História Amor ou paixão? Eu não endendo. - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Lemon, Romance, Yaoi
Visualizações 181
Palavras 1.089
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Olá aqui está mais um capítulo dessa história. Boa leitura.

Capítulo 3 - Primeira vez


Fanfic / Fanfiction Amor ou paixão? Eu não endendo. - Capítulo 3 - Primeira vez

- Oi, o que você quer? - Digo me virando. 

- É que eu quero te acompanhar até a sua casa.

- Não precisa. - Saio andando.

- Mas você está bêbado. - Justifica ele me acompanhando. - Você gosta de homens mesmo? 

Simplesmente não respondo. Não estou entendendo o que ele quer comigo. Por que ele continua me seguindo? Estou com muitas dúvidas em minha cabeça. 

- Você tem namorado? - Ele pergunta. 

Olho para ele.

- Você tem algum problema? Olha aqui, eu não estou bêbado, não tenho namorado e não quero a sua companhia. - Digo muito sério voltando a ir para casa.

Gabriel segura a minha mão me parando, olho para ele com muita raiva pelo o que ele está fazendo, ele deve estar querendo me usar como ferramenta de prazer como todos os outros homens. Quando penso isso me lembro do Ruki, que já admitiu sinceramente o que ele quer.

- Desculpa é que eu não tenho amigos, não tenho ninguém que conheço por perto para conversar, e quando vocês falaram comigo antes sobre aquelas coisas além de pedidos, eu realmente fiquei muito feliz. - Disse Gabriel, parecia que estava triste. - Você pode me dar um abraço? - Perguntou se aproximando. 

- Eu… Eu… - Fico sem palavras dando um abraço nele. 

- Desculpa, desculpa, desculpa. 

- Pare de pedir desculpa! - Digo interrompendo ele.

- Eu só quero um amigo. - diz começando a chorar. 

- Pare de chorar. 

Sem ter o que fazer fico abraçado com ele por um longo tempo.

- Eu devo estar incomodando. - Diz desfazendo o abraço. - Eu vou embora, qualquer dia a gente se ver. Vá na lanchonete me ver.

Faço sim com a cabeça ainda sem endender o que estava acontecendo enquanto ele se virava para ir embora. 

- Você quer ir lá em casa? - Pergunto.

Por que eu perguntei isso? Devo estar bêbado mesmo.

- Sério? Eu adoraria. - Disse ele com um sorriso muito lindo. - Mais qual é o seu nome? 

- Yuzuru. - Respondo.


Ficamos em silêncio a caminhada toda.


Chego em meu apartamento, abro a parta para entrarmos. 

- É aqui que eu moro, quando você quiser conversar com alguém pode vir aqui.

- Sim eu vou vir. Onde fica o seu quarto? - Aqui.

Guio ele até o meu quarto. 

- Vamos fazer sexo? - Perguntou ele me agarrando pela cintura.

- Não é assim. - me afasto dele.

- Será sem compromisso. 

- Como assim? - Pergunto sem endender o que ele está dizendo.

- É simples. - Diz se sentando na cama. - Faremos sexo só para satisfazer um ao outro. Vai aceitar? 

Fico pensando por um tempo que aquela será a minha única chance de ficar com alguém, mesmo que seja sem compromisso. 

- Eu… Aceito. - Digo envergonhado por ter aceitado aquilo.

- Antes me diga uma coisa. Você é virgem? - Diz se levantando.

- Sim. - Olho para baixo totalmente envergonhado. 

Ele segura a minha mão dando um beijo nela.

- Não se preocupe em serei carinhoso. - Chagando em meu ouvido ele sussurra. - E te farei sentir muito prazer.

Sinto arrepios ao ouvir isso. 

Gabriel começa a me beijar lentamente enquanto tirava as nossas roupas e me deitava na cama.

Estávamos pelados, ele me beijava cada vez mais rápido me deixando sem fôlego. 

- Espera. Você só vai me beijar? - Pergunto sem pensar.

- Claro que não. - Respondeu pegando em meu membro provocando a glande com a ponta dos dedos. 

- Ah… Faça mais ahaa… Rápido isso… - Digo gemendo. 

Gabriel faz o que eu disse, enquanto a sua língua provocava os meus mamilos, causando arrepios pelo meu corpo todo. Eu já estava perto do meu fim mas Gabriel para de repente. Fico tentando endender o que ele estava querendo fazer…

- Não temos lubrificante. - Diz ele se abaixando. 

- O que? 

Gabriel abre as minhas pernas com as duas mãos, me levantando. Segurando em minhas nadegas abre um pouco elas colocando a língua em minha entrada.

- Ga… Gabriel…. Pare com isso ahaa… Isso é muito estranho. - Digo envergonhado. 

Gabriel continuou mesmo assim. Ele fazia movimentos circulares, me penetrava com a ponta da língua me deixando doido. Colocando dois dedos em mim Gabriel me encarou, vendo que eu estava com uma expressão de dor.

- Este seu rosto está me deixando excitado. 

- Não brinque em uma situação dessas, essa sensação é muito estranha. - Digo dando alguns gemidos que mais parecia que eu estava choramingando. 

- Desculpa não vou conseguir esperar. - Disse retirando os dedos de mim me penetrando lentamente. 

Com uma de suas mãos Gabriel tampava a minha boca para mim não gritar de tanta dor.

Tiro a mão dele enquanto ainda não se movia.

- Você pretende ficar parado por quanto tempo?

- Até que você se acostume. - Respondeu ele.

- Já estou.

Gabriel começa a se mover lentamente para que eu me acostume. 

- Gabriel! Vá mais rápido! - Reclamo com ele.

- Mais é que eu não quero te machucar. 

- Não vai. - Dou um sorriso para ele.

Gabriel então se movimenta rápido a cada momento, me fazendo sentir prazer cada vez mais. Eu gemia mais alto a cada movimento. Chegando mais perto do…

- Gabriel eu vou aha… gozar haaaa…

Acabo tendo um orgasmo com Gabriel que cai em cima de mim recuperando o fôlego. 


Quando acordo de manhã me lembro do que fiz na noite passada, vejo Gabriel sair do banheiro. 

- Bom dia Yuzuru, está tudo bem com você? - Diz sentando ao meu lado com um olhar preocupado. 

- Eu estou só com um pouco de dor. - Digo virando a cabeça. 

Ao virar a cabeça pecebo que o lençol está com sangue. O que será isso?

- O que é isso? - Aponto para a parte manchada de sangue do lençol.

- Eu acho que como você estava bêbado ontem, você nem ligou se estava machucando… Só pediu para mim ir mais rápido. 

- O que você está dizendo? - Perguntei sem endender. 

- Estou dizendo que acabou saindo sangue...

Dou algumas risadas. Ele deve estar de brincadeira comigo. Vejo que Gabriel está muito sério. 

- Pare Gabriel de brincadeira. - Digo rindo. - Nem é tão grande assim. 

- Claro que é. - Diz Gabriel sério. 

Paro de rir no mesmo instante em que Gabriel diz isso. 

- Seu bobo você está apenas brincando. 

- Quer ver? 

- Sim.

Gabriel se levanta da cama ficando em minha frente. Abaixa as calças e a cueca…

- Está vendo é muito grande. 

Fico impressionado. Como é que eu aquentei tudo aquilo? Nem eu mesmo sei.

Saio da cama ficando ajoelhado na frente dele…




Notas Finais


Essa é a primeira vez que faço uma cena assim, espero q tenham gostado.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...