História Amor Indomável - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Adolescente, Amor, Drama, Indomável, Romance
Exibições 4
Palavras 916
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 2 - 2


“Não olha por onde corre menina!”, diz esse maluco que nossa, é muito lindo, parece até um Deus Grego.

 Fico olhando até que recupero minha sanidade e falo com raiva. “Você tinha que estar passando justo agora né?!”

“A culpa não é minha de uma louca sair correndo e não olhar!”, bufa ele, mas pela cara parece estar se divertindo, babaca.

“Não me chama de louca!”, meu tom de voz aumenta.

“Você que é minha nova vizinha?”, pergunta curioso.

“Não, é o Papai Noel, não esta vendo?”, falo com ironia. “Agora me da licença, tenho mais o que fazer”, não é totalmente verdade já que não conheço nada daqui, mas qualquer coisa é melhor do que esse menino.             Começo a andar ignorando ele.

“Não sabe pedir desculpas não?”, grita ele para que eu possa ouvir com um sorriso e que sorriso!

Sai andando sem rumo até chegar a um parque, tinha crianças brincando, pessoas conversando, dando risada, se divertindo e mais a frente avisto uma pista de skate. O parque até parece legal, mas prefiro skate. Cheguei e sentei em um lugar qualquer, fiquei vendo uns garotos andando e alguns até caindo até que ouvi uma voz.

“Gosta?” Alguém desconhecido pergunta.

“De skate?... Claro!” Falo sem tirar os olhos da pista.

“Quer andar?” Pergunta o garoto. Olho para ele e, nossa! Outro Deus Grego, só tem menino lindo aqui!

“Até queria, mas deixei o meu skate em casa e se eu voltar para pegar é capaz de rolar uma guerra.” Falo e volto a olhar para a pista quando um menino leva um tombo.

“Se quiser te empresto o...”.

“Namorada nova?” Um menino interrompe antes que ele termine de falar, não dou importância, só fico olhando os skates.

“Que isso! Não fala assim, o que a garota vai pensar de mim?” Fala ao outro menino dando risada.

“Que você é um galinha pode ser uma das opções.” Quando falo isso me viro para olhar o outro garoto... ”AH! Não! Você de novo!” É o garoto chato que esbarrei.

“Não sou galinha engraçadinha. Vocês se conhecem?”

“Oi querida vizinha, como vai?” Garoto insuportável.

“Vocês são vizinhos?” O garoto pergunta claramente confuso.

“Infelizmente sim, esse garoto sem noção é o meu vizinho”, falo emburrada.

“Esse garoto tem nome e é Leonardo.” Como se eu quisesse saber o nome dele.

“Não me interessa o seu nome, qual o seu nome moço?” Digo me referindo ao menino que acabei de conhecer na pista.

“Ah! O meu nome não interessa a você, mas o do meu amigo sim?! Falei com você primeiro!” Diz meu vizinho fazendo um biquinho e cara de brabo, escapa uma risada minha.

“Meu nome é Luke, mas por que está falando assim com meu amigo?” Luke parece confuso.

“Nada não”, respondo e volto a me sentar.

“Eu ainda estou aqui”, fala o meu vizinho.

“Agora só falta você, qual o seu nome novata?” Pergunta o Luke.

“Posso andar no seu skate Luke?”

“Você sabe andar?” Esse Leo é bem intrometido.

“Sim, Luke, posso?” Faço minha melhor cara fofa para que ele deixe.

“Ah! Claro, mostre o que você sabe fazer.”

Ele me entrega o skate e para iniciar só dou algumas voltas na pista e depois faço algumas manobras, só vejo os dois me olhando boquiabertos, depois de andar por algum tempo, talvez tenha passado de uma hora devolvo o skate e agradeço.

“Muito obrigada por me emprestar e me desculpa a demora.”

“Que isso, foi um grande prazer ver você dando um show na pista.” Ele me diz com um sorriso simpático revelando uma covinha que até então não sabia que tinha.

“Você manda bem querida vizinha.”

“Você é chato né? Mas obrigada, agora preciso ir.”

Volto para casa bem devagar, sei que quando chegar vou levar uma bronca, vou vendo cada casa em que passo, algumas muito grandes e bonitas e imagino o quanto deve custar, no mínimo são pessoas importantes para ter esse dinheiro todo.

Chegando em casa vejo minha mãe sentada impaciente no sofá como imaginei que estaria.

“Oi”, falo enquanto ando em direção as escadas.

“Oi?! Você some o dia todo e só me diz “oi”?!” Ela fala alterando o seu tom de voz e me seguindo.

“Ai mamãe, só fui dar uma volta, estava aqui perto.” Subo as escadas.

“Custa avisar? Ligar? Dar sinal de vida?” Ela me bombardeia de perguntas.

“Não levei meu celular, só fui andar de skate aqui perto, não se preocupe.” Abro a porta do quarto e ela entra junto comigo.

“Que skate? Você levou o seu?” Ela está preocupada atoa, aliás, nem sei pra que tanto estresse, ela nunca se importa muito mesmo.

“Eu peguei um emprestado, mamãe, eu estou um pouco cansada, vou tomar um banho e dormir, por favor, posso?”

“Tá bom, mas da próxima vez avisa.”

“Sim senhora capitã”, dou risada e ela também. “Te amo”.

“Também filha, durma bem”, ela responde saindo do quarto e fechando a porta.

Pego minha roupa de dormir e vou para o banheiro, após um banho relaxante resolvo ir pegar alguma coisa para comer e assistir um filme. Ao sair do banho olho pela janela e vejo meu vizinho tirando a camiseta, fico olhando até que ele olha em minha direção, sem saber o que fazer me jogo na cama, longe do alcance de sua visão.

 

Pego um pedaço de pizza e um copo de refrigerante, coloco no primeiro filme que vejo, é um de romance, sabe? Aqueles que nunca vão acontecer na vida real? Esse mesmo.


Notas Finais


Olá Unicórnios!!! Tudo bem? Mais uma capitulo para vocês, espero que estejam gostando, comentem o que estão achando e se querem que eu mude alguma coisa e favoritem para ajudar.
Um beijo,
Um queijo e
Um abraço de panda :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...