História Amor Inesquecível - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fátima Bernardes, William Bonner
Tags Amor, Recomeço, Vida
Visualizações 330
Palavras 1.151
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Insinuação de sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oh que voltei rapido. Eu se fosse vocês me amaria demais. hahahahaha brincadeiras a parte, depois de ontem fiquei imaginando vocês que se comunicam, pelo WhatsApp talvez, metendo a língua na escritora aqui! kkkkkkkkkkkkkkkkkk
Mas até que fui boazinha agora!
Bjo Bjo Bjo...

Capítulo 15 - Aniversário do William?!


Depois daquela decisão eles se afundaram ainda mais no trabalho. Se viram poucas vezes por causa dos filhos, e era difícil estarem tão próximos e não poderem se tocar. Eles se amavam demais, mas não estavam dando o braço a torcer.

Parecia que a mídia adivinhava o que acontecia com eles, pois voltou a chover notícias de que ele estava se envolvendo com a tal Natasha. Por mais que ela sentia que isso não era verdade, ela tinha medo que no final descobrisse que era sim verdade. Estava tão confusa com tudo. Pensava em abrir mão de alguns trabalhos para tentar salvar o seu casamento, mas desistia quando botava na cabeça que não era só culpa dela, e que se ela ia abrir mão de alguma coisa ele devia fazer o mesmo.

 

Estavam a alguns dias sem notícias um do outro, bom isso não era de fato verdade pois eles ficavam sabendo de tudo um sobre o outro, mas não se falavam. No começo do mês de Novembro ela recebeu uma ligação dele pedindo para ela ir vê-lo no apartamento, dizendo que os papeis tinham ficado prontos.

-Porque você não vem aqui William? Ela perguntou.

-Porque não quero que nossos filhos vejam a gente assinando isso. Você quer?

-Você tem razão, que dia você quer que eu vá?

-Pode ser quarta-feira que vem? Como eu saio mais cedo do Jornal, acho melhor.

-Tudo bem então, Até.

Quando a quarta-feira chegou ela percebeu algo, nem ele tinha pensado nisso até aquele dia chegar. Era seu aniversário. Ele acordou com mensagens dos filhos e dos pais. No grupo da Família ele agradeceu os parabéns e Fatima ficava reparando aquilo e sentia medo de ter que ir vê-lo naquele dia, pois não sabia como agir na frente dele. Os filhos queriam ir jantar com ele, mas ele mentiu dizendo que ia ter que trabalhar até mais tarde e que eles jantariam juntos na sexta porque não ia trabalhar.

Naquela noite ela e a filha ficaram até mais tarde ensaiando pra apresentação de fim de ano da escola de dança. E de lá ela foi pro apartamento dele. Estava sem maquiagem, usava uma calça jeans e uma blusa branca. Estava nervosa, por mais que se viram algumas vezes depois daquela noite, eles não tinham ficado sozinhos. Essa seria a primeira vez que se veriam sozinhos.

Ela tocou a campainha e ele abriu vestido com uma calça jeans e uma blusa também branca. Eles sorriram, claramente diante daquela coincidência.

-Oi, entra.

Ela entrou e cumprimentou ele, perguntou se estava tudo bem. Eles foram até o escritório, e ele deu a ela os papeis. Quando ela abriu ficou um pouco surpresa, pois ele não tinha assinado ainda. Ela sentou no sofá, e ele se aproximou sentando na mesa de centro de frente pra ela ficando bem perto dela.

-Pensei que você já tivesse assinado.

-Não tive coragem. –Então ela levantou o rosto e seus olhares se encontraram. Seus olhares diziam que eles não queriam fazer aquilo. Ele tinha uma caneta nas mãos, e mesmo com receio ele estendeu a mão pra ela. Ela pegou a caneta e não conseguia assinar, ela olhava pra ele e para o papel em suas mãos e também não tinha coragem de fazer aquilo.

-Eu também não posso fazer isso. –Ela então olhou pra ele de novo e uma lágrima escorreu no rosto dela, ele se aproximou enxugando a mesma com os dedos. –Acho melhor eu ir embora.

-Fah, vamos conversar.

-Conversar o que? Porque que a gente só não acaba com isso de uma vez? –Ela disse se levantando e ficando nervosa e alterando o tom de voz

-Porque a gente se ama. –ele também elevou a voz e ela chorou ainda mais. Ela gelou com aquelas palavras. –Nós não podemos fazer isso. Nós estamos sofrendo muito longe um do outro. Foi uma péssima ideia achar que seria mais fácil assim, porque não é, e nunca vai ser mais fácil ficarmos separados.

-Mas a gente já tinha acertado e aceitado isso. Nós dois sabemos que não vai voltar a ser como antes. Nós acabamos com o nosso casamento. O que que a gente faz então? Continua casado no papel, mas continua separado na vida?!

Nada daquilo fazia sentido, foi ai e que num impulso, ele disse algo que mexeu com as estruturas dela. Por puro reflexo ele disse aquilo, mas no fundo era um ato desesperado.

-Namora comigo?

Ela demorou a assimilar aquilo.

-O que? Que brincadeira é essa?

-Eu sei que é loucura, mas namora comigo? –ele se aproximou segurando o rosto dela –vamos começar de novo, já que nós dois sabemos que não vamos salvar nosso casamento. A gente faz tudo de novo. Eu te chamo pra um jantar, a gente se reconhece, namora, e depois casa de novo. 

-Que ideia maluca que é essa William? Você bebeu?

-Bebi! Bebi doses e mais doses de amor por você.

Ela sorriu diante daquela cantada barata. Podia realmente ser uma boa ideia, eles se amavam e estavam sofrendo longe um do outro.

-Tudo bem, mas só estou aceitando isso para você nunca mais usar essas cantadas baratas de novo.

Ele sorriu e foi tentar beijá-la, mas ela virou o rosto e seus lábios encontraram a bochecha dela.

-Se você tiver esquecido, eu fui uma namorada bem difícil. Nosso primeiro beijo demorou muito pra sair, e agora não vai ser diferente. E acho bom você me pedir em namoro direito depois.

-Mas a gente podia começar a partir de amanhã né? Estou com saudades e eu bem que mereço, hoje é meu aniversário, caso você queira me dar os parabéns.

Ela sorriu com aquele flashback, foi bem assim que ele começou a conquista-la no passado. Ele ligou pra ela no dia do seu próprio aniversário e essa história todo mundo já conhece.

Ela não resistiu, o beijou. Se entregaram de corpo e alma naquele beijo. Quando ele começou a tomar outras proporções ela se afastou.

-Eu preciso ir.

-Fica comigo essa noite. –ele pediu e ela estremeceu ao ouvir aquilo, ela estava a ponto de ceder, afinal como resistir com ele depositando aqueles beijos no pescoço dela a deixando louca? Mas por mais que quisesse ela não ia ceder assim fácil.

-Não William, você veio com essa ideia maluca agora aguente.

Ela pegou sua bolsa e tirou de lá de dentro um embrulho quadrado, e deu a ele, ele pegou e disse que não precisava, ela lhe deu um abraço e ele mergulhou com o rosto no ombro dela sentindo aquele cheiro dos cabelos dela.

-Obrigado. –ele disse e abriu a caixa revelando um lindo relógio.

Na parte posterior do mesmo tinha algo escrito que chamou a atenção dele.

 

“Por todo o Sempre.”

Ele sorriu e não pode deixar de dar um selinho nela.

-Eu amei, Fah.

-Que bom, agora me leva até na porta.

Então se despediram e ela foi embora


Notas Finais


Estamos chegando no Fim do ano na Fic.

Vocês sabem o que acontece agora né?
Preparem aí o coração! Digo apenas isso!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...