparkow sua familia chegou.- chama o Bryan enquanto bate à porta.


O Sparkow pula da cama e veste uma roupa correndo. Ele estava de cueca boxer. Ele mepuxa carinhosamente da cama.


- Cuidado com oque diz por favor. Meus pais não sabem que eu sou gay.- fala com um olhar de dar pena.


- Ta.


Ele abre a porta. (Ele dorme de Boxer eu não).


- Sparkow nâo quero levantar agora. Estou com sono.- falo e esfrego os olhos.- Prazer... sou Luiz.


- O Prazer é nosso.


- Que esculhambação é essa? Eu quero dormir via...- Fala a Domy saindo do quarto, mas eu prendo a boca dela.


Esplico tudo no ouvido dela eela entende, fica até mais seria.


- Então filhão... ja encontrou uma namorada?- pergunta o Pai.


- Ou namorado...- fala a mãe bem, bem,bem baixinho mas eu escuto por causa da super-audição.


- Pai...- protesta.- Mãe, sim.- ele escultou oque a mãe falou e respondeu.


- Sim, oque? ela falou alguma coisa?- pergunta o Pai.


- Nada, deixa pra lá.- fala o Sparkow.


A mãe do Sparkow fica me encarando com um sorriso simpatico.


- Cunhadinhoooo- fala uma moça e abraça o Sparkow.


- Bruuunaaa.


Eles se separam. Bruna puxa o Sparkow e eu pro nosso quarto.


- Conta tudo viado. Ele é o seu Boy?- fala a Bruna.


- Sim.- fala o Sparkow corado.


- Eu sabia.- fala a Mãe do Sparkow entrando no quarto.- mãe sempre sabe. Entendo não ter me contado antes por medo de rejeição. Mas eu apoio vocês. Sejam felizes. Garoto... faça meu filho feliz. E pronto.


- Ai mãe eu te amo.- fala o Sparkow.


Juro que vi a cauda do Sparkow aparecer quando ele falou com a mãe. Acho que é pelo alivio.


- Não vou contar agora pro seu pai. Ele é muito cabeça oca. E iria uere te bater. Quando chegar em casa eu falo.


- Ta.


- Daqui a pouco ja vamos em bora. Só viemos te ver. Ah... feliz aniverssario.- fala estende a mão com uma caixa.


Vamos pra sala e a Bruna e o pai do sparkow dão os presentes.


Ficamos converssando sobre coisas normais. E em pouvo tempo depois os meus sogrões saem.


- Eh. Foi mas facik doque eu imaginei.- fala o Sparkow pegando os Presentes.


- Eh.- respondo.



Esplicamos toda a situação para os garotos e eles ficam felizes por não terem estragado tudo.


O Sparkow ganhou de presente...


Bruna: Roupa.(de marca)

Mãe: corrente dourada.(aumenta o poder magico.)

Pai: Chave de carro.


- Um carro?- fala e pula de alegria.


- Oque? Um carro?- falo curioso.


- Sim.


~Pov's Kelvin~


O Bryan esta com um mal pressentimento em questão a festa das dadivas mas tarde. Onde nós, magos e fadas iremos nos apresentar publicamente.


- Amor. Eu sinto que isso vai dar merda.-fala.


- Como assim, sente?-fala.


- Lembra daquela vez que vocé sentiu que algo ruim iria contecer?


- Da vez que hove aquele incendio perto do colegio?


- Sim... eu acho que estou sentindo algo assim tambem...


- Fica calmo.- falo abraço ele e beijo a testa dele.- Penssamento positivo. Mesmo assim vou avisar ao direitor.


Continua...





Notas Finais


Galera estou escrevendo uma outra historia com o meu namorado. (Não se preocupem, ela tem capitulos pequenos, então não me atrapalha escrever esta.)

Link:

My Different Love.

https://spiritfanfics.com/historia/my-different-love-7105824

Amo vcs, e até o cap que vem.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...