História Amor, Apocalipse e Sobrevivência - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Apocalipsezumbi, Zumbi
Visualizações 16
Palavras 2.232
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Ficção Científica, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror, Yuri
Avisos: Bissexualidade, Canibalismo, Homossexualidade, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


:) Espero que estejam gostando!

Capítulo 10 - Capítulo 10


Emilly POV

    As lanternas estão quebrando um galho e tanto, aqui é muito escuro ainda mais sem energia para acender uma lâmpada, odeio essa merda! Está todo mundo espalhado, Gabriel está sentado no chão perto da mesa de armas, está mexendo nelas desde que chegamos, meu pai e Rose estão perto dos mantimentos, a pedido de Gabriel colocaram um monte dentro das nossas mochilas e deixaram alguns para a gente comer agora, Rae está do meu lado, sentamos perto das roupas de proteção, acho que ela está dormindo, escorou no meu ombro e apagou!

-Vocês duas precisam comer alguma coisa mais forte, só comemos macarrão e bolacha nos últimos dias! - Meu pai fala estendendo duas latas medias de carne enlatada, apenas de olhar para ele lembro que traía nossa família, e uma raiva aparece

-Obrigada! - Falo já tomando as latas com força da mão dele. Ele suspira e volta a ficar perto de Rose. 

-Somos três "adolescentes" revoltados com os pais em pleno apocalipse! Rsrsrs - Gabriel fala sentando ao meu lado 

-Somos rebeldes! - Falo dando um sorriso convencido 

-kkkkk acho que a Rae é mais que nós dois juntos! Falando nela... dormiu?

-Acho que sim, faz um tempo que ela está assim! Vai acordar com dor no pescoço...- Falo já puxando ela e deitando a cabeça dela na minha coxa 

-Ela gosta muito de você, sabia? - Aceno com a cabeça e um sorriso enorme surge no meu rosto quando olho para ela, dormindo serena e linda - E como você é importante para ela é importante para mim também Emilly! 

    Fala levando a mão direto nas costas, parecia querer tirar alguma coisa de lá, assim que a mão volta me mostra uma pistola prata.

-Essa é uma Taurus 92, ela tem uma trava de segurança aqui - fala me mostrando e olhando nos meus olhos -, verde travada, vermelho destravado e pode atirar. Sempre mantenha o dedo fora do gatilho, é como uma câmera, é só apontar e fogo! Use apenas em caso de necessidade Emilly, e não deixe nossos pais verem, não queremos mais chiliques... 

    Olho para aquela arma nas minhas mãos, é pesada, e está carregada dá para ver, alguns vídeos na internet até que eram úteis. Olho para nossos pais, estão distraídos, puxo minha mochila e guardo no bolso de fora, mais fácil de pegar 

-Obrigada Gabriel! - Sorrio para ele e retribui

-Vamos dormir, amanhã teremos muito chão pela frente! - Fala se levantando e sorrindo.

... ...

    Dormir no chão e ainda sem consegui mexer acabou comigo, minhas costas e bunda, que nem estou sentindo, está tudo dormente puta merda! Puxo o braço de Rae para ver quantas horas, está marcando 6h30, mas ainda está todo mundo dormindo. Por que está todo mundo cansado se só andamos de carro o dia todo? Vai entender...

-Seria pedir demais abaixar meu braço? Meu sangue não está circulando sabe, mas pode continuar segurando minha mão! - Olho para Rae que estava de olhos fechados, mas com um sorriso nos lábios, paro de secar a boca dela é olho para nossas mãos, realmente estava pendurada hshshs 

    Solto a mão dela, deixando abaixar novamente, levo minha mão para seu rosto e acaricio sua pele, tão macia... abaixo e dou um pequeno selinho nela, que aumenta o sorriso ainda mais 

-Bom dia! Dormiu bem? - Pergunto ainda alisando sua bochecha

-Dormi sim, com um travesseiro desse quem não dorme!? - Fala poupando minhas coxas - E você? 

-Que bom que minhas pernas foram de grande ajuda, por que minhas costas estão lascadas! Hshshs

-Que pena da pequena! - Cerro os olhos para ela - Calma garota! Kkkk que tal eu te compensar com uma massagem depois em?

-Adorei a ideia! - Falo com um sorriso vitorioso

    Ela levanta e começa a movimentar o corpo, estala o pescoço, braços, dedos, costas, pernas e juro que escutei os dedinhos do pé estalar também dentro do conturno, caramba! Ela vai até as prateleiras que estava os enlatados e pega um pacote de bolacha, volta pulando nossos pais já que eles dormiram lá perto; vejo uma movimentação ao lado e Gabriel se levantando também, ele faz a mesma coisa que Rae estalando todo o corpo... esses gêmeos não são normais!

-Ainda bem que peguei um pacote a mais, Gabriel come como uma traça! – Rae fala

-Gabriel como que nem uma traça, mas é Rae que está gorda viu! – Ele fala se ajoelhando perto de nós, ele desiquilibra e cai para o lado com o soco que Rae deu no braço dele

-Idiota! Katchup? Kkkkk – Ela aponta o frasco junto com os pacotes... aaaa não mesmo!

-Nem vem com essa coisa pro meu lado, chega de katchup!

-Bom então que sobra mais, passa pra cá! – Gabriel fala rindo e tomando o frasco da mão de Rae

-Vocês não são normais! Hshshs – Eles também rir já comendo a bolacha com o "molho" grr

    Ficamos comendo as bolachas e Gabriel, para minha surpresa, tirou uma manteiga da bolsa dele, quase derretida por completo mas tinha uns pedaços que dava para usar, então bolacha com manteiga para minha alegria! Nossos pais levantaram minutos depois e também comeram alguma coisa, estávamos só esperando o que viria a seguir de Gabriel

-Gabe, e agora? – Rae pergunta

-Vamos para um lugar, acho que lá está seguro!

-Você acha? – Meu pai pergunta

-Sim, eu acho! Não sei como estão as coisas para esse lado, mas vamos torcer que estejam melhores do que aqui!

-Quanto tempo de viagem Gabe? – Pergunto

-Provavelmente um dia e meio se achar gasolina, se não teremos que andar e a viagem aumenta.

-Então teremos que parar no meio do caminho, em postos ou carros largados! – Rae fala

-Sim, e onde estiver com menos zumbis... que seja fácil matá-los e ficarmos mais tranquilos para procurar o que precisa.

-Então vamos! – Rae fala colocando aquela arma enorme no coldre, eu até tinha me esquecido dessa coisa gigante.

-Antes de ir, Rae fica com essa pistola e AK-12, eu sei que papai te ensinou com ela... está limpa, carregada e calibrada. Use apenas quando precisar!

-Blz Gabe! – Ela fala sorrindo e pendurando a arma no pescoço, a outra verificou e colocou nas costas dentro da calça. Essa menina está feliz demais por receber armas, meu Deus!

-Gabriel, acho que Rae não precisa disso! – Rose fala já questionando a posse de armas da filha

-Não vai ser só ela! – Fala estendendo o mesmo tipo da AK-12 para meu pai– Não faça nenhuma burrada ou cumpro com minha promessa Benette!

-Certo Gabriel! – Ele fala segurando a arma também

-Vai querer uma? – Pergunta olhando para a mãe dele

-Não, você sabe disso! – Ele revira os olhos e suspira, tira outra arma da mochila e vem em minha direção

-Não, Emilly não vai receber nenhuma!

-Por que não? Vocês vão armados e podem ajudar, já eu vou ficar apenas olhando? E se alguma daquelas coisas vier em minha direção? Vou ficar gritando e correndo?

-Não vai receber e pronto! – Suspiro, olho para Gabriel que guarda a arma de volta e me olha como se já previa isso, por isso ele me deu a arma ontem escondido!

-Usem apenas se precisar, não dispare sem porra de precisão que vai acertar na cabeça! Use as armas brancas, não atrai mais deles.... então vamos de vez!

    Gabriel tira de novo aquela chave do pescoço, assim que coloca na fechadura ele para e coloca o ouvido na porta de aço... Rae se aproxima dele e faz o mesmo, ela arregala os olhos e olha para Gabriel que também não está com uma cara muito boa

-O que foi? – Meu pai pergunta

-Temos problemas lá fora, muitos problemas pelo que consegui ouvir! – Rae fala

-Precisamos de uma distração para conseguir sair e correr para o carro... – Gabriel fala como se já pensasse em alguma coisa

-Eu já tenho um plano! – Todos olham para Rae, quando reparei nela, tinha prendido o cabelo em um rabo de cavalo, colocado o boné de cabo do irmão, tirado a mochila e ficado apenas com as armas... o que essa menina está pensando?

Rae POV

    Estou vendo que todo mundo vai dar um chilique, tão me olhando como se eu fosse uma louca que fugiu do hospício e estivesse com aquela cara de psicopata assassina, sou a única que pode fazer alguma coisa, não sei dirigir, Gabriel não vai falar para Benette levar o carro e ele não pode se arriscar a ser infectado, o que sobra a missão suicida para mim, legal! Só que não mesmo, mas fazer o que né!?

-Não mesmo! – Minha mãe, Gabriel e Emilly fala de uma vez! Kkkkkk isso foi engraçado, que sincronia... não ria Rae Anderson ou vão te chamar de doida com razão kkkkkkkk.

-Sim, Gabriel não pode se arriscar, ele não vai confiar em Benette e eu não sei dirigir, então será que dá para escutar o plano antes de crucificar?

-O que pensa Rae? – Gabe me pergunta

-Eu vou sair e afastar eles daqui, vou apenas com a Phyton e o taco de baseball, correr na velocidade média que não me canso e eles ainda me perseguem... assim que sair daqui vocês saem também, me deem um tempo e depois vão me encontrar em algum ponto a certa distância daqui, ai continuamos nosso caminho.

-Não pode ser muito longe para você não ficar sozinha, mas também não pode ser perto... temos que ver a gasolina, marcar um ponto de encontro que podemos achar o que precisamos! – Gabe fala, ele me entende perfeitamente, tira o mapa da mochila e vai para a mesa

-Você não está cogitando a hipótese de seguir o plano dela, está? – Minha mãe pergunta

-Já estou seguindo, Rae é muito boa para montar estratégias e planos de evacuação desse tipo, se ela pensou isso, então é nossa melhor opção.

-Tem que ser agora, mas precisamos de um ponto de encontro! – Falo, depois olho para Em, ela não está com uma cara nada boa... estava aproximando dela, quando Gabriel me chama para a mesa

-Rae venha ver esse lugar, acho que vai ser o ideal! – Assim que me aproximo observo o mapa – Isso aqui é aqueles lugares completos sabe? Tem oficina, lanchonete, lojas de roupa, bombas de gasolina, um Posto Ipiranga da vida, vai ser o lugar certo.... porém é a 4 quarteirões daqui Rae.

-Puta merda Gabriel, você tá tirando com minha cara né? – Ele suspira e olha para o mapa, pelo visto está falando sério... drogaa – Você sabe chegar sem o mapa?

-Sei! Vai querer levar ele? – Aceno com a cabeça – Certo, vou marca para você!

-Rae por favor não faça isso! – Minha mãe fala segurando minha mão – Me desculpe, mas não faça isso... – fala já chorando, odeio ver ela assim

-Eu vou para vocês terem uma chance, não estou fazendo isso para vingar de você! – Seguro a mão dela – E confie na sua filha um pouco, eu vou conseguir fácil, fácil levar os zumbis para longe e encontrar vocês! – Sorriu e aproximo beijando sua testa

-Só tome cuidado filha! – Fala me abraçando, depois que me solta olho para Benette, apenas aceno com a cabeça e vou até Emilly

-Você é uma idiota! – Ela fala

-Eiiii mas o que foi que eu fiz? Eu estou te devendo uma massagem e um pedido, não vou morrer sem pagar minha dívida, relaxa! – Falo sorrindo e segurando pelos ombros

-Não vai, por favor... você é corajosa, mas burra! Não precisa provar nada há ninguém...

-Eu não estou fazendo isso para provar nada Em, estou fazendo para que vocês consigam sair e me encontrar! Eu sei o que estou fazendo, mas preciso que confie em mim... você pode?

Ela me olha com os olhos transbordando de lagrimas, abaixa a cabeça e suspira... quando volta a me olhar está com um sorriso maravilhoso nos lábios... esses lábios me chamando o tempo todo, Zeus...

-Acho bom mesmo ficar viva, por que preciso muito daquela massagem que me prometeu!

-kakakaka sim senhora! – Falo já abaixando perto da boca dela, que me provoca molhando os lábios com a língua lentamente, maldita, não aguento e a beijo, um beijo calmo e com sentimentos de paixão, sua língua passa por meus lábios e volta para dentro da sua boca... quando ia aprofundar o beijo, fomos interrompidas por uma tosse, que julgo ser do maldito do Gabriel

-Depois vocês duas podem voltar para isso, sem público! – Puta merda nossos pais kkkkkkk ainda bem que estou indo ficar com os zumbis

-Gabriel, você é um porre maninho! – Falo pegando o mapa da mão dele e guardando no bolso

-Também te amo maninha! – Fala com um sorriso vitorioso, filho da mãe!

-Tudo bem, abra pouco para poder olhar a situação, e quando eu te cutucar abra o suficiente para poder passar arrastando, abra de vagar para não fazer barulho, e feche assim que eu passar!

-Espero alguns minutos e olho como estão as coisas para podermos sair! – Aceno com a cabeça, ele estende a mão – Tome cuidado Rae!

Pego sua mão, e ele me puxa para um abraço apertado, esmagou meus ossos mas adoro estar nos braços dele... – Pode deixar Gabe!

    Abaixo devagar e olho para Emilly que assim que viu que a olhava, também sorriu... olho para Gabe e faço sinal para abrir, vamos ver a situação da merda ali fora e ver o quanto estou fudida com meu próprio plano! 


Notas Finais


É isso ai galera, até ... :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...