História Amor de Verão - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Jin, Namjin, Namjoon, Praia
Exibições 136
Palavras 1.619
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Yaoi
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oiee bolinhos!!!

Estou realmente empolgada cm essa fic ^^

Então lá vai cap!

Boa leitura ^^

Capítulo 3 - A Terceira Onda


Namjoon passeava calmamente pela praia como sempre fazia aos fins de tarde. Hoje o mar estava mais revolto e algumas ondas maiores se formavam mais ao longe, a brisa salgada batia de leve em seu rosto e bagunçava seu cabelo. Ele se aproximou mais do mar e se sentou a beira deste, tirou seus chinelos de dedo, enfiou os pés na areia e se apoio em seus braços para trás. Havia poucas pessoas na praia para um domingo – pra quem sempre tem circo, o palhaço não tem mais graça - mas estas pouco o interessavam; Namjoon observava o mar, o horizonte e até além disso. Algumas pessoas enfrentavam o mar revolto em suas pranchas de surf, elas cortavam as águas com lâminas afiadas e domavam as ondas como se fossem cavalos selvagens. Um ou outro se arriscava a fazer uma manobra mais ariscada tendo como consequência alguns tombos.
Após alguns minutos observando os surfistas corajosos, Namjoon avistou uma silhueta conhecida. Na incerteza, Namjoon se levantou e cerrou os olhos, na tentativa de enxergar melhor quem fazia piruetas em cima da prancha de madeira. Com um pouco de dificuldade, Namjoon conseguiu reconhecer o garoto magro de cabelos lisos e castanhos.
Sentou-se de volta na areia ao ver que o moreno já voltava para a praia, seus olhares se cruzaram e Jin mostrou um grande sorriso e acenou com a mão, Namjoon fez o mesmo. Jin ao chegar à terra firme fincou sua prancha na areia, tirou a camiseta de surf e se sentou ao lado de Namjoon que não havia mexido um músculo se quer.

- O que faz aqui? – Jin perguntou a Namjoon enquanto observava o horizonte.

- Eu que te pergunto. Não sabia que surfava. – o loiro respondeu voltando seu olhar para o outro.

- É apenas um hobbie. Nada demais. – retrucou dando um sorriso tímido.

- Falou o cara que deu piruetas com a prancha. E pensar que você tem medo de andar de skate. – falou irônico arqueando uma de suas sobrancelhas.

- Se eu cair da prancha a água amortece diferente do skate. Você se dá com a cara no chão. – explicou. – Mas não é só isso...

- O que é então? – o loiro interrogou interessado.

- Não sei explicar, é mais que estar sob uma prancha... – pela primeira vez ele olhou Namjoon naquela conversa. Ele olhou fundo em seus olhos, deixando o maior envergonhado e ao mesmo tempo enfeitiçado. Jin deu um breve suspiro e continuou. – É como se eu e a prancha fossemos um só, como se eu pudesse controlar as ondas e fazer qualquer coisa com elas. Me sinto livre a cada manobra que faço, como se eu pudesse voara cada salto. Não sei explicar, é apenas mágico.

Namjoon ouviu Jin falar sem pronunciar nada, os únicos sons que se podia ouvir eram a doce voz de Jin falar sobre sua paixão e as ondas do mar bater contra as rochas que ficavam um pouco mais ao longe.  Jin sorria vez ou outras ao falar de sua prancha, do mar e da praia, Namjoon ouvia tudo aquilo atento como uma criança escuta uma das extraordinárias histórias de Peter Pan. Jin parecia Peter Pan, contava histórias fantásticas e aventuras que tinha vivido, contava sobre todos os seus amigos que foram embora, que “cresceram” e se distanciaram dele. Jin realmente era um Peter Pan aos olhos de Namjoon, todos a sua volta cresciam, se tornavam adultos sem graça e entristecidos, mas Jin continuava a alimentar o fogo da eterna criança dentro dele; por mais que o moreno crescesse ainda seria um criança lá no fundo, com a mesma inocência, curiosidade e vontade de ariscar sem pensar nas consequências.
“Jin era uma criança adulta.” Essa foi a conclusão de Namjoon ao outro terminar de contar suas histórias.

- O sol já está se pondo, acho melhor ir. – o moreno disse se levantando da areia molhada e pegando sua prancha. – Foi bom te ver. Já te disseram que você é um ótimo ouvinte?

- Não, nunca.

- Pois você é. – o moreno respondeu esticando uma mão para Namjoon, este correspondeu e levantou-se com a ajuda do outro. – Ninguém nunca tinha me escutado tão bem. Obrigado.

- Por nada. É isso que os amigos fazem, não é? – Namjoon disse tirando a aria de sua roupa e calçando seus chinelos.

- É... É sim. – Jin deu um breve sorriso. – Então... Já vou.

Jin se virou de costas e caminhou um pouco, mas seus passos foram interrompidos por um puxão em seu braço.

- Espera! – Namjoon soltou o braço de Jin ao perceber que o segurava com força – Desculpe, não foi minha intenção. – murmurou.

- Queria me falar algo?

- Eu pensei se não seria uma boa ideia você ir à minha casa amanhã, pra gente conversar ou jogar vídeo game, sei lá. – o loiro disse coçando a nuca tentando não manter muito contato visual. – O que acha?

- Hum... – fez ar de pensativo. – Por mim tudo bem. Que horas?

- A hora que estiver boa pra você está boa pra mim. – falou atropelado demonstrando seu nervosismo pela aceitação do convite.

- Ok. Apareço lá pela tarde.

- OK.

Despediram-se dando seu típico abraço meio sem jeito, mas dessa vez Namjoon abraçou Jin mais forte e este se deu a liberdade de corresponder e afundar a cabeça no peito do outro, assim se sentindo protegido. Eles se soltaram e ambos sorriram ao encarar um o outro.

- Aliás, o luau foi adiado para o fim do mês. Ainda mesmo horário e lugar. Vou te esperar. –Jin disse por fim antes de ir embora deixando Namjoon apenas com seus pensamentos e o barulho do mar.

∆∆

- Namjoon! Namjoon! NAMJOON!

- Já vai Appa. O que foi? – o loiro disse afobado por conta da corrida que havia feito escada abaixo. – O que aconteceu?

- Não ouviu a desgraça desse celular tocar a noite inteira não? – seu pai respondeu irritado. – Atenda isso logo.

O loiro assentiu e fez o que lhe foi mandado, atendeu ao telefone e disse um “alô”; esperou algum tempo antes de receber uma resposta, mas aquilo o atingiu como um soco na boca do estômago.

- Alô... Joonnie... – a voz transmitia nervosismo, mas não tanto quanto Namjoon estava naquele momento. – Queria falar com você...

Namjoon nada respondeu sua mente ainda tentava processar o que estava acontecendo, um verdadeiro nó se formava em sua cabeça. Um suspiro derrotado foi ouvido do outro lado da linha acompanhado de um curto momento de silêncio.

- Eu entendo se não quiser mais falar comigo... – outro suspiro foi ouvido, Namjoon sentiu seu coração disparar ao pensar na possibilidade do outro desligar.

- Espera! – disse sem pensar duas vezes. – Não desliga... – ele suspirou. - Acho melhor falarmos pessoalmente. Estou na casa do meu pai, venha amanhã de preferencia.

- Ok...

Namjoon desligou a chamada e se jogou no sofá da sala, seu coração batia forte e suor frio escorria por sua testa, nunca estivera tão nervoso. Fechou os olhos por um momento e tentou relaxar, sua respiração foi ficando mais lenta e o coração se acalmou; um turbilhão de pensamentos invadiu sua cabeça, a única certeza que ele tinha era o motivo da ligação – pelo menos era o que ele achava.

Após algum tempo refletindo sobre o breve acontecido Namjoon ouviu a campainha tocar seguidas vezes e seu pai gritar para atender logo. “Não acredito que esse desgraçado esteja com tanta pressa”, pensou ao se levantar já irritado pelo barulho repetitivo da campainha.
O loiro abriu a porta e sentiu um grande peso sobre si. Assustou-se de inicio, mas não reagiu de forma alguma ao perceber quem era.

- Que saudades do meu Hyung preferido! – o menor exclamou sem soltar o mais velho. – Sentiu minha falta também? – ele soltou Namjoon para olhá-lo melhor e fez sua típica cara de manhoso ao fazer a pergunta.

- Como não sentir falta do meu leãozinho favorito? – Namjoon abraçou o menor mais forte, chegando a levantar seus pés do chão.

O loiro colocou o menor no chão e bagunçou seus cabelos num ato carinhoso. Ambos entraram e se sentaram no sofá, o castanho trazia algumas malas.

- Vai passar alguns dias aqui? – Namjoon perguntou ao ver a quantidade de malas. – Ou vai se mudar logo?

- Só até o fim do mês. Omma viajou para o Japão de novo e não quis ir. O tio Kim não te avisou que eu vinha? Eu liguei hoje.

- Acho que não. Não que eu me lembre. Mas enfim, vamos levar sua mala lá pra cima, vai dormir comigo.

- Não quero dormir no chão de novo. – fez bico.

- Tá bom, deixou você dormir na cama dessa vez, TaeTae. Mas nada de acordar no meio da noite pra pedir água e voltar a dormir, ok?

- Não tenho culpa se sinto sede. – reclamou.

- Mas você sempre está dormindo quando eu volto com a água. Da próxima vez que isso acontecer eu jogo a água na sua cara.

- Tá bom, Hyung. Agora vamos lá pra cima que estou cansado e quero dormir.

- Vamos.

- Hyung... – Taehyung disse manhoso. – Me leva no colo?

- Ah, Tae... Não acha que tá grandinho não? – o menor fez um “não” com a cabeça e deu um sorriso maroto. – Ok então. Vamos.

Namjoon se levantou e Tae subiu em suas costas, o loiro segurou as pernas do menor para apoiá-lo melhor e subiram as escadas e foram até o quarto, chegando lá Namjoon jogou o moreno na cama e pegou um colchão extra e o colocou no chão. Namjoon deitou na cama ao lado de Taehyung, conversaram um pouco e acabaram por adormecer na enorme cama de casal vencidos pelo cansaço do dia.


Notas Finais


Espero que tenham gostado ^^
Comentem, eu amo os comentários de vcs <3

~Kissus de Serenata


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...