História Amor assassino - Capítulo 27


Escrita por: ~ e ~LittleSheWolf

Postado
Categorias Jeff The Killer
Personagens Jeff, Personagens Originais
Exibições 70
Palavras 1.349
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Canibalismo, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Estou sumida, eu sei. Aconteceram muitas coisas que me fizeram sumir, o principal foi uma briga feia com meu pai...
Logica: "sou vagabunda por estar procurando um trabalho enquanto estudo"....
Essa briga me fez ficar na bad e quase desisti de continuar a fic, mas agora acho que estou de volta.
Galerinha que me ama, dia 5 é meu aniversário, então quem quiser me mandar presentes manda mensagem e eu passo o endereço.... kkkkkk
Zueira, mas quem quiser mandar mesmo, eu aceito...
Sem mais delongas vamos ao capítulo.

Capítulo 27 - Conhecendo terreno: Maya


Fanfic / Fanfiction Amor assassino - Capítulo 27 - Conhecendo terreno: Maya

Isabel pov'on 

Depois daquela conversinha com Yume, resolvi ver como o vagabundo estava. andei saltitante para a enfermeira seguida por Jeff (nunca vi um pai tão coruja) e LJ (pior é esse tio coruja). chegando lá pulo no colo de Masky e vejo ele fazer uma careta. comecei a mexer no cabelo dele recebendo suspiros dele enquanto Jeff ficava doido para estrangular o coitado.

- Masky querido, te arranjei uma namorada!! - ele arregalou os olhos

Jeff: coitada da garota.

LJ: imagina quando ela engravidar! - ignorei os dois discutindo sobre a Yume.

Masky: nem vem com essa, vai dar merda!! 

-ei, minha idéia não é tão ruim assim!

Masky: pedir cafune enquanto o Slender dirige não foi ruim....

- calado! aceite seu destino! - comecei a dar uma risada maléfica.

Masky: lamento lady, mas já estou apaixonado por outra.

- Yume também te ama, fui! - sai correndo e deixei ele com uma cara abobada para trás.

Segui meu caminho procurando uma das novatas, não sei porque estão se escondendo de mim. olho ao redor e vejo uma delas se escondendo enquanto olha para LJ, corri até ela e puxei para o quarto do LJ, que por sinal era maior que o meu. 

LJ: meu quarto agora virou mesa de encontro? - ele me olhou rendido - quer comer o que?

-eba!! quero um bolo de chocolate, gelatina fini, um bolo de morango, um sanduíche, um kalzone, pizza de chocolate  e por fim suco de laranja porque tô de dieta.

Jeff: amor, se isso é dieta, não quero nem saber como é você comendo pra valer - peguei o travesseiro e joguei nele com raiva - desculpa pequena, mas é verdade.

- calado, fora daqui estou com raiva de você e nem apareça no meu quarto hoje. - dei-lhe as costas e virei para a novata - comece.

Maya pov'on

Se você ver uma grávida comendo de mais e dizendo que está de dieta, fique quieta e aceite. a namorada do Jeff bota medo em todo mundo, não quero nem saber o motivo disso. suspirei olhando para o quarto do Laughing, era enorme, todo colorido e bem organizado, tirando algumas roupas de grávida que estavam sendo costuradas. havia doces por todo lado como se ele estivesse pronto para acalmar a fera grávida.

- sou Maya Rogers, 21 anos. - aquele olhar sobre mim me questionando sobre mais me fez suspirar e comecei a lembrar de tudo.

Flash back on

Minha família sempre gostou de diversos animais, principalmente cobras e serpentes. meus pais tinham um criadouro enorme para os bichinhos. desde pequena convivi com os animais a todo momento, as serpentes eram muito apegadas a mim e nunca me fizeram mal. os pesquisadores nunca entenderam como as mais perigosas serpentes ficavam tão perto de mim e não faziam nada.

Por minha causa meus pais foram ficando famosos e conseguiram recursos para começar uma pesquisa sobre como tornar as pessoas imunes ao veneno dos animais. o sonho deles era que não houvessem mais matança por causa de supostos ataques, como ele dizia: "nos invadimos o território delas, temos que aceitar e conviver sem mata-las". eu ainda era pequena quando aconteceu.

Sr. Rogers: Maya, tenha cuidado e não vá muito longe - ele sempre dizia a mesma coisa quando eu entrava no gigante viveiro

- pode deixar papai! - sai pulando alegremente sendo acompanhada pela minha fiel amiga  Bia, uma mamba negra de 5 metros.

Eu estava indo por uma parte que estava acostumada a andar e brincar, mas algo estava diferente. haviam garras de algum animal em algumas partes e logo vi algumas cobras mortas. corri para ver se havia alguma que eu pudesse ajudar, mas mal sabia eu que quem havia feito isso não fora embora. ouvi alguns galhos se partirem e olhei ao redor em busca de alguém,  devia ser meu pai me procurando.

-papai? estou aqui! -gritei e logo vi Bia fazer um círculo ao meu redor e ficar em posição de ataque.

Foi muito rápido,  uma hora Bia estava se posicionando e na outra uma enorme pantera estava pulando em minha direção. corri o máximo que puder,  ouvia a pantera lutar contra Bia, e o medo me consumia ainda mais. gritei por socorro, mas acho que eu estava muito longe da minha casa, quando parei de correr percebi ter chegado ao outro lado do viveiro. a barreira de vidro estava quebrada e a barreira de arame estava com um enorme furo.

Foi por ali que aquele bicho entrou, pensei. logo algo me espantou, outra pantera vinha do lado de fora em minha direção, voltei a correr para me salvar. eu podia ouvir o som das patas da pantera ao correr em minha direção. acabei caindo em um lago fundo que meu pai havia feito para Bia, eu não sabia nadar e logo fui me afogando. quando estava perto de perder a consciência, sinto uma forte dor no braço e algo me puxando, desmaiei depois disso.

-filha! - eu ouvia gritos distantes - acorde!

Abri os olhos lentamente e me vi rodeada por serpentes, elas se moviam direto como se tentassem me manter aquecida. meu pai me olhava preocupado e minha mãe chorava muito, olhei para meu braço e vi quatro furinhos nele. entrei em pânico, dependendo do veneno eu não teria muito tempo. olhei ao redor e vi Bia muito machucada, entre me salvar e salvar Bia, escolhi salvar ela.

-pa-pai! cuida dela! - eu disse aos prantos, logo ele se aproximou e pegou ela enquanto minha mãe me pegava no colo.

Fizeram muitos exames em mim e na minha serpente. eu estava com o veneno dela em minhas veias, mas ele não tinha efeito e ela estava quase morta por causa das duas panteras que invadiram a viveiro. contei tudo o que aconteceu aos meus pais, na hora eles quase matam minha amiga, mas quando perceberam que ela me picou para me tirar da água, eles a trataram melhor do que antes.

Meses se passaram e logo meus pais estavam próximos da resposta graças ao meu sangue. eles descobriram que nenhum veneno fazia efeito em mim e que graças a isso, eles poderiam ficar cada vez mais próximos da resposta. mas, um concorrente do meu pai não gostou de saber disso e tentou várias vezes conseguir uma amostra do meu sangue com meu pai, mas ele não iria entregar por saber que meu sangue poderia se tornar uma arma se fosse usado por pessoas erradas.

Mais algum tempo se passou e não ouvíamos mais falar dele. até que alguém invade minha casa durante a noite e mata os dois silenciosamente. logo o assassino tenta me matar enquanto eu dormia, mas minha fiel amiga me protegeu e me acordou. assim que vi ela sangrando, senti algo estranho. uma raiva incontrolável tomou conta do meu ser....

- o que eu fiz? -eu estava coberta de sangue e chorava com o corpo de minha amiga nos meus braços. 

Passei a matar para encontrar o mandante dos assassinos, mas logo não foi suficiente. eu matava por prazer, matava quem maltratava algum animal. fui encontrada por Offender enquanto matava um garoto que minutos antes havia espancado um cachorrinho. depois disso ele me levou para sua caverna e me reuniu com a "família" dele.

Flash back off

- e isso é tudo o que saberá - eu parei de contar quando percebi que o Laughing havia chegado com as comidas dela.

Isabel: por que??? - ela fazia um drama enquanto Laughing ria dela e dava doces - Jackinho, tua namorada não quer me falar como se apaixonou por você!!!!

-e-e-eu? - não consegui falar nada e logo vi ele ficar vermelho também.

Isabel: usem camisinha!! - ela saiu saltitante e trancou a porta.

Laughing: Isabel! !! 

Isabel: se comam, a porta tá trancada e eu estou com sua chave. se declara para ela anjinho. 

Laughing: Isabel! abre isso agora! - ouvimos os passos se afastarem e quando ele virou para mim vi seu rosto corado - desculpas por ela, mas o que ela disse sobre eu gostar de você é verdade.

Vi ele abaixar a cabeça e logo corri e lhe dei um beijo antes que ele ficasse triste. ele pediu passagem e logo cedi sentindo sua língua invadir minha boca e começar uma dança gostosa com a minha.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...