História Amor de Gelo - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias A Origem dos Guardiões, Enrolados, Frozen - Uma Aventura Congelante
Personagens A Fada dos Dentes, Anna, Breu, Coelhão, Elsa, Flynn Rider, Jack Frost, Kristoff, Norte, Olaf, Pascal, Rapunzel, Sandman "Sandy", Sven
Tags Elsa, Jack Frost, Jelsa, Romance
Exibições 115
Palavras 1.257
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Fantasia, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Ah, finalmente! Acho que por enquanto esse é meu capítulo favorito! É tããão fofo❤

Me digam, eu geralmente escrevo 1000 e poucas palavras por capítulo, é sulficiente? É pouco ou muito?

E sim meu povo, essa fotinho tem tudo a ver com o texto — como nos outros capítulos também — e eu amo fazer isso. Então, please, reparem nessas lindas fanart's, e todos meus parabéns pra quem as fez ^-^

Capítulo 6 - Juntos


Fanfic / Fanfiction Amor de Gelo - Capítulo 6 - Juntos

— Elsa!? Mas você não estava lá? — apontei para o grande castelo de Arendelle, que daqui parece uma pequena estrela no horizonte.

  Confesso que me surpreendi em vê-la por aqui. Ela estava se divertindo tanto, não parecia que a festa acabaria tão cedo.

— Muitas coisas aconteceram em um curto espaço de tempo, e eu acho que apenas preciso pensar um pouco em silêncio. — ela disse calculando as palavras, como se estivesse em uma reunião de negócios.

  Sua face não mentia, estava mesmo se sentindo deslocada. De odiada pra adorada, foi rápido demais, ela não deve ter se acostumado com tanta gente no pé.

— Desculpa ter invadido e modificado sua propriedade, quer que eu saia? — olhei no fundo dos olhos dela, como quem implora uma resposta do tipo "fica". Confesso que falar essa última parte não foi porque eu quis, foi mais por educação. Não devia ter dito, e se fiz besteira?

— Tudo bem, sua companhia é agradável, e o castelo ficou melhor assim. — ela disse esboçando um pequeno sorriso envergonhado.

  Será que estou imaginando coisas? Será que ela gosta pelo menos um pouquinho de mim? Não ficou brava por eu não a ter ajudado?

— Ótimo! Porque eu preciso conversar com você. — falei rapidamente, querendo acabar logo com isso e enfiar minha cara na neve.

  Poxa, a conheço há tanto tempo, por que vergonha logo agora?

  Só estamos nós dois, pelo menos se eu pagar mico apenas ela verá.

  O silêncio pra mim está terrível, não sei se devo falar, ou deixar que Elsa diga alguma coisa.

  Mas ela parece estar gostando de não ouvir barulho algum, às vezes até fecha os olhos como se ouvisse a mais leve das melodias.

— Parece algo sério, o que foi? — vi um pouco de preocupação em seu olhar, como se isso fosse o problema 1999 de sua lista. Bem, talvez realmente fosse.

  Então ela apenas levantou a mão esquerda, e lentamente fez uma espécie de sofá de gelo, virado para a sacada, onde a lua iluminava.

  Elsa se sentou, olhou para o espaço ao seu lado e depois olhou para mim.

  Somente a fitei com uma cara de "eu? sentar aí?" e ela apenas sorriu. O sorriso mais lindo do mundo.

  Um pouco relutante me sentei, mas diferente dela, que estava sentada como uma dama, eu fiquei de qualquer jeito.

  Estamos mais perto agora do que nunca. Posso até mesmo ouvir sua respiração e seu coração, tranquilos. O que só me deixa mais nervoso.

  Vamos lá, é agora ou nunca.

— Elsa, como você sabe sobre mim? Já havia me conhecido antes desses dias atrás? Tipo, quando você era criança? — perguntei me sentindo um completo idiota. Ela apenas me observava pacientemente. Parecia uma perfeita estátua de gelo.

— Não, eu te vi pela primeira vez aquele dia, aqui mesmo. — ela olhou em volta, como se estivesse se lembrando das coisas incríveis que poderia fazer.

— Mas... então como sabe da minha história? — esse jogo de gato e rato está me deixando sem paciência.

  Ela é sempre enigmática assim ou quer me deixar louco?

— Quando eu era muito pequena, sempre antes de dormir, minha mãe contava sua história. Anna e eu adorávamos. — ela sorriu triste, acho que se lembrou da mãe que perdeu.

  Não sabia que contavam minha história. Pensei que ninguém me conhecesse. Mesmo assim, é fofo saber disso.

  Ela gosta da minha história, deve gostar de mim também. Queria muito poder voltar no tempo e ver a cara que ela fazia quando sua mãe falava de mim.

  Um mistério resolvido, e outro foi criado. Ela apenas me conheceu há poucos dias atrás, então aquele sonho não é nada?

  Não pode ser, eu tinha tanta esperança nele. Eu só precisava de uma pequena confirmação, mas tudo desmoronou.

  Fiquei um bom tempo calado, sem saber se deveria dizer algo. Ou se pelo menos tivesse algum assunto pra falar.

  Mas eu tenho.

— Elsa, me desculpe por não ter te ajudado aquele dia, sabe, aconteceram algumas coisas que-

  Ela então colocou lentamente seu dedo indicador na minha boca, como se quisesse silêncio de minha parte.

  Assustado com o ato, me calei na hora. Ela então retirou o dedo.

— Aquele dia — ela disse lentamente, como se escolhesse caltelosamente as palavras que viriam em seguida. — eu precisava vencer meus medos sozinha. Somente eu poderia resolver aquela história. Espero que você me entenda. — na última parte ela ergueu um pouco a mão, como se fosse pegar a minha, mas logo em seguida abaixou rápido.

— Sim, eu te entendo muito bem, mais do que gostaria até. — falei olhando para o chão.

  Breu tentou matá-la uma vez, vai tentar novamente. Ele não desiste fácil, nem eu.

  Tornei a olhá-la, ela sorria para mim como quem disesse depois de  terremoto "está tudo bem".

  Mas logo sua expressão ficou séria quando olhou a lua.

— Jack, já está tarde. Preciso mesmo ir agora. — ela falou parecendo um pouco contrariada. A razão a mandava ir para casa, mas o coração pedia pra que ficasse. Pelo menos eu me sinto assim.

— Quer que eu te acompanhe? — não acredito que perguntei isso. Pareço um engomadinho dos anos 70 levando a dama para casa.

— Não teria nenhum problema? — ela parece pensar seriamente no assunto.

  Ponto pro Frost.

— Claro que não, seria uma honra para mim fazer isso pela Rainha. — disse com um pequeno sorriso.

  Ela parece ter gostado da parte "Rainha".

— Então está bem. — ela se levantou e virou em direção à porta.

— Tsc, tsc, não, não. Se eu a levarei para sua casa, será do meu jeito. — falei e depois peguei em sua delicada mão.

  Ela, como eu, é gelada. Mas não sentimos frio, nossos corações nos aquece.

  Seus dedos entrelaçados aos meus é uma sensação indescritível. Parece que neste instante algo dentro de mim brilhou.

  Ela me olhava fundo nos olhos, um pouco surpresa e curiosa. Não disse "não", muito menos deu um passo para trás. Apenas esperou minha iniciativa.

  Caminhei para a sacada, e ela me seguiu, sempre de mãos dadas. Olhei para o céu, e depois para ela, como se perguntasse "posso?", e ela apenas deu um sorriso nervoso.

  Então a abracei pela cintura, e a levei pra mais perto das estrelas. Seu rosto perto do meu, seu perfume... e principamente seu sorriso radiante, é a minha razão de viver.

  Ela parece nem se importar com a minha proximidade repentina, apenas sorri deslumbrada.

  Perto das poucas nuvens comecei a criar flocos de neve, e ela parece ter gostado da ideia, pois criou os seus.

  Rimos muito, brincando e flutuando nos céus, onde não parecia existir mais nada no mundo além de nós.

  Mas existe. E lembrei disso quando nos aproximamos do Castelo Real.

  O quarto dela é numa das torres mais altas, então a coloquei delicadamente sobre a sacada. Foi como tirar um pedaço de mim.

  Em algum ponto da cidade um sino marcou meia-noite. O resto do reino, em sua maioria, estava escuro.

— Obrigada, e... Boa noite! — ela falou com os olhos brilhando. Nunca a havia visto tão desconcertada. Parecia não saber como agir, de que modo me olhar.

— Boa noite Elsa! Tenha bons sonhos!


Notas Finais


Aahheeeooo! Queriam beijo? Hum... quem sabe numa próxima, não é? (Risos)

Aqui eu queria dar meu super, master, hiper agradecimento a vocês que andaram comentando nos outros capítulos e favoritando. Só não cito pessoínhas porque iria esquecer, ou errar algum nome ;-;

Por hoje é só! Espero que tenham gostado tanto quanto eu! Haha, até a próxima meus floquinhos de neve❄


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...