História Amor inesperado - Capítulo 24


Escrita por: ~

Postado
Categorias Ashley Benson, Demi Lovato, Ian Harding, Keegan Allen, Lucy Hale, Pretty Little Liars, Shay Mitchell, Troian Bellisario, Tyler Blackburn
Personagens Ashley Benson, Demi Lovato, Lucy Hale, Shay Mitchell, Troian Bellisario
Tags Troian Bellisario; Keegan Allen; Adam Sandler; Romance; Spoby;
Exibições 109
Palavras 2.467
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


DÁ UM GRITO QUEM ESTÁ FELIZ PORQUE MEU NAMORADO COMPROU UM COMPUTADOR NOVO PARA MIM?

AEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE!

Meninas, em primeiro lugar quero me desculpar com vocês. Eu sumi e não consegui entrar tive vários contratempos, incluindo, a falta de dinheiro para comprar um computador já que meu netbook faleceu, mudança de casa, e todos os meus dias de folga pintando paredes e comprando móveis para meu quarto... Foram longos e cansativos meses até que com pena de mim meu namorado decidiu me dar o computador dele e comprar um notebook para ele. Então, me perdoem. De verdade!!! Eu li todos os recados de vocês e sinto MUITÍSSIMO fazê-las sofrer com a ausência da nossa tão amada FIC.

Aqui vai mais um capítulo, de agora em diante procurarei ser muito mais assídua nos capítulos e não abandoná-las jamais.

Beijos e tenham uma boa leitura.

Capítulo 24 - Isso é tão TÍPICO da Troian


Fanfic / Fanfiction Amor inesperado - Capítulo 24 - Isso é tão TÍPICO da Troian

 

“Por favoooooor, não fale NADA! Pelo amor de DEEEEEUS!”, berrou em pensamento encolhendo-se atrás de Ashley.

— Você ainda vai defendê-la? Não acredito nisso.
— É claro que SIM! — respondeu em defesa.
— Ela foi para a CAMA com o próprio irmão, cacete! Isso não significa nada para você?

“Nãaaaaaao! Nãooooooooo!”, Troian abaixou a cabeça. Isso não estava acontecendo.

— OH, MINHA NOSSA SENHORA DE GUADALUPE — exclamou Bruce dando um passo pasmo para trás.

— Mas o que? — disse Marlene perdida virando para a direção de Ashley. A loira estava vermelha dos pés a cabeça e Troian tinha perdido a voz, o chão e a vida naquele segundo. Olhou para Keegan e os olhos azuis dele estavam irredutíveis, frios, estraçalhando ela por completo. Deu vontade de chorar, vontade de nunca mais sair em público.
— ARRRRG! Seu IDIOTA ela não fez nada disso. Foi só um beijo, ele deu o primeiro beijo dela.

Keegan perdeu o chão na mesma hora. Suas pernas pareciam cambalear de tão fracas que ficaram de repente. Ashley virou para Troian e acolheu ela pelos ombros levando para dentro do estúdio. Uma multidão de pessoas se formavam ao redor deles, todos cochichando e falando entre si. Ashley passou no meio de todos gritando irritada.

— SEUS FOFOQUEIROS VOLTEM AO TRABALHO, CARAMBA!

Keegan observou as duas passarem no meio da multidão de diretores e o peso na consciência bateu com força. Ele tentou chamar as duas, mas nenhuma olhou para trás.

— Troian! Ashley!

Marlene meneou a cabeça negativamente e deu um tapa nas costas de Keegan.

— É meu querido, você meteu o pé na jaca MUITO FEIO. Vamos voltar para dentro, ainda temos muito o que gravar. Vou adiantar as próximas cenas enquanto os ânimos entre vocês se acalma.

Ele suspirou pesado passando a mão forte sobre a face.

— Tá bem… — Marlene o direcionou para dentro passando a mão em suas costas. Ao passar pelos demais diretores ela pausou um momento antes de continuar — Ninguém aqui viu, nem ouviu NADA estamos entendidos? — disse num tom severo. Não houve resposta, mas todos se dissiparam em segundos.

***

O dia seguinte foi bem pior do que eu imaginava que seria. Acordei com minha cabeça estourando de dor, o corpo jogado atravessado na cama com os pés flutuando para parte de fora do colchão. As batidas na porta parecia latejar dentro do meu cérebro. Forcei os olhos a abrir uma brechinha para a luminosidade entrar e então as batidas na porta pareceram mais reais. Por um momento acreditei que eram parte do meu sonho. Na noite passada cheguei arrasada em casa depois de três horas no pub mais movimentado de Los Angeles com Ashley e Shay. Eu não tinha a menor intenção de ir, mas depois de um dia tão pesado nas gravações tudo que eu não queria era pensar. Se eu fosse para casa era exatamente isso que faria. Pensaria em como Keegan estaria lá em casa esperando para me abraçar se toda aquela confusão não tivesse acontecido, e como ele me colocaria em seu colo e acariciaria meu cabelo. Aquele pensamento era doloroso, fazia meus olhos arderem como se tivesse caído sabão neles.

 

— Posso entrar, Bells? — Perguntou Chad colocando a cabeça na brecha da porta entreaberta.

 

Me estiquei para trás arrumando a postura, e por segurança, avaliei a roupa com a qual havia dormido. Agradeci á Deus quando vi que usava um shorts com blusão branco comprido, daqueles que cobrem metade das minhas coxas quando fico de pé e todo mundo pensa secretamente que estou sem nada por baixo. Chad abriu a porta por completo e entrou com uma bandeja nas mãos.

 

— Achei que ia querer comer algo no quarto mesmo.

 

Dei um sorriso leve, ele estava certo sobre isso, não estava afim de encarar minha família tão cedo. Brigar com meu irmãos já era ruim o suficiente, ficava pior com todo o escândalo de Michael e a raiva de Nicholas.

— O clima não deve estar o mais amistoso lá embaixo hoje, prefiro evitar. — Chad apoiou a bandeja a minha frente e sentou ao lado na beira da cama. Eu cutuquei alguma uvas enquanto falava e depois a coloquei na boca.

 

— Eu também preferia não ter descido, acredite em mim. — respirou fundo — Mas sabe, não podemos simplesmente nos esconder enquanto o circo pega fogo. Uma hora eles vão parar de me olhar e entenderão que não foi nada tão grave assim…

 

Enquanto engolia as uvas uma a uma segurei a vontade de rir. Quando ele falava dessa forma realmente me parecia idiotice todo aquele alvoroço por causa de um simples beijo. Afinal, éramos jovens e o convívio de um irmão de sangue para um “emprestado” era bem diferente. Nicholas ficou com Lisa, nossa prima, na última festa que dei aqui em casa. Era hipocrisia me crucificar por ter dado uns beijos no meu meio-irmão gato sim ou claro? Minha risada saiu mais alta. Chad de me olhou de canto de olho.

 

— Do que está rindo? Eu estou falando sério… — Ri mais escondendo o máximo que podia. Ele estava com cara de indignado, o que fazia se soubesse o rumo dos meus pensamentos? Concordaria provavelmente.

 

— Eu não disse nada! — Respondi entre risos colocando um pedaço de torrada com peito de peru na boca.

 

— Nem precisa né? Com essa cara eu apostaria que está pensando em besteira.

 

Sacudi minha cabeça negando.

— Nem pensar. Eu jamais farei esse tipo de coisa, sou inocente demais para tal.

 

Chad deu um sorriso de lado desafiador, eu meio que esqueci por completo dos problemas que estava passando com o simples gesto de carinho dele em trazer meu café da manhã. Olhei nos olhos azuis dele por meros segundos sentindo todo o carinho que tinha por ele. Era tão bom saber que podia contar com seu apoio mesmo que tudo desse errado. Chad sempre estaria disposto a me fazer sentir melhor e por alguma razão aquela também era uma qualidade de Keegan. Ele sempre esteve com ela independente do que acontecesse. Será que ainda estava bravo demais para atender a sua ligação se tentasse? Chad passou a mão sobre minha bochecha acordando dos meus devaneios. Fechei os olhos por um instante sentindo aquele carinho, era doce e terno. Concentrei-me em como aquele toque era reconfortante naquele instante e me permiti afastar da minha mente as responsabilidades que me aguardavam pela frente. Ele também não disse nada, apenas continuou com o carinho sem nada cobrar, sem expectativas, apenas relaxando. Meu celular tocou para interromper a paz do meu momento e Chad se levantou da cama levando a bandeja consigo.

— Alô? — Levantei e fui direto para o banheiro.

 

— O que pensa que está fazendo Troian? — Aquela voz me fez estremecer. Desde quando não tinha o número de Keegan no meu celular? Era ele. Gelei de tal forma que até derrubei a escova de dentes que estava em minhas mãos. Eu ainda não estava nem um pouco preparada para conversar com ele. Suas palavras duras ainda giravam na minha mente só de escutá-lo. — Eu acho que precisamos conversar, pessoalmente.

 

Ele parecia estar tão nervoso quanto eu estava. A voz vacilante, cheia de insegurança, de uma forma nada comum ao Keegan que eu conhecia. Tão diferente… Meu coração disparou sufocando-me com aquela agonia antes presente em meu peito. Já era a paz que tanto desfrutava há minutos atrás. Meu silêncio pareceu incomodá-lo já que sua garganta seca fez um barulho de pigarro fraco que eu já conhecia bem. Essa forma infantil de chamar a atenção. Um pequeno sorriso se formou do lado direito de meus lábios. Pena que ele não podia ver, tentei responder sem sucesso. A boca abria, mas as cordas vocais não queriam obedecer aos meus comandos.

 

— Troian… — Sibilou entristecido — Marlene me disse que você tirou o dia em casa para repousar.

 

TUM TUM, TUM TUM, TUM TUM. Não conseguia parar de notar as batidas altas em meus tímpanos. Ele tinha me xingado… Tinha duvidado de mim… Me humilhou como nem mesmo meu ex-namorado fez.

 

— Eu queria muito… — Eu apertei o telefone com força contra minha orelha, dava para escutá-lo melhor assim. Como se estivesse ao meu lado. — Que me perdoasse.

 

Era tudo tão louco e absurdo, como chegamos aquele ponto mesmo? Keegan e eu éramos inseparáveis até pouco tempo atrás. Ele era minha metade, meu escudo. Como passei a sentir que ele é um estranho assim tão depressa. Meu coração ainda parece estar saltando pela boca só de ouvir sua voz, mas estou tão magoada que as palavras não saem. Misturam-se na minha cabeça as palavras de Nicholas, Ashley e Marlene da noite passada no pub. Eles estavam tão revoltados, apesar de negar na hora, agora eu achava que lá no fundo também estava.

 

“Ele não tinha esse direito”, Ashley disse.


“Se te amasse estaria ao seu lado ou ao menos se preocuparia em perguntar sua versão da história. Ele decepcionou não só a mim, a todos que achavam conhecê-lo.”, apontou Marlene.

 

“Ele acha que isso é amar de verdade? Que piada! Esqueça esse imbecil Troian. Você merece alguém melhor.”, destacou Nicholas.

 

Tudo de uma só vez, repetindo e repetindo. Eu começava a ver o ambiente escurecido ao meu redor. Ficando tonta.

 

— Troian eu sei que você está chateada, mas eu estou arrependido e…

 

— Bells vamos dar uma volta? — Era a voz de Chad vindo do meu quarto. Keegan calou-se na mesma hora, ótimo, era tudo que eu precisava. Ele escutou.

 

— Não temos nada para falar.

 

Chad abriu a porta do banheiro e antes que ele dissesse algo mais encerrei a ligação. O celular ficou jogado sobre a bancada em uma poça de água que só notei quando já era tarde demais. Curto! Agora estava incomunicável.

 

— Droga! — Exclamei tentando sacudir a água.

 

Lágrimas começaram a escorrer pelo meu rosto, era óbvio que não era pelo celular. Eu sacudi mais forte. Isso estava tão óbvio em mim que preferi deixar que ele entendesse o que quisesse. Chad podia ser inteligente o suficiente para saber que minhas lágrimas tinham um nome, mas jamais me obrigaria a tocar nesse assunto a toa.


 

***



Keegan discou o número mais uma vez, ela não podia desistir dos dois daquele jeito. Não mesmo. A ideia de Troian, sua Troian, beijando Chad era tão real em sua cabeça que o deixava enjoado. Ele apertou o celular entre os dedos se forçando a ignorar a voz dele no fundo se aproveitando da proximidade que tinha, de morarem na mesma casa. Dividirem tudo. Cada pequeno espaço que era dele há pouco tempo.

Ocupado.

 

— Não, ela nunca faria isso comigo. Troian… — Ele digitou outra vez — Me atende…

 

Ocupado.

 

Tentou outra, e outra vez…

 

Ocupado.

 

Sempre ocupado.

 

Ele se jogou no sofá irritado, pegou o travesseiro de decoração de tacou no rack da sala de estar. Um quadro com foto dele criança segurando seu gato de estimação caiu no chão e o estalo dos vidros se quebrando o chamou para a realidade.

— DROGA. QUE PORCARIA DE VIDA!

 

Uma mão delicada tocou seu ombro em um carinho leve. Keegan sentou-se corrigindo a postura e afundou o rosto entre as mãos trêmulas e gélidas. Lindsay sentou no braço do sofá ao lado dele e apertou seu ombro com os dedos magrelos.

 

— Hey, força! Já está desistindo assim tão fácil? — Ela cruzou as pernas e virou na direção de Keegan. Ele levantou o rosto com os olhos avermelhados.

 

— Não é assim tão simples… — Fungou tentando acalmar a respiração.

 

Tyler colocou frutas no liquidificador com leite condensado e cinquenta e um. Preparou três drinks e levou até a sala.

 

— Uma bebida bem forte para curar um coração partido, bro.

 

Os dois trocaram um aperto de mãos confidente. Lindsay os olhava com o brilho da curiosidade no olhar. Por mais que ela perguntasse o que tinha acontecido com Keegan ele não queria falar e Tyler era tão mudo quanto o amigo. Ela estava curiosa, mais do que curiosa. Tinha a sensação de que uma grande bomba estava guardada entre o silêncio daqueles dois e ela ficaria sabendo de uma maneira ou de outra. Lindsay pegou sua bebida e entregou a de Keegan na mão dele.

 

— Se fosse você bebia até esquecer disso tudo, nessas horas é o melhor a se fazer. Amanhã você não tem gravação está liberado não é?

 

— Sim.

 

— Então… — Ela mordiscou o lábio e Tyler a abraçou por trás — cai dentro.

 

Keegan pegou o copo o encarou como se estivesse prestes a começar um duelo contra seu maior rival por longos segundos. Ele sabia o quanto falava quando bebia e, de fato, essa era uma boa opção para colocar suas dores para fora.

 

— O que a Troian me diria Tyler? — O tom de voz sóbrio de Keegan fez Tyler piscar algumas vezes pensando sobre o que responder. Keegan rodou o copo entre os dedos pensativo. — O que ela me diria sobre isso?

 

Ele soltou a namorada e se aproximou de Keegan ainda sem saber ao certo o que responder. Troian era uma mulher de mente aberta, livre e inteligente, mas nunca foi a favor da autodestruição. Keegan era assim… Quando algo ia mal ele se afundava nos problemas e esquecia de reagir. Troian gostava demais dele para permitir isso, mas não negaria o gosto do alívio para o amigo.

 

— Bem, acho que ela se ofereceria para beber por você ou te daria uma opção melhor.

 

Lindsay riu.

 

— Que piada! A santinha nunca bebeu? Ou gosta de bancar a intelectual de nariz em pé?


Tyler quis cortá-la, mas Keegan tomou a frente da conversa ignorando o comentário indiscreto da garota. Na hora pareceu o mais sensato a se fazer também.

 

— Ela me deu sete tabletes de chocolate suíço em troca das minhas bebidas. Eu estava mal por causa de uma briga com minha família e para não me ver piorar ela se ofereceu para tomar meu lugar. Eu tive um lapso de tanto comer chocolate.

 

Tyler sentou no sofá e começou a gargalhar.

 

— Ela… Teve… Três dias… De… Ressaca! — Riu tanto que precisou buscar  ar entre as palavras.

 

Keegan não aguentou e começou a rir também. Era verdade, ela estava tão na merda que passou três dias reclamando das enxaquecas e dores estomacais. Quando não estava gravando frequentemente a encontravam deita debaixo das mesas ou atrás dos móveis cochilando. Isso era tão Troian! Tão típico dela que o fazia rir ainda mais. Ela nunca seria assim com outro, nunca trocaria o que sentem por um problema banal e poderiam chamá-lo de idiota ou do que quisesse, mas ele não desistiria dela até que esgotasse as últimas forças.

Ele pôs a taça intacta sobre a mesa de centro e se levantou. 

— Podem ficar a vontade para beber até a hora que quiserem, mas eu vou deitar mais cedo. 

Lindsay o segurou pelo braço.

— Espera, por que não fica mais?

Ele a olhou de lado e puxou o braço de uma vez.

— Não tenho interesse, obrigada.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...