História Amor Esquecido - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Diabolik Lovers
Personagens Ayato Sakamaki, Christa, Kanato Sakamaki, Laito Sakamaki, Personagens Originais, Reiji Sakamaki, Shu Sakamaki, Subaru Sakamaki, Tougo Sakamaki "Karlheinz"
Tags Drama, Mistério, Subaru
Exibições 76
Palavras 631
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Insinuação de sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oi sorvete!

Bateu uma bad, então resolvi criar uma nova fanfic.

Espero que gostem, fiz com muito carinho ❤

Boa leitura ^-^

Capítulo 1 - A noite


Fanfic / Fanfiction Amor Esquecido - Capítulo 1 - A noite

 

A noite fazia com que a mansão parecesse mais sombria ainda. Era uma noite qualquer, sem sentido e comum para humanos normais. Mas esta noite pode mudar a vida de alguém para sempre. Este alguém era uma garota... Aparentemente normal... Comum como muitos humanos diriam.

Através de uma grande janela, no terceiro andar da mansão, um certo vampiro admirava a bela noite. Seus cabelos albinos caíam sobre um de seus olhos extremamente vermelhos. Sua expressão era calma, sem toda aquela raiva que ele demonstrava para com todos. Longe de todos, ele poderia finalmente ter o seu sossego.

Ninguém daquela mansão estava esperando uma nova noiva de sacrifício, pois a última havia morrido há apenas uma semana.

Por mais que pareça estranho, o albino não se importava nem um pouco com a morte de qualquer noiva de sacrifício. Pois as considerava, junto de seus irmãos, meras bolsas de sangue.

Enquanto olhava a noite, avista uma limousine se aproximando da mansão, mas ela ainda iria demorar a chegar, pois estava muito longe ainda. Ele suspira e pensa consigo mesmo:

“Mais uma para me aborrecer”

A chegada de uma nova noiva já era uma rotina comum na mansão Sakamaki. Eram sempre as mesmas reações, as mesmas falas, as mesmas faces expressando espanto, desespero e medo. Mas mesmo sendo repetitivo, aquilo agradava alguns vampiros (por serem sádicos). Mas este não era o caso deste, já que achava que elas faziam barulho demais, acabando com sua paciência (já que ele já tinha pouca).

O albino voltou a observar o céu, aproveitando os seus últimos momentos de sossego, já que ele esperava que a próxima noiva fosse barulhenta, como todas as outras. Ele havia começado a pensar na ideia de suicídio há um tempo. Mas não era capaz de se matar, mesmo tendo uma vida tão sem sentido e irritante, segundo ele.

Vendo que a limousine já parara em frente a mansão, o jovem colocou as mãos nos bolsos do uniforme e caminhou pelo corredor escuro e assustador para um humano, não para um vampiro. Depois de andar um pouco, sumiu no meio daquela escuridão toda.

A limousine foi parada perto do grande portão de entrada. A porta do veículo fora aberta, revelando uma jovem que aparentava ter apenas 15 anos de idade. Ela tinha longos e cacheados cabelos castanhos e olhos azuis como o oceano. Era bem baixinha e aparentava ter um corpo normal, como a maioria dos humanos.

Se qualquer humano a visse, iria a considerar linda e perfeita. E era verdade, a sua beleza era muito grande, a fazendo se destacar entre os humanos. Mas a sua beleza não seria novidade para os Sakamakis, já que eles já haviam tido muitas noivas de sacrifício belas ao longo dos anos.

Ela vestia uma blusa branca simples com alguns detalhes dourados, uma saia preta também simples que ia até um pouco a cima de seus joelhos, um par de sapatilhas douradas e um colar de ouro com um rubi em seu centro. Mesmo com trajes simples, ela continuava bela.

A garota saiu da limousine e andou lentamente até o grande portão. Sua face expressava calma, mesmo ela estando diante a uma mansão aparentemente assustadora, ela não demonstrava medo algum de estar ali. Ela não tinha pressa alguma de entrar ali ou até mesmo de bater na porta. 

Ela não parecia estar feliz, nem triste. Ela não expressava sentimento algum, a não ser a serenidade em seu olhar. Qualquer um que olhasse para ela, iria perceber a bondade em seu lindos olhos cor de safira. 

Ela fechou seus olhos e permaneceu assim por alguns instantes, como se ela estivesse preparando o seu eu interior para um choque ou algo que faria seu coração doer. Depois, ela levanta sua delicada mão e se prepara para bater na porta...

 


Notas Finais


Espero que tenham gostado!

Até a próxima, meus sorvetes ^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...