História Amor entre inimigos naturais. Será possível? - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Saga Crepúsculo
Personagens Alice Cullen, Bella Swan, Brady Fuller, Carlisle Cullen, Collin Littlesea, Edward Cullen, Embry Call, Emily Young, Emmett Cullen, Esme Cullen, Jacob Black, Jasper Hale, Leah Clearwater, Paul Lahote, Personagens Originais, Quil Ateara, Rachel Black, Rebecca Black, Rosalie Hale, Sam Uley, Seth Clearwater, Sue Clearwater
Tags Crepusculo
Visualizações 48
Palavras 1.034
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Ficção Científica, Romance e Novela, Sobrenatural

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi, flores!!!
Como prometido está aqui o P.O.V. do Seth, eu nunca escrevi o P.O.V. de um rapaz, por isso sejam bonzinhos.
Para compensar os atrasos e para a história ter os mesmos capítulos aqui e no Nyah vou postar este capítulo e o próximo.
Espero que gostem !!!

Capítulo 4 - Capítulo 4 - Imprinting


… algumas horas antes

P.O.V. Seth

Acordei e já estava quase atrasado para a escola, apercebi-me que tinha dormido muito, mas também tive ronda ontem á noite e o Sam quer aumentar a segurança, visto que, os sanguessugas tinham voltado e por isso tinha outra ronda á tarde, depois da escola.

Vesti-me, peguei na minha mochila e desci as escadas.

Encontrei a minha mãe e a minha irmã já a tomar o pequeno-almoço.

- Bom dia mãe.- disse dando um beijo na testa da minha mãe, que fazia panquecas.

- Bom dia filho.

- Bom dia mana.- cumprimentei a minha irmã Leah, e também lhe dei um beijo na bochecha.

- Bom dia irmãozinho.- ela respondeu, usando um apelido como se eu fosse uma criança.

Sentei-me á mesa, no preciso momento em que a minha mãe colocou um prato de panquecas cobertas de mel na minha frente, contendo uma discussão entre mim e a Leah.

A verdade era que a minha irmã já não era a mesma, desde que o Sam sofreu o imprinting pela Emily, a nossa prima, ela ficou destruída e tudo piorou quando o nosso pai morreu e nós nos transformámos em lobos. A minha irmã tornou-se uma pessoa amarga e eu não a podia culpar, uma vez que ela era obrigada a ver os pensamentos do Sam e o quanto ele amava a Emily.

Comi rapidamente, despedi-me da minha mãe e fui para a escola.

Quando cheguei avistei o Jacob, o Quil e o Embry, fui a até eles e juntos fomos para dentro.

As aulas passaram num piscar de olhos, ri muito com os meus amigos e divertimo-nos imenso com as tentativas do Embry para conquistar as miúdas.

Apanhei boleia do Jake para voltar a casa, ainda tinha algum tempo até ser hora da minha ronda e para passar o tempo fui ver televisão. A Leah estava lá sentada no sofá a ver um jogo de beisebol e eu sentei-me ao seu lado.

- Então quem é que está a ganhar?- perguntei.

- Ninguém, estão empatados a zero, mas o jogo só começou agora.- a minha irmã respondeu dando de ombros.

Permanece-mos um tempo em silêncio, até a Leah se virar completamente para mim e perguntar:

- Então, como é que correu a escola?

- Bem. Eu, o Jake e o Quil divertimo-nos imenso a assistir aos fora que as raparigas deram ao Embry. – eu ri com a lembrança, acompanhado com a minha irmã.

Conversámos mais algum tempo sobre coisas banais e rimos bastante, exatamente como antes.

- Mana, estás bem?- perguntei sério.

- Sobrevivo. Não te preocupes.- respondeu, fazendo-se de forte.

- Como é que não me ia preocupar com a minha maninha?- questionei com um meio sorriso, fazendo-a sorrir.

Deitei a minha cabeça no seu colo e ela começou a brincar com os meus cabelos, era nestes pequenos momentos em que sentia a minha irmã antiga de volta, a mesma Leah que existia antes do Sam e da sua traição.

- Não tinhas uma ronda para fazer? – perguntou-me.

- Sim. Que horas são?

- São 16:00 horas em ponto.- respondeu-me, fazendo com que me levantasse num salto.

- Está na hora da minha ronda.- disse para a minha mana, que me olhava intrigada.

- Então vai, não quero sanguessugas mal cheirosos a passear pelas nossas terras.- a Leah disse sorridente, fazendo-me rir e assentir.

Quando estava quase a sair pela porta, virei-me, olhei para a minha irmã, corri até ela e abracei-a.

- Eu adoro-te, mana.- sussurrei ao seu ouvido.

- Eu também te adoro, maninho.- a Leah disse.

- Vá, vai lá fazer a ronda.- ela disse, depois de eu a ter soltado, mas eu sabia que ela só estava armada em durona.

Sai de casa e corri rapidamente para a floresta, escondi-me atrás de uma árvore e preparei-me para me transformar. Logo, comecei a sentir o calor que subia pela minha espinha e em menos de um segundo era um grande lobo cor de areia.

Correr trazia-me uma reconfortante sensação de liberdade, eu adorava tudo em ser um lobo, gostava do vento a bater no meu pelo, de sentir todos os cheiros e sons ao meu redor, do chocalhar das folhas que pisava, era tudo maravilhoso, exceto ouvir os pensamentos dos outros lobos, às vezes isso podia ser horrível. Ainda havia o imprinting, eu ainda não o tinha sofrido, mas esperava que quando acontecesse não trouxesse problemas.

Estava a fazer a ronda quando um doce cheiro a morangos e rosas silvestres me atingiu deixando-me embriagado com aquela fragrância maravilhosa, senti-me atraído e confuso, visto que aquele cheiro não era normal, nem humano logo havia um vampiro no nosso território.

Num átimo de segundo os meus instintos de lobo ficaram alerta com o meu próprio pensamento e com a possibilidade de existir um vampiro na área dos lobos, se fossem os Cullen eles tinham quebrado o tratado, logo ia haver uma guerra ou uma enorme confusão.

Não havia ninguém na forma de lobo, então corri o mais rápido possível em direção aquele cheiro, encontrei uma vampira e rosnei-lhe, mas quando ela se virou e eu a olhei nos olhos, o meu mundo parou, todos os cabos que me prendiam á terra soltaram-se e um único cabo mil vezes mais forte ligou-me a ela, agora era ela que me segurava á terra, ela era o centro do meu universo agora e o amor que sentia pela mãe, pela minha irmã, toda a lealdade para com o meu bando e para com os meus amigos, não se comparava com o gigantesco sentimento que nutria por esta vampira.

Ela encarava-me confusa, enquanto eu me perguntava se ela também tinha sentido a nossa conexão.

Ambos olhávamos nos olhos um do outro e eu pela primeira vez reparei que os seus olhos eram dourados e lindos. Afinal, ela era uma Cullen o que era bom queria dizer que esta vampira era “vegetariana” e isso facilitaria a aceitação dos outros lobos, quando eu lhes contasse que ela era a minha marca, no entanto ela tinha quebrado o tratado e eu não ia deixar que eles soubessem, nem que a magoassem.

Eu iria sempre protege-la com a minha própria vida, se fosse preciso.


Notas Finais


Então o que acharam?
Ficou bom o P.O.V. do Seth?
E este "final" com imensos sentimentos?

Estive a pensar em fazer capítulos, com P.O.V. do Seth e da Sophie, gostavam de ler capítulos assim?

Beijinhos e até ao próximo capítulo.
E antes que me esqueça, podem mandar MPs, recomendações e comentários que eu não me importo kkkkkkkkkk. kissus


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...