História Amor entre primos; SasuSaku - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Tags Hentai, Naruto, Sakura, Sasuke, Sasusaku
Visualizações 133
Palavras 2.300
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Yooo pessoal!
Eu sei, eu demorei muito, desculpem.
Mas as aulas voltaram e logo na segunda semana já tive simulado, que castigo!
Não me odeiem por isso, prometo voltar mais cedo da próxima vez!
Quero agradecer a quem favoritou a história e a quem comenta a cada capítulo! MUITO OBRIGADA, DE CORAÇÃO!
Peço desculpas mais uma vez pela demora e caso haja algum erro no capítulo.
Espero que gostem, boa leitura!

Capítulo 4 - Jantar


Fanfic / Fanfiction Amor entre primos; SasuSaku - Capítulo 4 - Jantar

Eu nunca fui de me prender a sentimentos, muitos me diziam que eu era uma pessoa muito fria, pelo visto todos estavam enganados.

Ultimamente eu venho tentando negar o máximo de pensamentos idiotas em minha cabeça. Mas sempre é inútil.

Dias torturantes e longos, noites frias e melancólicas, o que está havendo comigo afinal? Você não era desse jeito, Sakura.

Isso tudo é uma tortura mental a mim mesma, ficar me questionando sobre a situação caótica do meu coração não vai ajudar em nada. Mas eu não tenho capacidade de procurá-lo e pedir para que esqueça o que aconteceu.

Será que Sasuke têm algum tipo de distúrbio?

Talvez eu me encontre com vários problemas mentais também.

Em quase todos os meus sonhos eu posso sentir o toque de seus lábios nos meus novamente, a força com que ele pressionava seu corpo ao meu e o calor que emanava de nossos corpos.

Por Kami, eu realmente estou maluca!

Já se passaram duas semanas desde o ocorrido e então não tornei a vê-lo. Domingo passado minha mãe me chamou para um jantar na casa de tia Mikoto e então tratei de fingir um mal-estar qualquer para não ter que olhar na cara de Sasuke.

Mas a quem eu quero enganar? Eu não estou com raiva dele, mas sinto medo.

Tenho me castigado e venho me nomeando a pior pessoa do mundo por ter que pensar no mesmo todos os dias e lembrar do suave sabor de seus lábios.

Lembrar de seus olhos me fitando cautelosamente. Frios e quentes.

Ao voltar a ler um dos livros de “As Crônicas de Gelo e Fogo” de George R.R. Martin, constato que apesar de um mundo extenso que o mesmo criou, onde até mesmo existem dragões, ele é extremamente lúcido e normal. Diferente de minha pessoa, que sente atração pelo próprio primo.

Sasuke,você é um problema.

Ultimamente me ocupei em organizar tudo para minha mudança, fui mais rápida que pude para conseguir um apartamento do meu gosto. Na verdade, obtive sucesso em conseguir um triplex não muito longe da casa de meus pais e do hospital. Já fazem dois dias desde que adquiri um carro novamente, estou fazendo o máximo possível para me restabelecer por aqui.

Me encontro em meu antigo quarto terminado de arrumar o resto de minhas roupas, quando ouço passos atrás de mim.

-Não precisava de tanta pressa, hime.-Era meu pai.

-Eu sei pai, me desculpe, mas eu realmente preciso de um espaço só meu, nós já conversamos sobre isso.-Fui em sua direção e o abracei forte.-Eu te amo tanto pai.

-Ao meu ver você têm andado muito pensativa nas últimas semanas, aconteceu algo?-Questionou ele afagando meus cabelos.

Meu pai sempre soube dos meus modos de agir diante de qualquer situação, ele sempre saberia das minhas atitudes quando algo me afetava, mas eu não posso me abrir com ele sobre o que vêm acontecendo, não dessa vez.

-Aconteceu, mas não quero falar sobre isso.-Falei enquanto continuava em nosso abraço. Por mais que Kizashi Uchiha se preocupasse com a filha, ele respeitava o meu silêncio.

Seria suicídio falar sobre o meu beijo com Sasuke, ninguém aceita qualquer relação incestuosa na própria família, certo?

[…]

 

Talvez eu não devesse morar em um lugar tão grande, já que passo a maior parte do tempo sozinha. O triplex pra onde me mudei é magnífico, do modo que eu planejei. No primeiro andar se encontra sala, cozinha, sala de jantar e biblioteca. Já no segundo andar ficava a suíte, que era o meu quarto, dois banheiros e mais dois quartos, que por enquanto só tinham móveis básicos. E por fim o terceiro e último andar onde seria meu escritório, e ainda tinha um espaço de lazer, que por hora não será nada, talvez eu planeje algo em outro momento.

Ainda é sábado e já na segunda-feira começo meus serviços no hospital, fico feliz que finalmente irei me ocupar com algo que desejo.

Mas como nem tudo são flores, tenho uma penitência a pagar hoje à noite. Nessa noite será a festa de aniversário de casamento de tia Mikoto e tio Fugaku, eu esgotei a minha cota de desculpas, caso eu não vá hoje, alguém vai saber que há algo errado e essa pessoa é justamente o meu pai.

E meu desejo não é ver Sasuke morto.

Ainda.

A própria Karin me disse que se caso eu não aparecesse nesse jantar, ela virá me arrastar pelos cabelos até lá, bom, isso não me parece legal e conhecendo ela, tenho certeza que o faria.

Me senti aliviada ao saber que minhas amigas iriam, já que cada uma delas têm uma relação próxima com minha família.

Ino é noiva de Gaara no Sabaku, que é um dos advogados da família junto com Shikamaru que é marido de Temari, irmã do Sabaku. Hinata é casada com Naruto, cujo a família do mesmo é sócia de longa data de minha família. E por fim temos Tenten que namora Neji Hyuuga, que é irmão de Hinata.

Todos felizes em um relacionamento estabilizado, menos eu. Mas quem disse que a vida seria fácil, não é mesmo?

Ino sugeriu que eu convidasse Sasori, mas diante do fato de que o evento é dos pais de Sasuke, é melhor evitar qualquer afronte a ele, levando em consideração que ele surtou ao me ver junto com o ruivo naquela boate.

Sasuke ON

Frustração.

Era o que eu sentia.

Ver que Sakura ao menos se importou em me procurar após aquele beijo, me deixava frustrado.

Fui a sua procura na casa de meus tios à dois dias, mas a mesma já havia se mudado. Tiveram várias reuniões familiares nesse meio tempo, mas a mesma não compareceu em nenhuma.

O fato de ela ter correspondido ao beijo me faz pensar que a mesma só está assustada. E eu não tiro sua razão, mas essa distância é agoniante e eu já passei muito tempo longe dela.

Eu quis procurá-la todos os dias, quis ligar, mandar mensagem. Mas Naruto me disse que eu deveria dar um tempo a ela, deveria deixá-la digerir tudo isso.

Mas eu sou muito egoísta pra isso, Sakura não pode me negar seu amor, eu não aceitaria. Dentre todos esses dias eu me torturei e dei tempo a ela, mas eu não posso suportar mais, eu a quero.

Perguntei a Naruto se ela iria ao jantar de aniversário de casamento de meus pais, o mesmo me informou que Karin o disse que sim. Se fosse como antigamente e Sakura não estivesse em Konoha, eu provavelmente não iria, eu não sou um cara muito família. Mas ela vai estar lá, e eu preciso vê-la.

Dessa vez eu iria ignorar os conselhos de Naruto, não quero dar espaço algum a ela, eu a sufocarei e ela será minha.

 

Sakura ON

A noite caiu e com ela veio o meu nervosismo, eu sabia que iria encontrar com ele, e na hora que esse momento chegar, eu não saberei como agir.

Não seria adequado sair correndo de uma festa familiar quando você perceber que seu primo está presente.

Já estava pronta e pensando se eu deveria mesmo ir.

Eu poderia simplesmente falar que eu estava com cólicas ou qualquer outra desculpa, porém Karin e Ino saberiam que estaria mentindo.

Fui em direção ao espelho para me olhar uma última vez.

Optei por um vestido longo preto com alças finas com um decote V na parte da frente que evidenciava os meus seios e os dava mais volume, tinha também uma fenda lateral em uma das pernas e ficava colado em meu corpo. Usava um salto scapin preto, de acessórios uma gargantilha dourada e brincos não muito extravagantes, já que usava meus cabelos soltos. Minha maquiagem era um pouco mais marcada, um marrom esfumado e por fim um batom nude e discreto.

Um look realmente exagerado, mas estamos falando de uma festa da família Uchiha.

Peguei minhas chaves e minha bolsa, saí do meu apartamento já nervosa com o que me aguardava por lá. O caminho não é tão demorado, por volta de uns 15 minutos dirigindo chego na mansão de Fugaku e Mikoto, que também não é nada discreta.

Logo desço de meu carro observo que há vários outros no lado de fora, então faço um lembrete mental de que nenhuma festa é simples quando se trata de minha tia organizando algo. Ao entrar no local observo as movimentações de garçons e outras pessoas. Me dirijo até área de festas da casa, que fica junto ao jardim.

Assim que chego vejo inúmeras pessoas e observo Ino vindo em minha direção com um sorriso largo.

-Já estava quase indo buscar você! Que demora testuda!-Disse ela me abraçando.

-Desculpe, eu demorei um pouco para me arrumar.

-Estou vendo, você está tão gostosa Sakura! O tempo sempre te favorece.-Disse ela pegando em minhas mãos.

-Olha só quem fala, você também está linda.

-Sim eu sei, agora vamos, estão todos esperando pela senhorita!-Me puxou em direção a um amontoado de pessoas, que logo identifiquei ser uma rodinha de meus primos e amigos.

-Olhem só quem chegou!-Ino elevou a voz chamando a atenção de todos para nós duas, que vergonha.

-Achei que não viesse Sakura, você demorou.-Disse Karin me abraçando.-E você está muito linda!

-Desculpe pelo atraso e obrigada pelo elogio.

Nunca me acostumo em ser elogiada.

Mas tudo bem.

-Sakura-chan, você está tão linda, não é pessoal?-Dessa vez quem proferiu essas palavras foi Hinata, com sua doçura e simpatia de sempre.

-Obrigada Hina, mas você está muito mais.-Disse sorrindo em sua direção.

Ao terminar com os elogios, olhei ao meu redor e ao longe e pude ver meus pais conversando com Minato e Kushina, sorri ao ver que a relação de ambos continua a mesma depois de tantos anos.

-Está sorrindo por qual motivo?

Sua voz grossa e fria invadiu meus ouvidos e então não tive coragem de virar para olhá-lo. Tentei me acalmar pensando que ele não faria aquilo que fez outro dia por estarmos na presença de familiares e amigos. Mas eu me encontro com medo, não quero encará-lo.

-Sakura, estou falando com você.

Então em um surto de coragem me virei e encarei-o, ele estava sério, e meu olhar tremia diante do seu.

-Achei que não viria.

-Eu também achei.-Rebati ao mesmo

Ele continuou me fitando e de repente me puxou por uma de minhas mãos.

-Ei! O que está fazendo?-Sussurrei para o mesmo.-Sasuke, me solte!-Continuei.

-Vou te soltar depois de nós conversarmos.

As pessoas olhavam em nossa direção, eu até mesmo cogitei em puxar meu braço e sair correndo, mas seria uma atitude idiota e eu chamaria mais atenção para nós dois.

Ele me pagará de algum modo qualquer dia desses.

Ao adentrarmos na casa puxei meu braço novamente, e então ele segurou com mais força.

-Não me irrite Sakura, ou então vou ter que te carregar até meu quarto.- Ele disse ao continuar andando, dessa vez, estávamos subindo as escadas.

Chegamos em uma porta e então ele a abriu. Eu conhecia bem esse lugar. É o antigo quarto de Sasuke, onde ele me deixava dormir quando meus pais viajavam e eu preferia ficar com ele. Ao meu ver, essas atitudes que eu tomava não me parecem saudáveis hoje em dia, mas eu era uma criança, a inocência prevalecia em mim.

-Entre.

O olhei com receio e resolvi entrar.

Ele me fitou e então coçou a garganta.

-Sakura, não gosto de enrolação, então vou direto ao ponto.-Dessa vez ele se aproximou e ficou de frente pra mim.-Mesmo que você esteja assustada com tudo isso, eu não quero parar. E eu não vou parar.-Ele olhou em meus olhos e então juntou minhas mãos com as suas. Eu não recuaria. É errado, mas algo dentro de mim me diz que eu devo ficar.-Quero sentir o gosto dos seus lábios o quanto eu puder, eu quero você.

As palavras dele foram como um balde de água gelada, achei que ele me pediria desculpas pelo ocorrido na casa de meus pais e então ele piora a situação toda.

-Diga alguma coisa.-Ele me encarava com um semblante sério.

-Sasuke, você sabe, sabe que não..

-Podemos Sakura, é claro que podemos…-Ele me cortou.-Eu quero isso, você correspondeu ao meu beijo!-Ele elevou seu tom de voz.

-Fale baixo! Alguém pode ouvir você Sasuke-kun!-Eu o repreendi.-Não podemos e não devemos fazer isso, esqueça esse beijo!

Ele se aproximou e me puxou com brutalidade, ao colar nossos copos sugou meus lábios com força e introduziu sua língua em minha boca a enroscando com minha. Sasuke segurava minha cintura com possessividade não me dando a capacidade de me soltar.

Não aguentando mais resistir ao beijo, enfiei minha mãos em seus cabelos negros e logo após isso, ele me empurrou e caímos na cama logo atrás que um dia fora sua. Enrolei minhas pernas em seu quadril, ele levou uma das mãos em minha coxa e a apertou com força, ele desceu seus beijos ao meu pescoço o começou a dar chupões na região.

-Sakura, você é minha.- Disse entre os beijos.

Quando o mesmo apertou um de meus seios com a mão livre dei um gemido baixo. Então a consciência veio à tona.

Estou prestes a transar com meu primo.

O empurrei com a mera força que tinha e o mesmo me olhou.

-Sasuke, já passamos dos limites, vamos voltar para a festa.-Disse me levantando.

O mesmo me segurou pelo braço e deixou o rosto a centímetros do meu.

-Tudo bem, mas depois vamos terminar isso.

Depositou um selinho em meus lábios e saiu.

Droga.

Eu não sei controlar isso.

Preciso parar de me agarrar com Sasuke, se alguém souber, não verá com bons olhos.

Mas não deve mesmo, uma relação incestuosa não é totalmente normal, nunca vai ser.

Sasuke é minha dor de cabeça. Mas não consigo negar isso.


Notas Finais


Gostaram?? Comentem e favoritem! Até a próxima!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...