História Amor inesperado. - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Exibições 36
Palavras 1.968
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Escolar, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Sim, vou dar spoiler mesmo porque sou dessas. Camz e Laur.. irão se aproximar, não por muito tempo, pois uma pessoa misteriosa irá contar a Lauren sobre Camila e Lucy, apesar delas não terem nada oficial, Lauren vai surtar direitinho.
Genten! Divulguem a fic, porque assim estarão me ajudando.

Capítulo 8 - Mais concorrentes?! Fala sério.


Fanfic / Fanfiction Amor inesperado. - Capítulo 8 - Mais concorrentes?! Fala sério.

Lauren POV

Mas é claro que Camz não era muito apegada ao pai, todavia eu nunca soube o porquê, por mim era coisa de filha e pai, alguns desentendimentos e etc... Mas não, teoricamente, Camila tinha motivos. Mila sentia muita saudades do avô e com razão, pois o mesmo apoiara a menina sempre que podia. Se houvesse como voltar no tempo, não teria dito aquelas coisas idiotas para Camila. Alí em meus braços, a menina parecia estar segura de qualquer coisa, eu senti que podia protege-la de qualquer mal e aquela sensação estava sendo reconfortante. Sempre fui apegada por Camila, talvez algumas vezes até mais do que deveria, então sempre mantive distância quando as coisas passavam do limite, ver e "conhecer" Lucy me ajudou muito, agora que estou apaixonada por ela, não terei deslises com Camila. De qualquer forma não me permitiria estragar minha amizade com Mila... Por coisas banais como sentimentos passageiros.

Camila: Lolo... Uma vez meu avô disse que eu iria encontrar uma pessoa especial na minha vida.

Lauren: E ele estava certo disso. - Eu apenas sorri observando Camila achar uma posição confortável em meu seio.

Camila: É, ele nunca errou sobre nada do que me disse. - Camila tinha um sorriso sincero, um sorriso que continha amor.

Lauren: Vai ficar tudo bem, com o tempo seu pai vai ver que as coisas não são do jeito que ele quer. - A menina desmanchou o sorriso que tinha no rosto.

Camila: Não quero me lembrar dele e das coisas que ele já me disse. Laur... Depois que meu avô morreu, ele me culpou, como se fosse responsabilidade minha ter que cuidar nele. Todos os dias ele me culpa pelo que aconteceu, sendo que meu avô só precisava dele e ele não tinha olhos para seu próprio pai, mas sim para suas ambições. - A morena cerrou os olhos com força mantendo-os fechados.

Lauren: Me desculpe, eu não tinha intenção...

Camila: Tudo bem, não é culpa sua. - Camila interrompeu minhas desculpas. Não quero que Camila se prenda ao passado, quanto menos eu falar sobre o que aconteceu vai ser melhor. - Minha mãe demorou para me convencer de voltar, porque se não eu estaria na casa de Dinah até hoje. 

Lauren: Você saiu de casa? Quando isso?

Camila: Um pouco depois da nossa discussão. A diretora ligou para ele contando tudo, nós brigamos feios e ele ameaçou de me tirar da faculdade, então eu fui para a casa de Dinah.

Lauren: Caramba! Por que não me avisou?! - Camila realmente faz coisas imprudentes algumas vezes, só que dessa vez ela foi além.

Camila: Nós duas estávamos brigadas (?) - Ela revirou os olhos demonstrando o quanto era óbvio.

Lauren: E o que tinha demais em avisar sua amiga? Pelo amor, né... - Respirei fundo me condenado pelas minhas atitudes. - Camz... E que tal... Se eu experimentasse passar ciúme na Lucy? 

Camila POV

Lauren estava sendo um amor comigo, porém não desistia da ideia de que eu ajudaria ela com Lucy e isso já estava me enchendo o saco. Não quero saber de Lucy, só Christ (Cristo) sabia o que tinha acontecido entre mim e ela. - Camz... E que tal... Se eu experimentasse passar ciúme na Lucy? - Que ideia de jerico é essa! Viaja demais essa menina. Claro que ela vai conseguir passar ciúme na Lucy, mas não do jeito que ela espera passar. - Lolo... Vocês mal se falam, por que acha que ela vai ter ciúme? - Neguei com a cabeça para que Lauren entendesse a idiotice que ela queria fazer. - Ah... Sei lá... Vai que cola. - Laur... Também pareceu desaprovar a própria ideia. - Mas e se eu quisesse fazer isso, me ajudaria? - Ela perguntou empolgada. - Claro que não! - Respondi de imediato. - Por que? - Ela rebateu. - Como você acha que vai passar ciúme nela? - Perguntei franzindo o cenho. - Ué... Você e eu juntas e... - Fala sério, que louca! - Lolo... Não inventa! - Interrompi antes que ela terminasse de demonstrar sua ideia. - Nossa! Nem me esperou terminar, que maldade. - Essa garota tem parafusos a menos na cabeça. - Mas seria até fofo nós duas juntas, não é? - Lauren disse sorrindo. - Querida, vossa pessoa me rejeitou agorinha, então nem vem, se rejeitou uma vez sofra as consequências. - Falei jogando meu cabelo para o lado que nem a Joelma. - Mas eu falei sem pensar, Camz... Não faz isso comigo. - Eu semicerrei os olhos. - Tô nem aí. Tu fodeu meu pagode então vou foder o teu. - Lauren riu da minha expressão. - Nhooownnn Droga! Não fode meu pagode. - Ela choramingou me deixando de lado.

Ficamos alí conversando por um bom tempo, conversamos como nos velhos tempos. Fofocamos, xingamos uma a outra, inventamos boatos, opinamos sobre a vida alheia e pra finalizar acabamos com a raça da professora Stephani. - Eu sou linda, absoluta, eu sou Stephani. - Laur... abafou a risada com as mãos. - O novo apelido dela é Stephani do Crossfox. - Eu e ela rimos. - "Ô Stephani do crossfox, me explica essa matéria aqui." - Rimos sem ao menos ter graça a piada. - Que ridículo, isso nem tem graça. - Coloquei a mão tampando a boca dela. - Shiiuuuu... Não estraga a piada. - Lauren sorriu. - Claro, tudo bem. Vamos lá pra dentro ver o que está passando na TV? - A Mulher dos olhos claros se levantou indo para a casa. - Okay, né... - Chegando, Lauren ligou a tv onde passava um jogo de futebol, surpresa perguntei. - Gosta disso? - Ela me observou andar pela sala e logo respondeu. - Não muito, mas não tem nada melhor para assistir. - Fui até a cozinha e peguei alguns doces. - Lembra do dia em que você levou uma bolada no nariz? Você chorou igual a uma menininha. - Sorri lembrando vagamente da cena. - Nem me lembre disso, Camz. - Lauren fechou a cara e voltou sua atenção para o eletrônico. Laur... Nunca teve o hábito de praticar esportes e quando ela tentou não foi como o esperado. - Que tédio. - Arremessei o chocolate que estava em minha mão em direção a ela, a pequena barra bateu na testa da menina. A mulher de olhos verdes semicerrou os olhos desaprovando a atitude. - Babaca! - É chocolate, pode ao menos me agradecer? - Falei enquanto bufava. - Tá. Obrigada. - Estranhei a resposta. Lauren agradecendo depois de levar uma barra de chocolate na cara, que milagre. - Continua assim que eu posso até pensar em ajudar você com Lucy.

Lucy POV

Preciso arrumar um jeito de fazer Camila me notar e me querer, quem eu devo pedir ajuda? Não sei nada sobre Camila, não sei sobre os gostos e hobbies. Calma, nada de entrara em desespero, a o que parece não tem ninguém afim dela e isso vai facilitar muito, não vou precisar de pressa. Nem havia percebido que já se passaram mais de duas horas enquanto eu pensava em como conquistar a garota que tanto me tira a atenção, Cabello está virando meu mundo de cabeça para baixo, me deixando totalmente vulnerável. Tá legal, esse jogo vai ser bem perigoso, só que o perigo me atrai.

- Lucy? - Ouvi leves batidas na porta do meu quarto. - Sim? - Indaguei no intuito de saber quem era? - Minha filha, terei de trabalhar até tarde hoje, quer que eu deixe a chave do carro com você? - Era a voz do meu pai. Deixar o carro comigo (?) Claro que sim. - Se não for incomodo, eu iria adorar. - Fui rumo a porta para abri-la. - Tudo bem. - Ouvi os passos de meu pai diminuir a cada segundo, indicando a saída dele do local, abri a porta e ainda pude ver ele se retirando pela porta. É certo que preciso da ajuda de alguém, mas quem? Preciso de alguém que seja íntima dela. Hmmmm... Coloquei minha mão em meu queixo, pensativa encarei um canto vago da parede. Que tal Dinah? Não sei se é uma boa ideia, desde o dia em que eu e ela discutimos sobre a maldita atividade da Stephani, essa mulher é uma babaca, mocreia. Pensei por mais um tempo... e... Lauren, perfeito, ela vai poder me ajudar! Será que eu tenho o número dela por aqui? Não, ela quem pegou o meu número, eu não peguei o dela. Como conseguir o número de Laur... Na verdade, vou ser mais ousada, como conseguir o número de Camila? Já sei. Com o celular na mão comecei a digitar o número de Colson. Quem é? Nhá... Um idiota qualquer que foi doido por Camila, mas desistiu assim que soube que da fruta que ele come, ela come até o caroço. Pelo menos ele não foi traiçoeiro espalhando para todo mundo sobre a sexualidade de Camila. Após alguns segundos aguardando na chamada, ouvi uma voz.

Colson: Alô? 

Lucy: Colson! Como você tá?

Colson: Lucy? Estou bem, obrigado. - Ele estava com a voz fraca, de quem acabara de acordar.

Lucy: Legal e como vão as coisas, estudando muito?

Colson: Puff.. Olha minha cara de quem estuda, estou muito focado na minha carreira de rapper para isso. - Que patético, não acho que vá da certo as coisas para ele, mas que seja.

Lucy: Hm... Espero que as coisas deem certo para você. - Enrolei a conversa por alguns minutos para não deixar na cara o que eu queria. - Então, tem notícia dos seus amigos? 

Colson: Não tanto quanto eu deveria, estou realmente focado em minha carreira. - A maneira com que suas palavras foram ditas até me desanimaram.

Lucy: Poxa... E da Camila, tem notícias? 

Colson: A última vez que falei com ela faz mais de um mês, marquei de sair com ela, adoro falar com ela... apesar de não conseguir ela para mim do jeito que eu quero, pelo menos quero tê-la como amiga. Mas uma hora isso vai mudar, pode ter certeza.

Lucy: Isso mesmo, não desista. - Desiste sim, canalha, ela é minha. - Então, pode me passar o número dela?

Colson: O número dela é? Pra quê mesmo? - Que droga é essa?! Ele acha que é muita coisa para ficar monitorando a Camila, que ridículo. Droga! Por essa eu não esperava.

Lucy: Bem... É... Eu... É... Nós duas estamos fazendo um trabalho da faculdade juntas e eu acabei esquecendo de pegar o número dela.

Colson: Hm... Sendo assim... Anota aí. - Após mais alguns minutos de conversa, encerramos a ligação e parti para a cozinha à procura de comida, então fui para o meu quarto com o telefone o tempo todo próximo a mim.

*** 

Quase 19h, acho que já posso tentar ligar para a Camila. Com o pequeno aparelho eletrônico em minhas mãos, digitei o número e aguardei. "Esse número não existe." Mas o que? Tentei mais algumas vezes até confirmar. Digitei o número de Colson novamente aguardando ser atendida.

 Lucy: Colson, tem certeza que me passou o número certo? - Perguntei com rispidez na voz.

Colson: Oi para você também, Lucy. Não, não tenho certeza. Trabalho da faculdade? Que conversa pra boi dormir, arruma uma desculpa melhor, não vou passar o número de Camila pra você... Te liga, garota! - Com sangue no olho, me segurei para não xingar o perrapado.

Lucy: Claro... Eu agradeço mesmo assim, obrigada. - Encerrei a ligação arremessando o celular contra a parede. Que merda! Vou tirar esse imbecil da jogada. Não quero concorrentes, fala sério! Calma, mantenha a calma, repeti diversas vezes buscando conter a raiva que senti naquele exato momento. Sem problema, de agora em diante vou pegar um pouco pesado... Camila vai ser minha.


Notas Finais


Quero é camren! s2 Pessoal, ajudem a fic divulgando para amigos, isso me ajuda a manter a inspiração.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...