História Amor Platônico - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amor, Drama, Escolar, Lemon, Romance, Yaoi
Visualizações 41
Palavras 2.483
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Lemon, Romance e Novela, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 6 - Túnel do Amor


Fanfic / Fanfiction Amor Platônico - Capítulo 6 - Túnel do Amor

- C-Conversar? Sobre nós... - Ele parece um pouco assustado

- Por que você tá tão nervoso?

- Você não entende... - Ele se afasta

- Então me ajude a entender. - Volto a me aproximar

- Agora não é a hora pra isso. - Ele vira o rosto

- Como assim? Eu acho que agora é a hora perfeita pra isso.

- Olha, não estamos em um lugar apropriado pra esse tipo de conversa Thomas.

- É só a gente falar aonde tem menos gente, temos que falar sobre isso uma hora ou outra e como nós já estamos aqui, melhor falar sobre isso logo de uma vez.

- Tá bem, assim esclarecemos logo isso.

Procuro por um lugar com menos gente e como não encontro resolvo ir pro banheiro mesmo. Seguro no braço dele e o puxo até lá, ele fica um tanto espantado e se solta.

- No banheiro? O que acha que vão pensar que estamos fazendo aí?

- Ninguém vai pensar nada. Ninguém fica reparando quem entra e quem sai e muito menos a hora que pessoa entrou e com quem, hoje você está mais paranóico do que eu hein.

Eu entro no banheiro e chego a pensar que ele não viesse, mas um tempo depois ele entra, puxo ele pra uma cabine e fecho a porta, a cabine até que era bem espaçosa. Eu acho que nunca tinha ido em um lugar onde o banheiro fosse unissex, seria isso pras pessoas fazerem determinadas coisas aqui? Fico meio vermelho pensando nisso, se bem que se eu fosse fazer alguma coisa no banheiro com alguém não ia precisar que fosse unissex... Tinham três banheiros nesse lugar, tomei o cuidado de não entrar no que Sarah havia entrado. Apesar de a cabine não ser tão apertada, com nós dois ali, ficou um pouco apertadinho e nós estávamos muito próximos um do outro...

- Você gosta de mim? - Pergunto na lata

- Não! Eu já disse que não sou gay...

- Fala a verdade Leon. Você por acaso acha que eu vou sair por aí dizendo que você ficou comigo? Não sou esse tipo de pessoa.

-Eu sei que não faria issoThomas. É só que eu não sou assim... Eu gosto de garotas.

- Até onde eu sei, eu sou um garoto.

- Olha... Eu já me senti atraído por alguns garotos antes, mas nunca passou de atração, só que você vive me olhando, e nem sequer disfarça que tá me olhando, digo você não demonstra pras outras pessoas, mas pra mim você parece querer deixar bem claro que tá me olhando... E isso acabou despertando algo dentro de mim sabe, eu sei lá, me senti atraído e pensar em você me fazia sentir coisas que eu não deveria, tipo você as vezes parece um bebê com essa carinha de anjinho inocente e eu acabo me pegando pensando em você nos meus braços de vez em quando e quando eu imagino as coisas que você tem vontade de fazer comigo, eu fico muito excitado... - Ele cora um pouco

Ele gosta mesmo de mim... Queria tanto abraçar e beijar ele agora, mas preciso me controlar...

- Eu te amo Leon... Como eu não iria simplesmente chegar em você e dizer isso, então eu pelo menos ficava te observando e imaginando coisas e quando você me pegava olhando, eu simplesmente não ligava de que imaginasse que eu tava de paquerando, na verdade eu tinha esperanças de que você percebesse e viesse falar comigo.

- Eu nunca que iria falar contigo... Eu nem sequer conseguia falar com você direito... Sempre que eu pensava em puxar algum assunto, eu desistia, sabe eu fico nervoso perto de você e eu não queria acabar fazendo algo que entregasse que eu sinto algo...

- E porque você não me quer?

- Não é isso...

- Então é o que? Não consegue lidar com gostar de outro garoto?

- Não... Eu não consigo...

- Mas porque? Podíamos lidar com isso juntos...

- Thomas eu não posso... Talvez meus amigos entendessem, mas minha família não vai.

- Entendo...

- Sinto muito...

- Tá tudo bem, talvez a gente possa ser apenas amigos?

- É talvez a gente possa... Posso fazer uma coisa antes disso?

- Claro!

Eu tava torcendo que essa coisa fosse um beijo de despedida e eu estava certo. Leon segurou na minha cintura e me puxou pros braços dele, juntou nossos lábios em um beijo ardente e quando eu menos esperava, ele me pegou no colo, eu coloquei meus braços em volta do pescoço dele enquanto o beijava desesperadamente, ele estava tão desesperado quanto eu, nossas línguas travavam uma verdadeira briga, as mãos dele apertavam a minha bunda com força e eu apertava os ombros dele na mesma intensidade, nós mal parávamos para respirar, nos beijávamos com tanta intensidade e eu não queria mais parar de sentir aquele gosto maravilhoso da boca dele, quando já estávamos muito ofegantes ele resolveu dar um tempo nos beijos e foi descendo a boca pelo meu pescoço, dando chupões meio fortes e alguns beijos molhados, passou pela minha cabeça que ficaria um pouco roxo ali, mas foda-se, tudo que eu queria era ficar ali com ele pra sempre, ele sobe a língua pelo meu pescoço e chega na minha orelha, sinto ele chupando o lóbulo da minha orelha e mordiscando ele, desisto de tentar conter meus gemidos e deixo eles saírem, conforme ele chupa meu pescoço eu vou gemendo baixo no ouvido dele, coloco a minha mão por dentro da blusa dele e arranho aquelas costas gostosas, mas não muito forte. Eu queria desesperadamente dar pra ele, mas se isso acontecesse, ia ser bem mais difícil de desapegar depois, se bem que já não ia ser fácil mesmo... Seguro nos cabelos dele e faço-o voltar a me beijar, ele coloca uma das mãos dentro da minha calça e aperta uma de minhas nádegas, decido não me segurar mais e aperto o membro dele por cima da calça, ele geme de leve e isso me deixa excitado, eu estava duro e ele também e como ele estava duro hein... Não aguento e coloco a mão dentro da calça dele, aperto o pênis dele de leve e o masturbo, ele estava tão meladinho... Passo os dedos na glande dele toda melada com o pré-gozo e levo até a boca, ele me olha e claramente isso o excitou, Leon me imprenssa contra a parede e levanta a minha blusa, ele dá beijos pelo meu abdômen e mordisca um de meus mamilos de leve, ele brinca com a língua em volta dele e passa a chupá-lo, eu estava gemendo um pouquinho alto, mas não estava nem aí pra isso, só queria ele dentro de mim...

- Leon me fode. - Sussurro no ouvido dele

- Fodo sim amor. - Ele me chamou de amor...

Ele volta a beijar o meu pescoço e começa a abrir o zíper das minhas calças quando escutamos uma voz conhecida.

- Leon? Thomas? Vocês estão aqui? - Puta que pariu, era a Sarah!

- E-Eu tô aqui! - Leon diz meio nervoso

- Ah... É que vocês sumiram e eu tava procurando vocês... O Thom tá aqui também?

- Não! Porque ele estaria aqui? - Ele está muito nervoso

- Sei lá, talvez ele também quisesse usar o banheiro.

- Ele não está aqui! Eu já vou sair e vou buscar ele... Espera a gente lá perto da saída.

- Tudo bem... - Ela sai do banheiro

- Temos que ir... - Ele fecha o zíper da minha calça e me coloca no chão

- Tudo bem... - Me ajeito e ele faz o mesmo

Ele sai do banheiro primeiro e um tenpo depois eu saio, vamos em direção a entrada e vemos Sarah no maior bate-papo com o garoto, eles estavam comendo algodão doce, na verdade estavam dividindo um.

- Meninos esse é o Jack.

- Prazer em conhecer vocês.

- Jack, esses são meus amigos, Leon e Thomas.

- Prazer em conhecer você. - Eu e Leon dizemos ao mesmo tempo

- Vocês estão bem? - Sarah nos olha

- C-Claro que estamos! Por que a pergunta? - De novo Leon estava nervoso

- Porque não estaríamos? - Eu pergunto

- Por nada... Só perguntei por perguntar mesmo... - Ela parece meio confusa

- Então podemos ir em algum outro lugar? Sabe, eu e Jack queríamos ir no túnel do amor... - Ela cora um pouco e ele ri

- Por mim tudo bem. - Digo naturalmente

- Túnel do amor? Quer que eu e o Thomas vamos lá com vocês?

- Na verdade, são duas pessoas em cada cisne, eu e ele vamos em um e vocês dois vão em outro.

- O-Oque? Como assim nós dois vamos sozinhos? - Ele está parecendo eu, parece que perdeu o senso de humor

- Ué, achei que vocês estivessem se pegando... - Ela diz sarcastica e tem uma crise de riso

- Ah! Claro, a gente tá gamado um no outro. - Ele ri sem graça finalmente percebendo que ela estava só brincando

- Ótimo! Vamos logo. - Ela agarra na mão de Jack e o leva até o local, com eu e Leon logo atrás deles

Chegando lá, Sarah e Jack entram em um dos cisnes e ele começa a se mover em direção ao meio do lago, ele começa a seguir em frente e logo entra na caverna escura e desaparece. Havia uma placa perto da entrada explicando sobre o passeio, dizia que eram mais ou menos vinte minutos, o vagão passava pelo riozinho sob o túnel, haviam algumas luzes pelos túneis, mas bem fracas e também cada vagão ficava a uma boa distância do outro, a pessoa que estivesse em um cisne não poderia ver a que estava no outro, também explicava que o mecanismo era completamente seguro e funcionava perfeitamente de baixo da água. Logo a moça nos chama e nós entramos no vagão.

- Se divirtam lá dentro meninos. - Ela dá um risinho

- Nós não... Não somos namorados... Somos só amigos! - Esse Leon todo nervosinho tava meio que me irritando

- Nós vamos sim, pode deixar que a gente sabe muito bem como se divertir quando estamos a sós. - Sorrio e pisco pra ela

Uau! Eu estava impressionado comigo mesmo, Leon por outro lado estava vermelho igual um tomate, parecia que nós tínhamos trocado de personalidade. Logo o cisne começa a se mover e nós entramos no túnel escuro e sumimos de vista.

- Sobre o que a vidente disse... Parece mesmo que a Sarah encontrou um cara legal hoje. - Ele parece apreensivo

- Eu também tô com um cara legal hoje. - Olho para ele

- Thomas... Melhor não...

- Mas no banheiro você ia... - Ele me corta

- Foi no calor do momento, era pra ser só um beijo de despedida.

- Já estamos aqui, vamos pelo menos ficar mais uma vez... Amanhã nós esquecemos que tudo isso aconteceu, eu prometo que não vou tocar mais no assunto.

Mal eu terminei de falar e ele pegou na minha mão, ele entrelaçou seus dedos nos meus e eu deitei a cabeça no ombro dele.

- É tão bom ficar assim com você. - Sorrio ao dizer

- Poderia ficar aqui pra sempre. - Ele deita a cabeça sobre a minha

- Leon?

- Sim?

- Eu... E-Eu...

- Pode dizer.

- Eu te amo...

Ele fica em silêncio e um tempo depois solta minha mão, a primeira coisa que me vem a cabeça é que ele se chateou por eu dizer isso, mas logo ele levanta o meu rosto com a mão e acaricia ele, olhando em meus olhos, meio que deito o rosto na mão dele e ele aproxima o rosto do meu, fecho os olhos e sinto o nariz dele tocando o meu, nossos narizes se roçam de leve e ele me beija, devagar e com calma, sinto-o puxar meu lábio inferior e mordê-lo de leve, Leon me puxa para o seu colo e eu me ajeito enquanto ele leva as mãos a minha cintura, seguro em sua nuca e o beijo mais intensamente, adorava sentir o gosto daquela boca e sentir aquela língua tocando a minha. Ficamos assim por um bom tempo até que avistamos uma placa dizendo que estava chegando ao fim da viagem e nos ajeitamos nos bancos e nos afastamos. Assim que chegamos lá, Sarah estava em pé nos esperando.

- Então, como foi o passeio de vocês?

- Quente. Sabe, você olha pro Thomas e nem imagina que ele tenha tanto fogo assim. - Ele ri e nós acabamos rindo também

- Eu não tenho!

- Sério? Não pareceu... - Ele me olha sorrindo sacana

- Os quietinhos são os mais assanhados. - Digo convencido

- E como são... - Ele voltou a ser o mesmo de antes, finalmente!

Resolvemos ir embora e Sarah nos contou sobre o Jack, ela disse que ele era bem legal e que eles trocaram telefones e que depois que tinham saído do banheiro e não nos encontraram, eles ficaram tomando sorvete e conversando. Ela se ofereceu pra nos levar em casa, mas Leon disse que ela teria que deixar a gente e depois voltar já que ela morava antes, então seria mais fácil ela ir no carro dela e ele me levava até em casa já que morava depois de mim. Ela não questionou e nós a acompanhamos até o carro, esperamos ela ir e fomos até o carro de Leon. Uma vez lá dentro, nós permanecemos em silêncio, acho que não queríamos falar sobre nada, queríamos era fazer outra coisa... Me surpreendo quando ele para o carro faltando pouco para chegar em minha casa.

- O que foi? - Olho pra ele

- Você disse que era bom ficar daquele jeito comigo...

- Sim, eu disse.

- Que tal ficarmos mais um pouquinho? Afinal, amanhã é um novo dia...

- Nem precisava perguntar. - Rio e vou para o banco de trás

Ele passa para o banco de trás também e se deita no banco, eu me deito nos braços dele e ele me abraça, sorrio e beijo ele, dessa vez nós permanecemos dando beijos calmos, ele fazia carinho em mim e de vez em quando dava alguns chupões no meu pescoço, o que eu gostava muito por sinal. Ficamos assim por um bom tempo e quando eu olhei no relógio já eram meia-noite e dez.

- Melhor eu te levar agora... - Ele diz meio desapontado

- Sim...

Passamos para o banco da frente e ele dirige mais uns minutos e para na frente da minha casa.

- Boa noite Thomas.

- Boa noite Leon.

Dou um beijo na bochecha dele e seguro na maçaneta da porta, mas ele me puxa e me beija, foi um beijo um tanto quanto longo e foi tão bom. Provavelmente o nosso último beijo...

- Até amanhã.

- Até... - Saio do carro e entro dentro de casa

Vejo o carro dele indo embora e subo até o meu quarto, tranco a porta e deslizo até o chão, fico sentado ali e abraço meus joelhos. Eu o amo tanto, queria poder ficar com ele todos os dias, mas não posso obrigá-lo se ele não está pronto... Sinto uma lágrima descer e pronto, logo estou ali, sentado no chão, sozinho, no escuro e chorando.


Notas Finais


Você que tá lendo até aqui e ainda não favoritou tá esperando o que? Vai lá favoritar isso logo pessoa u.u


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...