História Amor de Dragon Slayer - Capítulo 12


Escrita por: ~ e ~RedDragonKing

Postado
Categorias Fairy Tail, High School DxD
Personagens Acnologia, Akeno Himejima, Aquarius, Aries, Asia Argento, Cana Alberona, Chelia Blendy, Doranbolt, Erza Scarlet, Gajeel Redfox, Grandeeney, Happy, Igneel, Issei Hyoudou, Levy McGarden, Natsu Dragneel, Personagens Originais, Rias Gremory, Wendy Marvell, Yukino Aguria, Yuuto Kiba, Zeref
Tags Nawen, Wentsu
Exibições 287
Palavras 3.351
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Comédia, Crossover, Ecchi, Festa, Harem, Hentai, Luta, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Para quem desconhece o nome, "Lumem Histoire" deve lembra-los de algo

Capítulo 12 - 012- Fairy Heart


Capítulo 012- FAIRY HEART

Todos estavam na casa de Natsu e Wendy, que não estavam muito felizes com a decisão de Mavis.

—Não se preocupem, Natsu, Wendy. - Disse a loira. - Quando conseguirmos dar um jeito na Fairy Hunter, tudo voltará ao normal. - Parecia que ela tinha lido o pensamento dos dois Dragon Slayer.

Natsu deu um suspiro de alívio, e olhou para um dos quartos, que seria o de Gajeel e Levy. Erza tinha se apossado da rede de Natsu, que não podia fazer nada quanto a isso. E a ruiva foi para um outro cômodo que Natsu nunca havia usado. Então por último ficou a fantasma, que olhou para o casal já com sono.

—Mavis, sempre fiquei curioso… - Natsu se sentou na sua cama e de Wendy. - Fantasmas dormem?

—Na verdade não - Olhamos com curiosidade para ela - Eu pelo menos fecho os olhos, e os mantendo fechados… me dá a impressão que estou dormindo.

Natsu fez uma expressão de entendimento no rosto, e se deitou. Happy e Charle foram para sua cama, e Pantherlily ficou na sala mesmo. Wendy foi até o banheiro, e tomou um banho, enquanto Natsu esperava ela sair, ele conversava com Mavis.

—Certo, eu consegui treinar o feitiço escondido. Estou pronto para usá-lo - Sussurrou Natsu olhando para Mavis, que sorriu. - Vamos colocá-lo em prática…

—Amanhã, depois do seu treinamento com os outros - Sorriu a fundadora. Natsu assentiu. Ele sentiu o cheiro de Wendy se aproximando, e fez um sinal para Mavis que eles falariam sobre aquilo depois.

A azulada entra no quarto, e Natsu vai para o banheiro. Wendy olha para Mavis, que estava ali no quarto.

—Primeira… - A loirinha olhou para a Dragon Slayer com um sorriso fofo. - Onde você vai dormir…?

—Sabe que eu não sei - Wendy ficou com uma gota. - Eu dou um jeito, não se preocupe. - A princesa das fadas estava com sono, apenas se jogou na cama. Mavis sorria pensando.

Mal posso esperar para quando eles me virem amanhã de noite.

Logo Natsu voltou do banheiro. Mavis se retirou do quarto, para deixar o casal a sós, e se deitou ao lado de Wendy.

—Natsu… - O rosado olhou para ela, que já estava dormindo, pois estava de olhos fechados, e abraçando um dos braços de Natsu. - Não morra… Por favor…

Ele dá um sorriso triste. Beija a testa da pequena, e logo dorme.

Por Natsu

Acordei primeiro que Wendy. Olhei para ela, apertava meu braço esquerdo com força, como se estivesse tendo um sonho bem intenso. Logo vejo Charle e Happy em minha cama, nos olhando com curiosidade. Eu sorrio para os dois gatinhos.

—Bom dia, Happy, Charle.

—Bom dia Natsu - Dizem os dois em coro, falando juntos. - Natsu, você tem certeza que está tudo bem com a Wendy? - Charle perguntou preocupada.

—Bom, tirando que ela passou por situações bem traumáticas - Comecei olhando para ela dormindo, me preocupando com a expressão que ela tinha no rosto. - Creio que está tudo bem.

—Ela não te contou dos pesadelos que ela tem toda noite? - Perguntou a gata branca, me surpreendendo. Neguei com a cabeça. Ela deu um suspiro profundo - Idiota… Sabia que ela não ia contar…

—Por que ela não me contaria? - Perguntei ríspido. Charle suspirou mais uma vez, e me olhou. Happy apenas observava a cena.

—Por que ela não queria te preocupar. - Isso me deixou um pouco incomodado. Ela é minha companheira, porra, como não vou me preocupar? - Ela manteve em segredo, e depois de ontem… Não tem como saber o que se passa na cabeça dela.

—Por isso estamos preocupados com ela. - Após muito tempo sem dizer nada, Happy fala. - Viemos falar com você achando que você sabia de alguma coisa.

Eu apenas abaixei a cabeça. Eu vou ter uma conversa séria com ela mais tarde. De repente, ela começa a se mover bruscamente durante seu sono, fazendo com que eu e os Exceed prestássemos atenção nela.

—Não… Não… - Ela ainda dormia, mais se remexia na cama. De repente ela começou a gritar. - NÃO, SOLTA ELE! SOLTA O NATSU… ELE NÃO… ME MATA! SOLTA ELE!



Os gatos me olharam, e eu agarrei ela, que continuou se movendo rapidamente várias vezes, apesar de ter parado. Ela me abraçou com força. Podia sentir seu rosto molhado por lágrimas.

—Natsu-kun, foi h-horrivel… - Disse ela com o rosto escondido no meu tórax. - V-você ia m…

—Foi só um pesadelo - Olhei para Charle, que estava meio desesperada, por ter visto a amiga daquele jeito. - Só um pesadelo…

Todos nós tomávamos café na minha casa, e quem tinha preparado tudo tinha sido Levy e a Erza. Eu, os Exceed e Wendy não comentamos sobre o pesadelo da minha dragoazinha.

—Mavis-chan. - Olhamos para Wendy. - Passou a noite bem?


Olhei para a fundadora, que parecia um pouco distante ao ouvir aquilo. Ela deu um meio sorriso, mas continuou perdida em pensamentos.

—Ficar nessa forma, de viva ou morta, não é uma experiência agradável… Não posso dormir, nem comer, nem tomar banho direito… Seria melhor se já estivesse m…

—Pode para por aí! - Exclamei. Ela me olhou confusa. - Não ouse dizer isso, Mavis Vermilion. Não quero ouvir meus companheiros dizerem uma besteira dessas na minha frente. Não enquanto eu estiver vivo.

Todos nós sorrimos, fazendo ela dar um sorriso fraco, ela parecia querer chorar, mas eu acho que fantasmas não tem como fazer isso. Sinto pena dela. Mas sei que hoje isso irá acabar. Eu garanto isso.

—Eu fico feliz de poder me chamar de Dragão como vocês. Somos muito unidos. - Disse ela.

Todos nos espantados quando ela disse isso. Ela nos olhou com um sorriso maroto.

—Eu sou uma Dragon Slayer também. - Disse a garota sorrindo de lado. - Igneel me ensinou!

—ELE NUNCA ME CONTOU SOBRE ISSO! - Gritei espantado. Pai, nós temos muito o que conversar quando eu te achar. Mavis criou uma chama igualzinha à minha. Mais forte que a minha, talvez.

—Isso está começando a ficar interessante - Disse Gajeel comendo uma placa de ferro, criada por Levy. - Mais um dragão para a Guilda.

(N/A: Caso as mentes mais fracas não se lembrem, foi comentado quando Romeu foi no encontro com Wendy e a primeira salvou ela, que ela usou magia de fogo. Mais para frente será explicado como e quando Igneel encontrou e ensinou a ela.)

...

Depois que terminamos nosso café, fomos até a Guilda para nos encontrarmos com Laxus, que nos esperava lá, para podermos ir fazer o treinamento com Mavis. No momento, eu, minha rainha abraçada comigo, Gajeel, e Laxus estamos numa área descampada, um pouco distante de Magnólia. Mavis está parada a nossa frente, nos olhando com um brilho de divertimento nos olhos.

—Bom, eu trouxe vocês aqui, por que vou treina-los. - Disse a loirinha nos olhando divertida. - Como sabem, nosso possível inimigo são os caçadores de Fadas, ou Fairy Hunter, como eles se autodenominam. Por algum motivo, eles estão mais fortes do que quando estavam do nosso lado, e precisamos nos preparar. Eu, sendo uma Dragon Slayer - Laxus estranhou ao ouvir isso, e todos nós percebemos, mas não disse nada, pelo menos no momento. - Criei técnicas que somente nós podemos usar. Eu batizei de Fairy Force. É como a Dragon Force, só que pode ser considerado exclusivo de Dragon Slayer da Fairy Tail.

—Traduzindo, somente nós podemos usar? - Perguntou Wendy, ajeitando um cachecol que ela usava. Meu cachecol.

—Sim, princesa. - Acho que Mavis chamava ela assim por causa do título de princesa das fadas. - Porém eu ainda estou desenvolvendo isso. Não pretendia usar essa técnica agora, mas pelas circunstâncias, não tive escolha. O único problema, é que temos apenas um golpe poderoso dela em nossa disposição.

—Apenas um…? - Gajeel olhou para ela meio desconfiado.

—Como eu disse, ainda não pude aperfeiçoa -lá. - Disse Mavis. - Podem ver que esse lugar que nós estamos, é sem vegetação alguma, não é?

Assentimos. Há uns trinta metros dali, podíamos ver a floresta atrás de nossa mestra. Ela sorriu maldosamente.

—Bom, digamos, que nos testes, eu usei esse único golpe que nós temos… - Ela nem precisou terminar a fala, e todos nós ficamos de boca aberta.

—Você usou o golpe aqui…? - Perguntou Laxus descrente. Mavis assentiu.

—Como resultado da força, ele destruiu essa parte da floresta. - Disse Mavis. - Mas devo considerar que era mais apropriado para Dragon Slayer de fogo. - Todos olharam para mim. Eu tive que dar um sorriso sem graça. - E eu sou um fantasma, então...

—O piromaníaco do Natsu vai matar todo mundo - Gajeel debochou.

—Hey! - Encarei ele rindo. Olhei para Wendy. - Amor, me ajuda!

—Desculpe, amor. Mas o Onii-Chan está certo. Você é piromaníaco. - Até minha companheira está contra mim. Mas pensando bem, isso é verdade. Eu sou piromaníaco. Ela me beija, em compensação. Mavis sorri empolgada.

—Vamos começar o treino - Disse ela.

Eram umas cinco horas da tarde, e nós chegamos na Guilda. Andamos até o balcão, onde nos sentamos. Estávamos completamente cansados, exaustos. Eu quero muito pegar a Wendy, ir pra casa com ela, tomarmos um banho, e deitar com ela para dormir. Porém tenho uma coisa para fazer num lugar da Guilda onde quase ninguém vai. Acredite, não estou falando do porão.

—Mira, prepara um frango a passarinho, porção gigante, e dois sucos de morango. - Pedi morrendo de fome. A albina assentiu, e foi fazer o meu pedido. Eu como umas três tochas de fogo pra minha magia voltar ao normal. Wendy me olhou curiosa.

—Amor, você parece ansioso. - Ela não comentou, e nem perguntou. Ela afirmou. - Por quê?


Dei um beijo de língua nela. A pequena se surpreendeu, mas correspondeu. Eu explorava aquela boca com minha língua, e logo estávamos com nossas línguas entrelaçadas. De repente, nos foi preciso de ar. E nos separamos, e até mesmo ficou aquele fiozinho de baba, que sumiu quando nos afastamos um pouco.

—Eu amo quando você faz isso - Ela estava corada. Eu abracei ela que sorriu satisfeita.

—O amor é lindo - Ouvi Erza comentar se sentando ao nosso lado. - Quero ser madrinha de casamento. - Eu sorri.

—E vai. - Wendy me olhou corando, mas com uma alegria que não cabia em si própria. É cedo para falar em casamento? É, mas eu deixo isso muito claro, a Wendy vai ser a mulher que eu vou viver pelo resto da minha vida.

Logo Mira chegou com o meu pedido, e eu e a minha rainha comemos com vontade. Tomando o suco, e ficamos ali na mesa conversando com Erza, quando o espírito de Mavis se aproxima de mim.

—Está na hora. - Ela estava séria, e eu assenti. Wendy olhou para nós desconfiada. Eu dei mais um beijo quente nela, e sussurrei em seu ouvido: - Eu não demoro, rainha.

Ela suspirou, e eu sai com Mavis me seguindo. Nós fomos até a sala do Vovô, e lá tinha uma passagem secreta, que dava em uma escada descemos essa escada, e logo estávamos no subterrâneo, abaixo da Guilda. Era um lugar meio cavernoso, e nele havia um cristal enorme. Havia uma garota, nua, dentro desse cristal. Ela tinha cabelos longos e loiros, quase brancos. Mavis olhou para o cristal com certa emoção.

—Finalmente, vou poder voltar a vida. - Disse ela. - Queria que estivessem aqui para ver isso. Finalmente a Fairy Heart termina aqui.

Por Wendy

Eu estava morrendo de ciúmes e curiosidade. Onde a Mavis tinha ido com o meu Natsu? O que eles iriam fazer? E por que ela estava tão séria? Eu pedi mais um suco de morango para a Mira, e estava terminando de tomar ele. Em minha companhia, estavam Erza e Levy.

—Onde será que a primeira foi com o Natsu? - Perguntou Erza curiosa.

—Eu não sei, mas ela sabe que ele tem dono - Respondi nervosa.

—Wendy, você sabe que o Natsu não iria te trair nunca. E a Mavis é um fantasma, se esqueceu? - Perguntou Levy divertida. Eu apenas assenti, e vi como estava sendo tola.

De repente, eu começo a sentir um forte poder mágico, aumentando a cada segundo. Olho para Erza e para Levy, e elas também me olham, o poder mágico começa a aumentar, e as luzes da Guilda começam a piscar. Nesse momento o mestre Makarov entra na Guilda. Ele parecia estar sorrindo. Se aproximou de nós.

—Essa magia… Fairy Heart - Eu, Erza e Levy nós olhamos, e nós não entendemos nada. De repente o poder mágico diminui, e as luzes se estabilizam. Todos estavam em silêncio quando isso aconteceu.

—O que foi isso, mestre? - Perguntou Erza curiosa, olhando para o velho.

—Mira, uma cerveja! - A albina assentiu e foi buscar o pedido dele. - Pergunta pra primeira e pro Natsu, eles vão responder pra vocês.

De repente nos olhamos, e vemos os dois vindo na nossa direção. Porém algo estava estranho. A garota estava usando o colete de Natsu, junto com aquela parte que ele usava por cima da calça.

(N/A: Não sei o nome daquilo, se algum souber…)

Eles se aproximaram da gente. Eu olhei para o Natsu, e agarrei ele, morrendo de ciúmes.

Por Natsu

Eu sabia que aparecer com a Mavis usando minhas roupas iria causar muita confusão, apesar que não aconteceu ainda. Wendy me agarrou com força, e me olhou, pedindo explicações.

—Por que a primeira está com suas roupas, amor? - perguntou ela num tom de voz que me fez tremer. Minha rainha consegue me dar um pouco de medo de vez em quando.

Puxei ela e a beijei, fazendo ela ficar na ponta do pé. Logo nos separamos, deixando ela ofegante Mavis nos olhava para nós divertida.

—Natsu-kun, onde vocês estavam, e por que a Mavis está com suas roupas? - Perguntou ela passando o dedo indicador pelo meu tórax.

—Bom, acho melhor explicar pra todo mundo - Disse. Subi em cima da mesa com, e ajudei ela e a Mavis a subirem também. E elas ficaram cada uma em um lado meu. - Como vocês sabem, a nossa primeira mestra era um fantasma, certo? - Todos assentiram. - No subsolo da Guilda tinha um cristal gigante, com o corpo dela lá dentro - Expliquei, percebendo que vários estavam bem confusos. Não os culpo, afinal apenas os mestres da Guilda podiam descer lá - O nome era Fairy Heart, ou também conhecida como Lúmen Histoire. Eu desfiz a magia, e ela voltou a vida. - Disse apontando para a loira, que sorria. Todos nos olharam meio desconfiados, e logo eu vi o Vovô.

—Pelo visto, foi tudo muito bem feito - Disse Makarov. Quando ele disse isso a cara de desconfiança sumiu do rosto de todos, e logo uma expressão de entendimento apareceu no rosto deles. Mavis sorriu.

—Viva, depois de tanto tempo… - Comentou ela. Eu sorri. Mandei meu braço ao alto, fazendo o símbolo da Fairy Tail com o dedo.

—VAMOS FESTEJAR! - Todos repetiram o gesto, e o grito.

Por Narrador

Mavis e Wendy estavam encostadas no balcão da Guilda, tomando um suco de morango.

(N/A: Famoso esse aí hein…)

Wendy olhou para a loira com curiosidade.

—E então, primeira, feliz de ter seu corpo de novo? - Perguntou a azulada vendo a loira dar um sorriso de satisfação.

—Eu não me lembrava de como era bom ter um copo físico - Wendy olhou para Mavis, que sorria.

—Você tem quantos anos, Mavis-chan? - A loira olhou para a azulada.

—Vamos esquecer toda minha idade real, e digamos que eu tenha 14 anos. - Disse ela. - Tenho a mesma idade que você.

—Então o Natsu tem uma imouto, e uma Loli da mesma idade? - Perguntou Mira com aquele sorriso dela.

—Eu não sou uma Loli! - Exclamou Wendy, brava. Mira e Mavis riram. - Vocês sabem que eu não tenho só quatorze anos!

—Mas parece uma Loli! - Exclamou ela, implicando com a Dragon Slayer do céu, que bufou.

Natsu, que estava conversando com Makarov um pouco distante delas, se aproximou, parecendo cansado.

—Amor, Vamos embora… - Sua frase foi interrompida por um bocejo. - Eu estou morrendo de sono.

—Certo - Wendy olhou para Mavis e Mira. - Mavis você vai vir com a gente?

A loira negou com um sorriso.

—Vou continuar aqui mais um pouco! - Exclamou ela sorridente. - Depois eu vou com a Erza e os outros.

Wendy assentiu, chamou Happy e Charle, que levaram os dois para a casa. Mal entraram na casa, Natsu foi tomar banho, e correu para a cama em seguida. Dormindo rapidamente. Wendy, que tinha entrado no banheiro logo depois do Natsu sair, saiu do cômodo secando seu cabelo. Ela olhou para a casa e não encontrou o namorado. Quando foi até o seu quarto, encontrou Natsu dormindo. Ela deu um sorriso, e foi para a cozinha. Happy, segundo o exemplo de Natsu, já havia ido dormir, deixando Charle tomando seu chá. Wendy se sentou na mesa, onde a gata estava tomando o chá.

—Quer um pouco, Wendy? - Ofereceu a Exceed branca gentilmente. Wendy sorriu r assentiu. A gata pegou uma xícara, e encheu de líquido, dando para a azulada em seguida. - Então você não tinha mesmo contado pro Natsu sobre seus pesadelos, não é?

A azulada que tomou um gole, suspirou o desviou o olhar da gata branca, que a olhava séria.

—Eu não queria deixar ele mais preocupado… Já temos a Fairy Hunter atrás da gente… - Disse ela num tom de voz baixo. - Não achei que fosse algo que ele devesse se preocupar.

—Wendy… - A gata suspirou, um tanto impaciente. - Ele é seu companheiro para o resto da vida, você sabe disso. - Wendy assentiu. - Então eu acho que ele já devia saber que você tem um trauma bem… Pesado, por falta de palavra melhor.

Wendy suspirou, e tomou mais um gole do chá. Sabia que no fundo sua amiga estava certa. Sabia que no fundo, ele já deveria saber que ela tinha esse trauma. Sabia que ele iria se preocupar, querendo ela ou não. Era o Natsu. Ele sempre se preocupa com ela.

—Tem razão. Amanhã vou falar com ele. - Charle sorriu com a decisão da garota. Logo a porta da casa se abriu, e entraram Erza, Gajeel, Levy, Mavis e Pantherlily, parecendo bem cansados. A ruiva se sentou numa cadeira.

—Eu estou exausta! - Exclamou a ruiva, preguiçosa. - Vou tomar um banho e ir dormir, que ganho mais.

E foi isso que ela fez, tomou seu banho, e foi dormir. O mesmo fez Gajeel e Levy. Mavis foi por último, e logo saiu do banheiro contente. Wendy apenas observava a fundadora.

—Cara, como é bom tomar um banho quente sem precisar do Natsu-nii para ferver a água. Wendy se lembrou de quando o dito, por ideia de Erza, ferveu a água do banheiro feminino para Mavis, ainda fantasma, tomar um bom banho quente. É claro que isso resultou numa pequena confusão depois, mas nada que ela já não estivesse acostumada. Mavis olhou para o sofá desejosa - Mal posso esperar para dormir de verdade!

Wendy sorriu. Tinha conseguido uma boa amiga.

—Bom, então acho que vou fazer isso, pri...- Ela foi interrompida por um pigarreio da loira.

—Pode me chamar de Mavis. - Disse ela. - Não consigo me acostumar com vocês me chamando assim.

Wendy sorriu, e se despediu de Mavis por aquela noite. Ela entrou em seu quarto, e foi até a cama, onde Natsu já estava no reino dos sonhos a muito tempo. Ela se deitou ao lado do rosado, e este quando sentiu o cheiro de sua amada, mesmo dormindo, a abraçou de costas, ficando com a cabeça no meio dos cabelos da azulada, que corou.

—Boa noite, Natsu… - Disse ela, que em pouco tempo estava dormindo.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...