História Amor Por Acaso - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Felipe Neto
Personagens Felipe Neto, Personagens Originais
Tags Amor, Drama, Felipe Neto, Luccas Neto, Lucy Hale, Romance, Selena Gomez, Youtuber
Visualizações 18
Palavras 1.432
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Desculpa a demora, agora um pouco do Feh sobre a historia. Espero que gostem.

Capítulo 2 - Capítulo 2


Fanfic / Fanfiction Amor Por Acaso - Capítulo 2 - Capítulo 2

Felipe

Tinha terminando de gravar o vídeo do dia e estava olhando umas redes sociais quando meu irmão entrou no quarto todo afobado gritando.

- FELIPE, FELIPE vamos sair hoje?  Vamos?  Por favor?  Tem maior tempão que não saímos irmão. — ele se ajoelhou na minha frente e me mantive sem expressão. - Fala alguma coisa Felipe!

- Não to a fim de sair não moleque. — me ajeitei na cama e coloquei o celular no criado mudo.

- Ah não pode parando Felipe deixa de ser chato você nunca quer sair. Parece um velho só fica ai deitado. — me sentei e suspirei.

- Sai daqui Luccas, garoto chato. Não quero sair. — reclamei e fui ao banheiro.

- Felipeee, poxa você só quer sair com a Paola. – será por quê?

- Claro ela é minha namorada, para que vou querer sair com um bando de macho? — lavei as mãos e sai do banheiro.

- Vai sair com seu irmão e seus amigos, o que custa Felipe? Você não me ama? — começou o drama.

- Paola não vai gostar que eu saia. — Cruzei os braços e o olhei.

- Agora você só faz as coisas se ela gostar? Ela manda em você? — está parecendo que sou capacho dela assim, meu Deus que saco.

- Claro que não. Só não quero briga. — Tentei justificar. Paola é de boa, mas quero evitar.

- Não vai ter, vamos sair e pronto. Deixa de ser velho. — ele foi para porta e abriu a mesma.

- Respeita minha idade Luccas. Eu gosto de ficar em casa assistindo filme, comendo pipoca, deitado na cama. — pego meu celular e mando mensagem para minha namorada.

- Esteja pronto as nove. — ele disse e saiu.

Mereço, tem tempo que não saio, nem lembro a última vez que fomos a uma boate, passo tanto tempo trabalhando ou com a Paola, eu amo trabalhar e estar com a minha namorada, mas sair uma vez não vai fazer mal né?

Eu

Oi amor, tudo bem?

Paola

Oie. :) estou bem e você?

Eu

Estou bem. Hoje vou sair com os caras, tem problema?

Olhei a mensagem digitando e me sentei esperando sua resposta.

Paola

Tudo bem amor, vai se divertir. :)

Eu

Obrigado. – Não sei porque eu agradeci.

Ficamos conversando um tempo e desci para comer algo, os caras estavam todos reunidos na sala e me olharam.

- Até que enfim Felipe. — Bruno comentou e os outros concordaram.

- Tem que parar de ser sedentário cara, tem que curtir mais a vida. — Rodrigo falou e revirei os olhos.

- Só quero ver Felipe dançando na pista. — meu irmão veio para o meu lado e começou a dançar. 

- Não vou dançar nem adianta. — retruquei negando com o dedo.

- Para Felipe, vai sim. Depois de uns copos vai ficar soltinho. — meu irmão deu um risinho maléfico e neguei.

- Eu não bebo mais. Não como antes. — fui para cozinha e procurei comida.

- Tá bom, tá bom, lá vamos ver. Vai dar pt. — espero que não por que não quero repetir o incidente do vaso.

- Pode parando Luccas não inventa. — gritei da cozinha já me armando para dizer que não iria.

- Não vou fazer nada que você não queira irmão, você é meu irmão mais velho e eu vou te respeitar. – ai tem coisa, Luccas não socega.

- Acho bom. — sorri mesmo sabendo que ele com certeza vai fazer algo.

Preparei um sanduíche e lanchei conversando com eles, todos estavam animados com essa saída, menos eu. Mas vou tentar me divertir, preciso relaxar a mente e curtir assim as idéias fluem melhor, terei mais conteúdos para os vídeos e o público vai amar. As horas iam passando e cada um foi fazer algo já se preparando para sairmos e eu fui para o quarto e dormi.

[…]

- Felipe? Acorda! — acordei com Luccas me balançando e o olhei com ódio.

- O que é moleque? — perguntei já sem paciência, estava tendo um sonho maravilhoso e essa praga me acorda.

- Tá dormindo? — vou socar ele posso?

- Você é demente? Quem fala dormindo Luccas? – o olhei com tédio já querendo voar no pescoço dele.

- Várias pessoas. — ele ri e taco um travesseiro nele.

- Sai daqui, sai do meu quarto. — pedi de forma rude sabendo que ele não iria embora.

- Não, agora é sério, vai se arrumar já é oito e meia. — ele avisou e olhei a hora.

- Mexeu na hora? — o olhei com os olhos semicerrados, ele adora me trollar.

- Não né. Vai se arrumar logo. Vamos sair em uma hora. – ele me olhou e sorriu.

- Certo. — me ajeitei e me cobri.

- Levanta. — ele puxou minha coberta e saiu correndo.

- Seu filho da mãe. — irmão mais novo é um pé no saco. Eu amo ele, mas tem hora que quero afogar ele na piscina.

Levantei-me e fui ao closet, separei algo confortável e fui ao banheiro, tirei a roupa e tomei banho, me vesti e penteei o cabelo. Olhei-me no espelho e não estava nada mal. Escovei os dentes e sai do banheiro, calcei o tênis e sai do quarto procurando os outros.

- Pessoal? Já foram? Vou deitar. – avisei e eles foram aparecendo, droga!

- Já ta com sono? – Otavio perguntou e se sentou.

- Ele estava dormindo ainda agora não é possível que esteja com sono. – olhei Luccas que bebia uma coca, deu para ficar me entregando esse garoto.

- Vão pensar que abriram um sarcófago lá na boate de tanta poeira que vai subir quando Felipe começar a dançar. — Bruno é tão  engraçado quase ri.

- Acabaram as palhaçadas? Estou pensando seriamente em voltar para o meu quarto.

- Acabou,  vamos saindo que já  deu né gente?

Saimos todos e fomos de táxi para a tal boate,  já estava meio desanimado e nem prestar atenção no assunto da conversa prestava queria muito estar na minha cama quentindo com um brigadeiro. Mas não estou eu indo para boate me divertir com os amigos.

Saimos do táxi e entramos na boate, olhei tudo em volta e realmente estava cheio, muita mulher bonita espalhadas para todos os lados.

- Ei vamos beber. — alguém me chamou me fazendo sair do meu devaneio.

- Tá  bom. — fomos para uma área meio reservada perto do bar e pedimos um balde de cerveja.

Começamos a beber jogando papo fora sobre trabalho,  mas logo mudamos de assunto e começamos a falar de mulheres, quem ia pegar mais e eu só quieto na minha. Sou um cara comprometido,  não vou pegar ninguém.

- Vou beijar muito. — olhei Luccas comentar e pedir outro balde.

Não sei como acabou tão rápido as cervejas.

- Eu já to de olho numa alí. — Rodrigo disse animado olhando uma loira.

- Vocês só pensam em mulher? — os encarei esperando que dissessem algo convincente.

- Claro. — todos responderam a mesma coisa, fico pensando devo ser o único estranho aqui.

- Vocês são muito previsíveis. — virei os olhos e peguei outra cerveja.

O tempo ia passando e o único que já tinha pego alguém era Rodrigo,  chega ser vergonhosos para os outros, já estavamos no quinto balde e dançavamos animados. Já estava completamente bêbado e nem me importava se dançava desengonçado ou não.

- Olha aqui todo mundo tem que pegar alguém. Nem que seja um selinho. — Bruno deu a ideia e confesso que a aquela altura eu já estava topando tudo.

Olhamos em volta e começamos a escolher a nossa vítima, Otávio e Bruno foram os primeiros a ir atras de alguém, sobraram meu irmão, Rodrigo e eu.

Olhei para pista e vi uma morena dançar sensualmente e já senti algo nas minhas calças se manifestar. As luzes da pista dançavam junto com ela deixando ainda mais linda, o vestido dela parecia ter sido feito literalmente para ela,  moldava suas curvas perfeitamente. Eu estava hipnotizado naquela mulher..

- Então Felipe já escolheu? — Luccas perguntou e assenti. - Então vai fundo irmão.

Não pensei nem duas vezes, virei meu copo e fui na direção dela me aproximei por trás da mesma e segurei sua cintura e colei nossos corpos,  cheirei seus cabelos e que cheiro maravilhoso,  apertei a sua cintura sentindo o tesão tomar conta de mim. Ela me olhou e pude ver seu rosto melhor, que linda, muito linda. Ela se virou para frente e começou a rebolar contra mim, que loucura, que raba é essa? Beijeu seu pescoço já pensando em sua boca, preciso tê-la. Num movimento leve ela se virou para mim e essa era minha deixa.

- Vamos para outro lugar? — perguntei e a mesma assentiu.

 


Notas Finais


Estou um pouco atrasada, mas consegui finalizar, mesmo depois de críticas, espero que gostem. Sim fui criticada por escrever sobre o Felipe, por escrever sobre youtuber. Mas deu tudo certo até o próximo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...