História Amor de Fada - Capítulo 20


Escrita por: ~, ~Nashii01 e ~ShiroS2ps

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Erza Scarlet, Gajeel Redfox, Gray Fullbuster, Jellal Fernandes, Juvia Lockser, Levy McGarden, Lucy Heartfilia, Natsu Dragneel
Tags Erza, Fairytail, Flare, Gajeel, Gale, Gray, Gruvia, Jellal, Jerza, Juvia, Levy, Lisanna, Lucy, Lyon, Makarov, Meredy, Nalu, Natsu, Rogue, Sting, Ultear, Yukino
Visualizações 106
Palavras 2.313
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Ecchi, Escolar, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 20 - O Beijo


Fanfic / Fanfiction Amor de Fada - Capítulo 20 - O Beijo

Natsu Pov's on

Eu e os rapazes estávamos a andar pela escola para nos encontrarmos na entrada com as raparigas. Todos conversávamos animadamente até que eu senti alguém saltar para cima de mim me abraçando. Primeiramente pensei que fosse a minha loirinha, mas logo excluí essa ideia pois ela estava magoada e não ia fazer isto. Foi então que percebi uma cabeleira branca bem próxima de mim. 
-Aii Lisanna larga-me de uma vez por todas. - falei empurrando-a. 
-M... Mas Nat-kun eu sei que tu não gostas daquela loirinha de farmácia. Tu ainda me amas eu sei disso. -falou simulando uma voz da choro. 
-Não me chateies, nós já acabamos faz anos e a pessoa quem eu amo é a Lucy. - falei desviando-me dela e continuando o meu trajeto junto com os rapazes. 
-Tu ainda te vais arrepender disto. - disse a Lis com raiva. 
-Como queiras. - afirmei num tom um pouco mais alto para que ela me ouvisse. 
Logo chegamos à beira das miúdas e elas estavam todas a conversar menos a Lucy, ela estava estranha. Fui até ela e dei-lhe um beijo na cara o qual ela não retribuiu. 
Achei estranho, mas não quis insistir. 
Como já era um pouco tarde decidimos ir para casa. Eu e o Gray acompanhamos as garotas já que a casa é pelo mesmo caminho. 
- Vocês não querem entrar? - perguntou a ruiva apontando para a porta de casa. 
Eu olhei para a loira e ela deu de ombros indo já a caminho da entrada. Eu e o azulado aceitamos o convite e seguimos as garotas. 
-O que se passa entre ti e a Lucy? - questionou o gelinho num tom baixo para ninguém ouvir. 
-Não sei, desde que saímos da escola ela está estranha . - respondi no mesmo tom. 
Já dentro de casa todos fomos para o sofá menos a Lucy. A rapariga tinha ido para o quarto. 
-Gente, o que se passa com a Lu? - perguntei
-A sério que ainda não percebeste? - interrogou a baixa. 
Eu fiquei com cara de quem realmente não estava a perceber mais nada. 
-Natsu, eu não sei se a Lucy já te falou dos relacionamentos dela, mas explicando de uma forma rápida. Todos deram merda e ela era sempre quem saía magoada. Isto fez com que ela se tornasse uma miúda insegura. Para melhorar essa situação ela também já sofreu bulling. Ela até já se tentou matar por causa disso. 
Assim que a Juvia falou a última parte eu arrepiei-me só a pensar naquela possibilidade. No entanto continuo sem entender o porquê de ela estar assim. 
-Ok. Mas eu ainda não entendi o porquê de ela estar assim. Espera... Ela ficou assim por causa da Lisanna? - perguntei e as raparigas afirmaram. - Então ela interpretou mal as coisas. Eu só lhe estava a dizer para ela parar de me chatear. 
-Se eu fosse a ti parava de perder tempo a pensar nisso e ia falar com ela. 
Mal a ruiva acabou de falar eu saí disparado dali e corri para o quarto da minha namorada. Chegando lá bati à porta mas ninguém respondeu. Comecei a entrar em pânico, será que ela se tentou mat... Claro que não. Ela não pode fazer isso. 
Sem dar conta uma lágrima desceu pelo meu rosto. 
Encostei o ouvido à porta e consegui ouvir o barulho da loira a chorar. Fiquei mais aliviado mas mesmo assim o meu peito estava apertado afinal a rapariga que eu amo estava ali trancada a chorar. 
Bati novamente à porta, mas continuei sem resposta. 
-Lucy, por favor abre a porta nos precisamos de falar. 
Desisti da ideia de bater à porta. Fui o mais rápido que pude buscar a chave do quarto e voltei num abrir e fechar de olhos. Finalmente consegui entrar no quarto dela. Assim que abri a porta pude ver uma loira a chorar sentada no chão com a cabeça entre os joelhos. Ao seu lado estava pousada uma tesoura e mal vi isso corri para perto dela e afastei o objeto dali. Em seguida abracei-a pois eu não sabia o que fazer. A Lu retribuiu o meu gesto e logo senti a minha t-shirt ficar molhada devido as lágrimas da rapariga. 
Afastamo-nos e eu sequei o rosto dela pois o seu choro tinha acalmado. 
-Natsu, tu amas-me? - perguntou com a voz trémula. 
-Claro que amo minha pequena. 
Em seguida levantei-me e ajudei-a a levantar-se. Conduzi-a até à cama e sentei-a no meu colo. 
-Lucy, tu sabes que és a única rapariga que eu amo e eu não seria capaz de te magoar. 
 -Isso é o que dizem todos. - falou agora com um tom de voz frio.

-Mas loirinha... - comecei mas não consegui finalizar a frase o que ela disse afetou-me um bocado. Afinal ela não foi a única pessoa que sofreu por amor aqui. Eu também já sofri. 
Acho que ela deve ter percebido a minha expressão pois ela desculpou - se e quando eu ia falar ela beijou-me.

Juvia Pov's on

-Pessoas, se calhar vou começar a fazer o jantar. - disse a Erza. 
-E eu vou ajudar. - falou a baixinha levantando-se num salto. 
-Queres vir para o meu quarto? - perguntei ao Gray que estava do meu lado.
-Ahmm... Ok. Por mim é igual.- falou ele um pouco embaraço. 
-Gray-sama? - chamei e ele olhou-me. -Que se passa? - questionei. 
-Nada. 
-A sério? - perguntei um pouco preocupada com a notável frieza na voz do azulado. No entanto não obtive resposta. 
Ficamos em silêncio durante um bom tempo, só se conseguia ouvir o barulho das ondas do mar que vinham da praia.
-Gray-sa... - tentei voltar falar mas ele cortou-me. 
-Que queres? - perguntou e eu assustei-me. Nem parecia o mesmo rapaz preocupado que eu conhecia. 
-A J... Juvia só que...queria saber se es... Esta t...tudo bemm? 
-Sim, Juvia. Está tudo bem, está tudo ótimo. - falou levantando-se de uma forma bruta. -Eh... Olha eu vou embora, ta. Tchau. 
Depois dele ter falado eu fiquei ali sentada a pensar. Será que eu fiz alguma coisa de mal? Logo em seguida tentei ir atrás do Gray mas ele já tinha saído. 
Pensei Durante alguns segundos até que tive uma ideia. 
Bati à porta do quarto da Lucy. Ouviu-se então a voz da loira dando-me permissão para entrar. Quando abri a porta vi que a Lu estava deitada na cama sendo abraçada pelo rosado. 
-Desculpem incomodar mas eu só queria fazer uma pergunta. Vocês sabem o que se passa com o Gray-sama?
-Não, mas agora que falas ele está um bocado estranho. Talvez seja pelo que aconteceu com o Lyon. - falou a Lucy. - E tu Natsu sabes de alguma coisa? - interrogou logo em seguida. 
-Bem... então. Eu acho que o Gray não está preparado para contar o que se passa. - afirmou o rosado. 
-Sabes onde ele pode ter ido?-perguntei olhando para o rosinha. 
-Ju eu não acho que seja boa ideia ires falar com ele. 
-Sabes onde ele pode ter ido? - perguntei novamente fazendo o rosado suspirar. 
-Ou está no apartamento ou está na praia. Mas a segunda opção é a mais provável. 
Assenti e corri para a praia. 
Já estava a andar pela areia há algum tempo a tentar procurar o Gray. Coisa que por sinal não estava a acontecer. O local estava muito escuro, havia pouquíssima luz. 
Ouvi alguém assobiar atrás de mim. Tentei ignorar mas percebi que era mais que uma pessoa. Olhei discretamente para trás e percebi que eram alguns rapazes aparentemente mais velhos do que eu alguns anos. 
-Oi gata! Sozinha a estas horas? Não queres companhia? - perguntou um deles. 
-Ei miúda, não vais dizer nada? 
Eu estava a ficar cada vez mais nervosa com aquelas perguntas. Quando dei por mim estava um dos homens ao meu lado. 
-Então estás com vergonha? - perguntou-me e eu engoli em seco.
Tentei afastar-me mas ele agarrou-me agressivamente puxando para perto. 
Não consegui soltar me e acabei por cair com ele em cima de mim. Eu estava com medo daquilo que podia acontecer. O homem foi-se aproximando e num movimento rápido conseguiu rasgar a minha t-shirt. 
Desesperadamente tentei afasta-lo outra vez, mas não consegui. Ele posicionou-se com uma perna de cada lado do meu corpo e agarrou os meus braços acima da cabeça. Enquanto isso lambia o meu pescoço e eu gritava pedindo ajuda já começando a chorar. No momento que o moreno pousou uma mão no meu peito ouvi uma voz que eu bem conhecia gritar.
-TIRA AS MÃOS DE CIMA DELA. AGORA. - gritou o Gray correndo na minha direção. 
-Mano, se queres uma vai arranjar. Agora não venhas aqui roubar a dos outros. 
Mal o rapaz acabou de falar o azulado agarrou-o pela camisola e empurrou-o começando a trocar socos um com o outro. Certamente o Gray era quem levava vantagem. -Sai daqui antes que apanhes mais. RÁPIDO. -falou e o rapaz obedeceu. 
Enquanto isso encontrava-me encolhida no chão a olhar para o azulado que rapidamente veio ter comigo.

Gray Pov's on

-Juvia estás bem? - perguntei extremamente preocupado. 
-Agora que Gray-sama chegou, sim. 
-Toma, tu deves estar cheia de frio. - falei estendendo-lhe a minha t-shirt. -Não é grande coisa mas sempre ficas melhor. 
A rapariga vestiu o que lhe dei e depois ajudei-a levantar-se. 
-AIII!! - a azulada gritou de dor. 
-Que se passa? - interroguei. 
-O meu pé acho que o torci quando cai. 
-Ahmm... Se calhar é melhor irmos ao médico. -falei e ela afirmou. -Vamos lá. - disse pegando nela ao colo. 
-Gray-sama, Juvia pode andar sozinha. 
-Não sejas casmurra. 
Como estávamos perto do meu apartamento passou-se pouco tempo e Já estávamos perto do meu carro. 
-Ju, ficas aqui ou vens comigo lá a cima? 
-Eu não quero ficar sozinha. 
-Ok. 
Levei a azulada para o elevador e ficamos à porta do apartamento. Peguei nela novamente e deixei-a no sofá. Fui até ao quarto vestir uma t-shirt e peguei também numa camisola mais quente para a Juvia. Chegando à sala dei-lhe a peça para que ela vestisse e assim o fez. Enquanto ela se vestia eu fui à cozinha busca gelo para ela colocar no pé. 
----quebra de tempo---
Agora eu e a azulada estávamos a sair do hospital. Ela tinha o pé com algumas ligaduras e tem que usar muletas. 
-É melhor irmos agora buscar os medicamentos para as dores né? 
-Sim, se não der muito trabalho. 
-Claro que não dá. 
Ia ligar o carro no preciso momento que alguém me telefonou.

Chat's on

Natsu: Finalmente, estava a ver que nunca mais atendias. Estás com a Juvia? 
Gray: Sim, estou com ela. Porquê? 
Natsu: É que ela saiu daqui desesperada a querer falar contigo ainda não tinha dado sinal de vida ficamos preocupados. E já agora onde vocês estão para teres demorado tanto para atender. 
 Gray: Ah isso. Eu esqueci o telemóvel no carro e nós fomos ao hospital. Mas não se preocupem esta tudo bem. Xau.

Chat's off

Rapidamente desliguei a chamada mas o telemóvel logo começou a tocar.

Chat's on

Natsu: COMO ASSIM VOCÊS ESTÃO NO HOSPITAL?! Que é que vocês estão aí a fazer? Gray: A Ju magoou o pé. Ah, avisa as miúdas que ela vai dormir no apartamento. Depois falamos melhor. 
Natsu: Está bem. Cuida dela.

Chat's off

-Eu podia ir para casa. Não quero dar mais trabalho ao Gray-sama. - falou olhando para baixo. 
-Não dás trabalho nenhum vamos lá. - falei ligando o carro. 
---quebra de tempo----
-Eu vou fazer alguma coisa para comermos já volto. - afirmei indo para a cozinha enquanto a azulada se sentava no sofá. 
Ao fim de algum tempo eu levei as sanduíches para a sala e deixei na mesa de centro. 
-Juvia, se calhar não queres falar, mas eles fizeram-te alguma coisa antes de eu chegar? 
-S-Só aquilo que o gray-sama viu. -falou baixo. 
-Queres ir tomar um banho? Sei lá pode ser que te sintas melhor.
Ela assentiu positivamente. Acabou de comer e eu mostrei-lhe o caminho até à casa de banho. 
-Olha, não te esqueças de ter cuidado para não molhar as ligaduras. 
-Gray-sama um pormenor. Eu não tenho outra roupa. 
-Ahmm. Então eu vou a tua casa buscar uma roupa enquanto tu tomas banho. 
-Está bem então. 
Saí do prédio e fui de carro até à casa das garotas para ser mais rápido. 
Expliquei o que se tinha passado e pedi às raparigas para irem buscar uma roupa para a Ju. Quando voltei ao apartamento bati à porta da casa de banho. 
-Juvia? Tenho aqui a roupa para ti. 
A rapariga abriu ligeiramente a porta e estendeu o braço. Dei-lhe a roupa e fui para a sala. 
Passaram-se alguns minutos e a azulada entrou pela sala. Ela vestia um pijama preto formado por um top de alças e uns calções curtos. 
-Gray-sama posso falar contigo? 
-Claro. 
-Eh... Então... O gray-sama está chateado comigo?? 
-Não, porquê? 
-Da forma como o Gray-sama falou comigo mais cedo parecia. 
-Ah! Isso. Desculpa, tu não tens culpa de nada e eu acabei por descarregar em ti. 
-Posso saber o que se passou? 
-É complicado Juvia. -falei e ela sentou-se ao meu lado. - E... eu acho que ainda não estou preparado para falar sobre isso com mais pessoas. 
-Ok. Eu percebo. - falou apertando a minha mão. 
-Juvia?-chamei olhando para as nossas mãos unidas. 
-D... Desculpa Gray-sama. -falou soltando a minha mão mas logo eu puxei a dela para o sítio onde estava anteriormente. 
A rapariga olhou me surpreendida. 
-Eu... Juvia... Eu queria dizer que... Ah não é nada esquece. - que é que eu estou a fazer? Fala logo Gray. Tu desaprendeste a falar com uma rapariga? 
Quando reparei eu e a azulada estávamos a poucos centímetros de distância. Tentei afastar-me, mas fui parado com a sensação de uns lábios sendo pressionados nos meus.


Notas Finais


#Nashi


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...