História Amor, eu sou de marte - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Erza Scarlet, Gajeel Redfox, Gray Fullbuster, Jellal Fernandes, Juvia Lockser, Levy McGarden, Lucy Heartfilia, Natsu Dragneel
Exibições 53
Palavras 1.479
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Escolar, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 4 - Amor, eu sou da terra part. 2


           Natsu havia sido encarregado da missão de olhar as bolsas e as roupas, além de um isopor cheio de bebida alcoólica e refrigerante.

 Não que ele estivesse decepcionado com a tarefa, entretanto nem pretendia estar ali para ter essa tarefa. Só queria estar no conforto de sua casa e não na praia vigiando as roupas e a adorável e pegajosa Heartfilia.

O rosado havia sido encarregado de ser sua babá temporária enquanto o Cheetos se divertia de frescobol com as meninas e Gray frustantemente cavava um buraco na areia para esconder seu ego ferido, entretanto só conseguiu cavar até os joelhos quando finalmente achou um carangueijo simpático que o perseguiu por um tempo atrás de retaliação por sua casa destruída.

 Natsu encarou a loura com desprezo, nem mesmo a falta de sorte de Gray o havia animado um pouco, além de se recusar a entrar na água por medo do possível tubarão que Lisanna criou para que o Cheetos ficasse com as meninas para as "protegerem", Lucy enterrava o rosado no que ela chamava de cova da morte, o que felizmente a fez ficar sussegada. 

 Em prática, o esquema havia falhado e todo o sentido da praia havia sido jogado por água a baixo. Lucy estaria mais próxima do rosado e as meninas continuariam afastadas, exatamente o oposto do que ele queria. De certo modo, Natsu gostaria de levantar, arremessar a loira na cova da morte e aterrorizar as meninas com ajuda do carangueijo em busca de vingança.

 Balançou a cabeça afastando a bela idéiae abdicou por uma menos agressiva.

 - Se está olhando com tanto desejo, por que não pula na água?

Juntou as sobrancelhas desejando que a menina decidisse subitamente mudar de ideia, senão quem sabe o que Natsu poderia fazer se não a convencesse. 

Lucy remexeu o nariz incomodada

 -Não quero molhar o cabelo, minha pancha vai sair. 

 - Vc não trouxe uma xuxinha?

 Lucy revirou os olhos. 

 -Se eu tivesse não estaria aqui. 

 -Até mesmo com os tubarões? 

A boca rosada de Lucy tremeu involuntariamente.

 -S-Sim. 

 Natsu abriu um sorriso malicioso. 

 - Eu tenho uns elásticos aqui, eu te empresto.

- Não pego nada imprestado de ninguém! - ela resmungou zangada. -olha, francamente, eu estou bem aqui. Sei que quer me ver meu corpo molhado e seminu , mas eu não tô afim.

Natsu a olhou incrédulo, piscou algumas vezes antes de responder com franqueza.

- Não! Eu não tenho o mínimo interesse em você. - algo pareceu se modificar no rosto da loira. - quer dizer, não tô dizendo que seja porque você é feia ou sei lá. - ele concertou na tentativande preservar a autoestima da menina. - Só que eu não ligo se você está de maiô ou de biquíni...

- Até se eu estivesse peladona?- insistiu.

 Natsu engasgou com a água de coco pelo tom apelativo da garota.

Tá, isso é totalmente diferente.

Natsu encarou-a mais uma vez, tentando encontrar as palavras certas para o que ele queria dizer, entretanto só pode analisar seu rosto corado com alguma graça, seus lábios estavam numa reta ansiosa e trêmula e sua respiração estava acelerada. Seu peito descia e subia num ritmo rápido e constante, o rosado percebeu alguns pingos de suor descerem pelo vale de seus seios...

- Você está imaginando!! - Lucy abriu a boca chocada, cobrindo os seios com os braços, ainda que por cima de um blusa G da Penelope Charmosa.

Natsu tossiu envergonhado.

- Não foi bem assim.

- Você me quer! Oh não...

- Com certeza não é bem assim!! - Natsu viu-se jogado numa situação complicada. 

A menina era, de fato, atraente de seu modo sim, porém parava ai e o resto de seus adjetivos continuavam com palavras pentelha e pé no saco. 

- Bem,  t-tudo bem se você me quer...mas agora, devo me limitar quanto ao contato físico.

Lucu ae distancioy do caixão da morte.

 A mente de Natsu clareou.  Um pensamento malicioso passou por sua cabeça.

- Significa que você teria que ficar longe de mim.

Lucy se ajeitou na areia de modo que desse tempo a ela para pensar.

-Hamm...talvez, mas gosto de ser sua amiga. É divertido ver você tropeçar contudo.

Natsu fiou incrédulo com o comentário da garota. 

A garota era tão destrambelhada quanto alguém podia ser. Não era ele que tinha problemas, era ela! Unicamente a pentelha loira sentada na areia ao redor da cova da morte.

Lucy pareceu pensativa, talvez divagando enquanto cobria os pés de Natsu na areia.

- Deviam entrar na água, está quentinha. - disse Erza chegando perto dos dois aliviando o clima que havia se formado.

Lucy fingiu que Erza não havia se referido a ela.

- É o xixi. - Natsu tremeu e estralou o pescoço- Você foi infectada. Assim como todo o resto.

- Lucy, por que não pula na água? - Erza puxou assunto, como havia prometido anteriormente.

Lucy demorou um tempo antes de responder, talvez avaliando se ela ignoraria ou responderia, ela optou pela mais correta, apesar da resposta não ter sido uma das melhores.

- Meus pais disseram que eu podia me afogar se entrasse na água.

Ah! A cara de Erza foi de constrangimento, apesar de algum modo já esperar esta resposta. Ela mostrou um sorriso de desculpas.

Natsu franziu o cenho.

-  Entre na água, não acredito que você não vai entrar porque alguém disse que você não conseguiria sem se afogar. O mar nem está revolto.

-Olha quem fala, até agora você não entrou no mar e estamos aqui há mais de 1h!

Lucy pôs as mãos na cintura, a cabeça da Penelope se extendeu em duas vezes.

- Meus motivos são melhores que os seus.

- Cala a boca, Natsu.

Surpreso, Natsu ouviu a irmã dizer.

Encostou-se na cadeira emburrado.

- Tanto faz.

- Lucy, quer um queijinuo coalho? - perguntou Erza com uma estranha voz de criança, a ruiva acenou para um rapaz com uma churrasqueira pequenininha e uma caixa de isopor.

- Depois. - Lucy disse, arrancou a blusa da Penelope, desvendando um maiô cor de rosa. - Vou entrar na água.

Natsu riu.

- Cuidado com os tubarões! - o rosado gritou com escárnio. 

A menina se aventurou no mar, percebeu que ela havia exitado um pouco antes de molhar os pés, depois disso se desconectou da raiva que havia adquirido do rosado e se concentrou na água. Por um momento, Natsu acreditou que aquela havia sido a descoberta mais impressionante que ela havia tido.

Lucy se ajoelhou na areia e fechou os olhos.

Ela parecia tão grande. Estupidamente, grande. 

Algum tipo de líquido quente encheu o corpo do rosado, estranhamente feliz em vê-la na água, bem longe dele.

- Sabe que ela não fez por você. - disse Erza, o rosado a encarou confuso. - Quer dizer, ela iria entrar na água em um momento ou outro.

Natsu não entendeu exatamente o que sua irmã queria falar, entretanto sentiu uma certa maliciosidade na voz dela.

- Tanto faz.

Voltou a olhar para a loira, com os braços estirados. Quanta paz...Natsu soltou uma gargalhada furiosa.

A menina foi engolida por uma onda grande, que lambeu seu corpo e puxou o maiô para baixo, dando uma visão nenhum pouco erótica de uma parte de seus seios. Ela levantou tossindo a água e passando a mão nos olhos.

Isso que é ensinamento sobre a vida.

Gargalhou quanto pôde, até sua irmã desferir vários tapas por sua falta de gentileza.

A menina foi levada até uma parte mais funda, aonde ficava seu busto e ficou parada lá aproveitando a água. O rapaz se sentiu no dever de olha-la como o "causador" da sua atitude, entretanto um pouco chateado por não terem a incentivado a entrar na água antes, apesar de que, tecnicamente, Natsu havia a provocado e não a incentivado a entrar na água.

Natsu se levantou após o pessoal chegar na barraquinha para por as roupas. Chegou um pouco mais perto da margem do mar, tendo cuidado para não encostar na água. A garota estava parada e com cara de dor.

Será que ela estava...

Resmungou alguma coisa sobre banheiros químicos antes de encara-la novamente, que parecia aflita. Olhou para os amigos muito longe para qualquer contato. 

-Droga.

Retirou a camisa e a bermuda do melhor modo que podia, ainda que desajeitado e caiu na banheira de mijo.

Droga Heartfilia!

O rosado deu braçadas longas e fortes e logo chegou perto de Lucy.

- Pinaunas..- ela disse com a boca tremendo. - o chão está cheio delas.

-Oh deus.

Natsu olhou o chão. Os pequenos bichinhos de braços pontudos povoavam a grande pedra embaixo do casal.

- Eu acho que pisei em alguns.

Natsu se aproximou da loira com cuidado, puxou-a pelo braço.

- Segure-se em mim, eu vou leva-la de volta.

Natsu puxou a garota para seu peito e nadou de costas para o chão, segurando-a bem firme.

Lucy estava vermelha e assustada e começou a chorar ao chegar na superfície e ver as patinhas dos bichinhos presas em sua pele.

-Ei, pare de chorar. Ninguém quer ver você chorar.

-Eu não tô nem ai! - ela choramingou. - leve-me embora. Quero tirar essas coisas do meu pé. Nunca foi uma boa idéiavter entrado lá

Foi isso que ele fez.




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...