História Amor de lobisomem - Capítulo 43


Escrita por: ~

Postado
Categorias Teen Wolf
Personagens Derek Hale, Mieczyslaw “Stiles” Stilinski, Peter Hale, Scott McCall, Sheriff Noah Stilinski
Tags Chloe Grace, Derek Hale, Peter Hale, Romance, Scot, Stiles
Visualizações 90
Palavras 2.070
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Violência
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hello my candies!
Escrever este capítulo acabou comigo, não imagino o que pode fazer com vocês, apenas peço para que continuem lendo, ainda há muitas reviravoltas nessa história.

Capítulo 43 - A cruel realidade


Fanfic / Fanfiction Amor de lobisomem - Capítulo 43 - A cruel realidade

Em on~

As lágrimas não me permitiam  enxergar direito, a médica falava muito,  eu a escutava, mas não a entendia, o peso em mim era insuportável, a quantidade de dor que sentia era uma incógnita, parte de mim morreu e a outra parte não quer aceitar que ele se foi.

3 horas antes...

A enfermeira de chegava com uma máquina enorme cheia de tubos, eu não saí do lado de Derek nem por um momento, ninguém iria me tirar de cima daquela cama e do seu lado. Deve ter percebido pois foi para o lado o qual eu não estava para pegar seu braço, ela colocou dois tubos na sua veia, um para tirar o sangue e outro para o repor já filtrado.

- daqui a 2 horas eu volto.- ela ligou a máquina e saiu sem nenhuma resposta.

Em: tá doendo?- a cara dele não era a melhor.

De: já me acostumei, não é tão ruim.

Em: acredite, dói mais em mim que em você. Preferia que fosse eu no seu lugar.

De: não mesmo, morreria antes de deixar você passar por isso.

Pe: não sei quantas horas a mais vou aguentar vocês dois.- Cora dormia na poltrona ao seu lado, mas ele era como uma pedra.

De: deveria fazer o mesmo que Cora.

Pe: não consigo.- acho que já faz um bom tempo que ele não descansa, as olheiras em baixo de seus olhos o delata. 

Ly: oii De!  O que é isso?- entrou no quarto junto com Malia e ficou espantada quando viu a máquina tirando o sangue de Derek.

De: tá filtrando o meu sangue. Não se preocupe com o tempo a dor se torna mínima.

Ma: você se sente melhor? 

De: um pouco...- sua forma de falar partiu meu coração, não tenho nem como absorver sua dor, sou vampira e não lobisomem.

Ly: tudo bem Peter?- o clima entre eles era estranho, quase que romântico.

Pe: sempre amor. - sei que fala assim com todos, mas a forma de falar com ela é diferente, não é um tom de sarcasmo, mas de carinho, não seria estranho se não fosse Peter. 

Ma: você sabe onde tem um bebedouro aqui?- perguntou para Peter.

Pe on~

Congelei, ela queria falar comigo, tinha certeza.

Pe: eu te levo lá.- Lynda, como a chamo, sabia da história então não questionou, quando saí do quarto com Malia.

Ma: Eu pesquisei, você é mesmo meu pai. Mas como foi que isso aconteceu?

Pe: eu não sabia sobre você, sua mãe escondeu isso de mim.- falávamos olhando pra o chão enquanto caminhavamos. 

Ma: quem é a minha mãe? - sabia que essa pergunta iria vir e ainda assim não estava preparado.

Pe: ela morreu Malia.- olhei nos seus olhos.

Ma: como?

Pe: Ela era teimosa como você e também era uma coiote. - sorri triste - estava sozinha e morreu na mão de caçadores. 

Ma: onde você estava quando isso aconteceu?- ela estava com raiva, podia não a conhecer, mas ainda era sua mãe.

Pe: eu estava fugindo da minha vida. Eu a deixei por um tempo, depois voltei para ela, quando decidir voltar para ver meu sobrinho, ela apoiou e no outro dia morreu, eu fiquei em casa, a deixei sair sozinha e me culpo por isso todo dia que acordo.- tenho certeza que se tivesse saído com ela, estaria viva agora.- foi quando recebi a notícia e seu testamento, nele falava sobre você.

Ma: porque ela não me criou?

Pe: ela queria uma vida melhor para você, deixou bem claro no testamento, por isso pediu que eu te procurasse aqui, então voltei não só por Derek, mas por você.

Ma: como podia ter certeza que era eu a filha dela?

Pe: não precisei procurar muito, uma coiote que tem a cara da mãe, principalmente os olhos. - admirei seus olhos.- Depois só precisei confirmar com a certidão de nascimento. 

Ma: sabe que não vou te chamar nem tão cedo de "pai", não é?- paramos de frente para o bebedouro.

Pe: eu só quero uma chance. Quero recompensar o tempo perdido, se soubesse que tinha uma filha antes, nunca a deixaria, eu nunca teria te deixado Malia.- ela ficou em silêncio e apenas bebeu água.- acho melhor voltarmos.

O caminho para a volta foi mais curto do que o da ida, na minha cabeça. 

Ma on~

Eu sei... Ele é meu pai, mas qual a diferença que isso faz? não deixa de ser o Peter, aquele que age por impulso e que não se importa com ninguém além dele mesmo.

De on~

Peter e Malia voltaram alguns minutos depois, tava um clima pesado entre eles, seja lá o que aconteceu não deve ter sido confortável pra nenhum dos dois.

...

Cora já tinha acordado, agora quem dormia era Emelly, ela me abraçava de lado como se eu fosse seu bichinho de pelúcia preferido.

Eu estava bastante cansado, todos pareciam estar também, por que pediram cadeiras para sentar e agora ninguém estava em pé. Mesmo estando deitado me sentia como se estivesse a muito tempo em pé, todo meu corpo estava um pouco dolorido. 

Quando menos esperava a médica chega, ela apenas sorri desliga a máquina, tira os tubos e coleta um pouco do meu sangue. Depois vai embora.

...

Volta um pouco depois com uma cara nada boa.

- tenho um boa notícia é um ruim, qual quer ouvir primeiro.

Em: a boa.- não notei que já tinha acordado até agora e me questiono se estava realmente dormindo. 

- a boa é que em seu sangue não tem mais nenhum veneno.

De: e a ruim?- esta era a que realmente me interessava.

- seus rins estão parando, você vai precisar de um transplante e além de ter uma grande fila de espera, seu sangue é "o-" , muito difícil de ser encontrado.

Co: você está dando uma sentença pra ele?- estava com raiva.

- não, pensei que tivesse alguém da sua família que fosse compatível.

Co: Eu não sou. 

Pe: eu também não.

- apenas vocês dois são da família? 

Ma: eu sou compatível.- me espantei com a decisão de Malia.- eu também sou da família. 

Co: estamos falando de família de sangue.

Pe: você não vai entrar em uma sala de cirurgia.- a  encarou.

Em: alguém pode me explicar o que é isso?

Ma: eu sou sua prima Derek.- não consegui raciocinar as palavras imediatamente. 

De: você é filha de algumas de minhas tias?- tentava encontrar uma resposta.

Ma: não, seu tio é o meu pai.- ela olhou para o meu tio  e eu fiquei sem palavras.

Co: isso é sério? Poderia te imaginar como qualquer coisa, menos pai.

De: quem é a mãe dela?- essa era minha real dúvida.- nunca conheci nenhuma namorada sua, mas você sempre conheceu as minhas.

Pe: isso  por que você sempre foi um livro aberto.- ele sorri.

Em: e mãe dela?- Emy traz a pergunta de volta ao ar.

Pe: ela se foi.- ele olhou para baixo e cruzou os braços, quase podia sentir sua dor.

- então posso preparar a sala de cirurgia?- incrível como  existem pessoas com capacidade de falar nos piores momentos.

Ma: sim.- falou firme.- você é meu alfa e meu primo, além disso não vou morrer com apenas um rim. 

De: obrigado Malia.

Em: muito obrigada.

... 

Estavam me levando em uma cadeira de rodas para sala de cirurgia, Malia também estava sendo levada em uma, mesmo que não precisasse. 

De: esperem...- a enfermeira parou comigo em frente a porta, enquanto Malia já havia entrado.- preciso falar uma coisa pra vocês antes.

Ly: Vai dar tudo certo.- algo dentro de mim dizia que não.

De: eu sei, mas preciso falar.- respirei fundo e olhei para todos na minha frente.- Lydia, eu sabia que iria ser minha melhor amiga desde o momento que veio me dar dicas de moda.- sorrimos e eu olho para Cora.- não teria sido o capitão do time de basquete se você não tivesse acreditado em mim como sempre acreditou, obrigado.- olhei para Peter.- eu te perdoo, por ter sido um péssimo tio, por ter me abandonado e feito várias coisas para me decepcionar, fora tudo você tem um bom coração e sei que o real motivo de ter voltado não foi só pela Malia mas por mim.- olho finalmente para minha pequena.- eu te amei ontem, eu te amo hoje e te amarei por todos os meus dias, seja em vida ou em morte, no céu ou no inferno, você sempre será minha morceguinha. Por isso preciso te dizer algo que escondi, eu estava na floresta aquela noite, eu vi sua mãe ser morta, ela estava lutando com um alfa, era uma  ótima caçadora, me desculpe Emy, eu tive medo e não tentei salvá-la, eu era apenas um Beta, quando o mesmo atacou Lydia, eu o matei, para fazer vingança pela sua mãe e por Lydia, assim virei alfa.- ela não estava tão surpresa quanto eu esperava, talvez já suspeitasse.- você precisava saber disso.

Em: e você precisa saber que nunca conheci ninguém igual a você, eu te amo e sempre vou te amar.- ela se abaixou pra ficar em minha altura na cadeira de rodas, colocou a mãos  em minhas pernas e se aproximou do meu rosto.- se você dizer "adeus", eu vou ter que te bater.- sorri com aquilo.

De: se você diz...- segurei seu rosto com minhas mãos e a puxei para um beijo calmo.- se você pensar em se livrar de mim eu vou te assombrar pro resto da vida.- falo ainda com nossas testas coladas.

Em: se você diz...- foi a vez dela de sorrir, então finalmente entrei para a sala de cirurgia, Malia já estava sedada e eu era o próximo,  a agulha veroz sob minha pele me deixa com receio.

- conte a partir de 10 de trás para frente Derek.- a cirugiã fala enquanto me colocam na maca.

De: 10, 9, 8 - os números se dissolviam da minha mente.- 7, 6...- então eu me perdi e a última coisa que me lembro é de sussurar.- 5...

Em on~

Por sorte o tipo de sala que Derek entrou era a que tinha uma janelinha na porta e eu pude olhar tudo que estava acontecendo, só não podia ouvir. 

De frente para sala no canto na parede tinha várias poltronas, onde Lydia, Peter e Cora estavam sentados apreensivos. Eu não conseguia sentar, precisava estar o mais perto possível dele.

St: tá tudo bem??- Stiles chega andando rápido junto com Scott.

Em: não, Derek está fazendo um transplante de rim e quem está doando é Malia. 

St: o quê?- ele fica revoltado quando falo de Malia.- ela tá doida?

Sc: o que tem o Derek?- sempre preocupado com seu alfa, Scott sempre vai ser como o filho mais velho.

Em: foi envenenado, mas já conseguiram limpar seu sangue o problema é que não conseguiram consertar seus rins.

St: como é que o de Malia é compatível com o de Derek?

Pe: porque ela é minha filha.- ele se levanta das poltronas e se aproxima de nós. Stiles começa a rir.

St: é brincadeira não é?

Pe: não.- ele fala no tom de ameaça de sempre.

St: ótimo! Meu sogro é um lobisomem assassino!- Stiles sendo Stiles. 

Ignorei eles e voltei para a janelinha da qual podia ver o Derek, não muito bem, mas ainda podia ver ele.

...

Poucas horas depois, Malia saiu da sala de cirurgia para um quarto, terminaram ela primeiro e estava tudo bem, mas ainda estava sobre efeito dá anestesia. Peter e Stiles foram com ela para o quarto.

Não saí um minuto da porta, podia ver eles fechando o local da cirurgia, parecia tudo bem até que os aparelhos pararam de contar seus batimentos, os médicos pegaram eletrodos para ressuscitar seu coração, mas eles não voltavam a funcionar, deixaram eles de lado e começaram massagem cardíaca, algum tempo depois, se afastaram, desistiram.

Ly: não!- ela estava chorando, com as mãos na cabeça, avia prevido a sua morte. Eu estava completamente congelada. 

Co: não...

Foi quando a médica saiu de dentro da sala e eu tornei a mim.

As lágrimas não me permitiam  enxergar direito, a médica falava muito,  eu a escutava, mas não a entendia, o peso em mim era insuportável, a quantidade de dor que sentia era uma incógnita, parte de mim morreu e a outra parte não quer aceitar que ele se foi.


Notas Finais


Sei que vocês não gostaram, então não vou nem falar mais🙊
Agora por favor não me matem
Spoiler: a morte não é o fim.( Título de um capítulo futuro, não tão distante)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...