História Amor Asgardiano - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias Os Vingadores (The Avengers)
Tags Bucky Barnes, Katherine Pierce, Loki, Thor
Visualizações 25
Palavras 2.933
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Fantasia, Luta, Magia, Sobrenatural, Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 16 - O Deus frio tem um coração


Fanfic / Fanfiction Amor Asgardiano - Capítulo 16 - O Deus frio tem um coração

Pov. Loki.- Flash backs

Quando Katherine e eu brigamos a mesma saiu do apartamento com fúria me deixando para trás, eu não podia mais aguentar aquela situação mesmo sentindo um afeto que não entendo por ela, eu tinha um objetivo a cumprir encontrar a joia e ir para Asgard. Katherine sair do apartamento me foi oportuno, sem a sua presença eu vasculhei cada canto, até que entrei em seu closet com suas roupas Midgardianas extravagantes. Eu olhei gaveta por gaveta, estante por estante procurando o Éter, seria fácil encontra-lo, tinha o formato de uma pequena pedra e era vermelho como sangue. Como sou usuário de magia me concentrei no Éter e tentei senti-lo, logo um sinal veio em resposta, eu andei até o final do closet, onde havia um grande saguão com vários vestidos, eu afastei os mesmos e me vi sorrindo, era um cofre, não foi difícil abri-lo, apenas o arrombei com magia, quando abri o mesmo vi alguns diários, o colar que Katherine usou naquela festa estúpida, outro colar de rubis, alguns cadernos antigos enfileirados e por fim uma caixa dourada fechada, eu peguei a mesma em minhas mãos e abri, meus olhos brilharam ao ver o Éter, o mesmo era uma pedra retangular fina pendida em um cordão negro. Katherine foi estúpida de guarda-lo ali. Eu peguei a caixa e sai do closet sem olhar para trás, eu fui para perto da piscina, ali séria o local certo para chamar Heimdall e voltar a Asgard. Eu apenas olhei para trás relembrando os momentos felizes que tive com Katherine, mas uma mulher não valia mais que meus objetivos, eu fechei os olhos convicto.

-Heimdall abra a Bifrost.- Falei fitando o céu.

Eu conjurei minha boa armadura imponente azul com a capa negra, deveria estar apresentável. Em poucos segundos o céu começou a se abrir em torno de si, as nuvens escuras da noite se dispersando entre elas, o portal caiu certeiro sobre mim me elevando, as luzes arcos íris estavam faiscando como se reagissem a minha presença, eu ousei olhar para trás e vi Midgard sumir da minha visão.

Asgard.

 Em um segundo eu estava parado na Bifrost, de frente com haimdall.

-Você traiu alguém que lhe deu amor e confiança filho de Laufey.- Falou Heimdall me fitando com desprezo.

-Me poupe de seus comentários guardião.- Falei sarcástico e cruzei a ponte da Bifrost imponente, caminhei por minutos até chegar ao palácio.

O palácio de ouro se erguia majestoso, haviam dois guardas protegendo a porta com lanças grandes em suas mãos, ao me verem fizeram uma simples reverência e abriram a imponente porta de ouro de mais de 4 metros de altura e largura.

-Príncipe Loki seja bem vindo a Asgard.- Falou um dos guardas.

Eu apenas fiz um sinal e entrei no palácio, mais guardas estavam em pé imponentes com suas espadas e lanças, eles estavam mostrando respeito, mas não a mim, eles estavam tristes.

Logo me dei por conta, a energia de Asgard estava densa e pesada, eu cruzei o gigantesco corredor até o trono de Odin esperando ver o mesmo ali sentado com seu cetro, observando tudo com sabedoria.

Mas quando cheguei lá tive uma visão odiosa, Thor estava com seu elmo de prata em sua cabeça, ele trajava sua armadura, mas usava a capa dourada de nosso pai sobre os ombros e em suas mãos estava o cetro de Odin.

-Fico feliz que tenha retornado por conta própria irmão.- Falou Thor que me fitava triste mas feliz por minha presença.

- O que aconteceu Thor?.- Indaguei me aproximando.

-Loki, nosso pai está morto, agora sou o rei de Asgard, seu rei e seu irmão Thor Odinson.- Falou ele com a voz alta e imponente.

Meu coração deu um pulo, o velho maldito morreu mas mesmo assim deixou o trono para o maldito Thor.

-Nosso pai está morto? mas como essa tragédia aconteceu?.- Indaguei tentando soar abalado.

-Nosso pai morreu em sua última incursão pelos reinos em Vanaheim, ele caiu perante o povo de lá sem vida.- Falou Thor que agora fitava o teto de ouro do palácio.

-Onde ele está preciso vê-lo.- Falei curioso não podia perder de ver o mesmo sem vida em sua cama.

-Loki agora é tarde, nosso pai morreu no mesmo dia em que retornei a Asgard, o ato fúnebre em sua honra foi realizado da maneira oficial, reunimos nosso povo e o velamos sobre as antigas normas de Asgard, como rei, pai e marido, Asgard e todos os nove reinos estão em luto.- Falou Thor imponente mas deixou uma lágrima escapar de seu olho esquerdo.

-Então cheguei tarde.- Me vi fitando o chão.

-Sim irmão, você chegou tarde.- Falou Thor.

-Sinto muito por você.- Falei fingidamente mas com convicção.

-Não finja condolências por mim Loki, eu sei que você e nosso pai não se davam bem.- Falou Thor me fitando. -E Katherine? deixou sua amada em Midgard.- Indagou Thor por último.

-Katherine nunca foi minha amada meu irmão e rei, a deixei, a mesma estava ocultando a joia Éter esse tempo todo.- Falei a Thor antes de Heimdall abrisse sua boca.

-Katherine?.- Indagou Thor desapontado.

-Sim irmão, mas a mesma o fez por medo.- Falei e dei um breve relato dos motivos aos quais levaram Katherine a esconder o segredo.

-Sinto muito irmão.- Falou Thor por fim.

-Peço permissão para estudar a joia e descobrir seu potencial.- Falei fitando Thor.

-Pode usa-la em seus estudos, mas escute bem Loki se ousar tentar usar a mesma para causar mal, terei que prende-lo novamente nas masmorras.- Falou Thor me fitando, eu senti ódio mas me contive.

-Obrigado meu irmão.- Falei sério.

Eu apenas o olhei e fiz o que eu nunca imaginei que seria obrigado a fazer, me curvar em reverência a ele, eu já me curvava diante do maldito Odin e agora terei que me curvar diante desse usurpador maldito, mas esse trono será meu, mesmo que seja a última coisa que faça.

Eu me virei e sai da sua presença de Thor, eu ainda não acredito que o mesmo assumiu o trono, mesmo depois de tanto renega-lo, Thor não era um bom rei, ela não tinha pulso nem sabedoria suficiente para faze-lo. Mas agora que Odin está fora do meu caminho as coisas serão mais fáceis para mim.

Eu me vi andando no corredor acarpetado por quadros dos nossos ancestrais, os quadros tinham retratados em si todos os reis e rainhas que já estiveram no trono de Asgard, eu parei num que tinha a pintura de uma ruiva com sorriso doce, minha mãe Frigga, a mulher que realmente me amou e cuidou de mim, e a única que tinha meu afeto reciproco.

Eu desviei do quadro e fui rumo ao meus aposentos, mais guardas estavam perto de minha porta, os mesmos sempre ficavam diante de portas protegendo quem ali repousa-se. Eu parei em frente a minha porta e os dois guardas fizeram uma reverência, eu empurrei a grossa porta de ouro, e fechei a mesma atrás de mim com magia. Meu quarto estava iluminado apenas pelas estrelas, mas logo eu usei magia e acendi os candelabros com fogo, o quarto foi se iluminando aos poucos. Minha cama estava onde a deixei com seu lençol estendido sem nem um amasso, minha estante imponente com meus livros preferidos, a sacada ampla de ouro que dava com a vista para a Bifrost e o resto do reino, eu caminhei até o banheiro do meu aposento e fitei o mesmo, lá havia uma banheira como as de Midgard, mas a minha era gigantesca e imponente, meus sabotes estavam em uma vasilha de ouro e havia sobre a banheira um espelho de ouro que refletia tudo que ficasse diante dele. Assim que fitei a banheira flashes de lembranças dos meus momentos com Katherine vieram a minha mente, seus beijos suaves em minhas boca, seus gestos de carinho, meus braços ao seu redor e aquele sorriso que tinha o poder de quebrar mil barreiras.

-Droga.- Falei a mim mesmo, eu me envolvi demais com ela e agora essas eram as consequências, mesmo assim eu não entendia, eu já estive com Asgardianas a altura de Katherine como Lorelai, Amora, Encantor e outras, mas mesmo assim nunca me peguei pensando em momentos com nenhuma delas pois eram apenas momentos, mas Katherine como eu mesmo disse era diferente era um imã que me atraia.

Tenho que ocupar minha mente com algo útil, eu conjurei a caixa dourada e abri a mesma pegando o Éter nas mãos, eu deixei a caixa em cima da cama e peguei o cordão com o Éter pendido no mesmo.

Eu caminhei até minha sacada, e ergui o Éter pelo cordão, e senti todo o seu poder, não era tanto poder quanto o que Thor destruiu em sua batalha contra os Elfos negros, esse pequeno fragmento continha algum poder em si, mas não era vasto como o que todo o Éter original continha.

Eu drenei um pouco dessa energia e senti a vida pulsando por todo o lugar, eu vi reinos inteiros serem sugados pela escuridão e vi Midgard em chamas, eu não conseguia sair daquele devaneio e me vi forçado a soltar o Éter que caiu no chão.

-Poder.- Falei pegando o Éter do chão e o elevando em meu campo de visão.

Com aquele limitado mas forte poder, eu poderia conquistar o trono de Asgard e ser rei dos nove reinos. Eu me vi sorrindo, amanhã farei alguns testes com o Éter.

Eu caminhei rumo a cama para pegar a caixa dourada, mas por algum motivo a mesma vacilou e caiu de minhas mãos no chão. O fundo da caixa se desprendeu e dela caiu o que parecia ser um papel, eu me agachei para juntar a caixa e reposicionei o fundo falso no lugar e em seguida coloquei o Éter dentro da mesma e a fechei em seguida peguei o papel que estava no chão, eu o virei e meu coração apertou, era um desenho muito bem trabalhado de Katherine, ele estava contido entre duas placas de vidro finas, com as bordas em alumínio que prendiam ambas as placas uma na outra o que impedia que o desenho escorregasse de dentro das placas de vidro o que a mantinha intocável e conservada, eu elevei o desenho e fiquei o fitando. Katherine estava com a feição séria, como as rainhas dos quadros de Asgard, ela estava com um colar que pendia com um circulo dourado em sua garganta, seus cabelos estavam em um coque do qual caiam alguns cachos soltos que emolduravam sua bela face.

"Katerina 1869 "

Olhar aquela foto me fez ter mais flashes, essa mulher só podia ser uma bruxa pois me enfeitiçava com sua beleza e fazia de minha mente um conflito embaraçado de momentos de ternura e amor.

-Amor? não. eu sou Loki de Asgard e tenho um proposito glorioso e nele essa Midgardiana não está incluída.- Falei firme tomando foco.

Eu respirei fundo e caminhei até minha grande estante de madeira que tinha centenas de livros que colecionei ao longo dos séculos, eu peguei o livro que contava a historia dos Jöthum e coloquei o desenho de Katherine no meio desse livro, pois eu o desprezava e jamais o li novamente depois que descobri minha linhagem, eu fechei o livro ocultando a imagem e coloquei o livro no seu devido lugar.

Eu retirei minha armadura, ficando com apenas uma calça simples de tecido e uma fina camisa verde de mangas longas com um corte V no peito, que mostrava meus músculos.

Eu me deitei na minha cama, arrumando os travesseiros e deitando nos mesmos com as pernas cruzadas uma na outra, eu coloquei ambas minhas mãos em cima do peito e fechei os olhos, me concentrando em apagar, eu só queria apagar dormir e esquecer tudo aquilo, eu senti o cheiro amadeirado do meu aposento e a brisa que vinha da grande sacada pois as portas da mesma estavam abertas, em pouco tempo adormeci.

------------------------------~~~~--------------------------------

Eu me vi caminhando em uma floresta imersa em neblina, o vento frio batia em meu rosto, eu caminhava mas nunca chegava a lugar nenhum, eu vi uma grande cama com lençóis brancos e alguém estava repousando sobre a mesma, eu me aproximei lentamente analisando o local, agora o sol pendia alto no céu e a neblina foi se desfazendo lentamente, eu caminhei para mais perto de onde a cama estava, a cama tinha uma guarda trabalhada em ouro e os lençóis brancos flutuavam ao seu redor, quando cheguei perto o suficiente e meu coração parou, Katherine estava deitada na mesma, parecia uma Deusa repousando em seu mais profundo sono, os seus cabelos estavam lisos e ela vestia um lindo vestido de cetim azul de um ombro só, apertado na cintura mas descia em ondas volumosas, em sua cabeça uma coroa de diamantes fina e pequena como uma tiara, e não era qualquer coroa, era a da minha mãe Frigga, quando eu estava perto o suficiente Katherine começou a despertar piscando lentamente seus belos olhos, eu me vi estático, ela me fitou confusa.

-Loki?.- Ela falou com a voz mais fina e inocente que já ouvi.

-Katherine?.- Falei não acreditando no que via.

Katherine se sentou lentamente da cama me fitando confusa, mas logo abriu um sorriso meigo e se levantou da cama desajeitada, eu que estava estático me vi indo apressado até ela, Katherine saltou em mim me abraçando com alegria.

-Meu amor.- Falava ela com doçura com os olhos marejados.

-Katherine.- Me vi repetindo alegre abraçando a mesma com ternura.

Ela me olhou com um sorriso meigo, aquela não podia ser Katherine, era tão meiga e doce quando a mesma. Mas seu sorriso alegre se desfez dando lugar a uma feição triste, uma lágrima desceu por seus olhos que ainda me fitavam.

-Espera ai...isso não pode ser assim, você não pode ser mal, não pode desistir de você, Loki você deve viver com bondade, ser bom.- Falou Katherine abalada chorando olhando em meus olhos.

-Não Katherine esse sou eu, e sempre serei.- Falei lamurioso dos meus olhos também saiam lágrimas, ver Katherine daquele jeito doía muito.

-Não Loki, você está errado, você não é assim, você é bom e eu te amo.- Falou ela pegando meu rosto nas mãos.- E eu confio em você.

-Eu também amo você, mas as coisas devem ficar como estão.- Falei alisando seu cabelo.

-Então eu devo partir.- Falou ela chorosa me deu um breve beijo e olhou para meus olhos.

-O que está fazendo?.- Indaguei olhando a mesma que soltou minha mãos e começou a se afastar.

-Não posso ficar em sua vida e cumprir minha missão se você nega aceitar seu verdadeiro eu.- Falou Katherine com um sorriso amargo ainda chorando.

-Mas esse sou o homem que sou e nada pode mudar isso.- Falei fitando a mesma triste.

-É por isso que estou aqui.- Falou ela sorrindo.

Ela estava a alguns metros de mim e me estendeu a mão sorrindo.

-Venha comigo Loki.- Falou ela sorrindo.- Vem comigo amor.

Eu me vi caminhando até ela, mas quando estendi minha mão ela batei no que parecia ser uma barreira invisível de energia.

-Katherine eu não consigo.- Falei batendo com os punhos fechados na barreira.

-Essa barreira é o que te impede de ser bom, a derrube com bondade amor.- Katherine falou mas se interrompeu olhando assuntada para trás.

Eu segui seu olhar e vi Jöthuns cercando o outro lado onde Katherine estava presa.

-Sai dai Katherine!.- Me vi gritando.

Mas Katherine estava encurralada, os gigantes de gelo foram chegando mais e mais perto, a paisagem verde do lado oposto da barreira onde Katherine estava começou a se tornar invernal, as árvores congelaram e a grama se tornou branca, os Jöthuns estavam próximos a ela, eram grandes e imponentes, e carregavam lanças de gelo.

-Não! Não! Nãoooooo!.- Me vi gritando desesperado batendo na barreira, sangue escorria de meus punhos mas eu não me importava.

Eu vi Katherine e a mesma apenas me fitou triste e falou.:- Eu amo você não importa o que aconteça.

Eu fitei um Jöthum que já conhecia bem.

-Nãoo Laufey por favor!!.- Gritei entre lágrimas dando socos inuteis na barreira.

-Veja a mulher que você ama perecer filho de Odin!.- Gritou Laufey.

Ele erguei a lança de gelo e atravessou no peito de Katherine.

-Nãoooooooo! Nãoooooo! NÃOOOOOO!.- Eu gritei tão alto que meus pulmões pareciam queimar, minha lágrimas caiam fortes e eu cai de joelhos derrotado sem alegria, a escuridão tomou o lugar e tudo sumiu em meio as trevas.

------------------------------~~~~--------------------------------

Acordei ofegante, num salto levantando da cama, com meu peito explodindo em dor e tristeza, eu passei a mão nos olhos e as mesmas saíram úmidas por lágrimas.

-O que está acontecendo comigo?.- Indaguei ofegante a mim mesmo.

Eu olhei para a sacada e o sol de Asgard estava nascendo, me vi levantando da cama e indo rumo a estante pegando o livro dos Jöthuns e abrindo o mesmo onde o desenho de Katherine estava, eu o peguei em mãos e fitei aquele desenho com angústia e arrependimento.

Eu estava tão mal que não vi outra opção a não ser enganar a mim mesmo com minhas próprias ilusões. Eu criei uma ilusão de Katherine igual a do sonho, ela estava majestosa na sacada, ela olhou para mim e sorriu convidativa, eu fui até ela e ela sorriu mais ainda, eu toquei seu rosto mas a ilusão se desfez em minhas mãos.

Eu estava ciente que cometi o maior erro da minha vida, primeiro ter me apaixonado perdidamente por Katherine, e o segundo erro foi tê-la enganado, mas acima de tudo isso estão meus objetivos.



Notas Finais


A culpa faz os culpados terem pesadelos. 😱😱


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...