História Amor Asgardiano(HIATUS) - Capítulo 18


Escrita por: ~

Postado
Categorias Os Vingadores (The Avengers)
Tags Bucky Barnes, Katherine Pierce, Loki, Thor
Visualizações 39
Palavras 1.869
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Fantasia, Luta, Magia, Sobrenatural, Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa leitura ☺

Capítulo 18 - A ordem de Thor


Fanfic / Fanfiction Amor Asgardiano(HIATUS) - Capítulo 18 - A ordem de Thor

Asgard.

Pov. Loki.

Eu passei o restante do dia fazendo experiências com a joia Éter, a mesma moldava a realidade de maneira impressionante. Com ela eu podia matar e trazer a vida, podia transportar objetos sólidos para qualquer lugar, o maior feito foi fazer o jardim de Asgard sumir do mapa, mas depois traze-lo de volta.

A joia irradiava poder, o livro de magia do vampiro Dimitri foi muito útil para mim.

Depois de mais alguns dias estudando a mesma, por fim a coloquei no grandioso cofre de Asgard que ficava dentro do palácio, os guardas abriram a grande porta da sala de relíquias, e eu entrei eu deixei a joia onde ele deveria ter sempre estado, coloquei a mesma sobre um pilar esculpido, ele era de altura media e era trabalhado com lindos desenhos, o mesmo servia para depositar as relíquias. Coloquei o Éter no busto que ficava sobre o pilar, observei o cordão pendia com a joia. Eu o fitei por alguns instantes e sai da sala cofre.

Eu cruzei os grandes corredores e um guarda parou diante de mim e falou.:- O rei Thor exige sua presença diante do trono.

Eu apenas entendi o recado e fui lá sem vontade. A última coisa que queria hoje era ver Thor, só de pensar que ele agora é rei, meu corpo incendeia em ódio.

-Em que posso ser útil irmão?.- Indaguei fazendo uma breve reverencia.

-Loki você vai para a terra.- Falou Thor me fitando.

-Como?.- Indaguei sarcástico.

-Agora que sou rei, não posso abandonar minha missão como senhor dos nove mundos, e não posso ir a Midgard lutar com os Vingadores, então esse papel agora é seu.- Falou ele me fitando.

Eu dei umas risadas e falei.:- Irmão eles me odeiam me matariam assim que eu tocasse o chão.

-Você vai, veja isso como uma maneira de redimir seus erros para com Nova

York.- Falou Thor que batei o cetro no chão de ouro, fazendo o barulho ecoar por todo o salão do trono.

-Sim meu irmão, cumprirei seu pedido.- Falei com raiva e sai da presença dele.

-Você vai hoje, então organize-se.- Bradou Thor imponente.

-Hoje? Mas é muito em cima da hora.- Falei indignado.

-É só isso irmão.- Falou Thor que voltou a ficar sério.

Eu sai de lá pisando firme do chão, se eu voltasse a Midgard, Katherine me mataria ou pior Damon, eu iria mas teria que ser cuidadoso, já faz uma semana

que estou longe de Midgard, e as lembranças com Katherine permanecem vivas, a cada noite eu sonho com ela em meus braços, eu me deixei apaixonar e esse foi meu erro.

Eu entrei no meu quarto fechando a porta atrás de mim, eu nem sequer cumprimentei os guardas.

-Maldito Thor.- Falei com ódio.- Sempre me dando ordens, agora fazendo a mim Loki lutar ao lado dos mortais em seu lugar.

Eu soquei a parede fazendo a mesma estremecer. Eu refleti alguns minutos, como Thor falou eu tinha que ir para Midgard ainda hoje, então eu conjurei minha armadura, e fui no meu grande banheiro olhar meu reflexo, eu tinha grandes olheiras, elas estavam ali pelas noites mal dormidas com pesadelos dos quais eu nunca conseguia salvar Katherine da morte e por ter ficado dias me esgotando testando o potencial do Éter, mas isso me deu alguns poderes novos que me tornaram mais perigoso.

Eu sai do meu quarto o deixando para trás novamente, não sabia quando retornaria a Asgard, eu peguei meu garanhão e deixei o palácio para trás, cavalgando rumo a Bifrost, eu cheguei a mesma e desci de meu cavalo, Heimdall estava imponente parado na entrada da Bifrost como o eterno guardião de Asgard.

-Heimdall.- Falei em comprimento e cruzei pelo mesmo.

-Tenha uma boa missão.- Falou Heimdall em tom debochado.

Eu revirei os olhos e logo fui sugado pela Bifrost aberta por Heimdall, eu me vi cruzando o universo, e vi tudo sumir diante dos meus olhos, eu vi Midgard se aproximando e senti um frio na barriga. Pousei divinamente em frente a cede dos Vingadores.

Logo uma luz se acendeu e Steve surgiu na porta da frente, ao me ver ele ficou em posição de ataque.

-Calme homem honrado, vim em nome de Thor.- Falei com um grande sorriso.

-O que aconteceu Loki, porque está aqui?.- Indagou o loiro desconfiado.

-Com a morte de nosso pai Odin, Thor assumiu o trono de Asgard, então seus dias como Vingador acabaram.- Falei fitando Steve com um sorriso psicopata.

-Meus pêsames, sinto por Thor ter que nos deixar, mas onde você se encaixa nisso tudo?.- Indagou Steve já preocupado.

Eu alarguei ainda mais meu sorriso e disse.:- Vim em nome de Thor para lutar ao lado de vocês e proteger Midgard.

-Você deve ter mudado para Thor confiar a você esse papel.- Falou Steve sério.

-Saiba que não estou aqui por livre arbítrio, como novo rei de Asgard Thor ordenou que eu viesse a Midgard, então tive que obedecer.- Falei em tom de raiva olhando o céu, sabendo que Heimdall devia estar rindo da situação.

-Toda ajuda é bem vinda.- Falou Steve me fitando.

Eu apenas sorri.

-Entre, procure um quarto e fique por ai.- Falou Steve com desinteresse e sumiu dentro do prédio.

Olhei para o céu e falei.:- Está feliz agora irmão?.

Eu entrei no prédio escuro, procurando o quarto que eu e Thor usamos da última vez que estivemos em Midgard, eu não dormi eu sentei em uma cadeira e conjurei um livro de feitiços e comecei a ler o mesmo.

Após alguns minutos me peguei pensando em Katherine, no seu sorriso, eu estava tão perto mas ao mesmo tempo longe.

Ainda era noite o céu estava estrelado e eu não tinha sono, em Midgard o sono não vinha para os Deuses, éramos mais vigorosos no solo dos mortais. Eu resolvi sair da cede, eu conjurei uma roupa humana e sai, eu vestia uma calça jeans escura, uma blusa social branca e sapatos. Eu sai para caminhar por Nova York em plenas 3 da manhã.

Eu estava andando sem rumo me vi na frente de um bar, um lugar estava lotado de Midgardianos bêbados imundos, eu passei na frente mas segui reto eu passava na frente de um beco e senti a presença de alguém.

-Você foi muito idiota em voltar pra terra.- Falou uma voz que eu conhecia.

-Damon.- Falei me virando e encarando o vampiro que saiu da sombra do beco.

-Você sabia que é errado enganar mulheres?.- Indagou o vampiro em tom sombrio.

-Eu não enganei ninguém criatura, eu apenas cumpri minha missão.- Falei mais sombrio ainda.

-Pra sua sorte eu não sou um homem de palavra.- Falou o Vampiro que passou a mão pelo meu ombro e me levou rumo ao bar.

-Do que está falando?.- Indaguei sério.

-Eu jurei que o mataria, mas como você é um Deus acho que isso está fora de cogitação.- Falou o vampiro sorrindo.

-Você é corajoso em me revelar isso.- Falei sombrio pronto para desintegra-lo apenas com um olhar.

Damon rio e entrou no bar em que passei a poucos segundos atrás.

-Duas Gins com Vodca.- Falou o vampiro que sentou em uma banqueta.

Eu sentei na outra e observei o lugar. Haviam homens rindo e bebendo por todo o lugar, algumas mulheres rodeavam por lá com curtos vestidos entregando bebidas, mas as mesmas não eram belas como Katherine. O Barman colocou dois copos com a bebida na minha frente. Damon bebeu a dele com um gole só e pediu outro. Eu bebi a minha mais lentamente.

-Sabe porque fazer tudo aquilo, era só pegar a pedra e vazar.- Falou o vampiro me fitando.

-Você quer dizer os sentimentos de Katherine que eu magoei. -Falei convicto.

Damon deu um risada e falou.:- Acha que Katherine está triste porque você foi embora? ela está vivendo agora mais do que nunca.

Ouvir aquilo me pegou de surpresa.

-Fico feliz que ela tenha recomeçado.- Falei com um grande sorriso.

-Eu também, mas como eu disse, eu não sou um homem de palavra.- Damon falou e tão rápido como estava sentado ao meu lado me jogou longe eu bati em uma parede mas logo me levantei.

Todos do bar, nem ligaram para o incidente eu observei tudo confuso.

-Eles estão hipnotizados para não saírem e nem ligarem para o que acontece

com você até segunda ordem.- Falou Damon rindo da situação.

-Hoje você morre criatura Midgardiana.- Eu falei sarcástico.

-Como disse a algum tempo, Deuses caem todos os dias.- Damon falou e jogou uma das mesas vazias do bar em mim.

Com magia eu a quebrei no ar com uma rajada de energia verde.

-Legal. -Falou Damon que estava atrás de mim agora e me arrastou pela longa mesa do bar, fazendo tudo que tinha ali em cima se quebrar.

Eu me tele transportei para o outro lado do bar, Damon olhou para suas mãos onde eu estava a poucos segundos confuso. Esse era mais um dos meus novos poderes, eu podia me mover através das dimensões e ir para onde quisesse contando que fosse num espaço apenas.

Eu conjurei minha armadura e meu cetro e atingi Damon na perna, o mesmo urrou de dor mas a marca queimada sumiu e ele me fitou rindo.

-Saiam todos do bar!.- Ele gritou e todos os homens e serventes começaram a

sair como marionetes em alguns instantes o lugar tinha apenas eu e ele.

-Você é apenas um garoto mimado.- Falei afetando seu ego.

Damon sorriu e as garrafas do bar começaram a estourar e os líquidos das mesmas subiam no ar, Damon mandou todos os líquidos para meu rosto, fazendo uma bolha de bebidas liquida que prendia minha cabeça me impedindo de respirar.

-Vamos ver se Deuses morrem afogados.- Falou ele debochado.

Eu me tele transportei para diversos pontos do bar, mas a bolha de liquido ainda me sufocava, então eu reuni força e abri meus olhos dentro da bolha de bebidas alcoólicas, meus olhos queimaram ao entrar em contado com as bebidas mas eu não me importei, eu reuni um grande poder do Éter que agora corria no meu corpo, e abri um buraco enorme no estomago do Vampiro, que caiu de joelhos, a bolha se desfez e eu cai de joelhos ofegante.

Damon se contorcia no chão, já se regenerando, eu respirei rapidamente e ofegante recuperando meu folego, eu fui até o mesmo e apontei a lança para ele.

-Katherine vai odiá-lo, quando descobrir que matou o filho dela.- Falou

Damon com um olhar fixado no teto.

-Pereça pelas mãos de Loki Laufeyson criatura.- Falei apontado o cetro para o peito mas Damon com velocidade vampira me prensou na parede.

-Maldito.- Falei sem folego.

-Morra Deus fajuto!.- Falou ele com ódio.

Eu ia testar meu novo poder, eu fixei meu olhar nele, e imaginei todas as veias do seu cérebro estourando causando um AVC no mesmo, Damon caiu de joelhos segurando a cabeça com as duas mãos dando gemidos de dor, eu ainda o fitava sem piscar e o mesmo agora se contorcia, eu me concentrei mais e Damon parou de se mexei ficando imóvel, uma fina linha de sangue escorria de seu nariz e orelhas.

-Deu certo.- Falei sorrindo com triunfo.

Olhei para Damon no chão, e com meu poder reconstruí tudo que fora destruído, tudo voltou a ser como era antes, eu sorri ainda mais em triunfo, e deixei Damon jogado no chão, eu sai do bar imundo Midgardiano, e sumi nas ruas de Nova York.


Notas Finais


Loki dando uma de bruxo hahaha 👊👊


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...