História Amor Diferente - Romance Lésbico (1° Temporada) - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amor, Amor Diferente, Lesbicas, Lgbts, Paixão, Preconceito, Romance Lésbico
Visualizações 70
Palavras 1.104
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Galera esse mês de agosto é o nacional da visibilidade Lésbica. Por isso estou fazendo esse capítulo especial sobre o preconceito. Espero que gostem e vejam como o preconceito pode afetar a vida de alguém, não só a homofobica mas o racismo e o bullying também.

Capítulo 7 - Capítulo 6


Fanfic / Fanfiction Amor Diferente - Romance Lésbico (1° Temporada) - Capítulo 7 - Capítulo 6

Eu estava conversando com meus pais enquanto assistíamos um programa qualquer na Tv e derrepente meu celular toca com uma ligação do Erick:

     {Ligação on}

-Oi Erick, como vai cara? (atendi).

-Cela, você tem que vir aqui em casa agora, aconteceu algo terrível. (ele disse em um tom desesperado, me fazendo dar um pulo do sofá assustada e assustando os meus pais também).

-O que foi? O que aconteceu? (me desesperei).

-Filha aconteceu algo? (minha mãe perguntou preocupada, eu fiz sinal para ela fazer silêncio e assim se fez).

-A Natt e Nanda foram agredidas numa rua enquanto passeavam numa praça. E a Nanda tá aqui em desespero. (Erick me explicou em tom mais calmo tentando não me exaltar).

-Como? Como assim agredidas? Quem está aí com vocês? Elas estão bem? (perguntei já me dirigindo ao meu quarto para me trocar rapidamente ir a casa de Natt).

-Parece que elas tavam namorado normalmente...quando apareceram uns caras...eu não sei direito. (falou se embolando com as palavras). -Ta a Ana ajudando a Natt a acalmar a Nanda e a Manu me ajudando com o Dudu. (completou).

-Tô indo aí. E diz pra elas que quando chegar, quero explicações. (falei e desliguei me direcionando a saída).

    {Ligação off}

-Filha pra onde você vai? O que aconteceu? (meu pai perguntou preocupado segurando meu braço).

-Parece que a Natt e Nanda foram agredidas numa rua por uns caras...eu não sei direito...o Erick não me explicou direito. (falei puxando os cabelos pelas raízes com as duas mãos em sinal de desespero).

-Calma filha. O que elas fizeram? Machucaram elas? (perguntou minha mãe tentando me acalmar).

-Nada, parece que elas tava namorand...(minha mãe me enterrompeu resmungando com raiva).

-De novo essa sociedade preconceituosa e homofobica. (minha mãe disse com raiva dando um leve soco na parede).

-Vá minha filha, nos mantenha informados e qualquer coisa, ligue que nós ajudaremos de qualquer jeito. (meu pai disse e deixou eu ir).

Peguei meu carro e tentei ir  o mais rápido possível para a casa da Natt, claro tentando me acalmar para não ter nenhum acidente e as coisas piorarem. Tenho que me manter calma para tomar o controle dessa situação como sempre faço.

Ao chegar a casa de Natt, nem toquei a campainha, já fui logo entrando. Me deparei com Natt sentada no sofá acariciando a cabeça de Nanda no seu colo e as mesmas estavam em prantos, apesar de Natt tentar desfaçar para consolar Nanda, era possível perceber a tristeza e dor em seus olhos avermelhados e inchados de tanto chorar. 

Luana se encontrava sentada no chão perto de Nanda, passando suas mãos pelo cabelo da mesma tentando acalma-la. Manu dava mamadeira a Dudu enquanto conversava com Erick em um canto da sala. O clima ali entre todos era muito pesado e tenso.

-Cela! (Nanda gritou ao perceber minha presença e veio correndo em minha direção me abraçando forte chorando desesperadamente).

-Calma meu amor, já tá tudo bem. Eu tô aqui e não vou deixar ninguém fazer mau a você minha baixinhas. (falei passando a mão em seus cabelos tentando acalma-la).

-Foi tão horrível, Cela. Elas falaram coisas horríveis pra nós. (disse enxugando suas lágrimas enquanto se sentava novamente no sofá, e eu me mantia em pé séria com os braços cruzados abaixo dos seios).

-Me digam o que aconteceu? Por quê eles as agrediram? Que história é essa de vocês terem namorando e não terem me contado? (perguntei confusa, então Natt e Nanda se entreolharam nervosas).

-Cela, durante essas férias em que você viajou para Fernando de Noronha com seus pais, eu e a Nanda ficamos aqui, eu e ela nos aproximamos muito, eu já sentia algo por ela, aí a gente começou a ficar e começamos a namor...(enterrompi Natt).

-E por que não me contaram? Foi preciso acontecer algo assim pra eu descobrir? (falei enfurecida).

-Calma Cela, elas acabaram de passar por algo forte, estão abaladas. Deixa isso passar, elas são suas melhores amigas, você tem que cuidar delas nesse momento, não julga - las. (Luana veio em minha direção tentando me acalmar, e assim se fez. A Luana tem esse poder sobre mim de me acalmar e deu fazer suas vontades).

-Não Ana, ela precisa saber. (Nanda se levantou aparentemente mais calma e ficou a minha frente com um olhar de quem pedia perdão). -Cela, a gente só não te contou antes, por que estávamos esperando ter certeza que realmente ia dar certo, para não ficar um clima ruim em nossa amizade. Eu e Natt iamos até falar com você amanhã na escola, mas infelizmente aconteceu isso. Cela, nos te amamos e ver que você tá com raiva de mim, é a pior situação da minha vida. (Terminou ela agora com os olhos marejados emocionada).

-Ta bom, tão desculpadas. Não fica assim não meu bem. (Falei lhe abraçando).  -E como foi que isso aconteçeu? Prenderam os agressores? Eles fizeram algo a vocês?Fisicamente?(perguntei um pouco mais calma saindo do abraço de Nanda que voltou a se sentar com Natt no sofá, e eu continuei em pé segurando a mão de Luana que estava ao me lado se aconchegando a minha cintura).

-Nos estávamos passeando por uma braçinha lá perto da escola, a gente tava  se beijavamos, abraçadas, normal. Quando vieram um grupo de quatro garotos, que começaram a nós ofender...(Natt deu uma suspirada forte, e eu já estava em chamas de tanta raiva mas tinha que me controlar). -Ai passou uma viatura da polícia e viu nós duas sendo acurraladas por eles, enquanto Nanda já estava chorando desesperada, então eles prenderam os garotos em flagrante, nos levaram para a delegacia para prestar queixa e depois nós trouxeram pra casa de viatura.(Natt terminou triste e Nanda já estava em prantos novamente).

-Que raiva! Ainda bem que prenderam eles, se não eu era capaz fazer justiça com minhas próprias mãos a esses idiotas preconceituosos. (falei com raiva mas me acalmei quando Luana deu um aperto forte em minha mão). -Eu vou resolver essa situação como sempre. Ana faz um chá calmante para a Nanda, Natt vá tomar um banho com Nanda para se acalmarem e em seguida tente colocá - la para dormir, Manu vá com Erick cuidar de Dudu que eu vou ligar para os pais de Nanda e inventar uma desculpa pra ela poder dormir aqui. E avisar aos meus que eu vou dormir aqui também. (e assim cada um fez o que eu mandei, nessas situações eu sempre era quem cuidava de tudo e de todos que eu amava, esse é o meu dever).

É tão incrível como o ser humano ainda é inginorante ao pontor de distinguir as pessoas pela orientação sexual. Ninguém é melhor que ninguém, perante Deus somos todos pó e barro.

"Não julgue ninguém pela opção sexual,quando você não quer ser julgado pelo caráter."

Notas Finais


Galera obrigada pelas visualizações e comentários, continuem assim. Fiz esse capítulo inspirado ne relatos de alguns amigos meus LGBTs que já passaram por momentos assim. Espero que tenham gostado, e a próxima pastagem vai ser só segunda. Beijos!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...