História Amor de Infância - Capítulo 39


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Aquarius, Aries, Bickslow, Cana Alberona, Câncer, Capricórnio, Chelia Blendy, Elfman Strauss, Erza Scarlet, Evergreen, Freed Justine, Gajeel Redfox, Gildartz, Grandine, Gray Fullbuster, Happy, Igneel, Jellal Fernandes, Jude Heartfilia, Jura Neekis, Juvia Lockser, Laxus Dreyar, Layla Heartfilia, Levy McGarden, Lisanna Strauss, Lucy Heartfilia, Macao Conbolt, Makarov Dreyar, Mavis Vermilion, Mirajane Strauss, Natsu Dragneel, Rogue Cheney, Romeo Conbolt, Sting Eucliffe, Virgo, Wendy Marvell, Yukino Aguria
Tags Fairy Tail Nalu Amor Infância
Exibições 338
Palavras 2.723
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Festa, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Estou de volta! O último capítulo de hoje está grande, então eu espero que gostem. Boa Leitura 😘❤

Capítulo 39 - Capítulo 39


Fanfic / Fanfiction Amor de Infância - Capítulo 39 - Capítulo 39

No quarto em que a Wendy, estava dividindo com a Chelia, Bisca, Sherry e Jenny, ela estava terminando de se arrumar, Chelia já havia vestido sua Yukata e penteava seus cabelos rosados, enquanto a Wendy prendia seus cabelos em um alto rabo de cavalo e deixava alguns fios soltos para emoldurar seu belo rosto.
-Aqui.-A Bisca falou, entregando uma flor para a Wendy.-Coloque no seu cabelo, vai ficar linda.
-Obrigada, Bisca-san.-A Wendy falou sorrindo.-Vou usar sim.
A Wendy foi até o espelho e colocou a flor em seus cabelos, a Chelia se aproximou dela com um pequeno estojo de maquiagem.
-Vem, Wendy. Eu vou te maquiar.
-Não precisa, Chelia.
-Não vem com essa, é o seu primeiro encontro, claro que precisa.
-N-Não é um encontro, Chelia!-A Wendy falou corada.
-Que fofa.-A Sherry falou.-Quem te convidou pra sair, Wendy?
-O Romeo, mas foi como amigo.
-Será mesmo, Wendy?-A Bisca perguntou sorrindo.-Talvez ele esteja realmente gostando de você.
-Viu, até a Bisca concorda comigo.-A Chelia falou.-Agora vem, eu vou te maquiar.
-Tá bom.-A Wendy falou derrotada.
A Chelia deu um sorriso e começou a maquiar a amiga. Romeo havia convidado a Wendy para ir no festival com ele essa noite e ela aceitou e desde então a Chelia vem azucrinando a cabeça da Wendy, falando que o Romeo gosta dela e isso a deixa um pouco envergonhada o que fazia a rosada rir.
No quarto da Lucy, Levy, Erza, Cana e Juvia, as garotas estavam terminando de se vestir, bateram na porta do quarto das garotas e a Juvia que era a única que estava pronta foi atender a porta, assim que a azulada abriu, ela viu o Rogue e o Sting.
-Você está linda, Juvia.-O Sting falou sorrindo.
-Obrigada, Sting. Você também não está nada mal.-A Juvia respondeu.-Mas o que fazem aqui?
-Viemos buscar, vocês. -O Rogue respondeu.
-Estamos quase prontas, nos esperem na recepção.
Depois de dizer isso a Juvia fechou a porta na cara dos dois, o Rogue deu um suspiro e o Sting olhou pra ele.
-Isso vai passar.-O Sting falou.-Ela só está chateada.
-Eu sei, a culpa é minha.
-Não, Rogue. Você não tem culpa por não gostar da Juvia como algo a mais. Ela vai acabar entendendo.
-Mas até ela entender, ela vai continuar me ignorando.
-Olha o lado bom, ela te respondeu. Seca, mas te respondeu.
-Isso não é lado bom. Vamos logo.
Os dois desceram na recepção, onde os outros garotos estavam e eles falaram que as garotas já iriam descer. Não demorou muito e as garotas desceram e foram em direção dos garotos, a Lucy se aproximou do Natsu e lhe deu um beijo.
-Senti sua falta hoje.-O Natsu falou.
-Eu também senti.-A Lucy falou.
-Vamos parar, com essa melação.-O Gageel falou.-Se não eu vou vomitar de tanto doce.
-Cala boca, Gageel.-A Lucy falou.
-O Kirito e a Asuna, ainda não chegaram?-A Cana perguntou.
-Não.- O Sting respondeu.-Mas eles não vão demorar muito, eu acho.
Wendy, Chelia, Bisca e Sherry, desceram as escadas e o pessoal que estava na recepção olharam pra elas.
-Sua irmã é bem bonita, Natsu.-O Sting falou sorrindo.
-É, mas ela também é muito nova pra você,  então fique bem longe dela.-O Natsu falou sério.
-Calma, eu só elogiei.
A Wendy se aproximou do Natsu com um sorriso no rosto, o qual logo o rosado retribuiu.
-Você está linda, Wendy.-O Natsu falou.
-Você também, Onii-chan.
-Por acaso, vai conquistar alguém, Wendy?-A Lucy perguntou sorrindo.
-C-Claro que não.-A Wendy falou corada.
-Não minta, Wendy!-A Chelia falou se aproximando.- Conta pra sua futura cunhada, quem te convidou pra sair.
-Quem te convidou pra sair, Wendy?-O Natsu falou sério.
-N-Ninguém.
-Wendy Dragneel, pode me contar agora.
-Foi o Romeo, mas é como amigos.
-Amigos?-A Lucy falou.-Onde eu já ouvi isso?
-Vou ter que conversar com esse "amigo"-O Natsu falou.-Onde ele está?
-Não sei. Ele falou para eu esperar, ele aqui.
-Ótimo, vou esperar também.
-Natsu.-A Lucy falou.-Você já conhece o Romeo, não é ele que é amigo da Wendy desde criança?
-É, mas eu conhecia ele quando, ele não pensava em chamar minha irmã pra sair.
-Onii-chan, o Romeo é meu amigo, por isso ele me chamou pra ir no festival.
-E eu sou seu irmão, que quer ter certeza que você ficará bem.
A Wendy deu um suspiro, ela percebeu que não adiantaria de nada argumentar com o rosado. O pessoal havia saído do hotel e já estavam indo em direção do parque onde ocorreria o tal festival, assim que chegaram viram como haviam belas decorações, no centro do parque havia uma bela estrela, um dragão e um floco de neve, que representavam os três jovens apaixonados.
-O que vamos fazer primeiro? -A Levy perguntou.
-Estou com fome.-O Gageel falou.-Vamos comer alguma coisa, primeiro.
-Eu vou pegar alguma coisa.-A Juvia falou.
-Eu vou com você. -O Gray falou.-Esperem a gente aqui.
-Pode deixar.-A Cana falou.
Os dois se distanciaram e não demorou muito e a Cana começou a andar em outra direção.
-A onde você vai, Cana?!-A Erza perguntou.
-Dar uma volta, é muito chato ficar esperando. Nos encontramos por aí.
A Cana saiu andando, enquanto todo mundo observava.
-A morena tem razão, ficar esperando é muito chato, vou acompanhar ela. Até logo.-O Sting falou já começando a andar.
A Erza olhou em uma das barracas e viu vários bolos de morangos, seus olhos brilharam a ruiva puxou a pessoa do seu lado em direção da barraca. A Levy olhou em volta e não viu a Erza e o Jelall ali.
-Cadê a Erza e o Jelall?-A Levy perguntou.
-Eles estavam aqui até agora.-A Asuna falou.
-Eles não sabem ficar parados?-O Kirito reclamou.
-Acho que não. Eles são bem agitados.
O Rogue que estava em silêncio logo avistou, uma garota de longos cabelos roxos e olhos pretos.
-Gageel eu já volto.-O Rogue falou.
O moreno foi andando em direção da garota que estava sozinha.
-Eu não vou ficar aqui, também não. -O Gageel falou.-Vamos baixinha, você vem comigo.
-Eu o que?-A Levy falou.
O Gageel pegou na mão da azulada e a puxou pra longe dali, a Asuna olhou pro Kirito.
-Já que todo mundo saiu andando, não vai ser a gente que vai ficar aqui parado.-A Asuna falou.-Vamos.
A Asuna pegou na mão do Kirito e os dois começaram a andar pelo festival, que estava lotado de pessoas.
Na recepção do hotel, o Natsu encarava o Romeo que estava meio desconcertado com o olhar que o rosado o lançava, a Lucy que percebeu isso se aproximou do Natsu e entrelaçou seus dedos aos dele.
-Natsu, deixa o garoto.-A Lucy falou.-Ele já respondeu todas as suas perguntas de irmão super protetor.
-Eu ainda não terminei.-O Natsu falou.
-Já terminou sim. Eu não quero ficar o festival todo aqui não, então trate de parar com esse interrogatório pra gente ir logo, se não eu vou sozinha.
-Tá bom. Você venceu. Mas eu estou de olho em você Romeo.
O Natsu se virou de costas e começou a andar, a Lucy virou a cabeça e piscou pra Wendy, que fez um joinha agradecendo.
-Desculpa, pelo meu irmão.-A Wendy falou olhando pro Romeo.-Ele é super protetor de mais.
-Não tem problema, ele se preocupa com você, só isso.-O Romeo falou.-Agora podemos ir, antes que o festival terminei?
-Claro.
Os dois saíram do hotel e foram andando em direção do festival, durante o caminho todo eles conversavam animadamente um com o outro, assim que chegaram a Wendy quis ir em uma das barracas de jogos e assim os dois foram.
A Juvia e o Gray já haviam pegado comida e voltavam para o local de encontro, mas assim que chegaram não viram ninguém.
-Acho que eles não entendem o significado das palavras, esperar aqui.-O Gray falou.
-Acho que tem razão. -A Juvia falou.-Vamos procurar eles?
-Não. Vamos nos divertir, eles são bem grandinhos e sabem se cuidar.
-Tá bom. O que quer fazer primeiro?
-Vamos jogar, tiro ao alvo.
Os dois foram andando até a barraca, assim que chegaram eles pagaram, a Juvia começou, mas a azulada é péssima em mira e acabou errando as três tentativas.
-Que droga. Só por que eu queria um prêmio.-A Juvia falou chateada.
-Não se preocupe. Eu ganho um pra você. -O Gray falou.
O moreno se posicionou e começou a atirar nos alvos, ele acertou todas as três tentativas e escolheu um boneco de neve de pelúcia e entregou a Juvia que sorriu alegremente.
-Há, obrigada Gray! Muito obrigada.
-Não foi nada, esse jogo é bem fácil.
-Eu não achei.
-Claro você não tem nenhuma noção de mira, por isso ficou difícil.
-Falou o especialista em tiro ao alvo.
-Eu sou não é.
A Juvia revirou os olhos e deu um sorriso, ela começou a olhar em volta e viu uma barraca com raspadinhas.
-Vamos comprar, raspadinhas. Faz mor tempo que eu não como.
-Vamos sim.
Os dois foram andando em direção da barraca, a Juvia escolheu uma raspadinha de cereja, enquanto o Gray escolheu uma de menta, os dois tomavam as raspadinhas enquanto andavam e conversavam animadamente, a Juvia ria das coisas que o Gray a contavam. Até que ela parou bruscamente ao ver a cena há sua frente, o Gray olhou pra Juvia sem entender nada.
-Ei, Juvia! Você está bem?
O Gageel puxava a Levy pelo festival, a baixinha estava ficando irritada com aquilo até parecia que ela não sabia andar sozinha e precisava ser guiada por um brutamontes daquele.
-Gageel, me solta!-A Levy falou, puxando a sua mão. -Eu sei andar sozinha, não precisa ficar me guiando!
-Para de reclamar!-O Gageel falou parando.
-Por que está me puxando?
-Eu não queria ficar lá, então eu te puxei pra gente dar uma volta.
-Tá. E pra onde a gente vai?
-Não sei, que tal um lugar sem menos gente?
-E a onde vamos achar um lugar assim? Tá cheio de gente aqui.
-Damos um jeito. Vem.
O Gageel começou a andar na frente e a Levy o seguia, depois de tanto andar o Gageel parou abruptamente fazendo a Levy bater em suas costas.
-Podia avisar, quando você parou.-A Levy reclamou.-E por que, você parou assim do nada?
A Levy saiu de trás do Gageel e viu vários casais se agarrando o que fez a pequena corar minimamente, ela olhou pro Gageel e viu que ele ainda olhava os casais no maior amasso.
-Gageel podemos ir pra outro lugar? Não sou muito fã de ficar vendo pessoas se pegando.
-Mas esse aqui é o lugar mais sossegado, do parque.
-Sinceramente não parece muito, sossegado e sim que tá pegando fogo.
-Se você ignorar eles, fica sossegado. Além do mais podemos nos sentar embaixo daquela árvore.
-Tudo bem.
Os dois se aproximaram da única árvore onde não haviam gente se pegando e sentaram, a Levy tentava ao máximo ignorar as pessoas se beijando.
-Eu disse pra ignorar.-O Gageel falou de olhos fechados.
-Eu estou tentando. Mas não é fácil, assim.
-Acredite é sim.
-Pra você é claro. Já que é um brutamontes sem cérebro algum.
O Gageel abriu os olhos e olhou pra baixinha do seu lado.
-Tem razão eu não tenho cérebro, assim como você não tem peito algum.
-Quem você pensa que é, pra falar de mim desse jeito!-A Levy falou irritada.
-Alguém que repara, muito em uma certa baixinha.
A Levy corou e virou o rosto, o Gageel deu risada e voltou a fechar os olhos, assim eles ficaram sem falar nada e por incrível que pareça aquele silêncio não os incomodava.
A Erza puxava o Jelall até a barraca de bolos, ela estava tão concentrada nos bolos que nem tinha percebido que estava puxando o Jelall.
-Erza, pra onde está me levando?-O Jelall perguntou.
A Erza parou ao ouvir a voz do azulado, ela olhou pra trás e enfim percebeu quem ela puxava havia um longo tempo.
-Jelall? Eu nem tinha percebido que era você.
-Eu vou levar isso como um elogio.-O Jelall falou.-Mas a onde estamos indo?
-Naquela barraca cheia de bolos. Vamos antes que acabe.
-É bem provável, você acabar com os bolos.
Eles chegaram na barraca e a Erza comprou praticamente todos os bolos de morango, o Jelall via aquilo e não entendia como ela conseguia comer aquela quantidade de bolos.
-Como você não explode?-O Jelall perguntou.
-Eu tô acostumada a comer essa quantidade de bolo.-A Erza falou dando outra garfada no seu bolo.-Bolos de morangos são os meus preferidos.
-Sério? Eu nem tinha percebido.
O Rogue havia se aproximado da garota que se encontrava sozinha e como sempre estava muito séria.
-Kagura.-O Rogue chamou, fazendo a garota lhe olhar.-Oi.
-Rogue, oi. - A Kagura respondeu.
-Eu não sabia que curtia festivais.
-É eu gosto um pouco sim, mas eu só vim por que a Milliana insistiu muito. Mas é você não sabia que festivais faziam o seu tipo.
-Até que eu curto um pouco.
-Você parece meio abatido. Aconteceu alguma coisa?
-Aconteceu, sim.
-Que desabafar?  Eu ouvi dizer que funciona. Eu nunca desabafei com ninguém, não sou do tipo que fala sobre sentimentos com os outros.
-Eu não quero, não. Eu só vou esperar tudo se resolver.
-Então tomara, que resolva mesmo.
-Você não disse, que veio com a Milliana? Então cadê ela?
-Ela me deixou plantada aqui, depois que um garoto chamou ela pra dar uma volta.
-Então resumindo, ela te abandonou por um garoto.
-Basicamente isso. Mas não estou mais sozinha, você apareceu.
-É eu apareci.
A Lucy andava com o Natsu pelo festival, a Lucy havia ganhado uma estrela de pelúcia do rosado, que havia ganhado o jogo das argolas, eles pararam na barraca do algodão doce e pediram um pra cada um.
-Natsu, você já percebeu que o seu cabelo é da cor do algodão doce?
-Nem vem, Luce. Meu cabelo não parece algodão doce, nada.
-Parece sim. Você tem que adimitir.
-É e o seu se parece com gema de ovo.
-Não pode mais brincar, e você já vem com maldade.
-Maldade? Você não viu nada ainda.
O Natsu puxou a Lucy mais pra perto dele e a beijou, a Lucy colocou os braços em volta do pescoço do rosado, quando o ar faltou eles se separaram. O Natsu viu algumas flores em um dos arbustos, ele pegou as flores e fez um pequeno buque pra Lucy.
-Pra você.-O Natsu falou entregando o buque.
-Obrigada, são muito lindas, Natsu.
-Igual a você. Na verdade você não se parece com nenhuma flor.
-E por que não?
-Ora, porque você é única. Só existe uma Lucy no mundo e ela é minha quase namorada.
-Quase namorada é boa.
-Não é?
A Lucy deu um sorriso e selou seus lábios aos do Natsu novamente.
O Kirito e a Asuna estavam sentados em um banco e eles observavam as lindas estrelas que estavam no céu, a Asuna apoiava a cabeça no ombro do Kirito.
-Elas são tão lindas.-A Asuna falou sorrindo.-Tão brilhantes, elas iluminam a imensa escuridão que é a noite.
-Tem razão.-O Kirito falou.-Isso mostra, que mesmo quando estamos na imensa escuridão uma estrela pode aparecer para iluminar.
-Kazuto-kun, a gente conheceu pessoas bem malucas, nessa viajem não é?
-Malucas são poucas, eles são completamente agitados e arrumam confusão a onde for.
-Isso faz parte do jeitinho deles, assim como você tem seu jeito divertido e também sério. É por isso que eu te adoro tanto.
A Asuna ergueu a cabeça e sorriu para o Kirito, que colocou as mãos no rosto da Asuna e se aproximou mais do rosto dela e a beijou.
A Juvia não havia falado mais nada depois que viu o Rogue conversando com a Kagura, o Gray tentou falar alguma coisa, mas a azulada não respondia.
-Você gosta dele, não é?-O Gray perguntou.
-Talvez. Mas ele gosta de outra pessoa. Não tenho chance.
-Mas você e uma garota muito bonita e gentil, vai encontrar alguém que goste de você.
-Mas quem eu queria que gostasse de mim, não tá nem aí. Só me como uma simples amiga.
-Não fica assim. Isso é só uma paixonite, você vai ver que isso logo vai passar.
Logo pode se ouvir barulhos de fogos de artifício, todos olharam pro céu e viram a bela cena de várias cores iluminando o céu, aquela noite mesmo estando sendo difíceis pra alguns, eles irão perceber que certas palavras ditas não serão esquecidas.


Notas Finais


Até sábado que vem ❤😍


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...