História Amor estrangeiro. - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Got7
Personagens BamBam, Jackson, JB, JR, Mark, Youngjae, Yugyeom
Tags 2jae, Got7, Jackyugbam, Markjin
Exibições 185
Palavras 1.766
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oi, bebês~~
Aproveitem <3
MUITO OBG PELO CARINHO E ATENÇÃO.
Please, leiam as notas finais :3

Capítulo 2 - Conhecendo a universidade... E Youngjae


Fanfic / Fanfiction Amor estrangeiro. - Capítulo 2 - Conhecendo a universidade... E Youngjae

- O que?!?! - disseram em uníssono.

 

Tudo bem que Jinyoung era legal, mas ainda sim era um estranho! Onde ele poderia dormir?

 

Mark era legal, mas não estaria Jinyoung invadindo um espaço próprio? Isso é errado!

 

- Mas, mãe! Só tem uma cama, você sabe que eu não posso dormir no chão.

- Tá tudo bem, senhora Tuan. Eu posso dormir na sala. - Jinyoung sentiu seu rosto corar. Não queria já ser um fardo.

 

- Não, eu já decidi. Mark, sua cama é de casal. Se reclamar demais eu durmo com os dois, hm?

 

Após mais algumas reclamações, Mark aceitou dormir. Na verdade sua mãe estava já subindo para pegar suas coisas e deitar com os dois. Mark não podia simplesmente ignorar isso.

Assim que entraram no quarto, Mark ainda mantinha a cara emburrada.

 

- Hyung... Se você quiser, eu realmente posso ir dormir no chão.

 

- Está tudo bem, Jinyoungie. -  Falou sem jeito ao ver as expressões do mais novo. - É que eu não estou acostumado a dividir minhas coisas, principalmente minha cama.

 

- Mesmo assim, me desculpa. Eu... Eu não queria incomodar! - Jinyoung se ajoelhou no chão e se curvou, até encostar a cabeça no assoalho que tinha um carpet fofo.

 

- Tu-tudo bem. Olha, cabe nós dois.

 

Mark não sabia como reagir, então tentava levantar o mais novo do chão.

 

- Muito obrigado, hyung... De verdade!

 

Após agradecer diversas vezes, Jinyoung finalmente se levantou, coisa que Mark agradeceu imensamente em sua cabeça. Quando estavam prontos para dormir, Jinyoung se acomodou mais para a ponta da cama e Mark mais próximo da parede. A noite estava fria, mas cada um tinha um lençol.

 

Jinyoung logo adormeceu, estava cansado e ainda não havia se acostumado com o fuso horário, também deveria ir até a faculdade resolver alguns pormenores, mas Mark ficou ouvindo a respiração leve ao seu lado e virou para encarar o corpo que ali estava. Era estranho dividir cama com alguém, não tinha dúvida, mas se permitiu sorrir enquanto o observava. Talvez não fosse tão ruim.

 

Sentiu seu celular vibrar, era uma notificação de mensagem de Bambam, seu amigo tailandês.

 

Potinho: Men, eu já não aguento mais dividir o quarto com o Jackson... Eu acho que tô apaixonado.

 

Bom, Bambam era gay e Jackson era o novo calouro na faculdade que o mais novo cursava. Ambos faziam dança. Bambam estava empolvoroso desde que o chinês mudou para o seu quarto. Mark perdeu até a conta de quantas mensagem ele recebia no dia informando quantas milhares de coisas "Jackson está fazendo agora".

 

Mark: Bambam, larga de coisa e vai dormir, que 'tá tarde. Amanhã você tem aula. PARA DE OBSERVAR O COITADO DORMIR!!

 

Mark enviou a mensagem e antes de bloquear olhou a hora e percebeu que estava realmente tarde. O relógio marcava 01:31 da manhã. Bloqueou-o e voltou seu olhar novamente para o novo integrante da casa. Seu corpo tremia um pouco, por conta do frio, mesmo que estivesse coberto. Mark então usou sua coberta para cobrir a ambos, depois virou para a parede e adormeceu.

 

❦Amor estrangeiro❦

 

A madruga passou rápido, Mark sentiu o sol queimar sua pele e incomodar em suas pálpebras ainda fechadas. Abriu-os preguiçosamente e já estava a espreguiçar-se quando sentiu um vazio ao seu lado. Não havia dormido com alguém?

 

Seu corpo reagiu automaticamente àquele pensamento e logo estava sentado, porém seu rosto logo foi tingido de vermelho ao ver a porta do banheiro se abrir e de lá sair um Jinyoung seminu, com uma calça moletom enquanto secava os cabelos. Goticulas escorriam pelo seu corpo e a luz do sol era refletida, dando um efeito de brilho ao mais novo.

 

-  Ai meu Deus, hyung! - O moreno cobriu seu corpo com a toalha ao perceber a situação. - Me- me perdoe, eu só estav-

 

-  ’Tá tudo bem, Jinyoung.

 

- É que você estava dormindo e eu não queria te acordar… - Falou escondendo o rosto com a toalha, deixando novamente seu abdomen a mostra.

 

- Como eu disse, está tudo bem. - Falou, pigarreando. - Você está se arrumando para ir até a faculdade?

 

- Nê! Quer dizer, sim! Sua… Sua mãe pediu para você me levar… Se estiver tudo bem…

 

Mark percebeu naquele exato momento, em menos de 24 horas perto daquele ser, que ele não seria capaz de lhe negar nada. Aquele 1 ano seria bem longo…

 

Respirou fundo e levantou da cama com a preguiça ainda lhe abraçando.

 

- Me dê só um tempo para tomar banho, okay?

 

Jinyoung lançou um amplo e belo sorriso antes de sair do quarto sem dizer nada, apenas pegando uma blusa qualquer antes de descer. Mark suspirou, pegou seu celular para olhar as horas. Eram apenas 8 da manhã de uma sexta e sua mãe já deveria ter saido. Desbloqueou a tela e viu que haviam 5 mensagens de Bambam, abriu-as e gargalhou logo na primeira.

 

Potinho: Viado, você acha que já não tentei?

 

Potinho: Mark, pelo amor de tudo que há de mais sagrado, me compra uns tapa-olho!

 

Potinho: Ou uns tapas na cara mesmo, eu tô merecendo.

 

Potinho: Mentira, se você me bater eu corto sua mão, seu vadio.

 

Potinho: Vadio, aposto que dormiu, morra enquanto dorme!!

 

Bambam podia ser um docinho às vezes, disso Mark não tinha dúvidas.

 

Mark: Não me chama de viado, seu pote de purpurina. Espero que o Jackson te dê uns tapas de realidade. Brincadeira, boa sorte com o boe~~

 

Mark: Te contei que agora divido casa e cama com um garoto? Ele é legal, mas não quero que você o conheça :P

 

Mark: Brincadeira, te amo, potinho <3.

 

Largou o celular em cima da cama e foi fazer sua higiene matinal. Assim que saiu do banho vestiu uma roupa que considerava adequada para levar o não-tão-desconhecido assim até a universidade e desceu para a cozinha. O cheiro de café se espalhava por toda a casa e era agradável.

 

- Hyung, fiz café para você.

 

Aquele sorriso estava afetando Mark mais do que deveria, mas ele apenas sorriu de volta.

 

- Obrigada, Jinyoungie.

 

Tomaram o café da manhã, Mark realmente gostava do jeito que o mais novo passava o café, com certeza o gosto era o melhor café que já havia tomado e agradecia mentalmente a todas as forças divinas por ter alguém que fizesse sua bebida preferida tão bem. Assim que acabaram, seguiram para o carro. Jinyoung estava bastante ansioso e Mark percebeu isso. Era normal, ele sabia, afinal era a futura faculdade dele. O segundo passo para o seu sonho, como o mesmo descrevera no dia anterior. Respirando fundo, Mark pigarreou e quebrou o silêncio.

 

- Sabe, você não deveria ficar tão nervoso…

 

-Hã? - O Park, que estava perdido em pensamentos, respondeu.

 

- Você parece nervoso.. Não fique.

 

- Como não, hyung? Olha, eu provavelmente vou ser o único coreano, quiçá o unico asiático! Eu vou morrer, eu vou morrer.

 

- Puts, você é sempre assim positivo? - Falou, sarcástico. - Nada vai dar errado, okay?

 

Jinyoung passou o resto do caminho em silêncio, mas Mark não se importou, estava feliz por ter dito algo sensato. Na cabeça do mais novo aquelas palavras surtiram realmente algum efeito, ele estava certo afinal.

 

Quando chegaram à porta da universidade, Jinyoung sinalizou para Mark dizendo que não demoraria e que o mesmo deveria lhe esperar. Assim que o mais novo saiu campus a dentro Mark realmente quis bater sua cabeça no volante até ele aprender a dizer não para Park Jinyoung, afinal sua cama altamente confortável e, com fé em tudo que há de mais sagrado, quentinha o esperava.

 

Os minutos passaram e logo chegou se tornou meia hora. Mark sentia-se incomodado com a posição em que estava e com a demora de Jinyoung,então resolveu sair pelo campus para tomar um ar. O lugar era muito bonito, Mark até mesmo cogitou entrar para a faculdade mas logo desistiu dessa ideia.

 

Andou alguns bons metros, do estacionamento até a entrada da faculdade e entrou. Por dentro só não era tão bonito quanto por fora, mas a sensação de voltar a estudar novamente habitou a mente de Mark, que novamente espantou-a. Não que não houvesse visitado universidades, mas havia excluído essa dos seus planos, apesar de Bambam insistir muito para que fosse até lá.

 

A entrada, de simples não tinha nem mesmo a porta, que era de vidro. O chão era de madeira escura, uma madeira bem resistente e brilhante, pelo que pode constar. As paredes eram creme e haviam quadros espalhados cobrindo quase tudo, mas o que mais surpreendia é que apesar da quantidade não pareciam ter sido postos ao léu, já que combinavam perfeitamente com o ambiente. Haviam sofás por toda aquela área, seguiam um padrão de lugar e combinavam em cor com o piso. Havia um balcão de madeira mais clara em que havia uma mulher muito bonita. Após muitos minutos imerso em admirar a entrada, Mark ouviu um “psiu” e logo constatou que vinha da moça atrás do balcão.

 

- Olá, senhor. Posso lhe ser útil?

- Hã? Ah, não, muito obrigada! Eu só estou esperando meu amigo e olha ele a-

 

Mark sentiu um calor incomum subir por seu corpo ao ouvir Jinyoung gargalhar, mesmo que isso não tenha sido o motivo e sim o garoto perto dele. A moça do balcão segurou a risada.

- Bom, se precisar de informações, conte comigo… Sou Cecília.

- Obrigada, Cecilia. - Mark tentou não deixar aquele sentimento estranho se demonstrar, mas sua carranca o denunciava.

 

Após segundos que mais pareceram minutos, quiçá horas, Jinyoung finalmente aproximou-se de Mark ainda com o outro garoto a tira-colo.

 

- Mark, mian- Quer dizer, me desculpa… Eu demorei, né? Bom, enquanto eu me confirmava minha inscrição eu conheci o Youngjae. Aliás, Youngjae, esse é o meu hyung. Hyung, esse é Youngjae, meu novo amigo.

 

Youngjae estendeu a mão sorridente afim de se cumprimentar, Mark e nem mesmo se importou com o olhar letal lançado sobre si.

 

- Olá, meu nome é Youngjae! Choi Youngjae!

 

Ele falava gritando e cada palavra expelida por si incomodava imensamente a paz de Mark.

 

- Ele é coreano também! Isso não é maravilhoso??

 

- Claro, maravilhoso. - Respondeu. - Olha, estou esperando no carro. - Falou ríspido - Não demore, pois não tenho o dia todo. Adeus e passar bem, Youngjae.

 

A mulher atrás do balcão riu ainda mais alto enquanto Youngjae se perguntava se havia feito algo de errado com Jinyoung consolando-o e Mark saindo pela porta de vidro que antes admirava.


Mark: Eu jamais vou estudar nessa escola, potinho. Jamais!!


Notas Finais


Foi isso... Espero q tenham gostado~~ <3
Demorei? Hahah
Bom, gente, alguns já devem saber mas vou avisar aqui~~
Eu e mais algumas amigas e escritoras maravilhosas estamos com um projeto chamado "starter"... Podem procurar a tag, ela é bem amorzinha além de super variada!!
caso queiram participar ou explicação sobre podem falar comigo aqui ou no twitter @wholejy <3
Obg por lerem o cap, o aviso e PRINCIPALMENTE POR ME APOIAREM :3
Te amo vcs
<3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...