História Amor Incompreensível - Capítulo 6


Escrita por: ~

Visualizações 31
Palavras 679
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Hentai, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oie de novo, pudinzinhos! 😚

Isso mesmo! CAPÍTULO EXTRA! AEEEE!
Espero que gostem! 😏

Agora sim essa carinha descreve o capitulo.


BOA LEITURA! ❤

Capítulo 6 - Se aproveitar de mim?


Fanfic / Fanfiction Amor Incompreensível - Capítulo 6 - Se aproveitar de mim?

Quando dou por mim nós já estávamos nos beijando loucamente. MENTIRA! Deus me livre!

Ele começou se aproximando lentamente do meu rosto, já podia sentir a sua respiração.

Não vai acontecer o que eu estou pensando, ne?!

Fomos interrompidos pelo Christian descendo a escada. Gusta se afastou de mim e foi para outro canto da cozinha rapidamente me deixando com cara de cú.

- Gusta! É para nois ir gravar, o Luba já tá lá. - falou animado e em seguida me olhou confuso. - Está tudo bem, Chloe? - perguntou curioso.

- Nada não, apenas estava pensando. - falei saindo do transe.

- Tá bom então. Vem! - deu de ombros e chamou o Gustavo novamente. 

- Já vou indo. - Gusta fala e Christian sobe as escadas novamente. - Me desculpa. - falou ao passar por mim e logo subiu as escadas também.

Acho melhor arejar a cabeça.

Peguei meu casaco, meu celular, meus cigarros, minha carteira e saí porta a fora.

Fiquei andando pelas ruas sem destino, fumando e com o capuz cobrindo minha cabeça, fiquei parecendo uma completa marginal.

Passei por uma balada bem louca e decidi entrar na mesma, não tinha nada a perder mesmo.

Pedi umas cerveja e tal e fiquei bebendo todinho sentada em um canto da balada. Eu já estava bem maluca, fui para o meio da pista de dança e comecei a rebolar bastante. Não tinha a mínima ideia do que tava fazendo e senti o olhar de alguns garotos em mim.

Estava fudidamente fudida por completo, só faltava alguém ter enfiado um pénis no meu ânus mesmo. Beijei um monte de boca de muleque com pircieng, sem pircieng, com tatuagem, sem tatuagem, com cheiro a tabaco, sem cheiro a tabaco e etc.

O que eu não esperava era que fosse encontrar o Júlio Cocielo encostado em uma parede da balada, resolvi ir ter com ele. Me encostei na parede do seu lado esquerdo e nossos olhos se encontraram.

- A princesa aqui? Não esperava. - falou meio bêbado, mas eu estava mil vezes mais.

Fumei o resto do cigarro que carregava em minha mão e o joguei fora.

- Cê fuma, Chloe? - pergunta surpreso.

- Sim, porquê? Cê não? - pergunto confusa.

- Nada não e não, eu não fumo. - falou dando um gole na bebida que estava em sua mão direita.

- Tanto faz. Você nunca tomou droga também?

- Tomei uma vez porque fui enganado, mas de resto não. - falou soltando um suspiro em seguida.

- Você sabe que eu te amo, ne? - falei louca da vida e balançando de um lado para o outro, quase caindo.

- Quê? Você não sabe o que está falando, Chloe. - Júlio falou.

- É sério. Eu te amo muuuuuuitão. Muito mesmo. - falei rindo do nada.

- Eu não quero me aproveitar de você. - fala resistindo.

- Se aproveitar de mim? Eu não tô bêbada não, você não vai se aproveitar de mim. - falo tropeçando e me apoiando nos ombros de Cocielo logo depois.

- Tem cuidado. Você tá bêbada sim, dá para ver pela sua atitud... - eu o interrompo roçando os meus lábios nos seus. - Não faz isso, não quero que você seja mais uma garota iludida. - falou encarando os meus lábios rosados.

- Não ligo para isso. - falo e ataco os seus lábios em um movimento rápido e violento, quase fazendo ele cair para trás.

Júlio resistiu no início, mas logo se deixou levar pelo momento. Nossas línguas se tocavam a toda a hora, o que me fazia enlouquecer ainda mais. Ele me prensou na parede segurando os meus pulsos acima da cabeça com uma só mão e a outra passeava pelo meu corpo.

Sua mão quente entrou por dentro de minha regata me fazendo arrepiar com o seu toque e ao final do beijo eu mordi e puxei o seu lábio inferior de um jeito sexy.

- Você não quer fazer isso. - ele falou me pegando no colo e eu entrelacei as minhas pernas em volta de sua cintura junto com os meus braços em volta do seu pescoço.




- Tudo que eu mais quero é isso. - falo mordendo o meu lábio inferior o provocando.


Notas Finais


O que acontecerá depois dessa viadagem toda?

Erros ortográficos? Me desculpe, depois corrijo. 😋

⛔Não se esqueçam de comentar para eu saber se estão gostando da fanfic. Acompanhem até ao fim porque cada capitulo será melhor que o anterior.

BEIJOCAS NESSE CÓCCIX DE VOCÊS E FUI! 🤗


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...