História Amor dói e machuca - Klaroline - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias The Originals, The Vampire Diaries
Personagens Bonnie Bennett, Camille O'Connell, Caroline Forbes, Damon Salvatore, Elena Gilbert, Elijah Mikaelson, Hayley Marshall, Hope Mikaelson, Klaus Mikaelson, Kol Mikaelson, Rebekah Mikaelson, Stefan Salvatore
Exibições 71
Palavras 1.132
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Olá,minhas kc's,mais um capítulo bem fresquinho,e bem longo comparado aos outros que fiz para essa fanfic,espero que gostem e boa leitura.

Capítulo 9 - Ela significará sua morte


Fanfic / Fanfiction Amor dói e machuca - Klaroline - Capítulo 9 - Ela significará sua morte

 Durante a estrada,notei que Klaus me observou durante um bom tempo,porém sem trocar uma só palavra.

 

__Vai falar alguma coisa ou ficar desviando o olha da direção à toa? –Falei quebrando o silêncio

 

__Vejo que seu poder incrível de observação aumentou.

 

__Exato,aparentemente o seu também. Para onde iremos primeiro exatamente? –Perguntei

 

__Você irá conhecer minha filha,lembra-se que lhe falei dela?

 

__Oh,sim,lembro-me perfeitamente. A esperança do Klaus,não sei,mas não consigo lhe ver com um espírito paternal.

 

__Para lhe falar a verdade,nem eu.

 

Continuamos em silêncio,até chegarmos à Nova Orleans,onde paramos em uma casa,muito bonita,porém bem simples.

 

__De quem é essa casa?

 

__É aqui onde está minha filha,com a mãe dela.

 

Entramos na pequena casa,e entramos num quarto,onde estava Hayley ao lado de um berço.

__Por que a trouxe aqui,Klaus? –Disse Hayley

 

__Não que seja algo que lhe interesse,minha pequena loba,mas Caroline é uma velha amiga,nada mais justo que apresentar-lhe a Hope. Lembra-se dela,Caroline? –Disse Klaus

 

__Ah,então é assim que se encontra a loba vadia que um dia quebrou meu pescoço? Como esquecer.

 

__Lembro bem de você,Caroline. Talvez poderemos recriar aquele dia,foi emocionante. Vou sair,cuide bem da Hope,Klaus.

 

Klaus pegou a pequena criança em seu colo.

 

__Quer segura-la?

 

__Sim,é claro. –Falei com a voz em tom baixo

 

__Não se preocupe,ela não vai acordar mesmo que faça movimentos pouco bruscos.

 

__Klaus...ela é linda,e tem uma rosto tão singelo. –Falei

 

__Sim,ela é linda. Sabe,Caroline,te olhando desta forma,bem que você tem um espírito materno.

 

__Você acha? Minha mãe já me disse isso uma vez,porém agora não será possível.

 

__Ninguém acreditaria se eu contasse que você aceitou vim comigo para Nova Orleans.

 

__Por incrível que pareça,você não está sendo a pior companhia do mundo.

 

Deixamos Hope dormindo em seu berço,e Klaus me levou para o lugar onde ficaríamos “hospedados”. Era uma pequena cabana,rústica,mas confortável.

 

__Nós vamos ficar aqui durante o tempo que você passará nesta cidade. –Falou Klaus

 

__Nós?

 

__Sim,não quero ficar naquela mansão onde só há problemas.Afinal aqui tem dois quartos,e outra coisa,quem iria acordar mais cedo para fazer um café para você?

__Aprecio sua preocupação. Então NÓS iremos dormir aqui? –Perguntei,só para mudar o assunto.

 

__Sim,porém duvido que eu a deixarei dormir. –Falou Klaus com um ar sarcástico

 

__O que quer dizer com isso?

 

__Que passaremos a noite assistindo filmes,e falando sobre os pontos turísticos que lhe levarei no dia seguinte.

 

__Sim,é claro.

 

Deixamos nossas coisas na cabana,e fomos viajar muitos lugares,primeiro fomos à um restaurante,muito colorido e com comida boa,mas era bem longe e pouco caro,assumo.

 

__Sempre que vinha aqui,eu lembrava de você. –Disse Klaus

 

__Sério? Por que?

 

__Aqui é bonito,é bom de se estar,mas é difícil,assim como você.

 

__Klaus,não pense que iremos virar melhores amigos depois dessa viagem.

 

__Acredite,essa nunca foi minha intenção,porém não minto que gostaria que fosse verdade.

 

Senti alguém se aproximando lentamente,e com a respiração pouco ofegante.

 

__Klaus? – Disse a pessoa que se aproximava.

 

__Minha querida,Camille,deixe-me lhe apresentar a Caroline,uma velha amiga.

 

__Amiga? Duvido  que seja apenas isso,deve ser mais uma mulher devota. –Disse em tom de ciúmes

 

__Está falando sério? Olha,sempre soube que Klaus tinha uma obsessão por garotas loiras,mas nunca pude imaginar que seria por vadias loiras. Desculpe,é muita apelação. –Respondi sarcasticamente

 

__Por favor,meninas,não briguem por mim. Camille,lamento te dizer mas a Caroline não é devota à mim quanto você,percebo que está em mais um de seus dias difíceis,vou relevar. –Klaus falou calmamente,enquanto saia do restaurante e eu o seguindo.

 

__Caroline,cuidado com ele,saiba que ele é a pior pessoa com que se pode estar. –Falou Camille enquanto já estávamos de saída.

 

__ Tomarei cuidado,obrigado pelo aviso,se é que foi necessário. –Falei e saí

 

Entramos no carro e ficamos em silêncio durante uns instantes.

 

__O que você fez para essa moça? –Perguntei

 

__O de sempre. Você sabe,não a tratei como a rainha de Nova Orleans,a hipnotizei para fazer-me uma biografia minha,digamos que isso a deixou raivosa.

 

__É claro,eu imagino,você contou todas suas atrocidades e a deixou desta forma. –Falei pouco indignada.

 

__Quer mesmo falar da Camille? Podemos conversar sobre um lindo jardim aqui por perto,você vai amar.

 

__Não me trate como uma garota boba e inocente,Klaus.

 

Klaus deu partida no carro,e saímos. Passamos um belo dia em Nova Orleans,visitamos o Bairro Francês e vimos muito jazz.

 

No cair da noite,chegamos a cabana e ficamos sentados no sofá descansado do ótimo dia.

 

__Klaus,logo quando cheguei aqui notei uma coisa. Lembra de quando falei que não te via com espírito paterno? Me enganei. Quando chegamos observei seu olhar para sua filha,foi a primeira vez que senti tanta sinceridade no seu olhar.

 

__Eu lhe agradeço por isso,de verdade. Bem,agora vou te deixar descansar,boa noite. –Klaus falou e ia saindo

 

__Imaginei que dormiria aqui.

 

__Era uma brincadeira,você me suportou durante todo o dia,seria pedir demais. Boa noite,amor. –Disse Klaus e saiu.

 

No dia seguinte acordei com o sol indo a encontro do meu rosto,era uma ótima sensação,mesmo isso parecendo muito irônico.

Tomei um banho quente,sentindo uma sensação de relaxamento,até ouvir alguém batendo na porta,provavelmente era Klaus. Vesti-me e fui atender.

 

__Bom dia,amor. Trouxe seu café,como prometi,Elijah me ensinou isso de cumprir palavra.

 

__Aonde iremos hoje? –Perguntei

 

E ouvi um ruído dizendo “A lugar nenhum”,e senti uma pequena faca sendo atirada em minha testa,me fazendo desmaiar. Acordei desnorteada no banco de trás do carro de Klaus.

 

__O que aconteceu? –Falei me sentindo tonta

 

__Camille,a boba e sonsa Camille. Atacou você e correu,eu  preferi te ajudar à ir atrás dela,em nenhum momento cogitei te deixar caída sangrando no chão. –Respondeu Klaus com sangue em suas mãos

 

__Por que ela fez isso? Ela mal me conhece.

 

__Não faço ideia,Camille só pode estar beirando a loucura te atacando e achando que vou deixar barato.

 

__Klaus,por favor. Esqueça isso,ela deve estar confusa.

 

__Caroline,depois resolvemos isso,acho melhor você se alimentar. –Klaus falou e me jogou uma bolsa de sangue tipo B+. __Sei que esse é seu tipo preferido.

 

__Como sabe disso? –Perguntei

 

__Eu sei bastante sobre você.

 

Fomos para uma loja de roupas,e Klaus comprou uma nova blusa para mim.

 

__Não seria mais simples ter me levado à cabana para eu trocar?

 

__Quero que todas as vezes que veja essa camiseta,lembre-se de mim. –Disse Klaus e sorriu.

 

Estava de noite novamente,e nós dois ainda estávamos na rua,em um parque de diversão.

 

__Está frio aqui,não é? –Falei

 

__Sim,está. Tome. –Disse Klaus entregando-me seu casaco.

 

__Está brincando? Não precisa,sou vampira esqueceu?

 

__Mesmo assim,vista. –Ao terminar de falar Klaus colocou seu casaco sobre meus ombros.

 

Fomos na montanha russa,e foi incrivelmente bonito,parecia que cada brisa,cada folha,cada ruído estavam em completa sintonia.

 

__Klaus,o dia foi incrível,nunca pensei em dizer isso,mas obrigada.

 

Ficamos parados em frente a cabana e alguém ligava para Klaus,era Camille.

Usei minha audição de vampira,e ouvi cada respiração.

 

__Camille,você verá as consequências.  –Disse Klaus ao telefone.

 

__Ela significará sua morte,sua dor,não haverá como fugir. –Disse Camille e só restou o silêncio.


Notas Finais


A frase: "Olha,sempre soube que Klaus tinha uma obsessão por garotas loiras,mas nunca pude imaginar que seria por vadias loiras." Foi uma sugestão da ~demetriavics. Obrigada,amore,agradeço :3

Meninas,vcs tem alguma fanfic Klaroline?? Podem deixar o link,que pretendo ler todas,um beijo no coração Klaroline de cada uma.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...