História Amor Platônico - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amor, Drama, Escolar, Lemon, Romance, Yaoi
Visualizações 55
Palavras 4.444
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Lemon, Romance e Novela, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 5 - Clarividência


Fanfic / Fanfiction Amor Platônico - Capítulo 5 - Clarividência

    A porta se abre e eu olho dentro daqueles olhos penetrantes, de repente sou inundado por uma sensação de calma e tranquilidade. É a primeira vez que me sinto assim perto dele...

- Thomas?

- Oi? - Digo tomando um susto ao ouvir sua voz

- Parecia que estava congelado no tempo.

- Eu só tava pensando em umas coisas, nada demais.

- Entra. - Ele abre mais a porta

- Obrigado. - Entro na sala do meu futuro marido, digo de meu novo amigo

- O que você tem aí? - Ele olha para a sacola

- Besteiras, pra gente comer enquanto lamenta a vida. - Jogo o saco pra ele

- Quer me engordar?

- Precisa bem mais do que isso pra te deixar gordo.

- Ah é?

- Claro, você é super sarado. - Como fui chegar a esse assunto?

- E como sabe? Por acaso ficar observando o meu abdômen?

- Claro que não. - Claro que sim!

- Eu acho que fica.

- Não seja tão convencido. - Ainda bem que sabe

Ele vai subindo a escada e me chama com a mão, chegando em seu quarto, ele espera eu entrar e então fecha a porta. Leon se senta na cama e abre um pacote de nachos apimentados, ele bate com a mão do lado dele e eu tiro os sapatos e me sento ao seu lado, ele me estende o saco de nachos e eu pego alguns.

- Não vou engordar sozinho.

- Já disse que você não vai engordar.

- Espero mesmo que não. - Se engordar eu ainda vou te querer do mesmo jeito...

- O que estava ouvindo? - Aponto para o celular com os fones plugados

- Linkin Park.

- Está tão mal assim?

- Um pouco.

- E tem um motivo específico?

- Não, eu só estou meio cansado hoje.

- Entendo...

- Quer assistir alguma coisa?

- Pode ser.

Continuamos comendo até acabar com o pacote e ele abre um saco de batatas fritas, Leon continua passando os canais até encontrar um filme de terror em que um casal se muda pra uma casa nova com os dois filhos e um espírito quer levar as crianças. Ele se encosta no travesseiro e toca meu ombro para que eu faça o mesmo, me arrepio com seu toque, mas faço o que ele sugeriu. Eu nem prestava atenção ao filme, estava nas nuvens por estar assim tão perto dele, centímetros nos separavam um do outro e eu podia sentir o calor do corpo dele, como eu queria me deitar em seus braços fortes... Me arrepio novamente, mas permaneço imóvel, o braço dele encostou no meu, aquele braço lindo e gostoso tá tocando em mim! Preciso me acalmar antes que eu tenha um ataque cardíaco. Olho para o filme no exato momento em que o filho mais novo é possuído e acabo me assustando com o olhar dele, dando um pulinho.

- Se assustou? - Leon pergunta risonho

- É que eu tinha desviado o olhar e quando olhei o garoto tava olhando pra mim daquele jeito

- Medrosinho.

- Eu não tenho medo, só fui pego desprevenido.

- Desculpinha.

- Tá bom machão.

- Essa é a parte que você mais goata em mim.

- Qual parte?

- A minha virilidade.

- Aff deixa de ser convencido. - Pior que é verdade, se bem que eu gosto de todas as suas partes...

- Você sabe que é verdade.

Continuamos deitados assistindo ao filme até que em algum momento eu pego no sono. Acordo com a luz da televisão no meu rosto, ao me dar conta de onde estou, eu travo imediatamente, a mão de Leon está na minha cintura e minha cabeça está repousando sobre o peito dele, sinto a respiração dele e isso me deixa mais calmo, aproveito esse momento que provavelmente será único e fico deitado em seus braços, imóvel e de olhos fechados, esperando ele acordar. Parece até um sonho, eu aqui deitado nos braços do homem que eu mais amo em toda a minha vida, como eu queria que isso nunca acabasse... Sinto ele se mexer e meu coração acelera, permaneço parado e de olhos fechados, a mão dele ainda está na minha cintura, ele desce um pouco a mão e meus batimentos aumentam ainda mais, acho que vou infartar, um tempo depois ele tira a mão, mas a coloca em meus cabelos e faz carinho neles, isso não pode estar acontecendo, só posso estar sonhando, se isso for um sonho, eu não quero acordar nunca mais. Ele toca meu rosto e acaricia ele, não aguento mais isso e abro os olhos, ele para o carinho e me olha, percebo que ele está sem graça e sem ação, ele não sabe o que fazer, acho que não esperava que eu fosse acordar agora, o que eu faço? Pode ser a minha única chance, depois de ontem e agora hoje, talvez ele se afaste ou quem sabe ele apenas finja que nada aconteceu, por outro lado, se eu fizer alguma coisa, pode ter a chance de termos algo ou talvez ele acabe se distanciando... Vou em frente e faço o que tenho vontade de fazer faz tempos, em um impulso eu beijo ele e sinto meu corpo pegar fogo com o contato dos meus lábios com os do dele, ele volta a colocar a mão em minha cintura e acaricia ela, coloco a mão no ombro dele e aperto de leve enquanto nosso beijo se intensifica e a língua dele invade a minha boca, sinto cada canto da minha boca ser invadido por ele e aquela mão descer até a minha bunda, apertando-a bem forte, Leon chupa a minha língua e morde o meu lábio inferior, nossas línguas brigam entre si e eu posso sentir uma ereção se formando em suas calças. Como eu queria que esse momento duraçe pra sempre, a boca dele desce pelo meu pescoço chupando ele com força enquanto sua mão continua apalpando a minha bunda, ainda posso sentir o gosto dele em minha boca e anseio por mais, quero ele todinho só pra mim, eu preciso tanto disso, necessito de que ele me tenha. Permanecemos assim por um bom tempo, nos beijando ardentemente, com a mão dele apertando e acariciando a minha bunda e vez ou outra, ele chupa o meu pescoço dando leves mordidas, nossas ereções roçando uma na outra por cima de nossas calças, até que o celular dele toca e nós nos separamos, ele olha para o celular e desliga. Ficamos nos encarando sem fôlego e sem saber o que dizer após o que acabou de acontecer.

- Eu não sou gay... - Ele diz desviando o olhar

- Eu nunca disse que era.

- O que aconteceu aqui...

- Ninguém precisa saber sobre isso.

- Ótimo.

- Leon eu...

- É melhor você ir Thomas.

- Tudo bem. - Me levanto

- Sabe onde é a saída né?

- Sim. Te vejo amanhã?

- A gente se vê segunda na escola.

- Tá bem... - Vou em direção a porta e saio do quarto

Depois de deixar a casa de Leon, eu caminho devagar pelas ruas, pensando no que havia acontecido, a gente se beijou... E não foi só uma bitoquinha, foi uma pegação mesmo e foi tão bom... Eu amo tanto ele, isso vai acabar me matando. Assim que chego em casa, eu corro pro meu quarto, tranco a porta e me jogo na cama, tiro os sapatos com os pés e cruzo os braços atrás da cabeça, já eram quase oito horas da noite, eu ia passar o resto da noite pensando no Leon e no ocorrido? Eu podia assistir alguma coisa ou ficar no telefone com alguém e tentar esquecer isso por enquanto. A quem eu estou querendo enganar? Nada que eu tentasse ia me fazer não pensar nele... Aqueles lábios... Depois de tanto tempo, finalmente eu pude sentir o gosto daquela boca, eu achei que nunca teria a sensação de beijar ele, pensei que o máximo que eu fosse conseguir seriam os meus sonhos românticos e pervertidos com ele. Depois de hoje, eu nunca mais vou conseguir esquecer ele, e se ele gosta de mim? E se ele está confuso com a sexualidade dele? Pode ser isso, pelo menos eu acho que se ele fosse apenas um hétero que tinha curiosidade em ficar com outro garoto, ele procuraria alguém que ele não precisasse ver todos os dias da semana. Ele disse que a gente ia se ver segunda na escola, mas eu não ia aguentar até lá, eu precisava falar com ele amanhã, na verdade eu precisava agora, mas eu não queria chatear ele, Leon parecia tão confuso e tudo o que eu menos queria agora era ficar pressionando ele, eu precisava dar um pouco de espaço pra ele, mas amanhã eu ia ter que falar com ele de qualquer jeito, depois de uma boa noite de sono ele ia estar melhor e quem sabe ele estivesse disposto a falar sobre o ocorrido, só que o mais provável era que ele ignorasse completamente o que tinha acontecido. Melhor eu esquecer isso por enquanto... Sinto o celular vibrando e vejo a foto de Sarah aparecendo na tela, eu nem sabia se eu queria falar com alguém agora, muito menos com uma amiga dele, resolvo atender logo e saber o que ela quer comigo.

- Thomzinho o que você tá fazendo agora?

- Nada, porque?

- Pensei que talvez gostaria de ir a algum lugar comigo.

- Er... Agora? Ir aonde?

- É que eu to um pouco entediada e pensei que talvez seria legal se a gente saísse pra se conhecer melhor.

- Tudo bem, eu to sem nada pra fazer mesmo e quero tentar esquecer algumas coisas por hora.

- Que tipo de coisas?

- Nada! É pra gente se encontrar aonde?

- Hum aí tem coisa!

- Não é nada!

- Tudo bem... Me encontra em frente a casa do Josh.

- O que a gente vai fazer na casa do Josh?

- Nada, mas a gente vai em um lugar lá perto.

- Tudo bem então, te encontro lá em vinte minutos.

- Te vejo lá bebê.

Assim que estou chegando perto da casa de Josh, eu vejo Sarah parada em um ponto de ônibus do outro lado da rua, atravesso e ela me vê, ela acena e assim que eu me aproximo, ela me abraça e eu retribuo.

- Vamos!

- Aonde estamos indo?

- É segredo!

- Tudo bem então, espero que não seja um clube de strip ou algo assim.

- Como adivinhou?

- Eu não sei fazer pole dance, tu sabe por acaso?

- Sou especialista nisso.

- Vai tentar me seduzir também é?

- Pensei que já tivesse te seduzido.

- Você me seduz todos os dias desde que nos conhecemos.

- Mas nos conhecemos há apenas dois dias, sou tão sedutora assim?

- Mas é claro que é. - De repente ela para, pega o celular e escreve alguma coisa

- É aqui? - Olho para um pequeno barzinho próximo

- Ah não, mas não é muito longe, só vamos esperar alguém.

- Quem?

Ela não tem nem tempo de falar quando Leon sai de dentro do bar, a cara que ele faz quando me vê é um misto de surpresa com nervosismo.

- Você bebeu muito?

- Eu só tomei duas cervejas...

- Ótimo, se estivesse bêbado ia estragar toda a diversão.

- Leon você tá bem? - Tomo coragem de perguntar

- Eu tô sim... É só uma dor de cabeça chata.

- Vamos logo vocês dois, estamos quase lá. - Sarah sai andando na frente

Que lugar é esse onde a gente está indo? Eu to morrendo de curiosidade aqui, mas ela não vai dizer aonde estamos indo até que a gente chegue lá, então é inútil perguntar, o que mais me intriga é o fato de ela ter chamado eu e o Leon, ela poderia ter simplesmente chamado um de nós, ou eu pra me conhecer melhor como ela mesma disse ou ele porque são amigos faz tempo, talvez ela só queira se divertir e como ontem nós nos divertimos juntos, ela talvez pensou que fosse uma oa ideia, mas se fosse assim, então porque ela não chamou o Mark também? Será que o Leon contou pra ela sobre o que aconteceu e então ela decidiu tentar nos juntar ou algo assim? Mas se fosse isso então eu acho que ele não pareceria tão surpreso em me ver. Talvez ela apenas sinta que tem um clima rolando entre eu e ele e decidiu juntar a gente. A quem eu estou enganando, estou tão desesperado pra que alguma coisa nos faça ficar juntos que agora tudo que acontece que envolve eu e ele, eu acho que é porque estão tentando nos juntar, preciso deixar de ser tão trouxa isso sim. O lance é que ele me beijou, mais do que isso, a gente se pegou legal naquela cama, quem sabe a gente tivesse ido até além disso se o telefone dele não tocasse, então ele não pode esperar que eu não toque no assunto, a gente tem que falar sobre isso, eu preciso dizer pra ele o que eu sinto e que sinto isso desde o primeiro dia em que eu o vi, ele não pode ignorar que eu tenho sentimentos por ele e já que ele teve a atitude de me beijar então vai ter que falar sobre isso, ou ele diz que isso não vai mais acontecer e eu tento esquecer ele de vez ou ele diz que vai me dar uma chance, mas e se ele disser que é melhor a gente não se falar mais? Eu vou ter que respeitar isso, não posso forçar alguém a fazer o que não quer e pensar nisso dói tanto... Não quero ficar longe dele, ainda mais agora que eu sei o que é ficar perto dele, mais perto do que eu esperei que fosse ficar um dia...

- THOMAS!!! - Saio do transe com Sarah gritando o meu nome

- Oi?

- Você tava dormindo por acaso?

- Não, só tava pensando em umas coisas aí...

- Bom, chegamos! - Ela aponta para o lugar

- Que lugar é esse? - Leon pergunta

- Um lugar que eu queria muito vir já faz um tempo e como a gente se divertiu juntos ontem na festinha do Josh eu pensei em chamar vocês pra vir comigo, eu chamei o Mark também, mas parece que ele está com alguma garota. - Ela revira os olhos

- Eu não tava muito no clima pra sair hoje, eu te disse isso. - Leon suspira

- Eu sei, mas acontece que eu não ia deixar você ficar bebendo a noite toda por causa de uma garota.

Como assim? Ele tava pra baixo desse jeito porque ele gosta de uma menina? Então não tem nada haver comigo? Eu fui só pra matar alguma curiosidade estúpida, é isso? Ou talvez ele esteja saíndo com uma menina e tá se sentindo mal por ter me beijado... Eu não sei, só sei que quero chorar agora, sou tão ridículo.

- Tudo bem, vamos logo com isso. - Ele dá um passo a frente em direção a entrada do local

- Vai ser legal e garanto que você vai esquecer ela rapidinho. Que tipo de garota passa a tarde se pegando contigo só porque você tá mal e depois diz que foi um erro e vai embora, que garota ridícula.

- Sarah chega desse assunto. - Ele parece meio apreensivo agora

Quer dizer que ele passa a tarde se pegando com outras também? Pelo menos agora ele sabe como é estar com alguém e depois ser dispensado. Não acredito nisso, deve ter sido essa tal garota que ligou naquela hora, ele deve ter dito que estava triste ou algo assim e ela foi lá consolar ele, imagino o que eles devem ter ficado fazendo... Sinto meus olhos enxerem d'água, tento me controlar pra que não escorra nenhuma lágrima, porque sei que se uma cair, não vou mais conseguir segurar o resto.

- Er... Tudo bem, vamos logo. - Ela abre a porta e entra, nós a seguimos sem nos olhar

Observo o lugar a minha volta, era uma espécie de parque ou sei lá, não sei muito bem descrever isso.

- Então, aonde vamos primeiro?

- Que lugar é esse? - Ouço a voz de Leon, mas me recuso a olhar pra ele

- Chamam isso aqui de Área de Lazer Urbana, ouvi falar disso tem umas duas semanas já, mas nunca tinha vindo aqui.

- Legal... - Ele não parece animado

- Thom, tem algum lugar que você achou interessante?

- Eu... Quem sabe aquela barraca de clarividência ali?

- Pode ser uma boa ideia. - Ela pega na minha mão e na de Leon e nos puxa em direção a barraca

Assim que entramos, a mulher atrás da mesa faz sinal para que nos sentemos, puxamos uns bancos no canto e nos sentamos de frente pra ela.

- Algum de vocês namora?

- Não, somos todos solteiros aqui. A senhora não pensou que eles dois fossem meus namorados né?

- Não, eu sei que não são. Só quis ter certeza de que estavam todos solteiros antes de analisar o que o amor reservou para vocês no futuro.

- Ahn... Eu não tô muito no clima pra falar de amor agora. - Leon parece um pouco impaciente

- Leon fica quieto e relaxa, deixa a mulher falar.

- Tá bem. - Ele dá de ombros

- Espera só um momentinho. - Sarah corta a mulher que estava prestes a começar a falar

- Thom, caso não esteja entendendo nada, o Leon tava meio pra baixo hoje, aí uma amiguinha dele se ofereceu pra passar na casa dele e assistir um filme, mas acabou que ela só queria se pegar com ele e depois disso ela disse que foi um erro e foi embora, aí ele tá na foça agora.

- Sarah por favor chega desse assunto. - Ele vira o rosto parecendo irritado e envergonhado

Ah Meu Deus, eu não acredito nisso! A tal garota sou eu! Ele não tava se pegando com mais ninguém, ele deve estar confuso com o que aconteceu e ficou meio pra baixo, Sarah deve ter ido falar com ele e ele resolveu contar pra alguém, mas não deve ter tido coragem de falar que estava se pegando com outro garoto, então ele disse que foi com uma garota, mas como ele explicaria que foi ele quem mandou a garota embora e depois ficou triste por isso? Então ele disse que ela é quem foi embora. Como não me toquei disso antes. Por isso ele está tão nervoso, ele deve estar com medo de eu perceber que a Sarah está falando de mim e agora ele deve estar com vergonha porque deve ter imaginado que a essa altura eu já me toquei. O que eu faço agora? Devo fingir que não faço ideia de que a tal garota sou eu? Mas se eu falar sem parecer triste ou com raiva ele vai saber que eu sei.

- Nossa que garota idiota... - Falo sem olhar pra ele

- Posso continuar ou tem mais algo que queiram debater? - A mulher nos encara

Ela era tão estranha, tinha cabelos negros compridos e estava completamente descabelada, tinha olheiras fundas e os dois braços repletos de pulseiras e braceletes, usava brincos compridos, um blusão preto e uma saia rodada roxa na altura dos joelhos, meias brancas quase que na altura dos joelhos e umas sapatilhas pretas e tinha uns piercings no nariz e na orelha, sem falar no batom vermelho escuro, nas unhas compridas pintadas de vermelho e naquele tanto de rimel que ela usava nos olhos e que cílios postiços eram esses?

- Pode prosseguir. - Sarah diz meio sem graça

- Vejo aqui que a senhorita tem muito azar no amor. - A mulher fecha os olhos e coloca as mãos sobre a bola de cristal

- Isso é verdade. - Sarah assente

- O rapaz da direita tem muitas pretendentes, mas nunca durou muito em um relacionamento. - Ela diz referindo-se a Leon

- De fato eu nunca tive relacionamentos muito longos.

- Já o rapaz da esquerda se apega rápido demais e também se magoa muito fácil.

- É verdade...

- Agora vamos ver o que amor reserva pra vocês. - Ela pega um baralho de cartas estranhas e coloca sobre a mesa

- No meu caso, eu duvido muito que mude. - Sarah suspira

A mulher puxa três cartas e depois as vira.

- Sua primeira carta diz que você vai desenvolver sentimentos por alguém que não deveria.

- Normal pra mim...

- A segunda carta diz que tem alguém lhe desejando mal e que sente inveja de você, essa pessoa também fará de tudo para tirar as suas chances de encontrar o seu verdadeiro amor.

- Uau, acho que realmente não me acontece nada de bom.

- Talvez aconteça... A terceira carta diz que irá conhecer um rapaz hoje à noite, não posso garantir que ele não terminará sendo outra decepção amorosa, no entanto você se sentirá extremamente atraída por ele.

- Provavelmente será só mais um pra minha lista de relacionamentos falhos, mas vai saber.

Nada disso parecia muito difícil de deduzir, Sarah é bonita e popular então claro que outras garotas sentem inveja dela e quase todo mundo acaba tendo sentimentos por alguém que não deve, no entanto dizer que ela vai conhecer um cara hoje à noite é bem arriscado.

- Sua vez. - Ela olha para Leon e pega três cartas

- Mal posso esperar. - Ele não parece nem um pouco animado

- Aqui diz que você está apaixonado, mas acha que o que sente é errado. - Leon parece ficar incomodado com isso

- Vejo também que você luta desesperadamente para suprimir seus sentimentos por alguém e isso está te machucando por dentro. - Ele parece nervoso agora, percebo que ele não para de balançar a perna

- E por último, eu vejo aqui que você tem muitos amigos verdadeiros em sua vida, amigos que se importam com você e que vão te apoiar não importa se você pense que estará sozinho caso decida seguir determinado caminho, alguns deles já até mesmo sabem pelo que você está passando - Agora sim ele parece extremamente perturbado

Posso ver que suas mãos tremem e ele está suando, mesmo estando escuro dentro da barraca, eu posso ver que ele está muito nervoso, como se estivesse tentando desesperadamente se acalmar e não conseguisse. Eu queria tanto abraçá-lo agora, dizer que eu o amo e que eu estava aqui por ele não importa o que acontecesse, mas eu não podia fazer isso aqui na frente de Sarah e da vidente doida e com várias pessoas lá fora, com a possibilidade de haver por aqui alguém que ele conhecesse. Sarah parecia meio mal também, talvez ela se sinta mal por ter chamado ele para vir aqui pensando que ajudaria a melhorar o humor dele.

- Sua vez carinha de anjo. - Me dou conta de que a mulher está falando comigo

- Talvez seja melhor a gente ir embora logo...

- Agora que começamos, vamos acabar logo com isso. - Sarah diz meio apreensiva

- Você também está apaixonado, sente algo muito forte por alguém e não entende como deixou isso acontecer, não consegue disfarçar o que sente, não importa o quanto tente e sentir isso está acabando com você. - Permaneço calado, não tem como ela ter adivinhado isso ou tem?

- Você tem medo de dizer pra essa pessoa o que sente, medo de ser rejeitado, medo de afastá-la de você, medo de que perca aquilo que você tem agora e que nunca pensou que conseguiria. - Agora é sério, essa mulher está me dando medo

- Ontem e hoje você esteve com a pessoa que ama, se sentiu feliz ao lado dela de uma maneira que não tem palavras para explicar, mas também se sentiu triste depois, acha que estragou tudo entre vocês e agora não sabe se deve esquecer o que sente por ela ou criar coragem e ir atrás dessa pessoa, mesmo que seja difícil a princípio. - Sinto calafrios pelo meu corpo inteiro e um frio na barriga nada reconfortante, quero ir embora desse lugar imediatamente

- Bom, acho que é isso né... Vamos embora, eu to com dor de cabeça. - Me levanto meio rápido

- Sim, vamos indo... - Sarah se levanta

Leon ainda parece nervoso, ele ainda está suando e um pouco trêmulo, ele tem tanto medo assim de gostar de outro garoto? Como eu queria abraçá-lo agora...

- Uma última coisa, a pessoa que vocês amam está aqui neste lugar essa noite, se há um momento para ter coragem e tomar uma atitude, esse momento é agora. - A mulher nos encara com aquele olhar sinistro, ou pelo menos, eu e Sarah, porque Leon está de costas de cabeça baixa e parece estar tentando disfarçar os seus tremores

Nós três saímos da barraca, claramente a minha ideia fora péssima, era óbvio que estávamos os três perturbados após a consulta com a vidente pavorosa.

- Sarah eu não to me sentindo bem, eu só quero ir pra casa agora. - Leon diz sem olhar pra nós

- Tudo bem... Acho que é melhor mesmo. O meu carro está aqui perto, eu levo vocês em casa.

Assim que Sarah começa a andar em direção a saída, ela bate de cara com um rapaz, o copo de milkshake que estava na mão dele cai e suja os dois principalmente o garoto.

- Ai droga, eu sinto muito! - Ela parece meio nervosa

- Não, a culpa foi minha! Eu não estava prestando atenção.

- Me desculpa mesmo, eu compro outro pra você.

- Não precisa, olha, melhor você ir limpar essa blusa e esses tênis. Tem um banheiro logo ali na frente.

- Er... Você também tem que limpar a sua blusa e os seus sapatos, você se sujou mais do que eu, e além do mais a sua blusa é clara e essas caldas que eles colocam mancham.

- Acho que tem razão, eu te acompanho.

- Não... Olha, eu tô bem, vai você e eu te compro outro milkshake. Eu já tava indo embora mesmo, minha casa é perto, eu lavo a blusa lá.

- Vou me sentir culpado se te deixar ir assim com a blusa e os sapatos sujos. Vai ser rápido, o banheiro é logo ali.

- Tudo bem... - Ela parece meio insegura

- Eu vou ali no banheiro e já volto, vai ser rápido. - Ela mal disse isso e já saiu apressada com o garoto indo atrás dela

Que ótimo, o que eu faço agora? Leon nem olha pra mim, ele está com as mãos nos bolsos encarando a saída, parece que ele parou de tremer, mas ainda está inquieto. Como a mulher pavorosa disse, a hora é agora. Me aproximo dele, agora quem está tremendo sou eu. Toco no ombro dele e ele se vira, nossos olhos se encontram e ele tenta se afastar um pouco, mas por um impulso eu seguro o braço ele. Ele me encara um pouco espantado e ao mesmo tempo nervoso. Caramba, o que eu estou fazendo? Ele nunca mais vai querer me ver depois dessa noite.

- Leon, precisamos conversar so-sobre... Precisamos conversar sobre nós!


Notas Finais


Demorou um pouquinho, mais saiu *-*
O capítulo acabou ficando bem mais longo que o normal, mas tudo bem ^^!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...