História Amor livre - Capítulo 48


Escrita por: ~

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Anna, August Wayne Booth (Pinóquio), Capitão Killian "Gancho" Jones, Cora (Mills), David Nolan (Príncipe Encantado), Emma Swan, Fa Mulan, Malévola, Mary Margaret Blanchard (Branca de Neve), Peter Pan, Regina Mills (Rainha Malvada), Robin Hood, Ruby (Chapeuzinho Vermelho), Sr. Gold (Rumplestiltskin), Tinker Bell, Vovó (Granny), Zelena (Bruxa Má do Oeste)
Tags Emma Swan, Once Upon A Atime, Rainha Má, Regina Mills, Swan Queen
Visualizações 253
Palavras 1.479
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Famí­lia, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oh meu Deus! Eu não morri! kkk Sorry my babys!
Eu sei que demorei muito! Mas a correria está grande! Tenho tantas coisas para fazer que a minha família foi viajar e eu fiquei para estudar! E obviamente eu aproveitei para escrever esse cap!
Enfim, espero que vocês gostem, e eu juro que aos poucos aos coisas vão se acertar... Talvez acabe algum relacionamento... comece outro... Quem sabe??

Capítulo 48 - Reações


Poucos segundos depois de Zelena cair nos braços da cunhada, ela desperta. O médico ajuda Emma a coloca-la no sofá. Obviamente seu susto foi muito grande. Seu desespero era evidente no seu rosto.

- Você disse o que eu ouvi mesmo? – Zelena perguntou, assim que percebeu que não tinha imaginado a fala do médico.

- Sim, a senhorita Lucas está mesmo gravida – ele confirma. Depois de alguns segundos de silencio ele decide sair do local – vou deixar vocês a sós. Com licença, senhoritas – ele rapidamente sai, sabia que seria um assunto muito debatido e com muita dificuldade.

- Ruby, você está bem? – Emma pergunta, vendo a amiga imóvel.

- Como eu estaria bem, Emma? – ela rebate – vocês poderiam me deixar sozinha com a Zelena? – Regina e Emma se olham. Elas não podiam negar o pedido da morena, mas ambas tinham medo de deixa-las ali sozinha.

- Tudo bem. Só não se esqueça que está em um hospital porque desmaiou! Não pode se estressar, ok? – Regina pergunta para Ruby, que apenas confirma com a cabeça – ok, Zelena? – ela se vira para a irmã. Que primeiro nega com a cabeça, como um reflexo, mas logo confirma com a cabeça – tudo bem, estaremos por perto, qualquer coisa é só chamar – elas saem lentamente do quarto e vão para a cafeteria, tentando relaxar os pensamentos.

- Acho que temos que conversar – Ruby quebrou o silencio que se instalou no quarto.

- Mesmo? Porque? Acho que não, não tem nada de errado – Zelena foi irônica, recebendo um olhar triste da namorada – olha, me desculpa. Estou no mínimo em pânico.

- Tudo bem, eu entendo. Não estou exatamente saltitando aqui – a menina respondeu – olha Zel, isso obviamente aconteceu antes da gente começar a namorar. E eu preciso que você me responda. Está dentro ou fora disso? Porque você não tem responsabilidade nenhuma, pode ir se quiser – a ruiva encarava a morena. Azuis nos castanhos, o contato não podia ser quebrado. Zelena chorava, ela já tinha sua resposta, não seria fácil, mas tinha que ser assim.

No andar inferior do hospital Regina e Emma estavam ansiosas.

- Eu ligo pra vovó? Ela pediu para eu informa-la, mas não acho que devo contar isso por telefone – Emma pergunta.

- Como não é caso de vida ou morta, acho melhor esperar a Ruby contar – Regina diz – bem, pelo menos tecnicamente não é caso de vida ou morte. Não devíamos ter deixado elas sozinhas no quarto!

- Zelena não vai matar a Ruby, ok? Não fique tão preocupada! – a loira tentava acalmar a namorada. Ela pega o celular e manda uma mensagem para Ruby. Segundos depois é respondida – vem, vamos! – ela levanta e sai puxando a namorada.

- O que? Onde vamos? – Regina se assusta quando vê que já estão na porta do hospital – vamos deixar as duas sozinhas lá?

- Eu mandei uma mensagem para a Ruby e ela me pediu para fazer uma coisa. E nós estamos indo fazer – Emma responde a namorada, já entrando no carro.

- Vai fazer mistério? – a morena pergunta, recebendo uma confirmação da namorada – Emma!

- Me faz um favor? – ela pede já arrancando com o carro – liga para o Gus e coloca no viva-voz – a morena a olha espantada, mas Emma confirma com a cabeça.

- Tudo bem então – Regina faz o que lhe foi pedido. Depois de dois toques, August atende o telefone.

- Pinóquio, é o seguinte. Quero você em 10 minutos lá na casa dos meus pais. Não me importa como nem o que está fazendo, te quero lá! – ela pega o celular das mãos da namorada e desliga.

- Nossa, coitado do menino! Vai mata-lo do coração, desse jeito – Regina diz, e Emma sorri para ela – você vai contar?

- Ruby pediu. Disse que não vai ter coragem de contar – a loira diz – você terá que me contar.

- Claro que ajudo – foi só o que a professora falou. Elas entrelaçaram suas mãos e foram o resto do caminho assim, em silencio.

Emma ainda tinha a chave da casa de seus pais, porém como foi correndo para o hospital, não tinham nem pensado em pega-la. Elas descem do carro e tocam a campainha. Logo David as recepcionou.

- Olá meninas! Nem avisaram!

- Desculpa, pai! Mas não tenho notícias muitos boas. E logo o Gus chega aqui – Emma diz, já entrando.

- O que houve? – Mary pergunta, tinha ouvido a fala anterior da filha. A loira conta tudo para seus pais. Que estavam chocados – eu ensinei a Ruby! Como ela foi me aprontar uma dessas?

- Olha, eu não sei como aconteceu. Ela sempre usava camisinha com o Gus e sei que ela só mantinha relações com ele... – Emma responde – deve ter estourado.

- Regina, não faça o mesmo com a minha filha – David pediu. Ele era assim, sempre tentava quebrar o clima ruim, e funcionou. Todos riram, mas pararam assim que o som da campainha se fez presente.

- Droga! É agora – Regina soltou, assim que seu sogro levantou e foi atender a porta.

- Emma! O que aconteceu? Porque fez eu vir correndo para cá? – August pergunta e logo atrás estava Killian – vim com ele, já que ele estava comigo.

- Não tem problema querido – Regina fala e faz sinal para Killian sentar ao seu lado, o que ele logo faz – primeiro, gostaria que respirasse, Emma foi meio dura com você no telefone. Ela está nervosa também.

- Desculpa, mas o clima está pesado demais pra acreditar que o assunto não é sério – Killian se pronunciou.

- O assunto é sério, porém ninguém vai morrer – Emma disse – pelo menos não hoje.

- Ok... pode me explicar logo o que aconteceu? – August pergunta se sentando no sofá em frente a Emma.

-Gus, eu estava arrumando minhas coisas hoje lá na escola quando recebi uma ligação – a loira começou a contar o resumo do dia para os amigos – era do hospital. Ruby colocou o meu número como de emergência. Ela estava andando na rua e acabou desmaiando. Alguém na rua viu e chamou uma ambulância.

- O que? – os meninos perguntaram juntos – o que aconteceu? Ela está bem? – August continuou.

- Ela está bem. Está no hospital, deixamos ela com Zelena – Regina responde, Emma percebeu o tom de reprovação da namorada.

- Assim que o médico falou o que ela tinha, saímos e logo depois viemos para cá – Emma continuou.

- Eu acho que estou perdido – Gus fala.

- Não é só você amigo, o que está havendo, Emma? – Killian pergunta. Sabe que a amiga não é de enrolar, era sim algo grave.

- Não tem um jeito fácil de falar e muito menos lidar com isso, Gus – a loira continua – mas espero que você seja o cara responsável e cabeça que eu conheço. Não faça besteira. Ruby vai precisar do seu apoio mas você pode fazer o que achar melhor. Só que antes de você saber, me prometa que não vai pensar só em você. Ruby não tem só você, ela tem a Zelena, eu acho – ela olhou para a namorada. Será que Zelena ficará ao lado de Ruby? As duas se faziam essa pergunta – Não quero colocar pressão, mas se você virar as costas para Ruby, eu viro para você!

- Emma, eu nunca viraria minhas costas para ninguém. Você me conhece! Me fale o que aconteceu com a Ruby! – August é firme em suas falas. Ele estava ficando realmente apreensivo com o rumo que a conversa estava levando.

- August, Ruby voltou dos exames e o médico falou que estava tudo certo com ela e que apenas tinha caído a pressão dela. Disse também que isso era normal para o atual estado dela... – Emma disse.

- Espera que estado? – Killian a cortou. Emma ficou muda depois dessa pergunta, parecia que agora estava realmente caindo a ficha. Sua melhor amiga, sua irmã, estava gravida!

- Ela está gravida – Regina disse, dando o apoio que prometerá a namorada.

- O QUE? – August perguntou.

- Apenas não desmaie, meus braços não aguentam mais um – Emma diz.

- Emma, eu terei um filho? – ele queria confirmação. Teve apenas uma afirmação de cabeça como resposta – eu não acredito. Porque ela não me disse? Porque pediu para você falar?

- Ela estava conversando com Zelena. Acredito que apesar de tudo, ela quer manter o relacionamento com a Zel – Emma o olhou nos olhos – ela está com medo Gus. Ela tem medo de perder a namorada e não ter o apoio do pai do bebê.

- Essa criança é meu filho – ele disse sério, estava pensativo – eu serei pai! Um grande sorriso se abriu em seu rosto, se misturando com as lágrimas que escorriam pelo mesmo. Ele abraçou a amiga, que suspirou aliviada, assim como todos os presentes – eu serei o melhor pai que essa criança poderia ter, eu prometo isso – ele falou baixo no ouvido da loira, antes de solta-la.


Notas Finais


Comentem!
Até o próximo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...