História Amor & destino - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Ed Sheeran, Originais
Personagens Ed Sheeran, Personagens Originais
Tags Álbum, Califórnia, Ed Sheeran, Inglaterra, Musica, Nova York, Romance, Show, Violão
Visualizações 22
Palavras 3.069
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


A história se passa em 2020 😁

Capítulo 9 - Sharon


Acordei ainda sonolenta, sinto uma mão pesada em minha barriga me segurando, olho para ela vendo algumas tatuagens coloridas, sorri boba lembrando da noite passada ainda não acreditava nisso tudo é tão surreal que parecia um sonho e eu desejava nunca poder acordar dele, pois estava tudo tão perfeito que não queria que acabasse nunca esse simples momento.

Me viro olhando para Ed que dormia tranquilamente ao meu lado, observei cada detalhe de seu rosto para guardar em minha mente, não queria esquecer nada como sua mancha vermelha de nascença em seu olho esquerdo, e até mesmo a cicatriz em sua bochecha - no qual ganhou quando uma princesa de York acertou seu rosto com uma espada - as sardas que envolvia seu rosto deixando vários pontinhos marrom claro por toda parte, seus cabelos ruivos bem alaranjados estava bem bagunçados, e sua barra da mesma cor moldava seus finos lábios vermelhos.

Me aproximo mais dele querendo o observar mais de perto, mas infelizmente ele abriu os olhos acordando sorrindo para mim logo em seguida, um sorriso de tirar o fôlego aquecendo meu coração.

— Você é ainda mais linda quando acorda — diz ele passando sua mão que estava em minha cintura nos meus cabelos o tirando de meu rosto.

Sorri sem graça para ele, minha aparência é horrível assim que acordo e sabia disso, mas ele não se importava por estar completamente sem maquiagem e com cara de inchada nem quero saber como meu cabelo deve estar. Só o fato dele não se importar com isso, comecei a não me importar também, pois naquele momento me sentia a mulher mais linda para ele isso que importava.

— Bom dia — falei não tirando aquele sorriso bobo de meu rosto, não existia melhor maneira de acordar.

Ele me puxou para perto me envolvendo em seus braços fico com minha cabeça apoiada em seu peito que subia e descia com sua respiração calma e tranquila.

Eu não queria estragar aquele momento, mas não podíamos ficar deitados naquela cama o dia inteiro se pudesse ficaria, infelizmente a vida real estava me chamando assim que meu celular começa a tocar no criado mudo, suspirei revoltada por não ter desligado aquele aparelho chato.

Não era nada de importante só Camille querendo saber como estava, Ed havia se levantando e um cheirinho de café me convidando a seguir seu rastro delicioso. Vou ao banheiro antes de ir até a cozinha, arrumando aquele caos que era meu cabelo assim que acordava, ele precisava de um cabeleireiro urgente.

Ando bem devagar até a cozinha vendo Ed sentado perto do balcão tomando um grande gole de café e respirando fundo logo em seguida, ele percebe minha presença abrindo um sorriso encantador, seus cabelos ruivos estavam meio úmidos indicando que tomou banho e vestia uma calça de pijama xadrez.

Junto-me a ele bebendo aquele café quentinho e gostoso aquecendo meu corpo, Ed não parava de me observar deixando-me vermelha e encabulada.

— Dormiu bem? — perguntou ele sem tirar os olhos de mim, balancei minha cabeça dizendo que sim.

— Muito obrigada, ontem o dia foi agitado precisava descansar e você?

— Eu que agradeço nunca dormi tão bem assim — olho para as torradas com um sorriso meio bobo em meu rosto.

— Mas então? O que você vai fazer hoje? — falei mudando de assunto, pego uma torrada passando geleia nela.

— Nada, falei para Stuart cancelar tudo o que tinha para hoje — levanto as sobrancelhas surpresa.

— Mas porque? — perguntei curiosa.

— Quero ficar aqui com você, e preciso descansar estou de férias por um mês a única coisa que não fiz foi isso — olho para minha torrada pensativa — o que você quer fazer? Só me falar que iremos.

— Estava pensando em voltar a trabalhar.

— Meu álbum só sai em março e estamos em novembro relaxa pelo o que soube você já está bem adiantada, e precisa descansar ordens médicas — faço biquinho fingindo estar chateada, mas logo sorriu concordando, mas aí lembro-me daquela matéria ridícula e como isso virou uma loucura na internet.

— Mas e os paparazzi, se nos ver juntos aquele boato vai crescer mais ainda.

— Sim, e a história do término com Sharon está se espalhando bem rápido — concordo com ele, nem olhei mais o Twitter depois daquela loucura total, imagina como deve estar meu Instagram agora cheio de seguidores e mensagens a maioria é de ódio claro isso vai sempre ter — E outra o que eles disserem vai ser verdadeiro, estamos juntos.

— Mas não quero que suas fãs me odeie, afinal eu sou uma Sheerios antes disso acontecer — digo sorrindo — e também já devem ter visto as fotos que postei quando fui no seu show em São Paulo — ele olhou para mim surpreso, acho que cheguei a comentar que fui em seu show em 2017.

— Sério? Quero ver essas fotos todas elas.

Fui pegar meu celular no quarto abrindo meu Instagram, e como estava uma loucura lá, milhares de seguidores e curtidas em minhas fotos, era tanta coisa que até tirou meu foco da foto do show. Sento-me ao seu lado ainda olhando tudo aquilo, Ed tirou meu celular de minhas mãos, olho para ele surpresa não acreditando no que fez.

— Não olhe isso vai te deixar maluca, e quero ver essas fotos do show.

Ele achou as duas fotos que tinha, minha e de Camille com faixas na cabeça escrito “Ed Sheeran tour 2017” e uma só minha com a faixa, tirando o vídeo que gravei de Ed cantando “happier” minha música favorita, na qual me fez chorar que nem um bebê na hora.  Ed não parava de sorrir vendo todas elas fazendo-me várias perguntas sobre esse dia.

— Nunca pensei que fosse namorar uma fã — fico olhando para ele feliz por ouvir essas palavras, eu acho que sou sua namorada e isso é incrível, o sonho de qualquer fã de seu cantor favorito.

— Namorar? — perguntei curiosa, ele olhou para mim sorrindo, olhei para o chão encabulada porque fui fazer essa pergunta?

— Sim, você quer ser minha namorada?

Eu só tive um namorado em minha vida, mas eu só tinha treze anos e durou só um mês, os outros que passaram em minha vida foram só decepções amorosas e a maioria só queria sexo. Nunca ninguém havia me pedido em namoro oficial é isso era um coisa que sempre quis saber  como era sentir, ser correspondida pela a primeira vez.

Olhei para ele sem saber o que dizer, pois eu almejava esse momento a muito tempo, mesmo tendo vinte e cinco anos e Ed quase trinta eu queria ser sua namorada e o amar completamente.

— E a coisa que mais quero nesse mundo — falei sorrindo, ele se aproxima de mim selando esse pedido com um beijo apaixonado, eu simplesmente não parava de sorrir de felicidade.

Ed continuou a ver minhas outras fotos no Instagram, viu praticamente todas elas que eram muitas por sinal, tenho esse Instagram desde dois mil e treze. Até alguns comentários que não ficaram de fora ele tentou ler fazendo-me rir de sua tentativa de falar português.

Sentamos no sofá, e fico olhando os canais distraída, e Ed não queria largar meu celular de jeito nem um, ficou vendo algumas coisas que nem me importava até porque muitas coisas lá estavam em português então não ligava para isso, só que uma mensagem de Daniel chegou o deixando um pouco bravo.

— Chegou uma coisa para você — diz ele me entregando o celular se levantando e indo até a cozinha se afastando de mim, olhei aquela simples mensagem logo em seguida suspirando.

— Eles só me disse que precisamos conversar — ele olhou para mim levantando as sobrancelhas — depois que te vi naquele bar, eu só estava o evitando esses dias que você sumiu, tenho que dar um fim nisso, ele precisa de uma explicação — ele pega um vinho o abrindo, olho para ele o repreendendo, não é nem meio dia para já abrir um vinho tão cedo, vou até ele tirando aquela garrafa de suas mãos — você bebe demais quando está ansioso ou irritando.

— É verdade, mas só de pensar em você indo conversar com ele... — diz ele parando olhando para a garrafa de vinho que estava comigo suspirando — quero ir com você.

— O que? Não, eu consigo resolver isso sozinha será bem rápido — vou até o armário de bebidas onde ele pegou essa, e vejo várias garrafas, não só de vinho, mas de vodka, Gin, Rum e algumas outras que não consegui ler — meu Deus e muitas garrafas.

Olho para ele que dá de ombros um pouco irritado, sei que é bem teimoso que bate o pé até conseguir o que quer, suspirei só de pensar em o ver bebendo tudo isso me dá um certo medo com o seu estado de sua saúde, e em como pode tomar elas quando estiver fora falando com Daniel, meu medo de o ver naquele estado horrível era grande.

— Tá bom, você pode ir junto comigo, mas com uma condição — digo olhando para ele, o mesmo suspirou antes de falar algo.

— Qual é? — perguntou curioso.

— Você vai fica dentro do carro, por favor, eu não irei demorar mesmo, e não quero que isso se espalhe muito rápido, sei que irá acontecer uma hora... — ele olhou para mim concordando — e também só se me prometer em fazer uma reabilitação sobre isso — digo apontando para as garrafas de bebidas, ele olhou para baixo parecendo culpado — Isso pode te matar, e eu não quero perder você — me aproximo dele colocando o vinho no balcão e o abraçando em seguida, ele me envolve em seus braços me segurando firme, fico com minha cabeça apoiada em seu peito ouvindo seu coração que estava acelerado igual ao meu em uma batida sincronizada.

— Vou fazer isso por você, mas antes de lançar meu álbum — olho para ele feliz, pois tive a certeza que nunca mais iria o ver naquele estado que estava em meu quarto novamente tomara que não esteja enganada, pois eu acreditava nele.

Marquei de me encontrar com Daniel a noite tinha que resolver isso logo não queria o magoar, pois sabia que ele estava realmente gostando de mim, a única coisa que não queria era partir o coração de alguém, pois sei como isso é ruim fui uma idiota de continuar a me encontrar com ele, sabia muito bem o que sentia por Ed.

Ed queria conversar com Stuart sobre fazer a reabilitação, e adiar um pouco o lançamento de seu álbum precisava cuidar da sua saúde primeiro antes de entrar em uma turnê longa e intensa.

Combinamos de nos encontrar com Stuart no hotel, entramos empolgados no carro prontos para mudar a vida um do outro. Essa foi a primeira vez que o vi dirigir, e a primeira vez desde que cheguei que o vi tão feliz, mas infelizmente essa alegria foi embora rapidamente assim que chegamos ao hotel.

Havia uma pessoa lá que não esperávamos encontrar nem pintada de ouro, achava que ela iria nos deixar em paz, mas tinha a impressão que isso não vai acontecer tão cedo. Sharon estava na recepção uma sensação ruim passou pela a minha cabeça assim que a vi, Ed não ficou nem um pouco surpreso de a ver, parecia que ele sabia que isso iria acontecer uma hora ou outra.

— Sharon, o que você está fazendo aqui? — seu tom de voz era bem severo e irritado.

— Não posso vim ver meu namorado — diz ela se aproximando dele, o mesmo se afasta tentando manter uma certa distância dela.

— Ex-namorado, pensei que fui bem claro para você sobre não vir me procurar — diz Ed impaciente, ele olha para mim suspirando e se desculpando, Sharon percebe que estamos de mãos dadas e começa a dar risada como se alguém tivesse contado uma piada hilária.

— Ah Edward, como você é rápido me trocou por essa brasileira burra — diz ela dando mais risada — olha querida um conselho, quando ele enjoar de você te joga no lixo como se fosse descartável — respiro fundo tentando me acalmar não valia a pena brigar com ela, mas eu estava doida para dar um soco bem no meio do seu rosto — você só é mais uma vadia na coleção dele.

O que eu fiz foi muito rápido, a raiva e o ódio por ela crescia dentro de mim consumindo cada vez mais não resistindo e fazendo-me dar um tapa em seu rosto o mais forte que consegui, ela virou a cabeça para o lado com sua mão no local onde bati ela começou a dar risada loucamente chamando a atenção das pessoas no saguão.

Ed olhou para mim assustado não acreditando no que aconteceu, ele pisca várias vezes tentando entender o ocorrido, até consigo imaginar o que passava em sua cabeça. Me arrependo de ter feito isso, pois essa foi a única vez em minha vida que bati em alguém, e susto agora que não queria chamar mais atenção e ser considerada a vilã da história.

Tudo ficou mudo ao meu redor, parecia que as pessoas andavam em câmera lenta, vejo Sharon gritar que nem doida mas eu não conseguia ouvir, Ed a pegou pelo o braço a impedindo de vir para cima de mim. Eu tinha certeza que ela se vingaria de mim um hora ou outra eu via isso em seu olhar cheio de ódio que lançava para mim o tempo todo.

Ed olhou para mim e disse algo que eu não entendi, e foi aí que percebi que estava em choque, balancei a cabeça para ele concordando com algo que não sabia o que era, então ele levou Sharon até o salão de festas.

Seguro as lágrimas de raiva tudo o que queria era que ela sumisse de nossas vidas e nos deixassem em paz. Olho para os lados e havia várias pessoas nos observando e filmando aquela cena toda, tenho certeza que isso vai parar na internet logo e será uma loucura.

Stuart aparece me encarando preocupado, então ele percebeu aquelas pessoas curioso me encarando e cochichando algo sobre mim, ele vem até mim pegando em meu ombro e me tirando daquele lugar levando-me até o bar particular do hotel.

— Emilly o que aconteceu? Aonde está Ed? — olho para ele suspirando acordando daquele transe, pisquei várias vezes tentando organizar minha cabeça tudo estava uma confusão de pensamentos perturbadores.

— Sharon apareceu começou a discutir com a gente, e a me humilhar então dei um tapa na cara dela, e acho que filmaram isso — falei rapidamente resmungando baixinho em português alguns palavrões para aquela idiota que com certeza merecia cada um, Stuart me encarou preocupado — Ed a levou para o salão longe daquelas pessoas e de mim.

Sento-me em uma  sofá no canto a adrenalina corria pelo meu sangue, eu nunca tinha batido em alguém antes como isso foi acontecer? Não agora que tudo estava começando a ir bem com Ed, não queria estragar tudo assim por causa daquela vadia ridícula.

— Fica aqui que eu já volto, preciso achar Ed — Stuart deixou-me sozinha, encosto a cabeça na parede sentindo minha mão formigar eu massageio tentando aliviar e tirar aquela sensação estranha dentro de mim.

— Ems você está bem? — pergunto Ed se sentando ao meu lado e me abraçando forte — Desculpa te meter nisso tudo, não sabia que ela poderia chegar a esse ponto.

— Eu estou bem sério — falo o abraçando de volta Stuart aparece com Kevin, os dois estavam muito preocupados com isso — desculpa por isso não devia ter batido nela, a culpa é toda minha não queria causar toda essa confusão — olho para os três que me encaravam sérios e preocupados.

Os três tentaram me convencer que não fui a culpada que iriam esperar para ver no que vai dar isso tudo era uma questão de tempo até estar na internet. Ed decidiu conversar sobre a reabilitação com Stuart depois que a poeira abaixar, não queria soltar mais essa bomba hoje.

Voltamos para a seu apartamento, fui direto pegar meu notebook para voltar a trabalhar precisava de algo para ocupar minha cabeça e esquecer o que aconteceu no hotel. Fiquei sentada em minha cama concentrada no que fazia, Ed bate na porta chamando minha atenção ele estava lindo encostado no batente da porta, seus cabelos ruivos estava bem bagunçados, era uma mistura de liso e ondulado o tornando volumosos que contrastava com seu olhos azuis vivos.

Sorri sem graça para ele, se ele soubesse o poder que tinha sobre mim com certeza me dominaria por completo. Ele entrou em meu quarto se sentando ao meu lado, olhei para ele suspirando cansada ele tirou o Notebook de minhas mãos o colocando no criado mudo do seu lado.

— Você está muito tempo aqui, tem que descansar — diz ele puxando-me para perto de si fico deitada ao seu lado o abraçando fechando os olhos de prazer, pois ele estava fazendo carinho em minha cabeça fazendo-me relaxar de uma maneira muito boa.

— Não posso dormir, tenho que falar com Daniel — Ed suspirou, olhei para ele sabia que estava escondendo algo de mim — O que foi? Você viu alguma coisa na internet? — fiquei o encarando preocupada se ele não me falar eu mesma irei olhar.

— Não vou falar disso, e acho melhor cancelar esse encontro — levantaria da cama pegando meu celular.

Contei para Camille do ocorrido antes que ela saiba pelas redes sociais então não havia nem uma mensagem dela. Meu Twitter e Instagram estava cheio de mensagens, decidi não abrir nem um sabia muito bem do que se tratava. Só que uma mensagem de Daniel me fez paralisar assim que a abri.

“Você nem precisa me explicar já sei quem escolheu e eu já suspeitava por causa de seu sumiço, mas saiba que não irei desistir de você nunca irei batalhar por seu coração, só tome cuidado com ele”

Pensei em responder, mas não tinha nada para lhe dizer, pois o estrago já estava feito e não tem como consertar isso. Coloquei o celular no criado mudo sentando na cama pensativa, Ed se aproxima de mim puxando-me de volta para seus braços, olhei para ele pensando que não fiz a escolha errada, estava nos braços do homem que sonhava antes de o conhecer pessoalmente. Aproximei dele o beijando e sorrindo feliz, pois eu o amava mais que tudo e queria estar com ele isso que importava.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...