História Amor Marginal - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Anna, David Nolan (Príncipe Encantado), Elsa, Emma Swan, Mary Margaret Blanchard (Branca de Neve), Regina Mills (Rainha Malvada), Robin Hood
Tags Emma Swan, Regina Mills, Swanqueen
Visualizações 422
Palavras 1.880
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Lemon, Mistério, Orange, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Voltei Gente!!
Disse que iria esperar essa fic terminar em outro site para postá-la aqui masss, não resisti e estou voltando.
Espero que gostem!!

Capítulo 1 - Storybrooke - 2006


Storybrooke - 2006

 

Emma estava chegando na casa do seu primo no interior de Storybrooke. A loira estava fazendo uma pesquisa sobre a saúde no interior da cidade e a vida lá para um trabalho na faculdade e iria ficar duas semanas na casa do primo para essa pesquisa. Robin tinha uma fazenda e seria muito útil para pesquisa da loira. Claro que ela não gostava muito da ideia da vida no sertão, mas estava disposta a viver aquilo. E também tinha o detalhe da sua sexualidade, seu primo não sabia e era muito machista,era perigoso de que se soubesse a expulsasse de lá.

 

Bateu palmas na frente da casa simples de madeira, era grande porém bem simples. Estava cansada, a mochila pesava nas costas e seus ombros estavam queimando, a pequena mala que carregava na mão estava maltratando seus dedos e Emma só queria tomar um banho quente e deitar, nem que fosse por uma hora.

 

— Oh de casa! - gritou batendo palmas de novo e sorriu. Logo viu uma mulher mais baixa que ela, morena com om vestido branco florido, com os cabelos batendo na cintura e a pele queimada do sol. Linda, foi primeiro pensamento da loira.

 

— Eu posso lhe ajudar? - tinha o sotaque arrastado e fez Emma sorrir, ficava engraçado aquele jeito de falar com o tom de  voz meio rouco da morena.

— Eu ‘to procurando Robin, ele mora aqui? - perguntou com um sorriso receoso. Viu a morena examiná- la e a olhar desconfiada.

— Sim, ele mora aqui sim, eu sou mulher dele! - Casada! No fundo  aquilo chateou Emma.

— Bom, eu sou prima dele, Emma - chegou perto e estendeu a  mão. Regina apertou,mas ainda estava receosa.

— É, ele falou de você sim.. - ela mau terminou e um homem um pouco mais alto que Emma saiu pelo mesmo lugar que morena.

— Oxe, Regina, mas que demora mulher! - olhou pra frente  e viu Emma.

—Oh meu Jesus! Olha só quem ta ai! - foi até Emma e a abraçou apertado, dando tapas na suas costas. — Olhe, olhe Regina, essa é Emma, tá estudando pra ser doutora! - ele tinha o braço envolto ao ombro da prima e a apertava conforme falava. — Essa é Regina, minha mulher…

— É, ela estava se apresentando quando você chegou! - olhou pra morena.e.viu que ela mantinha a cabeça abaixada e isso só depois que o  marido chegou.

O sol estava castigando a pele branca da loira e a  região do nariz da loira já  se encontrava vermelha e ardida levemente ela olhou para o  primo que tinha os olhos azuis e cabelos loiro escuro e a pele tão castigada do sol quanto sua esposa ou até mais, a barba  por fazer.

— Venha, tu deve ta cansada, com fome… - foi puxando a loira pra dentro da casa.— Vá Regina, fazer gente comer! - ele falava de maneira ríspida e a morena ainda de cabeça baixa e sem dizer nada entrar.

Emma entrou e durante todo o tempo em que arrumava duas coisa no quarto e montava  sua rede, a porta do quarto aberta dava pra cozinha e ela podia ver a esposa de Robin cozinhar, a loira  só ouvia o homem falar até ouvir a voz de criança e Robin a chamar para almoçar

Ela saiu do quarto e viu uma menina com aparência de cinco anos morena, muito parecida com Regina sentada à mesa  enquanto a mais velha colocava comida pra ela. Foi convidada  pelo homem a  se sentar e assim o fez. Descobriu pelo pouco que conversou que a menina tem seis anos, e se chama Lily, ela falava muito, mas era constantemente cortada  pelo pai, já a mãe falava pouco, e apenas respondia  às perguntas que  a filha fazia ou  o marido, e depois da pequena interação na porta a morena não lhe dirigiu nem o olhar.

— Então Emma, como é que vai os  estudos? - perguntou depois que Lily foi dormir.

— Vão bem, essa pesquisa aqui vai ser muito boa para o meu trabalho… - viu que Regina prestava atenção no que ela falava.— Mas e você Regina, não tem vontade de estudar, fazer uma faculdade… eu sei que aqui os negócios de agropecuária dão muito certo! Um engenheiro agrônomo aqui deve ganhar dinheiro… ou engenheira - sorriu e viu que Regina abaixou a cabeça enquanto ela falava. Esperou uma  resposta e viu a morena olhar para o marido depois respondê-la.

— Já tive sim, meu pai era fazendeiro e mexia com algodão, eu aprendi muita coisa  com ele, ma  quando  ele morreu e tudo começou a se perder, eu deixei isso pra lá, mas vontade, vontade eu ainda tenho! - falou baixo e olhando o para o prato.

— É, mas já  tira essa ideia da cabeça porque mulher minha tem que ficar em casa cuidado das coisas e das crianças… É assim que mulher que casa tem que ser, entendeu?! - Robin disse com certa brutalidade, e Emma viu a morena  se encolher na cadeira e assentir. Viu que Robin era  o típico homem machista, que  queria impor respeito, e que Regina tinha medo dele. Bem, ele tinha  um jeito  muito bruto de falar, mas não devia ser só por isso.

— E você Emma, quando  é que vai casar e deixar essas besteira de  estudar? - ele perguntou enchendo a boca de comida.— Ficar em casa, cuidar  dos filhos… - disse de boca cheia.

— Eu não preciso parar pra casar e eu nao sei se quero ter filhos… - terminaram de  comer e a loira foi levantar pra ajudar a  tirar mesa

— Pode deixar, Regina faz isso… - a morena levantou e começou a retirar os pratos.— Oxe, deixe de bestagem, tem que ter filho sim, eu quero ter mais uma três, tudo menino, já que menina já tem a Lily, não é mulher! - deu um tapa na bunda da morena e riu, Emma o acompanhou em uma risada desconcertada.

Depois do almoço Emma foi para o quarto que divido com a pequena  e dormiu por quase três horas. Quando acordou já estava quase no fim da  tarde e ela queria sair pra conhecer a cidade, então se arrumou um pouco e foi atrás de Regina, pra talvez tentar fazer a morena acompanhá-la. Achava isso um pouco difícil, já que a mesma não tinha dado nem um pouco de atenção.  Ela, agindo  como se ela não estivesse ali e só respondia o lhe  era perguntado. Emma a encontrou na cozinha, estava fazendo  café, de costa pra porta  e a loira  reparou o quão bonito era o  corpo de Regina. O cabelo grande batia quase abaixo da cintura, essa por sinal era fina e bem marcada, uma quadril modelado e uma bunda, há uma bunda que fez a loira suspirar. O suspiro foi alto e fez  a morena vira para a porta e olhar para Emma. A mesma pode ver  que não era só o corpo de Regina que era bonito. Ela tinha o queixo bem marcado e a boca chamativa, com uma cicatriz no lábio superior, tinha um jeito diferente de olhar. Era linda! E Emma não deveria achar isso!

— Quer café? - Emma foi  tirada do  devaneio com  a pergunta da outra, ela tinha voltado a se virar para o fogão.

— Quero sim! - se sentou a mesa atrás da morena  e fazia um esforço sobre humano pra não olhar pra bunda da mulher a sua frente, mas ficava difícil e ela cedeu, em seguida a morena se  virou servindo o café e  quase pegando Emma no flagra. A loira pegou  a xícara com líquido quente  e tomou um gole.

— ‘Tá ótimo! - elogiou e viu um pequeno sorriso  em agradecimento. Regina não a olhava nos olhos e via  que mesma não.queria falar com ela, era como.se não a quisesse ali, só não entendia o porquê.— Regina… - esperou  a morena encara-la mas,  só  teve um pequeno olhar e ela logo o voltou para a xícara nas  mãos.— Eu gostaria muito de conhecer a cidade...mas, como não conheço ninguém e… e Robin parece muito ocupado, eu queria saber se  você não...não queria ir comigo… se você não estiver  ocupada é claro! - Emma estava receosa, era.como se a qualquer momento Regina fosse xingar ela.

— Eu não sei, hoje mesmo não dá...tenho que fazer o jantar e logo Robin vai chegar…

— Há sim,  claro…

— Quem  sabe amanhã, depois do almoço, é um bom horário! - ela finalmente olhou para Emma e sorriu, um sorriso contido, mas ainda sim um sorriso. O cômodo estava escuro, a única iluminação era do sol se pondo entrando pela janela  e iluminando o rosto das duas. Emma percebeu que o sol deixava os olhos de Regina mais bonitos e suspirou afetada

— Eu agradeço! - sorriu de volta.— Você disse que…- desvio  o olhar para as mãos. Se ficasse olhando demais, acabaria falando besteira.— Que tinha vontade de estudar, o que? - voltou a olhar  para a mulher a sua frente e a viu de cabeça.baixa. Ótimo, seria melhor conversar assim!

— Engenharia agronômica, qualquer coisa  que mexesse com terra, ou…

— Ou?

— Medicina veterinária! - viu ela sorrir, parecia lembrar de alguma coisa.— E a senhora quer ser  doutora de  quê? - lançou  um rápido olhar  para Emma. A  mesma sorriu, a morena tinha um jeito engraçado de falar,  o sotaque  arrastado lhe dava um ar ousado, totalmente diferente do seu jeito acanhado. Algo dizia a Emma que aquele não era o verdadeiro jeito  da mulher.

_ Hum… medicina veterinária é? - deu um gole no café _ Eu quero fazer clínico, ou pediatra, mas por que medicina veterinária?

_ Por causa do meu pai! Ele tinha muitos animais, e sempre gostou muito e me fez gostar também, principalmente de cavalos!

_ Quando eu era mais nova eu queria ser veterinária também, por causa do meu cachorro… o nome dele era black! - viu a morena engasgar com o café e começar a rir._ O que? Ele era preto, e todos os meus cachorros pretos se chamaram assim… - ficou olhando a morena a sua frente rir e não conseguiu conter o sorriso. Ela tinha uma risada tão gostosa!

_ ‘Cê me desculpe, mas é que é engraçado… - voltou a gargalhar.

_ ‘Tá eu entendi! - riu também e reparou na cicatriz da morena, ela quase não aparecia quando ela sorria._ Como conseguiu essa cicatriz? - a morena parou de rir e a olhou confusa._ Essa! - passou o polegar pela cicatriz do lábio da morena e a mesma a olhou. Emma parou a mão ali fazendo um leve carinho e olhou nos olhos da morena que ainda a encarava, ficaram se olhando por alguns segundos até a morena desviar o olhar e Emma tirar a mão desconcertada, o clima ficou constrangedor, ambas olharam pra baixo e Emma limpou a garganta e Regina se levantou.

_ É eu vou começar a fazer o jantar…- disse a morena chegando perto do fogão.

_ Eu… eu vou..o que eu vou fazer? eu vou tomar banho! isso! eu vou tomar banho! - se levantou rapidamente e foi em direção a porta, mas parou e voltou seu olhar pra Regina, que também estava lhe olhando, mas se virou rápido quando a loira encarou, Emma se virou e foi rápido tomar um banho.

 


Notas Finais


E então?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...