História Amor do inferno - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Demonios, Gay, Inferno, Lemon, Yaoi
Visualizações 19
Palavras 1.758
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Ficção, Lemon, Magia, Romance e Novela, Shonen-Ai, Sobrenatural, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Q q eu posso dizer, a cada vez q eu tinha uma ideia pra esse cap era tão bizarra quanto a primeira, a finalmente tive essa ideiazinha. Boa Leitura.

Capítulo 11 - Obaasan


 No dia aeguinte tudo ocorreu normal, exceto pelo fato de Dominik estar mais grudado em Richard, mas o motivo era simples, a presença de Fannon. Eles andavam pela casa com conversas totalente confusas aos ouvidos de Dominik, mas nem por isso ficava quieto e sempre perguntava para Richard sobre o que eles estavam falando, até que surpreendentemente Fannon diz que precisava falar com Mansherry e deixa os dois a sós, o que para Dominik era uma ótima opurtunidade:

-Por que vocês são tão próximos? Só porque ele sabe seu passado não significa que vocês tem que ficar falando dele o tempo todo.- Dominik prensa Richard na parede e lhe beija.

-Mestre... Acho melhor deixar isso para mais tarde, no meio do corredor principal não é o melhor local.- Richard diz separando o beijo, mas Dominik não para e desce os beijos para o pescoço de Richard.

-Concordo plenamnete com Richard, aqui não é o melhor lugar.- Fannon reaparece alguns segundos depois Mansherry aparece atrás dele controlando a raiva que transbordava de seus olhos esmeralda.

-Vocês realmente pretendiam fazer isso aqui? No correndor pirncipal? Ainda bem que Richard não é tão tapado como você Dominik!- Mansherry se aproxima e estava prestes a socar a cara de Richard simplesmente por não quere bater em Dominik nem em Fannon, mas para sorte de Richard e azar de Mansherry a campainha toca.

-Vamos Richard! Vamos atender a campainha juntos... - Fannon o puxa pelo braço o arrastando de lá.- Salvo pelo gongo, nossa se ela tivesse batido em você sua cabeça não estaria no lugar.

-Percebi, muito obrigado por ter salvo minha vida.- Eles já estavam em frente a porta e então Fannon a abriu e lá se viu Joey com apenas uma mala.

-Fannon! Querido, quanto tempo? Tá bem?... Richard! Eai? Minha mãe tá boazinha contigo?- Richard o olha sem entender muito.- Digo, você ainda tá vivo, isso é um grande feito até agora.

-Ele não estaria se você não tivesse aparecido.- Mansherry aparece atrás deles e se encosta na parede encarando Joey com um sorriso maligno.

-Ainda bem que apareci!- Joey devolve o sorriso.

-Senhora... Posso ir agora?- Fannon olha para Mansherry que assenti a com a cabeça.

-Onde você vai, Fannon?- Richard pergunta.

-Visitar a Obaasan... Nem pergunte porque chama-la assim, ela basicamente me obrigou depois que conheceu o japão, ela ficou obcecada por aquele lugar... Estou indo, até mais.- Fannon ascena para Richard e se curva para Manhserry e para Joey.

Os três ficaram em um silêncio pleno ali, até que Joey joga a mala na mão de Richard que fica meio confuso, mas logo entende que deveria levar a mala para o quarto de Joey, que sem surpresa nehuma não sabia onde ficava, e com o intuito de sair dali e pergunta para alguma empregada onde ficava o quarto de Joey, ele é parado por uma repentina pergunta o mesmo:

-Richard, originalmente você é hétero, né?

-Sim, por que?- Richard repara os olhos de Mansherry o analisando e os de Joey faziam a mesma coisa.

-Nada, é só para verificar se eu não tenho nenhuma chance mesmo.- Richard apenas se vira e continua seu caminho.- Nem Dominik terá chance...

Joey cochica e recebe um tapa na nuca de sua mãe. Richard fingiu não ouvir e foi atrás de Clary, um empregada que ele havia feito amizade, ao virar o corredor encontrou Carline encostada na parede tomando um milkshake de sei la o que. Richard a encarou e seguiu seu caminho mas foi parado pelas mãos dela que ao mesmo tempo foi empuraddo para trás de uma porta que nem sabia que estava ali.

-O que você quer?- Richard disse num tom controlado porém que aparentava irratado.

-Quando você vai decidir?- Richard a olha confuso.- Decidir seus sentimentoa, imbecil! E agora você também está questionando sua sexualidade, não é?

-Como você...?

-Querido, eu sei de tudo. Mas me faz um favor, não o faça esperar, isso pode dar muita merda, tanto para você como para ele. Eu lhe aconselho a fazer tudo que ele pede, e depois dar um fora.

-Que? Por que?

-Você realmente é lezado. Mas foda-se, vá colocar essa mala no quarto de Joey antes que ele perceba.

Carline o empurrou para fora do quarto e saiu também e foi interromper uma conversa que parecia não ser muito amigavel entre Mansherry e Joey. Enquanto na casa tudo ficava cada vez mais confuso, Fannon andava tranquilamente até chegar onde aparentemente o céu se dividia entre azul claro e escarlate. Fannon saiu da estrada principal e foi até um grande arbusto onde ele apenas o tirou e abriu lugar para um pqueno e estreito caminho, andando por essa pequena estrada no final chegou em uma velha e amarrotada cabana, onde ele via Obaasan junto de outra pessoa na varando, e a tal pessoa era Lúcifer, que se surpreendeu ao ver Fannon:

-Olá, senhor.- Fannon cumprimenta formalmente e recebe apenas um asceno de cabeça do mesmo.- Obaasan eu preciso falar com a senhora.

-Dá para ser outra hora querido? To meia ocupada como cabeça de cocô de passarinho aqui.- A mulher sentada na cadeira de balanço, com metade do rosto coberto pela sombra da cobertura, apontava para Lúcifer que estava mais viajando na maionese do que prestando atenção.

-Juro que vai ser rápido, é só para me responder uma pergunta com sim ou um simples não.- Diz com cara de pidão.

-Diga então.- Ela disse pousando a mão no braço da cadeira.

-É possivel não ver algo simples como um gato de estimação no passado alguém, assim também como a morte dele ou algumas cicatrizes?- Fannon se aproxima e até Lúcifer começa a prestar atenção.

-Eu já lhe disse, que como você não é da linhagem pura como eu, o seu poder de ver o passado se limita em apenas coisas que esse alguém se lembra.- El pega um cigarro e coloca na boca.

-Mas esse alguém me disse lembrar perfeitamente do gato, até mesmo do sonho que o fez colocar o nome do gato, que por algum acaso é Lúcifer.- A mulher agora parecia confusa.

-Me diga tudo agora.- Até Lúcifer ficou assustado com o tom amendrontador dela.

Fannon se aproximou sentou-se no chão na frente da mulher e se pois a contar tudo que havia acontecido. Incluiu de mencionar que era de Richard de quem estava falando e das marcas também não se esqueceu. Ao terminar sua história sobre tudo aquilo, a mulher agora com os olhos arregalado deixou o cicarro cair e rapidamente se levantou.

-Nona? Aonde vai?- Lúcifer se levantou juntamente com Fannon, ela acabava de entrar em sua pequena casa.

Ao sair, Nona aparece com uma jaqueta de couro e bota de salto agulha. Jogando seus cabelos prata acinzentados para traz os deixando bater em sua coxa ela coloca um cicarro na boca vermelha como sangue e o ascende. Aquela mulher, mesmo que não aparente, tem mais de 300 mil anos e parece mais jovem que sua filha, Mansherry, ela tinha um corpo realmente cheio de curvas, os seios fartos e bunda empinada, pele pálida igual a de Dominik e olhos esmeralda misturados com um pouco de dourado. Aqueles profundos olhos encararam Lúcifer e Fannon através dos óculos redondos e soltando a fumaça disse:

-Tão esperando o que para irmos?

-Obaasan, o negócio é tão assim que a senhora tem que ir lá?- Fannon diz

- Onde exatamente a gente vai?- Lúcifer diz ainda confuso

-Fazer uma breve visita a minha querida filha.- Nona diz secamente.

Lúcifer se arrrepia e logo pega a chave do carro que até então estava em algum canto da estrada principal. Eles caminha apenas alguns metros, chegando no carro Fannon faz questão de abrir a porta do passageiro para Nona, assim que ela entra ele fecha a porta e vai para o banco de trás. Em poucos minuto, os três chegavam na casa de Mansherry, onde podia-se ouvir ela gritando com Joey em seu escritório. Sem muita cerimônia Nona entra sem tirar os sapatos, assim como era exegido por Mansherry, adentrando a casa e indo até o escritório de Manhserry que fica perplexa e enraivecida por ela estar ali ainda de sapatos.

-O que você quer aqui?- Mansherry lhe lança um olhar ameaçador que não surte nenhum efeito com Nona.

-Pare de me olhar com essa cara, desse jeito você vai parecer mais velha que eu.- Ela apenas se encosta na porta e observa Joey e Mansherry.

-To meio ocupada aqui, tem como você me "visitar" outra hora.- Mansherry vai até ela.

-Quem disse que to aqui por você? Estou aqui pelo Dominik e o namoradinho dele.-Ouviu-se apenas uma risadinha abafada de Joey na sala.

-Namoradinho que logo não irá mais existir. E não era você que disse que ele deveria seguir os mesmos passos de Joey e se casar com uma nobre.

-Depois da minha visita ao mundo humano e ao Japão pela 56° vez, eu percebi que deveria mudar, assim como o Japão que era uma país tão tradicional virou agora uma mistura de futuro e passado... Refletindo sobre isso, acabei mudando. Inclusive soube que Dylan está por aqui, verdade?- Ela cruzou os braços e ali permaneceu até uma mão pousou em seu ombro.

-Sim, estou aqui, mãe e por favor me chame de Carline.

-Beleza, Carline.- Ela se assustou retirando a mão do ombro de sua mãe.

-Quem é você e o que fez com minha mãe?- Carline se assusta entrando em modo defensivo.

-Cala boca retardado. Eu só mudei, e agora devo lhe dizer... Desculpa... D esculpa por ser uma mãe horrivel. Deveria ter evoluido meu pensamento durante esse 350 mil anos, mas acho que parei no tempo. Mas bem vim ver Dominik e não vocês, té mais.- Ela dá as costa e sai a procura de Dominik.

-Ela é mesmo nossa mãe?- Carline ainda assustada pergunta para Manherry que estava tão surpresa quanto ela.

-Aparentemente sim.

Dominik e Richard estavam na biblioteca e como já é de se esperar Dominik esta no colo de seu amado enquanto compartilhavam um livro. Mas com um batida brusca na porta Dominik se levanta e estava prestes a girtar quando percebeu quem era.

-DOMIZINHO!!!! A QUANTO TEMPO MEU QUERIDO NETO.- Nona sai em disprada e abraça Dominik que fica completamente surpreso com aquela atitude.

-Neto?- Richard se levanta para encarar a mulher abraçada a seu mestre.

-Oooooh... Então você que é o humano do meu netinho?

"Santo Deus me deixa longe dessa mulher se não faço um estrago." A voz na mente de Dominik se desespera.


Notas Finais


???: PQ VC TINHA Q COLOCAR ELA?

Você gosta de invadir né?
Obaasan leva ele daqui?

Nona: Com prazer.

???: NAAAO

Espero que tenham gostado, até o próximo tschüss.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...