História Amor em alto mar - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Kuroko no Basuke
Personagens Aomine Daiki, Kagami Taiga, Kise Ryouta, Kuroko Tetsuya
Tags Aokise, Kagakuro
Exibições 126
Palavras 3.977
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Lemon, Shonen-Ai, Shounen, Universo Alternativo, Visual Novel, Yaoi
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Tenho a flecha do cupido, a riqueza é ilusão
E só pode consolar-me, meu marujo alegre e bom ...

Capítulo 1 - A primeira decisão


Fanfic / Fanfiction Amor em alto mar - Capítulo 1 - A primeira decisão

Chamo-me Daiki   . Anos atrás , não importa quando , vendo-me com pouco , para não dizer nenhum dinheiro no bolso , e nada tendo que particularmente me prendesse  em terra firme , achei que devia flutuar . É um velho hábito meu para afugentar tristezas e regularizar a circulação do sangue . Sempre que começo a sentirme neurastênico , com a alma enfarruscada como o dia de inverno , a entreparar involuntariamente diante de empresas funerárias ou a seguir na rua os enterros que encontro , faço-me ao mar .
       Mas não imaginem que eo faço na qualidade de passageiro - para isso é necessário ter bolça cheia e não um trapo sem nada dentro como está a minha . Acontece , além disso , que os passageiros enjoam , se tornam desagradáveis uns aos outros , dormem mal á noite e se enfastiam terrivelmente . Por essas duas razões nunca viajo como passageiro . Nem tampouco na qualidade de comandante de navio , imediato ou cozinheiro . Fiquem essas glórias aos que as ambicionam .
       Viajo como um simples marujo , a trabalhar no convés , a subir aos mastros e viver no castelo de proá . Apesar de ter de cumprir varias ordens , e que nos obrigam a pular de uma coisa para outra , como gafanhoto em gramado . Más mesmo assim é uma vida excelente . No começo esses cerviços nos sabem dessagradavelmente , sobretudo quando pertencemos a uma boa família de sólido conceito social ; e mais ainda para quem em terra gozou da distinção de ter sido professor num colégio de renome .
       Dessa vez decidi mudar meu semblante , juntei economias e comprei um navio , um  "veleiro" para ser mais exato . Modesta parte prefiro ver-me ao mar , junto a maresia , á merce dos ventos vindos do Sul e tendo as ondas quebrantes como compahia . De agora em diante o antigo veleiro que apelidei carinhosamente de " Nostalgic West " seria por fim , meu fiel companheiro .
          Nele havia um salão grande , próximo a cabine de controle  , tal salão possuirá uma grande e ampla mesa com cadeiras estofadas num tecido aveludado e antigo e uma estante onde futuramente eu colocará meus livros e guías de viagens , sobrava-me espaço na quele salão . A cabine era pequena , possuirá apenas um ascento de frente para o Leme talhado em madeira vermelha e uma pequenina bússula metálica logo ao lado .
         Na cabine onde provavélmente seria meu quarto havia uma cama de solteiro e um baú que me serviria de quarda roupa . A cozinha do navio continha caixas com os alimentos em conserva que eu nessecitava um fogão de duas bocas apenas e uma pia que continha uma sistema de lavagem simples , a mistura viria do mar , pelo menos era no que eu acreditava .                Sem pestanejar , trajei-me                       adequadamente e careguei o navio .
Zarparia do porto de Tortuga as 9Hrs da manhã depois de ajeitar as coisas para partir de vez da vida digamos assim "terrestre" . 
Não sei ao certo a qual rumo está viagem irá me levar , porém adoraria navegar por mares perigosos ou desembarcar em ilhas selvagens ...
       New  BedFord ou Cabo Horn seria um otimo destino a princípio , assim poderia ancorar em algum porto e abastecer o navio com água frasca e quem sabe até alguns mantimentos , e em seguida navegaria sem rumo mesmo , entregaria-me por completo ao mar .
       Levantei por volta das 7:00 Hrs e o sol já encontravasse terrivelmente quente na quela manhã , apesar do calor infernal decidi que andaria até o caiz e resolveria alguns problemas antes de partir , assim o fiz .  Após ter solucionado as incógnitas de todos os meus problemas , caminhei sem muita pressa até onde  o navio encontrava-se  ancorado , era uma caminhada cansativa de certa forma , mas prossegui .
     Vinte ou trinta minutos após a longa caminhada , cheguei ao pier central , onde se encontrava as embarcações de grande porte como , navios mercantes , cargueiros e os magestosos Ferry-Boats . Meu veleiro era minusculo diante da queles monstros que cruzavam o oceano , fazendo transportes ou içando coisas . Subi á bordo e me encaminhei a cabine de controle , quando  subitamente ouvi ao pier alguém me chamar , me encaminhei a bombordo e reparei na pessoa que me chamava : Taiga , meu ilustre e fiel companheiro .

                  - Com mil diabos Aomine , como pode sair assim sem ao menos se despedir ?!

Ele era um alfa e tanto . Formado em Psicologia e um otimo tripulante por sinal .

                  - Perdoe-me vossa alteza , queria que eu ficasse para o chá das 5 hrs ?

Cassoei com a cara dele que se abriu em  sorriso . 

                  - O que seria necessário  para adentrar nessa vossa embarcação ?

Disse ele entrando na brincadeira .

                  - Sangue frio , maestria e sabedoria para esfregar o convéz marujo !

                  - Apresentando-se para o serviço senhor capitão !!!

                 - Suba então homem !!!

Estendi o braço para que ele pudesse subir a bordo , admito que fiquei muito contente em ver ele e saber que o mesmo queria se aventurar comigo . Sua compahia era adoravel e muito bem vinda em meu navio .
              Içamos as velas , quilhamos as escotilhas e zarpamos . O mar encontrava-se calmo e sereno , as pequenas ondas faziam breves marolas no casco da embarcação , o vento guiava as velas rumo ao desconhecido até então .
              Pela vasta imensidão do pacifico pensei que seria relativamente impossivel de se encontrar um Alfa ou um Omega em milhas , mas estava errado .
              Quando atravessavamos a barragem para adentrar de vez em alto mar cruzamos com o baleeiro "Essex" estavamos a mais ou menos uma milha de distancia  . O cheiro dos alfas que estavam a bordo faziasse presente no ar , um cheiro demansiato desagradavél que misturavasse ao da maresia e corroia as narinas de qual quer um ali presente .
             A meu ver , tinham acabado de capturar uma cachalote visto que o sangue faziasse presente na proa do navio .
             Deixando isso de lado voltemos a falar sobre minha vida , nunca fui de amores ... Sejam eles passageiros ou profundos , na verdade acho que nunca me apaixonei . Não que fizesse alguma diferença para mim , até por que minha forma de levar a vida não seria de agrado para uma mulher .
             Meu companheiro de convéz Kagami Taiga , fora casado um tempo atraz , 5 anos para ser mais exato . Dessistiu do casamento quando soube que a dita cuja embrenhava-se em sua aussencia para farrear com o padeiro .
            A vila era pequena e por isso boatos corriam rapido na quele lugar .
            Ao passarmos o ancorado de tordesilhas  entramos em mar aberto , o vento aumentará a velocidade mais ainda se mantinha calmo , o mar estava brando , todas essas condições vaziam o barco balançar delicadamente .
           Taiga ageitavasse em um canto do salão onde passaria as noites e eu me vazia presente no castelo de proá de onde trassava uma rota para ir a Cabo Horn antes que anoitecesse . Traçado nossa rota . Agora era navegar até o destino e rezar para que o tempo não mudasse , coisa que em alto mar acontece quase sempre .
            Não sei ao certo que horas eram , o sol estava a pico por tanto estimasse que fossem entre 1 ou duas da tarde . Taiga estava a bombordo e olhava diversos mapas de viagens que trousse com sigo , larguei do leme e me direcionei a ele .

                  - Oe Taiga ! O que você esta fazendo ?

                  - Observando estes mapas para ver em quais mares iremos entrar , como são estes mares e as ilhotas que os cercam .

                  - Há sim ...

Como o percurso seria em linha reta o leme não nessecitava da minha atenção freguentemente , por tanto preferi sentar no castelo de proá e ficar por la observando o mar .
          De repente observo algo grande vindo em nossa direção , peguei uma luneta e olhei a tal "coisa" mais de perto . Era um cargueiro imenso , daria uns 130 do meu veleiro , o casco grosso e resistente flutuava sobre o mar sem temor algum .

                  - Melhor eu desviar um pouco a rota

Pensei comigo mesmo . Assim fiz dei espaço para o Cargueiro Colossal passar , de uma forma que as marolas geradas por ele não atingiriam o casco da minha embarcação .
               Voltando a cabine percebi que não tinhamos se quer almoçado , Taiga devia estar faminto e comigo não era diferente .
                Meu estomago parecia estar fervendo  , então jogamos algumas linhas ao mar na esperança de pescar um bom atum ou uma maravilhosa curvina . Na verdade pegamos dois carangueijos azuis  e um espada , não era nada de grande coisa mais daria para dois Alfas brutamontes comerem sucegadamente .
               Taiga que preparou o almoço . E o cheiro estava otimo , a comida estava maravilhosa e bem tempeirada . Admito que se ele não estivesse aqui , provavelmente eu estaria comendo um pote de ervilhas apenas . Não me julguem eu não sei cozinhar muito bem e não faço questão de aprender .
               Depois de 6 horas de viagem , ancoramos em Cabo Horn . Era um lugar bem movimentado , o porto não paravam de chegar embarcações de grande porte , os bares a beira do cais estavam lotados , algumas mulheres Ômegas faziam presença no porto para receberem os marujos que ancoravam , estavam lá em busca de dinheiro não era bem uma troca justa já que ofereciam o corpo para quem quisesse se deleitar como bem quisesse dele . Confesso que eu como Alfa me senti um pouco atraido pelo cheiro delas , mas nada que me tirasse o juizo ou algo do tipo , apenas segui em frente para abastecer o convez com agua e mais alguns mantimentos que faziam falta ... Como o run . Nada na vida se faz sem run .
          Chegamos a um armazem onde compramos tudo o que faltava , e então voltamos para o barco . Iriamos dormir ali  na quela noite , e de manhã seguiriamos em frente . Foi um inferno dormir ali . Gemidos altos eram ouvidos de dentro da cabine do navio , barulhos de garrafas se quebrando e gargalhadas extremamente altas também se faziam presentes . Revireime na cama durante toda a noite já Taiga parecia um coral de tão profundo que dormirá , cheguei a pensar que estivesse morto .
                  Pela manhã o sol já não se fazia presente como no dia anterior , mas tambem não chovia nem nada do tipo . Uma espessa névoa branca cobria a superficie maritima e impedia a desâncoragem do porto . Ficamos ali até que a névoa se decipasse . Por fim zarpamos .
                 Taiga já havia acordado e tomava seu café tranquilamente , em quanto aomine olhava o mar a bombordo a tempestade que se aproximava .
                 Derrepente grossas nuvens negras incobriram o céu e estrondos de relampagos  temerosos fazian-se presentes  .

                - Oe Taiga seguresse !!! Da qui "pra" frente a coisa vai ser nervosa .

                - Hai Hai


Assim que entramos para a cabine e trancamos a porta a tempestade nos pegou . O vento sul soprava sem piedade e a embarcação  bambeava de um lado para outro . Pensei que iriamos nalvragar de tão alta que estavam as ondas . Ficamos brigando com o tempo durante 5 Hrs e meia . Após isso a chuva cessou e podémos partir em paz .
                15.000 milhas a frente crusamos os mares do Atlantico norte . Taiga avistou uma ilhota e nela nós ancorariamos para checar se nada no navio avia sido danificado . Após muitas muitas olhadas no barco , chegamos a conclusão que poderiamos seguir viagem pois tudo estava em perfeitas condições .
                  Assim fizmos . Nem ficamos para explorar a ilha ou algo do tipo , a única coisa que nos interessava na quele momento era zarpar e esquecer a quela horrivel tempestade .
                 O mar ainda estava agitado , mas nada tão afrontoso , poderiamos partir em segurança para nosso destino . Assim que passamos pelo Demansiado das Gaivotas avistamos no mar diversas partes de um navio . Seus destroços marcaram presença até certo ponto da viagem , e mais a frente nos deparamos um um pequeno bote velho com dois rapazes desmaiados dentro .
                 Içamos o bote e demos os devidos cuidados aos moços que permanecerem desmaiados durante todo o tempo . Dois Ômegas .
                Um loiro estremamente branco que portava uma correntinha com um pequeno medalhão no pescoço , e um azulado que aparentava ter entre 16 e 18 anos .
                Eles possuiam uma beleza extremamente rara e magestosa  . Eu e taiga os secamos e os vestimos com camisas nossas que lhes cobriam até as coxas , pois nossas calças não serviriam neles . Não sei ao certo de onde vieram mas ao que tudo indica e pela forma que estavam , sujos de preto e com roupas encardidas , tratavam-se de contrabando de Ômegas . Sim . Myitas vezes eles são sequestrados ou tirados a força de suas casas e familias para servirem ao prazer de algum Alfa cheio da grana . Repugnante isso .
                 Mas agora eu devia me preocupar em mantelos seguros ou achar suas familias e devolvelos talvéz , quem sabe ?
Por em quanto Taiga os examinava para saber se haviam engolido água ou se estavam com algum problema pulmonar . Os pequenos ainda estavam desmaiados o que me preocupava ainda mais .
De certa forma era lindo velos dormir em especial o loiro , confesso que a pesar de nunca ter me apaixonado ele com sua aparencia angelical mexeu comigo de certa forma . Era noite e eu e Taiga deveriamos dormir , mas nossas camas estavam ocupadas e agora como fariamos ?
Nos ajeitamos como pudemos , dormi na cabine do leme em uma poltrona um pouco espaçosa e Taiga acomodousse no tapete do salão , onde dormiu feito pedra .
Serio não sei como ele consegue fazer estas peripecias !
              A noite foi calma dormimos com o barulho suave de uma leve chuva .
Pela manhã ao acordar percebi que o loiro encontravasse encolhido na cama e oarecia assuatado , decidi falar com ele .

                   - Bom dia

Eu disse sorrindo carinhosamente para não assustálo .

                   - B- bom di-dia

Ele tremia e encolhia as pernas juntando-as ao corpo .

                   - Não se preocupe eu não fiz mal algum a você , apenas retirei sua roupa molhada e fiz alguns curativos em suas mãos ... Elas estavam bem raladas .

Ele nada disse , apenas me observava com os olhos bem abertos .

                   - Está com fome ? Eu fiz omelete e panquecas ...

Elle estava com medo então estendi minha mão para que ele me acompanhasse , e assim ele fez .  O deichei na cozinha comendo e fui ao salão acordar Taiga .
                 Quando cheguei lá me deparei com uma cena um tanto quanto fofa .
Taiga dormia tranquilamente abraçado ao menino de cabelos azuis . Pensei duas vezes antes de chamar , mas mesmo assim chamei .

                      - Ei .... Eiiiiiii 

Sussurrei para ele

                      - Humm ... O que ? O que foi ? 

                      - O que pensa que esta fazendo com esse coitadinho seu tarado !?

                      - Oe ... Não é nada disso que você está pensando baka .... Ele acordou durante a noite e me perguntou se podia dormir comigo , estava tremendo de frio e um pouco assustado . Então cedi .


Eu sabia que Taiga não faria mal algum a quele Ômega , ele podia ser idiota mas não era nem um pouco mau ....
Voltei para a cozinha e Taiga vinha logo atraz de mim , o estomago dele roncava forte avisando que estava com uma fome de dragão . Tomamos café e me pus a conversar com o Loirinho .
Perguntei de onde eles vieram e ele me disse que viera das ilhas Malvinas , lugar distante da li e que o azulado perderá os pais ainda pequeno e que estavam juntos em um navio mercante ilegal .... BINGO !!! Minha suposição estava correta eles estavam mesmo sendo deportados .
                       Quando perguntei a ele se ele gostaria de ficar a bordo ou voltar a terra firme , ele começou a chorar e disse que não tinha para onde ir .
   
                       - Você pode ficar aqui ! Garanto que não lhe farei mal algum .

Ele sorriu e me abraçou fortemente . Aquele abraço me fez viajar .... Seu cheiro doce , sua pele macia e seus cabelos sedosos me embriagaram .... Me contive para não beija-lo


     -  contenha-se homem ....
Pensava comigo mesmo

Senti dentro da minha alma que a partir da quele momento eu devia cuidar dele ... Me rendi ao abraço . O abracei da mesma forma , separamos o abraço e nos dirigimos a proá .

O mar estava relativamente calmo e o céu estava limpo com alguns raios brilhantes de sol  .  Por um descuido meu batemos em um coral submerso e a quilha se partirá em dois .

                    - Batemos em algo

Gritou Taiga do convéz .

                    - Ótimo .... Só precisavamos disso para melhorar o dia .

Disse em puro tom de ironia , mas o Ômega inocente que se encontrava ao meu lado não entenderá bem meu motivo de chacota .

                    - Ira precisar de ajuda senhor ? 

Ele disse em tom sofrego .
  
                    - Chame-me de Daiki 

Disse de forma simples e carinhosa . Ele riu

                   - Precisa de ajuda Sr.Daiki ?

                   - Apenas Daiki , por favor ! Não necessita dessa formalidade toda para falar com um simples marujo .

Sorri novamente e passei o dorso da mão no delicado rosto angelical do loiro . Ele corou , porem sorriu alegremente , o que fez meu coração se alegrar .

                Desci ao porão onde se encontravam as caldeiras da embarcação , por sorte o casco estava intacto . Que Poseidon me livre de um naufragio agora , estariamos a deriva no meio do pacifico e longe da costa .

                 Agora vinha a quentão ....
Como arrumar a quilha se o barco estava dentro da água ?
Normalmente em situações assim , levamos a embarcação ao porto , onde ição ela e a concertão ..
                         Mais que porto ?
Como disse estavamos no meio do pacifico e longe de qualquer costa .

                    - Poderiamos mergulhar e tentar arruma-la !

Sugeriu Taiga .

                   - Certo !!! Vou ancorar para facilitar as coisas .

Assim que ancorei o navio , Taiga se lançou ao mar .
                  Em quanto Kuroko dormia por ainda estar com um pouco febril , Kise disse que ajudaria adiantando o almoço para nós .
Quando Taiga submergiu fez um gesto com a mão afirmando qual era o tamanho do nosso problema . Menor do que eu esperava , a quilha se partira em milimetros apenas , daria para prosseguir sem problema algum .
                 Puxei o ruivo para bordo e dêsancoramos  , içamos as velas e desligamos as caldeiras para evitar gastos . Seguiriamos a favor do vento .
              
                 O cheiro de comida esrava ótimo ! O Ômega cozinhava super bem ! O arroz estava soltinho , a carne de soja parecia carne mesmo , mal se sentia o gosto da soja , o caldo de caranguei estava muito bem tempeirado ... Me apaixonei ainda mais por ele !
                  Taiga cuidava de Kuroko como se sua vida dependesse dele , era meigo a forma com a qual o ruivo cuidava fo azulado . 
Passamos a tarde toda a bom ver , conversamos sobre nossas vidas e onde queriamos chegar . A noite veio tranquila e serena , quando fomos dormir estava um pouco frio em tão em um piscar de olhos o loiro com toda a inocencia sentou um minha coxa esquerda e se colou em mim

                      - Estou com frio

                      - Humm...  Esta mesmo muito frio mas , você está meio quente .

Disse colocando a mão em sua testa , ele gemeu baixinho com o toque . O cheiro dele ficava cada vez mais forte e adocicado , meus instintos ficaram bagunçados e minha visão embaçada .
                    
                       Era a época de cil  !!!

Infelizmente não consegui me conter , peguei-o no colo e coloquei-o no balcão , ele puxou-me para um beijo nessecitado , desci de seus labios e direcionei-me a seu pescoço . Comecei a chupa-lo vorazmente .
                        Minha vontade era de morde-lo e marca-lo como meu , queria te-lo só para mim . Até que ele começou a falar :


                    - V - você  é diferente .... Calmo , carinhoso , amoroso .... Rs .... E-eu ... Antes de conhece-lo , eu sentia muito medo de vocês Alfas , vou mostrar a ti algo que nunca mostrei a outra pessoa .

Dizendo isso ele retirou o sueter preto que vestia e se virou de costas para mim .

Tive que conter meus animos ao ver suas costas com diversas mordidas cicatrizadas , eram muitas marcas de dentes , pareciam cicatrizes profundas e extremamente dolorosas . Senti-me um monstro .... Ele sorriu acanhado e se foltou para me abraçar .... O abracei fortemente e comecei a chorar .

                    - Perdoe-me .... Por favor me perdoe . Eu não posso tocar em você .
Eu não quero te machucar .


Ele passou o polegar em meu rosto enchugando minhas lagrimas e me depositou um beijo na testa .

                   - Meu Lobo interior te escolheu ! Eu sinto ... Sinto aqui dentro !

Ele dizia apertanto o lugar onde seria o coração .

                  - Quando te vi ... Também senti meu instinto Alfa te escolher , mas eu não sei se você quer isso mesmo . Você está no cil , está confuso .

                  - NÃO !!!!

Disse elle de mode dessesperado

                 - Eu tenho certeza do que eu quero Daiki ....... Eu .... EU QUERO VOCÊ .

Ele disse de forma rapida e  sofrega fazendo com que meu coração se apertasse .  O puxei para um beijo necessitado . O faria meu na quela noite . E aproveitaria o Cil para marca-lo , com isso na hora da mordida ele sentiria menos dor . Agora não tinha mais volta ... Me apaixonei perdidamente ♡



                


Notas Finais


Bom espero que gostem ♡ Por favor comentem se gostarem ou quiserem dar alguma ideia ou algo do tipo .... Mais uma vez Obrigado pessoas ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...