História Amor assassino - Capítulo 28


Escrita por: ~ e ~LittleSheWolf

Postado
Categorias Jeff The Killer
Personagens Jeff, Personagens Originais
Visualizações 75
Palavras 1.387
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Canibalismo, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 28 - Conhecendo o terreno: Helena


Isabel pov'on

Depois de trancar o casal no quarto com uma cama disponível e claro, lembrei de botar camisinha de baixo do travesseiro, sai saltitante a procura da última garota que não entrevistei. como toda pessoa inteligente, fui procurar na cozinha, vai que ela vive com fome igual a mim. procurei por comida que me chamasse atenção e não sei o motivo, mas o pote do Eyeless está me abrindo o apetite, olhei ao redor e não vi ninguém. quando abri encontrei rins, fígados e, isso é coração? ?? fiquei salivando e peguei o coração botando inteiro na boca enquanto botava o pote no lugar. quando terminei de saborear dei de cara com Hoddie e uma garota me olhando.

Hoddie: Eyeless vai te matar  - ele falou enquanto mostrava um vídeo para a garota.

- VOCÊ!!!! -  puxei a garota enquanto deixava um Hoddie atordoado para trás - conte tudo!!!

Helena pov'on

A garota do Jeff saiu me puxando de perto do Hoddie com uma força que tornava impossível contestar sua decisão. justo na hora que consegui ficar só com ele! normalmente ele sempre estava com os outros dois garotos ou simplesmente perdido por aeroporto gravando algo. fiquei um pouco desanimada achando que ele ia me deixar sozinha com ela, mas logo ele chega gravando tudo o que estava acontecendo.

Hoddie: pode começar! - ele me olhava através da câmera

Flash back on

Sempre fui meiga e gentil com todos ao meu redor, meus pais eram muito carinhosos e atenciosos, eu tinha um irmão mais velho ciumento que me amava e uma gatinha branca linda. eu não era mimada e nem chata com ninguém, por isso nunca sofri bullying ou coisas do tipo, todos me amavam.eu era feliz, era. 

Não sei como, mas logo nossa vida foi piorando, meu pai adoeceu e minha mãe ficou cuidando dele enquanto meu irmão cuidava de mim. certa vez em uma madrugada ouvi minha mãe gritando e logo me levantei e tentei ir ao quarto dela, mas meu irmão me impediu, ele sempre aparecia quando isso acontecia.

Gustavo: vai ficar tudo bem maninha - ele sempre me falava com a voz mais calma possível e ia dormir comigo.

Quando fiz 10 anos, Gustavo tinha 12, eu nem sabia o motivo, mas ele começou a aparecer machucado quando voltávamos do colégio, nunca entendi o motivo, afinal, ele nunca me contou. ele sempre me falava que seria meu príncipe até que o homem digno de mim aparecesse, por causa dele que eu nunca sofria ou chorava. isso foi até meus pais serem atacados.

Era uma noite chuvosa, por causa disso era quase impossível escutar algum barulho, por isso ignorei os ruídos que escutei. mas logo os ruídos se tornaram os gritos do meu pai, abri os olhos e logo vi Gustavo e minha mãe entrando no quarto e me arrastando da cama.

- filho, proteja sua irmã, tire ela daqui e procure o cara sem rosto, ele vai ajudar! - ela botou um colar em mim e nele - se um dia vocês precisarem se separar, isso ajudará a uni-los de novo.

Gustavo: certo mãe,  prometo cuidar dela - ele pegou minha mão e sorriu enquanto me puxava

- e a mamãe?  - ele me negou com a cabeça - ela vai encontrar a gente depois? 

Gustavo: ela vai tentar pequena, ela vai tentar - fomos correndo até uma estação de trem e partimos sem rumo.

Quando fiz 16 anos, logo começamos a ser perseguidos de novo, eu nunca havia visto o que perseguia nossa família, mas Gustavo sempre me dizia que era melhor que eu não visse. ele havia sentido que a coisa estava próximo de nós e antes dela chegar já estávamos longe. ou pelo menos nós pensávamos que estávamos longe.

Gustavo: Helena,  aja o que houver, sobreviva. - ele beijou minha testa e apontou para uma floresta - quando eu mandar você corre naquela direção e grita pelo nome Offender, não importa o que você escute, não olhe para trás e diga a ele as seguintes palavras: ele está atrás de nós 

- Gustavo, quem está atrás de nós? - perguntei e ele abriu um sorriso

Gustavo: não é a hora de você saber, fuja com ele, ele vai te levar para longe, -comecei a chorar - não chore, lembra do colar? ele vai nos unir de novo. 

- você vai ficar bem? - perguntei olhando em seus olhos

Gustavo: acha que vou deixar você se relacionar com qualquer um? - ri lembrando do que ele me dizia - eu quem julgarei se seu príncipe é digno ou não de você.

- como?

Gustavo: lembra quando você me perguntava dos machucados e eu dizia que não era nada? - assenti com a cabeça - foram brigas para te proteger, todos os que tentavam te fazer mal ou coisas do tipo, eu brigava com eles para eles nunca te machucarem,  afinal, um anjo como você não podia ser corrompido. você precisa ser sempre boa e gentil com todos, mesmo que você tenha seu lado obscuro.

- como assim? - ouvi uns barulhos estranhos

Gustavo: CORRA! - fiz o que ele pediu.

Corri o mais rápido que puder e gritei pelo nome que ele me disse, não sei quantas vezes fiz isso, mas logo uma figura branca e sexy apareceu. antes que eu pudesse falar algo, ele veio para cima de mim com seus tentáculos como se quisesse me matar, na hora eu gelei. mas ele passou direto e se chocou contra uma figura humanoide e lutou com ele. eu vi sangue nas garras do monstro e logo liguei os pontos, Gustavo estava morto para me proteger.

...

...

...acorde....

Logo voltei a mim e olhei em volta, a figura branca tinha feições de espanto e me olhava como se a qualquer momento eu fosse lhe matar. passei a mão nos cabelos e senti algo pregunto,  quando vi minhas mãos percebi do que se tratava, olhei para a criatura que estava cheia de flechas e marcas horríveis, o ser estava todo mutilado e morto.

Offender: "vamos minha criança, tem mais gente esperando por nós" - ouvi sua voz em minha cabeça.

- e meu irmão? - perguntei de imediato.

Offender: "ele me disse que não devia esperar por ele" - comecei a chorar acreditando que ele estava morto - " não se preocupe, logo ele te encontrará"

Peguei a mão de Offender e lhe segui até um local onde ele nos transportou. passei o cinto todo chorando por causa de Gustavo e lembrando de como matei aquela criatura. acho que esse era o lado negro que ele me disse que eu tinha, decidi treinar e obter o controle para não matar quem eu gostasse.

Quando Offender nos levou para a mansão de Slender e nos deu as recomendações, eu não me importei muito. eu não conseguia tirar os olhos do rapaz que eu vi, ele era adorável e aparentemente calmo. ele segurava uma câmera na mão e...

Flash back off

-eeee???? - não acredito que falei isso na frente dele, a garota me questionava com um sorriso vitorioso no rosto e Hoddie estava vermelho.

-....e-enfi-fim, foi isso - ela ainda me encarava.

Hoddie: esse rapaz da câmera era eu? - corei na hora em um zilhao de tons de vermelho.

Ele entregou a câmera ligada na mão da garota e se aproximou lentamente enquanto eu me afastava para longe dele. logo senti o braço do sofá em minhas costas e ele se aproximou mais rápido. senti sua respiração bater em meu rosto e vi seus olhos que pareciam penetrar em minha alma.

Hoddie: posso? - assenti com a cabeça e ele me beijou, um beijo suave e carinhoso.

- acho que achei meu príncipe - disse lembrando do meu irmão.

Hoddie: e eu achei minha princesa - corei quando percebi que disse um pouco alto, logo ele me beijou de novo.

- ISABEL!!! EU VOU TE ENCONTRAR - nem deu para ela escutar o resto,  ela jogou a câmera para Hoddie e saiu correndo.

Yume: Helena, viu a Isabel por ae? - ela estava com uma marca roxa na clavícula.

- vejo que ela também juntou vocês não é? - ela corou e LJ se escondeu atrás dela.

LJ: tenho que agradecer aquela pestinha que eu amo - comecei a rir - que foi?

- ela acha que você quer matar ela...

Yume: eu disse a ele para ele não gritar daquele jeito.

Logo eles saíram e me deixaram sozinha com Hoddie, acho que tenho que agradecer ela também. mas algo me diz que ela queria me falar algo...


Notas Finais


Gente, meu nível tá chegando!!! Dia 5 vou ficar mais velha!!! Como já disse antes aceito presentes u.u
Kkkk
Boa noite


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...