História Amor Asgardiano - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Os Vingadores (The Avengers)
Tags Bucky Barnes, Katherine Pierce, Loki, Thor
Visualizações 24
Palavras 5.556
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Fantasia, Luta, Magia, Sobrenatural, Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


E a paixão se acendeu 💏💏

Capítulo 14 - O retorno de Damon


Fanfic / Fanfiction Amor Asgardiano - Capítulo 14 - O retorno de Damon

Pov Loki.

O sol batia no quarto que se revelava simples, com paredes brancas e totalmente desorganizado, cobertas no chão, objetos quebrados e roupas jogadas por todos os lados, eu rapidamente me dei por conta, senti braços se aninhando em mim, e olhei para baixo, Katherine estava coberta por um lençol azul de cetim, ela estava abraçada a mim.

-Oi.- Ela disse toda manhosa sorrindo pra mim.

-Oi.- Falei fitando aquele sorriso.

-Que cara é essa ?.- Indagou ela apontando para meu sorriso alegre.

-Eu estou feliz.- Falei alargando meu sorriso.

-Loki feliz?.- Falou a morena rindo.

-Eu tenho momentos de alegria, e ontem foi um deles.- Falei sorrindo.

-Fico feliz por ter te alegrado.- Falou Katherine mais manhosa ainda.

Eu acariciei seu rosto e ela fechou os olhos apreciando o gesto de carinho. Eu beijei seus lábios e ela retribui o beijo me agarrando com carinho, mas logo me largou e me olhou com os olhos arregalados.

-Espera... onde estamos?.- Falou ela que levantou se cobrindo com o lençol azul olhando o lugar apavorada.

-Estamos... na casa de Stark.- Falei me dando conta de onde estava e me levantei rapidamente completamente nu, logo conjurei uma nova roupa, um novo terno igual o anterior.

-Nossa que pratico, e como eu fico?.- Falou a morena agarrando o que sobrou do seu belo vestido.

-Pegue isso.- Eu dei a ela minha outra camisa social que estava jogada no chão.

-Não.- Ela falou sorrindo ainda embrulhada nos lençóis.

Eu andei até ela e beijei sua boca. Mas fomos interrompidos, por alguém abrindo a porta. Rapidamente eu abracei Katherine e usei um feitiço de ocultação que iria nos ocultar de quem quer que fosse. A porta se abriu e uma empregada apenas olhou o quarto que estava novamente perfeito e saiu. Katherine tinha a cabeça encostada no meu peito.

-Você tem alguma roupa qualquer que esteja em uma de suas dimensões.- Falou Katherine tímida.

Eu me peguei a pensar e me lembrei de algo, eu olhei para a cama, e conjurei um vestido bege, que já estava guardado a uns 150 anos. Um vestido Asgardiano.

-A não Loki, eu não vou vestir isso.- Falou Katherine brava.

-Então saia nua, ninguém vai vela além de mim é claro.- Falei sorrindo com malicia.

Katherine foi até o antigo vestido o pegou e entrou num banheiro que nenhum de nós notou existir ontem a noite, depois de alguns minutos elas saiu do banheiro, vestida no vestido antigo de Asgard.

-Caiu bem em você.- Falei com deboche.

-De onde você tirou ele?.- Indagou a morena.

-Longa história, vamos.- Falei pegando ela pela mão.

Katherine juntou todas as roupas e me olhou e disse.:- Some com isso por favor.

Eu com magia coloquei tudo em uma das milhares dimensões de bujigangas e utensílios que possuo.

-Okay agora vamos.- Falei arrastando Katherine pela mão.

Descemos ocultados por magia, e para nossa surpresa muitas pessoas haviam passado a noite lá muitas estavam bêbadas caídas pelo chão, eu e Katherine descemos todas as escadas e chegamos a porta principal da torre.

-Vamos pegar um taxi.- Disse a morena.

Eu apenas consenti e ela revirou os olhos.

-Loki o taxi não vai nos ver com sua ilusão de ocultação.- Falou ela me fitando.

Eu desfiz a ocultação e em um segundo, todos que passavam pareciam nos notar, em alguns minutos um taxi parou em resposta ao sinal de Katherine e nós entramos.

-Para onde querem ir?- Perguntou o taxista.

Katherine falou coordenadas e depois de alguns minutos estávamos em frente ao apartamento dela.

Ela cruzou a recepção comigo de mãos dadas, praticamente de arrastando com ela.

-Bom dia senhorita Pierce e senhor.- Falou a mulher anciã, mas Katherine não respondeu.

Entramos no elevador e ficamos nos fitando, logo a morena sorriu e se jogou nos meus braços me beijando.

-Já está com saudades de mim.- Falei sorrindo com sarcasmo.

-Idiota.- Ela falou e se virou.

Mas eu a puxei e dei mais um beijo em sua boca.

Saímos do elevador e chegamos em frente ao seu apartamento, Katherine estava muito engraçada com aquele vestido, o mesmo era maior que ela, e quando ela caminhava ele arrastava exageradamente no chão.

A porta estava entre aberta e Katherine arregalou os olhos e entrou como um raio eu a segui e parei ao seu lado enquanto ela fitava o sofá com descrença.

Sua irmã e o humano dela estavam enroscados um no outro apenas cobertos por uma fina coberta branca.

-Connie sua desgraçada!.- Falou Katherine que ia com ódio rumo a irmã.

Mas eu a peguei pela cintura a impossibilitando de andar, mas ela se desfez do meu aperto facilmente e ficou de frente para a irmã que estava em choque por ter sido pega.

-Katherine eu... eu... desculpe.- Falava Connie exaltada.

James acordava zonzo e quando se deu conta se levantou de cueca com seu estranho braço de metal.

Eu olhei para Katherine mas a mesma estava olhando James hipnotizada. Eu me coloquei na frente dela e falei.:- Os dois devem sair.

-Connie você tem sua casa, isso é uma audácia da sua parte.- Disse Katherine irritada.

-Eu vou pegar nossas roupas e vou embora.- Disse Connie que começou a juntar suas peças do chão.

-Eu sinto muito.- Falou James que vestiu sua calça e uma blusa.

-Mas já que estamos todos aqui, creio que temos assuntos pendentes.- Falou Katherine sarcástica e em um segundo estava com James contra a parede.

-Você está louca Katherine!.- Gritou Connie em posição de ataque.

-Só quero ter certeza que seu querido James não vai abrir o bico sobre o paradeiro da joia.- Falou Katherine baixinho.

-Quem informou isso a ele?.- Indaguei bravo.

-Quem mais poderia ser, a santa Connie.- Disse Katherine fitando a irmã com nojo.

-Eu nunca contaria sobre a joia sabendo que a segurança de Connie depende dela.- Disse James alto e claro.

-Eu espero que sim, se o segredo sair daqui, eu vou atrás de você e te mato.- Falou Katherine com uma voz sombria.

-Katherine você está exagerando!.- Gritou Connie que agora estava do lado da irmã.

-Mesmo? acha que é exagero proteger o que quase custou nossa vida?.- Indagou Katherine amargurada.

-Não, agora solta o Bucky, por favor.- Connie disse suplicante.

Katherine largou o humano e observou ambos saírem desajeitados pela porta da frente de seu apartamento. Katherine passou por mim pisando fundo e no quarto deu um gritinho de ódio.

-James é perigoso, ele vai falar tudo a qualquer momento.- Katherine disse seguindo rumo a saída do apartamento.

-Não vale a pena ir atrás dele..- Falei barrando sua saída.

Ela me olhou suspirou e disse.:- Eu não devia ter ficado fora a noite toda.

-Está arrependida?.- Indaguei relembrando nossos momentos de prazer.

-Que? não, foi maravilhoso, mas Connie foi uma vadia de fazer isso no meu apartamento, olha como ela deixou lugar.- Ela disse lamuriosa.

-Vamos arrumar tudo dou minha palavra.- Falei sorrindo para ele.

-Loki dês de quando você tem palavra?.- Ela indagou risonha.

- Des de ontem a noite.- Falei indo até ela e beijando sua testa.

-Vou tomar banho.- Ela disse sorrindo e foi rumo ao banheiro mas parou e me olhou.:- Você vem comigo ou não?.

Eu sorri e a segui.

Em alguns minutos Katherine encheu sua grande banheira com água e espuma, ela tirou seu vestido ficando nua e entrando na banheira, seu corpo era curvilíneo e perfeito.

-Vai entrar ou não.- Falou ela me jogando água.

Eu tirei meu terno peça por peça, até estar nú, durante todo o processo ela ficou me olhando encostada na banheira, eu entrei na banheira ficando encoberto por espuma da cintura para baixo.

-Vem cá.- Ela falou me colocando sentado entre suas pernas envolvendo minha cintura com as mesmas.

-O que está fazendo?.- Indaguei curioso pelo gesto.

-Dando atenção pra você.- Falou Katherine que beijou minha boca e em seguida começou a fazer carinho em meu rosto e passar as mãos delicadamente em meus cabelos.

-Essa não é você.- Falei observando a outra personalidade que eu não sabia da existência.

-Depois de séculos vivendo, você aprende que para sobreviver você tem quer ser imponente, é uma fachada.- Falou ela me fitando.

-Você não devia fingir ser o que não é.- Falei ainda digerindo aquela informação.

-Mas essa sou eu.- Falou ela beijando minha bochecha.

-Gosto desse seu lado.- Falei dando um sorriso sarcástico.

-Qual deles?.- Indagou ela risonha.

-Seu lado meigo.- Falei olhando seu rosto inocente.

-Não se acostume com esse lado.- Falou ela rindo.

-E você não se afeiçoe muito a esse meu lado.- Falei esclarecendo.

-Seu lado bom? pois ele te torna lindo.- Falou ela manhosa me dando um abraço.

-Não se engane Katherine eu não sou assim, esse homem que você acha que está vendo.- Falei lembrando de como realmente sou fisicamente.

-Eu gosto do seu intelecto, da sua voz, do seu cheiro, das suas palavras e do seu toque, eu gosto de você pelo que você é.- Falou ela me fitando com ternura.

Ninguém nunca tinha me falado essas palavras tão docemente além da minha mãe. Eu me virei e coloquei Katherine em meus braços, agora ela estava de  frente para mim, seus cílios molhados emolduravam seus olhos, seu cabelo úmido deixava seus cachos soltos caírem no seu busto, ela era linda.

-Que foi?.- Ela Indagou sorrindo.

-Apenas admirando o trabalho que os Deuses fizeram em você.- Falei sorrindo pra ela.

-Isso deve ser um grande elogio vindo da sua parte.- Falou ela travessa.

-Você é diferente.- Falei olhando para ela.

-Diferente no sentido bom ou ruim?,- Falou ela me aninhando em seus braços.

-No sentido bom.- Falei e fitei aqueles olhos que eram de uma cor tão comum mas mesmo assim eram diferentes de tudo que já vi.Katherine pegou meu rosto em suas mãos e beijou meus lábios, eu a segurei pela cintura a beijando com urgência, a água da banheira saltava para fora caindo no chão. Eu a fiz minha ali mais uma vez, ela era delicada, meiga e também sabia dar prazer e amor para qualquer um, mas desse dia em diante ela seria apenas minha, ela desperta em mim um lado que estava imerso em gelo a muito tempo... sentimentos.

Chegamos ao êxtase juntos, Katherine me abraçou extravasando sua satisfação, eu segurava seus cabelos, nossos rostos se encontraram ele olhou para mim, eu coloquei meu dedo indicador no seus lábios e a beijei.

-Me fale de Asgard.- Pediu Katherine com um sorriso infantil.

-Asgard é o paraíso dos Deuses o lugar mais lindo que você veria em sua vida, Asgard foi erguida sobre o ouro, é um deleite aos olhos dos Deuses e dos

poucos homens que tiveram a rara sorte de estarem em nosso solo sagrado.- Falei lembrando do quando Asgard era majestosa.

-Falando assim parece inalcançável.- Disse Katherine sonhadora.

-Geralmente os humanos veem Asgard como mito, ela e seus Deuses, foram poucas ocasiões em que humanos estiveram na presença de Deuses, mas um ou outro tiveram a sorte de entrarem na cidade por meio de terceiros.- Falei relembrando o episodio da humana de Thor em Asgard, quando eu ainda estava preso nas masmorras pagando por meu hediondos crimes contra Midgard.

-Terceiros? Pessoas de dentro de Asgard infiltram humanos lá dentro?.- Indagou a morena atenta aos meus relatos.

-Sim, até mesmo os Deuses como Thor, já ousaram desafiar Odin e levar seus afetos para Asgard.- Falei sério.

-Thor levou um humano para Asgard?.- Indagou a morena rindo da situação.- Mas porque ?.

-Ele levou uma humana Midgardiana que ele amava, na época eu estava preso, e ele foi a mim pedir ajuda, foi graças ao deslize de Thor que eu consegui por um breve tempo assumir o trono enquanto todos achavam que Loki pereceu em uma batalha.- Falei relembrando que de fato morri.

-Você arquitetou sua própria morte?.- Indagou a morena preocupada.

-Na verdade eu morri.- Falei revelando aquilo que escondi de todos.

-O que!?, mas como você está aqui agora?.- Perguntou ela preocupada.

-Existem nove reinos, Asgard, Ljossalfheim, Muspelheim, Midgard, Vanaheim, Jotunheim, Niflheim, Svartalfheim e Hel, esse ultimo é o inferno, quando se morre você vai para lá, o Hel é governado por Hella, a filha da minha reencarnação antecessora dessa, Hella me devolveu a vida em troca de um favor.- Falei

tentando esclarecer aquilo tudo.

-Qual favor?.- Indagou a morena séria.

-Você é bem curiosa, chega de histórias por hoje.- Falei cortando o assunto ali.

-Não, não meu amor, você começou agora termine.- Falou ela me prendendo com seu olhar.

-Hella queria a alma de Thor.- Falei pensativo.

-Por ver Thor vivo suponho que você não cumpriu sua promessa.- Disse a morena se mostrando mais inteligente do que supus.

-Sim, por não cumprir minha promessa, Hella invadiu Asgard, destruindo a cidade com chamas do próprio Hel, enfrentamos uma grande batalha, mas depois de algumas mortes, conseguimos barganhar com ela, salvando assim os nove reinos mais uma vez.- Falei lembrando o quanto aquilo foi embaraçoso.

-Entendo, eu creio que seu inferno é diferente do inferno da terra.- Disse Katherine pensativa.

-O Hel é único não existe outro, é para lá que qualquer alma dos nove reinos vai após a morte.- Falei ansioso.

-Para a alma de vocês, mas para os vampiros existe um inferno coletivo, o outro lado.- Falou ela me fitando.

-Outro lado?.- Indaguei querendo ouvir dela a história.

-O outro lado foi criado pela bruxa mais poderosa que esse mundo já viu, é pra lá que todas as criaturas sobrenaturais mortas encontram seu descanso ou seu inferno pessoal, vampiros, lobisomens, duplicatas, bruxas e qualquer outra criatura que não seja natural.- Falou a morena me fitando.

-E como sabes de tudo isso? - Indaguei passando as mãos nos cabelos dela.

-Anos de estudos e eu sei que nem todos que morrem permanecem lá, é como uma grande caixa, se alguém que está dentro tem alguém aqui fora como uma

bruxa, a mesma pode trazer o ser de volta a vida com magia.- Falou ela pensativa.

-Creio que a magia Midgardiana tem em base a Asgardiana.- Falei analisando a situação.

-Espera, você morreu uma vez mas se morrer novamente o que acontece?.- Indagou Katherine assustada.

-Não vai existir barganha que possa me trazer de volta, eu pagarei por meus crimes e queimarei eternamente.- Falei lembrando que devo me manter vivo.

-Vocês Deuses não deviam ser imortais?.- Perguntou a morena me fitando.

-Pense olhando para sua situação, você é imortal, você vive dia após dia, ano após ano e séculos a fio mas se alguém te matar, você morre.- Não existe nada eterno nem imortal Katherine.- Falei olhando para a morena.

-Mas você não tem um data de vencimento tem?.- Falou ela risonha.- Porque se você envelhecer será uma perda a humanidade.

-Na verdade tenho, os Deuses no máximo vivem 5 mil anos, essa minha nova reencarnação tem 1052 anos, então ainda me restam 3948 anos, mas é claro se

ninguém me matar.- Falei sorrindo pra ela.

-Ninguém vai mata-lo, você tem a mim seu bobo.- Disse ela me beijando.

-E você tem validade?.- Falei sorrindo pra ela.

-Tenho que discordar de você sobre eternidade, pois vampiros são eternos eu sou eterna, eu tenho 300 anos, existem vampiros como o maldito Klaus que tem mais de um milênio e a os primeiros da nossa raça que ultrapassam 10 mil anos.- Falou ela me fitando séria.

-Isso é impossível, nem os Deuses ultrapassam essa idade.- Falei sério diante daquela afirmação.

-Pois acredite Loki, existem vampiros que ultrapassam essa idade e eles estão por ai.- Falou ela agora risonha.

-São apenas lendas.- Falei beijando aquela boca macia que Katherine tinha.

-Não sei se são lendas ou não, mas eu sei que enquanto houver vida, pessoas com as quais os vampiros possam se alimentar os mesmos vivem, pois sangue é vida, é o sangue que nos mantém vivos.- Falou ela me dando um selinho.

A imortalidade dos vampiros é fascinante, Katherine é fascinante, eu admito que me interessei pela imortalidade dos vampiros, essas criaturas podem viver mais tempo que Deuses, se eu obtivesse essa façanha. Eu observei a mão de Katherine e a peguei na minha, uma mão tão delicada, com um lindo anel com uma pedra azul em cima do mesmo.

-E esse anel? deve ser importante para você.- Falei olhando nos olhos dela.

-Na verdade é sim, sem ele eu queimo até a morte.- Falou ela levantando a mão e fitando o anel em seus dedos.

-O que?- Indaguei puxando a mão dela até mim e olhando o anel.

-Ah Loki, você é milenar e nunca ouviu falar de vampiros.- Falou ela revirando os olhos e beijando minha boca.

-Esclareça para mim.- Falei sério.

-Como falei o feitiço criado a milênios para tornar mortais em imortais tem seus pontos fracos, imagine criaturas imortais que pudessem andar 24 horas soltas pelo mundo sem controle, criaturas sanguinárias que matavam por prazer e por fome, ceifando milhares de vidas, O feitiço do vampirismo tem um porém, todos os vampiros transformados carregam a maldição do sol, não poderíamos andar a luz do dia, deveríamos aguardar o por do sol para podermos caçar pois a noite as pessoas já estavam seguras em seus lares e nós apenas teríamos os desavisados que circulavam durante a madrugada sem saber o perigo que corriam, é uma limitação.- Falou a morena me fitando séria.

-Mas você anda no sol.- Falei com a sobrancelha erguida.

-Graças aos anéis que Dimitri deixou para mim e Connie, esse anel foi criado por uma bruxa, um vampiro que possui o anel da luz do dia, pode andar no sol sem sofrer danos.- Falou ela séria.

-O que acontece com o vampiro sem o anel perante a luz do sol?.- Indaguei preocupado.

-Pense em uma folha seca banhada em álcool, uma única fagulha de fogo é necessário para transformar qualquer um de nós em cinzas, quanto mais velhos mais rápido queimamos, eu por exemplo não duraria dois minutos.- Falou ela com um sorriso triste.

Ela me olhou e tirou seu anel colocando sua mão em um feixe da luz do sol que vinha da pequenina janela de vidro acima da banheira que refletia no chão, Katherine me olhou e colocou sua mão no raio de luz sem o anel, sua mão começou a ficar vermelha, e sua pele começou a desmanchar e em um segundo sua mão estava em chamas ela deu alguns gemidos de dor e tirou rapidamente a mão da luz solar colocando seu anel novamente. Eu a observei surpreso.

-Você conseguiu me surpreender, e não faça mais isso, não a quero se machucando para me dar demonstrações das fraquezas da sua raça.- Falei sério pegando sua mão que já estava curada.

-Ta bem.- Falou ela sorrindo e saindo da banheira pegando um grande roupão e se enrolando no mesmo.- Pegue o seu quando sair.- Falou ela por fim apontando para outro roupão branco.

Eu fiquei mais alguns minutos na banheira Midgardiana pensativo, Katherine me agradava, ela era uma mulher linda, engraçada e tinha tudo para fazer de um homem seu escravo, e eu estava me deixando levar, eu gosto dela como homem e desejo estar com ela. Eu não entendo quando foi que sentimentos humanos invadiram minha mente, eu estava como disse Thor e como dizem os humanos de Midgard, apaixonado. Eu agora tinha mais uma preocupação, quando conseguisse as joias eu levaria Katherine comigo, mas agora com a história do anel, eu creio que se a mesma sair de Midgard, o feitiço do anel se desfaça e a mesma vire cinzas assim que pisar em Asgard, eu vou pesquisar sobre isso, mas se Katherine estiver presa a Midgard eu terei que deixar a mesma, pois não deixarei meu trono por causa de uma mulher.

Eu sai da banheira e peguei meu roupão, o vesti e fiz um nó na cintura com o grosso cordão que pendia no mesmo.

-Pensei que tinha morrido afogado na banheira.- Falou Katherine sarcástica, a mesma surgiu da cozinha já trajando um vestido roxo de alças finas que destacava seu busto e suas curvas, ela vestia um curto casaco preto e nos pés usava uma bota preta que subia até os joelhos e seu cabelo estava úmido caindo em cachos definidos sobre sua cintura, nas mãos ela trazia uma garrafa de uma bebida que não consegui ler o rotulo.

-Estou bem vivo.- Falei indo até ela e pegando a garrafa de sua mão dando um grande gole.

-Você é um descarado, o Bourbon é meu.- Falou ela rindo e pegando a garrafa das minhas mãos bebendo da mesma.

-Sou mesmo.- Falei pegando sua cintura e beijando sua boca.

A campainha tocou interrompendo nosso momento, Katherine me fez segurar sua bebida e foi rumo a porta abrindo apenas um espaço da mesma, da porta da cozinha eu a ouvi dizer alto e claro.

-Thor! você aqui?.- Indagou ela surpresa.

-Loki sumiu! creio que o mesmo nos traiu novamente.- Falou Thor entrando no apartamento sem ser convidado.

Eu resolvi surgir na sala e falar com meu irmão, eu conjurei uma roupa social, sapatos pretos de couro, uma camisa social azul marinho e uma calça jeans preta o que os humanos daqui usam.

-Eu sumo por algumas horas e o mundo já pensa mal de mim.- Falei surgindo diante de Thor que me olhou surpreso.

-Você estava aqui o tempo todo? os dois aqui juntos?.- Indagou Thor que alternava o olhar entre mim e Katherine.

-Poise, cansamos da festa e fomos passear por Nova York.- Katherine falou esboçando um sorriso sincero que convenceria até a mim se eu não soubesse da verdade.

-Podiam ter avisado, fiquei preocupado. -Disse Thor me fitando.

-Não precisa fingir Thor, eu sei que você não se preocupou comigo mas sim se eu estava fazendo algo maléfico á Midgard.- Falei com desdém.

-Loki você parece ter mudado, mas não é tão simples assim confiar em você.- Falou Thor me fitando com receio.

-Então não confie.- Falei sério.

-Quer uma bebida Thor?.- Indagou Katherine olhando Thor.

-Não eu já estou de saída.- Falou Thor se virando para sair, mas ele pegou a mão de Katherine e a beijou falando.:- Foi um prazer revela.

Ele disse e saiu do apartamento fechando a porta atrás de si.

-Ai Loki desmancha essa cara de emburrado.- Falou Katherine apertando minhas bochechas.

-Sai.- Falei me afastando dela.

-Você é mesmo bipolar! não sei por que ainda me surpreendo!.- Gritou ela sumindo dentro da cozinha

-.Eu falei para não se acostumar com o homem que viu a pouco.- Falei alto sabendo que a mesma escutar

-Eu não me acostumei.- Gritou ela saindo da cozinha e sumindo no seu quarto.

A campainha tocou, Katherine não apareceu, com certeza Thor quis bancar o meu guarda costas e resolveu voltar, eu fui até a porta e abri a mesma, dei de cara com um sujeito alto, parecia ser bem jovem era branco e tinha os olhos mais azuis que já vi, o mesmo era forte e tinha cabelos negros que caiam sobre seu rosto, ele me olhou com desdém de cima a baixo e entrou no apartamento sem cerimonia o jovem trajava roupas góticas.

-Quem você pensa que é humano?.- Falei olhando aquele jovem audacioso que ousou entrar sem ser convidado.

-Sou Damon.- Disse o jovem rapaz e deu uma piscadela.

-A meu deus! Damon!.- Katherine surgiu surpresa e caminhou rumo a Damon e o abraçou.

Eu observei, Damon era o Damon o afeto adotado de Katherine, eu estava perplexo.

-Mamãe, senti saudades.- Falou ele sarcástico retribuindo o abraço.

-Achei que estava morto, já fazem quase 70 anos que você sumiu garoto.- Falou ela fitando Damon com carinho.

-Sabe como é, eu quis conhecer o mundo pela milésima vez.- Falou Damon que agora fitava o lugar.

-E você quem é?.- Falou Damon ficando de frente para mim, mostrando imponência.

-Sou Loki de Asgard.- Falei com desdém devolvendo a postura imponente digna de um rei.

-Espera, você não é o cara fantasiado que tentou tomar Nova York?.- Indagou Damon olhando com um sorriso sarcástico para mim.

-Eu sou um Deus e exijo respeito criatura.- Falei sombrio.

Damon apenas ficou dando risadas e se voltou a Katherine.

-Eu sumo por algumas décadas e você me arranja um pai novo?.- Falou ela sorrindo para Katherine.

Eu queria mata-lo ali mesmo, por ter sido insolente ao ponto de ousar se comparar a um filho meu, ofendendo a mim com suas palavras Midgardianas.

-Então agora que se conheceram chega de brincadeirinhas Damon.- Falou Katherine querendo quebrar o clima.

-Onde andou esse tempo todo?.- Indagou Katherine.

-Por ai.- Falou Damon com um sorriso de vitória.

-Por ai aonde Damon?.- Indagou a morena com ambos os olhos arregalados.

-Mônaco, Brasil, Bélgica, Alemanha, Dubai e mil outros lugares.- Falou Damon sorrindo alegre endeusando a si mesmo.

-Inconsequente.- Falou Katherine séria.

-Você é filho dela?.-Me vi indagando a criatura.

-Quase isso, sou adotado.- Falou Damon com uma feição triste fingida mas logo sorriu para mim.

Eu estava enraivecido pensando em uma maneira de tira-lo dali da presença de Katherine. Não gostei da postura do rapaz, ele era perigoso.

-Então depois de sair da saia das mamães você viaja o mundo e acha que pode voltar quando bem entende?.- Falou Katherine sarcástica.

-Não só posso voltar, como vou ficar.- Falou Damon sorrindo.

-O que veio fazer aqui?.- Indagou a morena.

-Saudades de você, de Connie e da velha família reunida.- Falou Damon se aproximando de Katherine.

-Desculpe Damon mas estamos muito bem sem você. -Falou Katherine que veio para meu lado e me deu um breve beijo nos lábios.

-Vocês estão juntos?.- Indagou o vampiro Damon.

-Não é obvio.- Falei dando o sorriso mais cruel para Damon.

Ele apenas me olhou e sorriu a altura.

-Fico feliz por você Katherine, mas não podia encontrar alguém melhor?.-Falou o vampiro sarcástico.

-Está me menosprezando criatura, eu sou de outro nível, eu sou um Deus e você é apenas um cadáver sustentado por magia.- Falei firme demonstrando imponência.

-Deuses caem todos os dias.- Falou Damon com um sorriso sombrio.

Eu apenas o encarei e alarguei mais o meu sorriso.

-Parem os dois, Connie ficara feliz em te rever Damon.- Disse Katherine saindo de perto de mim.

-Sua irmã me odeia, boa piadinha Katherine.- Falou o vampiro fitando Katherine.

-Não é piada.- Falou Katherine séria.- Connie agora está no auge da alegria.

-Connie alegre? conta outra Katherine.- Falou Damon duvidoso.

-Connie encontrou seu James Barnes novamente, sua travessura não deu certo bebê, ele está vivo.- Falou Katherine olhando séria o vampiro.

-Não entendi.- Falou o vampiro com um meio sorriso preocupado.

Katherine com velocidade vampírica o prensou na parede, e o fitou com raiva.

-Acha que eu não sei Damon, que foi você que arquitetou aquela tragédia, por sua causa James quase morreu e ficou sendo usado por uma organização terrorista por décadas.- Falou Katherine entre os dentes.

-Achei que ele ia morrer de vez, não é qualquer um que sobrevive a uma queda de um trem em movimento.- Falou Damon sarcástico sorrindo para Katherine.

-Por sua causa Connie fez pior coisa, ela desligou as emoções e ficou cruel.- Falou ela séria.

-Foi apenas uma brincadeira, que passou do limite mãe.- Falou o vampiro.

-Que mãe que nada, se você voltou, para causar mal a mais alguém, e ficar trancando minha vida, Damon eu mato você.- Falou a morena em tom assustador.

-Você acabou de falar que Connie, está bem e seu amado retornou, então o porque da raiva contida.- Falou o vampiro levantado os braços em duvida.

-Você é travesso Damon, esse é seu maior defeito, foi um erro transforma-lo.- Falou Katherine que soltou o vampiro e sentou no sofá.

-É só isso mãe?.- Falou ele sarcástico.- Você me transformou mas fui eu que me mantive vivo.

-Eu sei.- Falou ela fitando o nada.

-E você cara, tem a maior jeito de vilão.- Disse Damon se aproximando de mim.

-De fato eu sou.- Falei dando um sorriso psicopata.

-Sem duvidas vamos nos dar bem.- Falou o vampiro dando um tapinha no meu ombro me olhando sorrindo.

-Damon, Loki não vai ser seu novo amiguinho de travessuras, vá procurar outro.- Disse Katherine olhando para nos dois.

Travessuras, parece que Damon é a personificação das maldades e travessuras, isso me fez lembrar quem eu realmente sou.

-Acho que meu amigo aqui decide por ele mesmo.- Falou Damon fitando Katherine.

O celular de Katherine tocou e ela atendeu, após alguns instantes ele falou.:- Reunião na casa do Tony, temos que ir.

-Vamos então. -Falei sério.

-É pessoal vamos.- Disse Damon sorrindo.

-Ah mas você não vai mesmo, Connie te mata.- Falou Katherine sarcástica.

-E qual seu plano? me prender aqui como uma criança?.- Falou Damon com um sorriso travesso.

-Okay vamos, mas Damon ande na linha.- Falou a morena.

Katherine me pegou pelas mãos e saímos de mãos dadas, e Damon vinha logo atrás.

-Vamos ter que ir caminhando, já que certas pessoas destruíram minha Ferrari.- Falou Katherine sarcástica.

-Não se preocupe mãe, eu sou precavido.- Falou Damon parando diante de um carro grande.- Esse é meu Camaro.

-Bonito.- Falou Katherine.

-Entrem e sintam-se em casa.- Falou Damon fazendo um revência a mim e Katherine.

Nós entramos eu fiquei no banco dos passageiros e Katherine ao lado do motorista que era Damon. O jovem deu partida no carro.

-Onde é a tal reunião?.- Indagou o jovem Damon.

-Conhece a torre Stark o monumento de Antony Stark o homem de ferro.- Falou Katherine.

-Quem não conhece aquele babaca e a torre dele.- Falou Damon sorrindo travesso.

Após alguns minutos chegamos em frente ao prédio, todos descemos do carro e adentramos o local.

-Lugarzinho maneiro.- Falou Damon sarcástico.

Quando chegamos a sala de reuniões todos os vingadores estavam reunidos, assim que nos viram chegar alguns me olharam feio entre eles Natasha Romanoff e Clint Barton

-Olá.- Surgiu Damon atrás de nos fazendo o mundo parar e olhar o mesmo.

-Damon!?.- Gritou Connie levantando surpresa da cadeira.

-Oi mãe dois.- Falou Damon sorrindo.- Sentiu saudades?.

-O que faz aqui?.- Indagou Connie indo até ele e dando um tapa no seu rosto.

-Ai.- Falou ele.- Voltei para ficar.

Connie ainda olhava o mesmo séria, será que Connie sabia que Damon estava por trás do acidente do seu amor humano James Barnes, eu acho que não.

-Isso agora virou a cede dos Sanguessugas?.- Indagou Stark.

-Se refere a mim homem de lata, eu sou um santo.- Falou Damon que se jogou numa cadeira deixando as pernas sobre a mesa de vidro, ele olhou Natasha Romanoff e piscou para a ruiva que o olhou incrédula.

-Se esse apelido pega.- Falou Stark sério.-Bem estamos todos aqui para receber uma boa noticia.

-E qual é a novidade?.- Indagou Katherine sentando em umas das cadeiras.

Eu fui até a mesa e acabei sentando ao lado de Damon.

Logo uma batida na lateral da porta faz todos se virarem era Thor.

-Quem é esse rapaz?.- Indagou Thor apontando para Damon.

-Sou Damon e você deve ser a Barbie.- Falou Damon em tom engraçado.

Todos na mesa começaram a rir e até Katherine deu algumas risadas, pelo meu curto período em Midgard eu descobri que Barbie era uma boneca criada para divertimento das meninas desse lugar, até eu soltei um sorriso. Thor apenas entrou sem entender e cumprimentou o jovem Damon.

-A sessão de piadas acabou.- Falou Steve que parou de rir e se levantou.

-A noticia é que visão conseguiu tirar a joia de sua testa sem causar danos ao seu corpo robótico, então temos a joia da mente em mãos.- Falou Stark

sincero..- Thor pode leva-la em segurança para Asgard.

Todos na mesa comemoraram, eu senti meu sorriso crescendo, finalmente uma joia, preciso apenas do Éter e eu vou embora.

-Então não existem mais joias na terra, não se descobriu onde está o Éter, então a terra não será mais o alvo principal de Thanos.- Falou Steve.

-Então minha presença e a de Loki não é mais requisitada?.- Indagou Thor.

-Não meu amigo, vocês podem voltar para Asgard e levarem a joia.- Falou Steve.

O que? eu não posso voltar ainda para lá, preciso do Éter.

A reunião acabou e todos saíram, fora da torre, Thor olhava o céu alegre ele voltaria para casa.

-Parece que chegou a hora irmão.- Falou Thor que se preparava para chamar Heimdall na sua mão ele segurava uma mala de metal com a joia da mente dentro.

-Espere Thor, eu vou ficar.- Falei sem pensar duas vezes.

Eu vi Katherine sorrir alegre.

-Loki você não pode ficar na terra, já causou danos imensos aqui.- Falou Thor.

-Thor, deixe-o ficar, eu ficarei de olho nele.- Disse Katherine que pegou minha mão e olhou em meus olhos.

Thor viu o que aqueles olhares entre mim e Katherine significavam e olhou para o chão triste, sabendo que perdeu a batalha para ter o coração da imortal.

-Escute bem irmão, se causares algum dano a Midgard a terra que eu jurei proteger, eu saberei e virei busca-lo.- Falou Thor que se aproximou de Katherine e beijou sua mão dizendo.:- Confio no seu julgamento, e se está disposta a olhar por Loki eu fico feliz.

Thor saiu de nossa presença, chamou Heimdall, em poucos segundos, o tão conhecido portal caiu do céu, elevando Thor em um arco Iris de cores vivas, o que restou foram apenas as marcas da profecia no chão.

-Não é todo dia que um cara some no céu.- Falou Damon fitando o céu azul.

-Eu também estou impressionada.- Falou Katherine.- E feliz por ter ficado.

-Thor voltara logo eu o conheço.- Falei sabendo que Heimdall certamente está de olho em cada movimento meu pronto para me delatar a Thor ou Odin.

Katherine me deu um beijo e saímos de mãos dadas até o carro de Damon.


Notas Finais


*Damon é o Ator que interpretou o Damon em TVD, mas na minha fanfic a relação se Katherine é Damon é de mãe e filho.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...