História A.m.o.r (Namjin) - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Got7
Personagens Jackson, Jimin, Jin, Jungkook, Mark, Rap Monster
Tags Jikook, Markson, Namjin
Exibições 182
Palavras 2.262
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Lemon, Poesias, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


GENTEEEEEEEEEEEE como eu disse, essa fic faz parte da minha vida e eu não fiaria sem postar nela por que meio que ela e uma treta da minha vida andam juntas kkkkkk mas tá ai... mas um cap.

Capítulo 12 - Gim


Fanfic / Fanfiction A.m.o.r (Namjin) - Capítulo 12 - Gim

Capitulo – Onze

Pov Namjoon

 

A vida é a coisa mais engraçada do mundo, eu jurava que minha cabeça não podia ficar mais confusa. As perguntas que antes eram únicas em minha mente se tornaram maiores, minha cabeça era literalmente um ponto de interrogação. Seok estava acordado, ele quis sentir meus lábios, assim como eu queria os seus, eu não possuo um de seus beijos como eu pensava, ele possui um dos meus... Ele que me beijou, como isso pode fazer sentido? Ele sabia que eu jogaria minha vida fora, e por ele saber que eu o amava, sabia que me culparia por sua morte, por não ter conseguido cumprir com minhas próprias palavras de fazê-lo desistir. “A princesa cor de rosa que tanto te ama” Princesa cor de rosa... Eu o chamava assim sempre que ele me obrigava a assistir os filmes das princesas da Disney, Nunca pensei que uma lembrança pudesse doer tanto, será que doeu nele enquanto escrevia a carta?

- Carta Namjoon on - 

“Eu estou aqui mais uma vez, sentado nessa ponte ridícula que tirou sua vida Jin, estou na mesma barra de segurança em que você estava sentando quando nos encontramos pela ultima vez, nossa... ainda dói, sua morte deixou um vazio gigante em meu peito, você não sabe a falta que eu sinto sua. Meus pensamentos estão voando, assim como algumas flores estão aqui, eu queria muito que pudesse ver, ou apenas queria poder saber o nome dela, sabe? Aquelas flores que você sempre vê em todos os lugares, mas nunca ficou sabendo o nome? São exatamente essas.

Será que quando você estava preste a suicidar viu seis pétalas de flores brancas voando? Se eu e você vimos à mesma coisa, da mesma forma, eu posso considerar isso como momentos juntos? Eu espero que sim, pois eu considero...  Sabe princesa rosa, eu estou com muitas duvidas... Tenta pensar comigo. Eu chego à porta da sua casa, toco a campainha e sorrio ao ser recebido com o doce sorrir de sua mãe, “Filho... Entre, Jin está no quintal com o pai, eles já vão entrar” Eu a abraço e vou atrás de você onde a mais velha disse está “PAI! PARA! EU JÁ DISSE QUE NÃO QUERO COLOCAR UM SAPO NA CABEÇA SÓ PRA VER SE ELE MORRE AO PULAR, ISSO É DESNESSESÁRIO” eu começo a rir e me escoro no batente “Para de ser careta Seokjin, e isso não é desnecessário, é um termo cientifico” “é bobagem” “EU VOU COLOAR ESSE SAPO NA TUA CABEÇA! VEM AQUI!” sério mesmo que vocês estavam correndo pelo quintal? Eu sempre amei ir à sua casa Jin, eu amava entrar lá e ver coisas que deixariam as famílias tradicionais coreanas de queixo caído... “posso saber qual é a graça?” Pegou pro meu lado, “Você” respondo. “Namjoon... esse corte de cabelo é novo?” seu pai pergunta quando desiste de correr atrás de você “sim” respondo inocente, eu devia ter corrido no momento em que vocês se olharam maliciosos... Pior erro... “VOCÊ SEGURA E EU COLOCO” eu não sei do que tenho mais raiva, se é o fato de eu não ter conseguido comer mais um pedaço da torta que a sua mãe fez no jantar, ou de eu saber que um sapo não morre se pular da sua cabeça, e depois de toda essa confusão, quando eu e você estivéssemos deitados na cama do seu quarto, olhando para o teto e conversando sobre como era possível o Darth Vader ser o pai Luke, eu finalmente te perguntaria tudo o que quero, e dessa vez não pensaria antes de te roubar o beijo que eu e você queríamos.

Por que Jin? Se você sabia que era meu mundo, se você sabia que eu seria sua ancora, se eu também era o seu mundo, se você me beijou, se você sabia que eu te amava, se você também contou os dias que estávamos longe, se você pensava em mim sempre que estava a cometer uma loucura, se eu era parte de sua família completa e feliz, se sabia que eu te ajudaria, se você pensou em mim quando ficou sabendo da morte de seus pais, Porque se foi?... Se você também me amava... Por que me deixou? Eu podia te ajudar... Por que eu te amo! Sempre amei, e sempre amarei, mas acho que todos estão certos quando dizem que devo seguir em frente... Quantas cartas eu já escrevi e deixei aqui nessa barra de proteção? Cinco? Cem? Acho que teria sido uma boa ideia contar... Nossa Seokjin, mesmo depois de morto você consegue me trazer para essa maldita ponte! Mesmo depois de morto você consegue me fazer te odiar por sua teimosia! Mesmo depois de morto você me irrita, Mesmo depois de morto você consegue isso! E mesmo depois de morto... Eu não consigo passar nem um segundo te odiando ou irritado com você.Eu vou tentar começar a pensar em mim, não virei mais aqui, e vou parar de ser a pessoa que você odiaria que eu fosse... A pessoa que eu odeio ser. Tudo isso por você.”

- Carta Namjoon Off - 

 

Fecho a carta, coloco dentro de um envelope, a beijo e a deixo no batente da ponte, eu não sei o que acontece com as cartas, se caiem no lago conforme o vento bate e são levadas pela correnteza ou alguma outra coisa, Mas sempre as deixo aqui, é uma forma que tenho de me sentir ligado ao Jin, Algo que devo deixar de lado. Vou até meu carro e mais uma vez, mil mensagens do Mark, sorrio ao ver que ele realmente se preocupa comigo e vou em direção à minha casa. Assim que chego e entro no local, vejo meu pai e Mark sentados no sofá conversando e rindo... Essa cena era frequente com Jin, eu me acostumei em chegar a casa e o ver rindo e tocando conversas animadas com o meu pai. Isso doeu em mim de uma forma intensa, mas me fez abrir os olhos para uma coisa, ou melhor... Alguém... Mark.

-quanto tempo eu fiquei fora? – digo chamando a atenção de ambos.

-Hyung! – Mark diz com um sorriso infantil nos lábios, tão fofo. – seu pai é muito legal, ele devia ser humorista! – ele diz rindo.

- Ou você deveria melhorar os seus gostos. – Digo.

-Hey! Eu sou um ótimo humorista!

-Sim! O que você tem de humor, falta de cabelo.

-Mas... Eu não sou careca... – ele diz sem entender.

-Exatamente – digo e dou um sorriso sem mostrar os dentes.

-YA! – Ele repreende.

-nossa Namjoon – Mark começa a rir e meu pai o acompanha. – Você demorou. Estou lhe esperando há bastante tempo.

-Desculpe, eu realmente estava ocupado.

-Tudo bem... Eu vou ter que ir agora, mas... Mais tarde eu venho aqui, tudo bem?

-Sim, mas aonde vai?

-Meu primo chegou de paris há uns dias, e eu estou o ajudando com algo muito importante, ele é muito importante no ramo em que trabalha.

-mesmo? E o que ele é?

-Advogado, ele... Não fez faculdade, mas conseguiu se tornar um grande advogado lá.

-Que legal... Adoraria o conhecer.

-Ah... Ele é muito tímido, somos muito próximos mas ele nunca quis conhecer algum amigo meu.

-Uma pena... Aonde vão se encontrar?

-No Lins... Aquele bar.

-Sei onde fica eu te levo, e espero você terminar de falar com ele.

-Não precisa Nam...

-eu insisto você vai dormir aqui mesmo.

-Tudo bem então... Vamos.

-Tchau tio.

-Tchau Seok... – ele mesmo se interrompe e sinto meu corpo queimar e meus olhos marejarem. – Desculpem! Eu... Me confundi.

-Tudo bem – ele diz sorrindo lindo – eu já fui confundido com ele uma vez, não é Nam? – ele me olha ainda sorrindo.

-nem me lembre e mais uma vez, desculpa.

-já disse que está tudo bem... Afinal, era uma pessoa que vocês amavam e era importante para vocês.  É uma honra ser parecido com eles, quer dizer que também transmito a mesma energia positiva.

-sim... Transmite – digo olhando em seus olhos e sorrindo.

Despedimo-nos de meu pai e fomos rumo ao bar. O mesmo que eu sempre passo as noites e saio acompanhado. Assim que chegamos, Mark diz que irá até uma parte onde tem sala Vip, já como esse é um bar luxuoso, e eu fico o esperando no balcão onde ficam os bar mans, logo avisto meu amigo Jackson, o responsável por eu não beber mais do que devo sempre, ele vem até mim com um copo de gim, Minha bebida favorita, Souto uma risada anasalada e pego o copo, não ficaria bêbado, apenas tomaria aquele copo.

-então... Quem será a vitima?

-Não farei mais isso jack.

- o luto passou?

-nunca passará de verdade.

-Então o que foi?

-Percebi que posso ter perdido meu melhor amigo, mas ainda tenho alguém que se preocupa comigo como ele fazia...

-Está apaixonado?

-Não... Não tenho certeza se consigo me apaixonar de novo, é muito doloroso.

-Tenho certeza que vai Joonie, e quanto a essa pessoa? É um amigo?

-Tá mais pra irmão, ele me conhece, não como o Jin, mas eles são muito parecidos, sinto que está Jin tentando me ajudar através dele.

-Não se apaixone por ele só por que ele e o Jin são iguais. Isso não é certo.

-não estou apaixonado por ele! E ninguém é como o Jin.

-Que bom que pensa assim.

Passamos mais um tempo conversando até que vejo mark descer pela a escada e abraçar alguém que não consegui ver o rosto, apenas uma camisa social rosa. Eles se separam e o garoto que estava com ele se distancia. Mark vem até mim com um sorriso e me abraça.

-Vamos?

-sim... Ele é seu primo?- aponto para o garoto que ainda estava lá conversando com um homem alto de terno, eu forçava meus olhos para tentar ver seu rosto, mas não conseguia de forma nem uma, ele era tão familiar.

-Sim... – Mark diz um pouco nervoso.

-Ele me parece muito familiar.

-Deve ser só impressão.

-Tem razão... Vamos. Jack, quanto te devo? – pergunto referente à bebida.

-Nada – ele diz com os braços apoiados no balcão.

-Como nada.

-Pagaram para você...

- o que? – de novo?

-Sim...

-quem?

- O mesmo cara que pagou algumas noites atrás.

-ele ainda está aqui? – ele assente com a cabeça – Aonde?

-Ali, de camisa rosa. – ele aponta para onde o primo do Mark está, então o homem que me paga bebidas é o primo do Mark...

-está ai de onde você o conhece, já tinha o visto o antes? – mark pergunta aliviado.

-sim, eu vi a silhueta dele na noite em que pagou minha bebida pela a primeira vez.

-Então foi isso.

Pude ver certas tocas de olhes tímidos entre Jackson e Mark, perguntei se ele não queria ficar ali para conversar, e o mais novo disse que sim, fui para casa e deixei os dois a sós, depois de tomar banho me deitei para dormir, e só conseguia pensar em uma coisa... Como esquecer Kim Seokjin?

 

 

                                                                                   [...]

Pov Jungkook

 

Eu estava deitado na cama do Jimin enquanto o mais velho estava no banho, olhava para a carta que Jin me escreveu, eu não contei para o Nam hyung por que sabia que ele ficaria mais confuso com essa historia toda, mas Seok também escreveu cartas para mim e Jimin, fora apenas uma, mas foi o suficiente para explicar o que passou por sua cabeça para querer fazer o que fez.

-Ainda lendo essa carta? – não respondi, ainda estava com raiva dele – Jungkook para de ser criança...

-Criança é você Park Jimin! Ou melhor! Galinha! É isso que você é!

-Eu já disse que o Yoongi é só um amigo!

-amigo que estava olhando pra sua bunda Jimin!

-jungkook, Os olhos são dele, ele faz a porra que ele quiser com os eles!

-Quer saber Jimin? Eu cansei. – “O que” ele diz logo em seguida, com medo – Vai lá com esse Yoongi e fica com ele! Ele parece ser muito fã da sua raba, mostra pra ele como ela é sem essa calça apertada. – digo me levantando da cama e pegando minha jaqueta do chão.

- você está terminando comigo? – ele pergunta incrédulo

- -Suspiro- O que você acha?

-Que você enlouqueceu se pensa que vou deixar isso acontecer.

-A é?

-é! Não vou te perder por ciúmes desnecessários.

-Desnecessários? Jimin – rio – você estava comendo ele com os olhos, estavam flertando.

- Eu estava fazendo isso por que sabia que você estava olhando, queria te deixar enciumado e não acabar com o nosso relacionamento! – ele diz com raiva.

-Parece que você conseguiu o que não queria... Tchau Jimin! – passo por ele e vou até a porta do quarto, desço a escada e quando chego à porta da sala, sinto alguém me girar e prensar contra o objeto de madeira, solto um pequeno gemido de dor ao sentir o impacto e logo sou calado com um beijo selvagem, Jimin morde meus lábio, chupa minha língua, explora toda minha boca e a cada momento cola mais nossos corpos. Assim que o ar se faz necessário, quando estamos completamente ofegantes, o mais velho separa nossos lábios e me carrega, fazendo com que minhas pernas rodeiem sua cintura.

-eu não vou te perder Jungkook.

-Você é um idiota Park Jimin!

- o pior, é que eu sei disso. – assim que ele termina sua frase, sobe a escada enquanto me beija mais uma vez. Em questão de segundo e eu já estava deitado em sua cama com seu corpo por cima do meu, enquanto trocávamos um beijo que com certeza não ficaria somente por isso.  


Notas Finais


E AI? O QUE ACHARAM DA CAPA NOVA? ME DIGAM PFVR PQ DEU UM TRABALHO DA PORRA PRA FAZER!
QUEM MAIS ACHO QUE O NAM ESTAVA APAIXONADO PELO MARK? KKKKK TROLEI LEGAL HASHASHASHAHSAS


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...