História Amor Marginal - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Anna, David Nolan (Príncipe Encantado), Elsa, Emma Swan, Mary Margaret Blanchard (Branca de Neve), Regina Mills (Rainha Malvada), Robin Hood
Visualizações 87
Palavras 1.846
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Lemon, Mistério, Orange, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oii gente! Voltando com mais um cap. Agradeço os comentários e bora para mais um!
Relevem qualquer erro por favor!

Capítulo 2 - Apenas um dia!


Depois de tomar banho Emma não queria sair do quarto, não podia também, aquele momento tinha sido constrangedor, demais por sinal. Estava sentada na cama já fazia uma hora  e toda vez que ouvia algum barulho vindo da cozinha ela sentia o rosto esquentar e o estômago retorcer. Ela só tinha perguntado da cicatriz, e era só pra perguntar, não sabia o que tinha dado na sua cabeça de ir e por a mão no rosto dela, bem agora que ela parecia estar gostando da conversa, a burra vai e faz isso. Pensava no que a morena deveria estar achado dela e  não conseguia pensar em nada que não a fizesse se afastar ao máximo.

_ Oi! - tomou um susto quando ouviu a pequena entrar.

_ Oi…- Emma estava com o dedo na boca roendo o resto de unha que ainda restava no seu dedo e balançava a perna direita sem parar.

_ Você vai ficar aqui muito tempo? - ela sentou ao lado da mais alta.

_ Você não quer que eu fique? - Emma parou de roer as unhas por um momento e a encarou.

_ Não, eu gosto de você aqui, como eu não tenho muita gente pra brincar, a gente podia brincar junto! - ela abriu os bracinhos toda empolgada.

_ E do que você gosta de brincar? - Emma decidiu que iria esquecer um pouco o que aconteceu na cozinha, apesar de pensar nisso fazer seu estômago revirar. Ela soltou um suspiro e se virou para a menina.

_ Gosto de brincar, de esconde, gosto de amarelinha e de correr! - ela dizia com os olhos brilhando.

_ Correr? - era estranho uma menina gostar de correr, quando Emma era criança só ela gostava. A menina assentiu.

_ Mas não gosto de brincar sozinha e a mamãe não brinca comigo, não o tempo todo…

_ E o seu pai? - Emma já imaginava a resposta.

— Ah  meu pai ‘tá sempre cansado, até depois que acorda já tá cansado! - ela abaixou a cabeça e Emma não consegui conter  o riso. Quando era pequena  também pensava assim, não entendia porquê que todo mundo estava sempre tão cansado. Hoje ela já vivia cansada e agora  entendia.

— Então, amanhã eu acho - se sua mãe não mudar de ideia, pensou — Que vou para a cidade com  sua mãe,  ai… você pode ir com a gente, se  sua mãe deixar é claro! - sorriu e viu a menina se abrir de alegria.

— Tá  bom! - balançava a  cabeça várias vezes. Até ser interrompida por um grito. Janta ta pronta!

Aquela voz fez o estômago de Emma revirar, elas levantaram e foram comer. A morena  continuava de cabeça baixa, viram Robin  entrar,lavar as mãos e sentar. Comeram em silêncio e Emma dessa vez lavou a louça. Olhou pra morena e  sussurrou: pode deixar que eu lavo!  Viu a mesma suspirar e concordar. Robin foi tomar  banho e ficaram em um  silêncio incômodo até Emma resolver quebrar.

— Regina, posso fazer uma pergunta para a senhora? - Regina limpava a mesa enquanto a loira lavava a louça.

— Pode! - foi quase um sussurro. — E senhora ‘tá no céu, pode me chamar  só de Regina. - ela falava baixo. Emma gostava do  jeito que ela  falava, o tom era  uma mistura de doce e cansado. A loira sentia a necessidade de conversar com Regina, queria ter contato, queria estar próxima. Deus! Tudo isso e  só tinha  um dia ali, ou nem  isso!

— Você não me quer aqui, digo se tiver algum problema eu aqui… eu vou pra uma pousada…

— Não… - levantou o tom e depois se recompôs. — Robin não iria gostar de que você fosse embora… ele quer você aqui!

— E  você… - Ela se.virou e se apoiou na pia.— Me quer aqui? - perguntou com toda a cautela existente.

—  E eu lá tenho que querer… se eu não quiser, você vai embora? - perguntou olhando pra loira.

_ Vou! - disse a encarando com firmeza, sentia uma vergonha lhe subir o rosto, mas manteve o olhar. Não sabia se era impressão dela, mas viu a morena ter um pequeno sobressalto com sua resposta.

_ Por que?

_ Por que não faz sentido eu ficar aqui se você não me quer aqui… - soltou um pequeno suspiro. E se Regina decidisse que não queria ela ali? Ela teria que ir embora, já que disse que iria, mas não queria ir, queria ficar ali! Você já sentiu uma certa necessidade de ficar perto ou de chamar a atenção de alguém, do nada, as vezes de uma pessoa que você nunca viu? Emma sentia isso quando estava com Regina.

_ Mas se Robin lhe quer aqui, por que você vai embora por causa de mim? - Viu que a morena estava realmente confusa.

_ Porque eu me importo com o que você acha! - Assim que a loira terminou de dizer sentiu o estômago contrair e o rosto esquentar. Abaixou a cabeça tentando disfarçar um pouco. Não acreditava que tinha dito aquilo, não assim. Agora a morena iria achar que Emma estava dando em cima dela, mas Emma não estava interessada em Regina, estava? Não podia estar! Pensar nisso fazia seu corpo tremer e Emma sabia que logo sua gastrite iria atacar desse jeito. Sentiu uma ansiedade lhe tomar e ela olhou pra Regina e viu a mesma olhar para o chão._ E então, você me quer ou não aqui? - perguntou com uma ponta de medo. A morena lhe encarou e logo disse:

_ Deixe de bestagem! E é melhor a gente ir deitar porque amanhã eu vou levar você para conhecer a cidade! - com um meio sorriso a morena foi indo em direção a saída._ Boa noite! - falou por cima do ombro e saiu.

Emma estava estática ainda, tinha um leve sorriso no rosto. Regina disse que ela podia ficar! E que iriam conhecer a cidade! Isso significava que a mulher não tinha ficado receosa pelo episódio que tinha acontecido ali mesmo na cozinha mais cedo e nem pensado mal das palavras de Emma a poucos minutos. Ela iria ficar! E parecia que a morena agora gostava disso.

Pois o punho na boca e mordeu contendo um grito de satisfação. Logo sentiu a ansiedade pelo dia seguinte lhe tomar. Iria conhecer a cidade! Iria conhecer a cidade com Regina. A loira sentiu a respiração falar. Mas o que tinha de mais em ir conhecer a cidade com Regina?  tinha nada demais, mas quando isso lhe vinha à mente lhe causa um bem estar, uma ansiedade igual dia de passeio da escola, e um leve sobressalto. Era estranho, mas era bom! Emma queria mais disso. A mesma sorriu olhando para onde a morena tinha passado e foi para o quarto dormir.

E tentou, tentou mesmo dormir porém só cochilava, e toda a vez que acordava pensava no que iria fazer no dia seguinte e lá estava de novo o corpo reagindo. E Mesmo depois de tentar muito dormir, desistiu e levantou as cinco da manhã e foi pra cozinha, pegou um copo de água e sentou na mesa. Tomou um susto quando viu Robin passar por ela.

_ Bom dia! - ela disse e presumiu que ele estava de mau humor pela cara.

_ Bom dia! - ele respondeu meio sem vontade, parecia com sono. Emma não sabia se Regina tinha dito a ele que elas iriam sair e achou que se não tivesse dito e elas saíssem sem avisar iria causar problemas. Então mesmo sem ver necessidade Emma resolveu avisar.

_ Robin… é eu pedir a Regina pra me levar pra conhecer a cidade, já que achei que  não você iria ter tempo… e nós combinamos de sair hoje, tem algum problema pra você? - perguntou o fitando por cima do copo. Esperava do fundo do coração que não tivesse, porque aí acabaria com sua pequena alegria.

_ Ah é bom mesmo você ir conhecer a cidade e eu não tenho muito serviço pra fazer, mas vá, vá sim com Regina, e cuide dela, não gosto de mulher minha andando sozinha por aí não! - ele se levantou._ Quando vocês vão?

_ Depois do almoço! E Lily vai junto… - olhou pra ele em busca de alguma  diferente, mas nada aconteceu.

_ Tá bom! - Ouviram um barulho de passos e logo Regina entrou na cozinha, fazendo Emma se endireitar na cadeira e abaixar o olhar. Viu a morena soltar um suspiro enquanto passava por ela e desejar-lhe um bom dia baixo.

_ Regina… - a morena lhe olhou e por um segundo Emma ficou sem graça em continuar _ é… eu estava falando para o Robin que nós vamos conhecer a cidade hoje…  ele gostou da ideia! - deu um breve sorriso e viu a morena abaixar a cabeça.

_ Que bom! - e lá estava o jeito estranho de agir de Regina.

Tomaram café e durante o mesmo só Lily e Emma conversavam. A menina estava muito animada pra ir a cidade sem ser pra ir a escola. Logo a menina saiu correndo pra pegar  o ônibus, enquanto Regina a olhava da porta, Emma  arrumava a mesa e Robin saiu pra trabalhar.

— Não precisa fazer isso, pode  deixar que eu faço! - Emma deu um pulo quando ouviu a voz da morena e o coração acelerou bruscamente, mas era só por causa do  susto com certeza.

— Não, eu quero ajudar, pode deixar! - sorriu e  a morena assentiu. Ficaram em silêncio por um bom tempo, Regina lavou a louça, em silêncio e Emma não entendia o porque  disso, ela  só respondia o que  Emma perguntava e quase não fazia algum comentário. Depois que arrumaram a casa ainda em  silêncio, Emma tomou um banho e se sentou na  varanda da casa. Estava calor, muito  calor e Emma  não era nem um pouco acostumada com  isso, e não gostava nem um  pouco dele  também. Ela se sentou na cadeira, apoiou a cabeça e fechou os olhos. As coisas surgiam na  sua cabeça sem que ela ao menos pudesse controlar. Por que Regina agia de um jeito perto do marido e de outro longe dele? E por quê tão distante? Mal  sabia ela que isso  só intrigava mais Emma, só a fazia querer chegar mais perto,  conhecer mais. A loira soltou um suspiro,  ela não podia chegar tão perto assim. Sentia atração  pela morena  e era perigoso dizer algo que não devia, ou demonstrar algo  a mais. Mas era  tão difícil pra Emma ficar longe,  queria conversar, e chamar atenção da  morena para si! Deus! E  elas só se conheciam há  um dia! Emma pretendia ficar ali um mês ou um pouco mais , quanto durasse  as sua  férias, e se fosse todo dia aquela coisa no interior dela quando visse a morena, principalmente quando via a  morena sorrir, iria adquirir  uma gastrite crônica. Olhou para dentro de casa e viu Regina a olhando, mas ela virou assim que a loira olhou. Emma soltou um suspiro alto. Sentia como se tivesse perdendo o controle de algo.

 


Notas Finais


Até o próximo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...